quinta-feira, 28 de outubro de 2010

Fábulas brasileiras III

1. E as fábulas continuam assombrando a minha mente, penso na política presente e espero unido aos milhões de brasileiros, mais clareza na condução das coisas públicas,na aplicação deste caminhão de impostos arrecadados que atingiu-se a cifra de Um Trilhão em 2010 - conforme traz  o conceituado jornal Diário do Comércio ano 86-n° 23.234. Cem bilhões a mais do em 2009.

2.Queremos as melhorias, a manutenção da ordem social, as reformas tributárias e outras mais que não firam nossas tradições, costumes e religiosidade que fizeram do Brasil desde seus primórdios uma nação a altura de seus sonhos latentes.

3. Queremos de nossos governantes mais tino seguro, mais diplomacia externa, mais oportunidades para aqueles que estão pleiteando seu primeiro emprego, fazendo valer o talento desta jovem pátria promissora pois não podemos esquecer que em um futuro próximo a história inquirirá de todos acerca da compostura na vida particular e social sem concessões.

4. ... E chegará o dia em que os pingos serão devolvidos aos iis e não diga que o J literato não avisou, hein!

Helder Tadeu Chaia Alvim


quarta-feira, 27 de outubro de 2010

Fábulas Brasileiras II

fábulas brasileiras II

1. Para ilustrar hoje este blog que me proporciona interagir com outras pessoas, comunicando o que vai na mente para virar semente de um novo tempo mais humano, justo e solidário, lembrei-me de um causo que ouvi no interior do sertão de Minas, à beira do fogão à lenha, quando ainda podia-se ouvir o zunido inconfundível do apito da maria fumaça, o cão vadio latindo nas praças perdidas nas cidades da zona da mata.

2. O fato ocorrido não é esconjuração, mas uma historia passada que vai hoje desenhar a atitude de políticos afeitos ao assistencialismo e fisiologismos cabrestantes de votos.Pois bem um cumpadre viajou para 'Belzonte' e deixou seu amigo encarregado de cuidar de seu roçado, incluindo a seva com seus porquinhos mimosos.

3. Tudo ia bem na cabeça do compadre, ia viajar e tinha alguém de confiança para cuidar de seu pequeno patrimônio, arregimentado com sacrifício, suor e trabalho. Mas quando estava na estação verificou que havia esquecido o documento de identidade. Voltou em casa para pegar o registro e quando viu o seu compadre pulando a cerca de baraúna e arame farpado com o seu leitãozinho mais preferido no ombro...

4. - Mas meu 'cumpadre', eu confiava em você, logo quem fez isto comigo.Juro que não podia esperar do amigo uma coisa desta. Justo quem!
- O compadre fez-se de  desapercebido e disse: - Quem colocou isto aí, tira isto daí.

5, Estoutro foi na Igreja do povoado Roseiral do Norte para se confessar, em lá chegando se dirigiu à sacristia, e didde: - bença padre porque pequei. - Meu filho, disse o vigário, há quanto tempo não confessa, ah seu vigario umas boas viradas de lua.

6.  - É porque roubei uma corda, - tá meu filho isto é feio, não roube mais, e reza um pai nosso!, mas seu padre é... é... que esta corda puxava um boi, e este boi carregava um  carro cheinho de milho... Ixe... !!!!

Moral da historia: nenhuma! Se agente atentar bem parece um certo planalto central, um ares publica bar zileira precificada, desacionada ao extremo que está locupletada de vendilhões, visse nossa!

5. Deixo ao leitor sensato a opinião peremptória, ele, melhor que ninguém, saberá atualizar a realidade estampada na mídia, auscultada ao homem simples do povo, conclusiva nas estatísticas brasileiras.

Helder Tadeu Chaia Alvim ( conf.  fábulas brasileiras I...a estória verídica continua e continua, pois o gigante voltou a dormir...)
  

Linhas Liricas

1.E a prosa não para nunca, traz em seu bojo a insaciavel sede do saber. Vejo desabrochar os anseios dos poetas anônimos em um louco redemoinho e poucos aquilatam sua importância para a atualidade.

2. Nas  escondidas rimas estão as riquezas do proseio e recônditos pesares. E o poeta a cada dia que passa lança-se com sofreguidão, acaricia o poema, grita mudo, mas sua voz cala fundo no coração do mundo.

3.Ela, a letra esquecida, permanece escondida e quando aparece arranha de versos a garganta aberta e tira dela um oh! incomensurável e declara: a via é esta, sempre foi, sempre haverá quem se dedique a função de alcançar estrelas sem tirar o pé do chão.

4.Muito além das certezas que apalpam, existe um universo imaterial que os poetas cantam com sua voz alada e de onde emana a paz e a harmonia. E seus poemas, o que são senão respingos brilhantes, a quem diga delírios colhidos para oferecer aos irmãos.

5. Poeta, pegue a senha, assuma sua posição, veleje na brisa da inspiração. É fugidia e requer atenção redobrada pois na esquina desencontrada da vida poderá encontrar o filão perdido.

6. Faça, amigo bom uso dele sem queimar os dedos na fornalha desta profusão, afaste-se da ilusão, tenha a alma plena, para atingir esta morada, não se atenha a detalhes outros, versos se escrevem ante de mais nada na essência, com o coração quieto na contemplação, não na barulheira de outras acomodações.

7. Ajunte o elo partido, solde as partes com perfeição, decifre os enigmas, busque as rimas, lá mais na frente pode chegar o mundo bom, alinhavar versos já é o começo, nas suas preces achará o que estabelece, o dia amanhecerá no calor que merece.

8. E ele pleno de sabedoria falará ao poeta breves palavras, de como escreveu a boa rima, encerrou o trecho em cima do que intuiu,protegeu as linhas líricas e conseguiu terminar no tempo previsto, restou-lhe a paz de um dia fugaz que viveu e nada mais!

Helder Tadeu Chaia Alvim

quarta-feira, 20 de outubro de 2010

Parametros Ativistas na Era do Top Blog 100

1. O proposito do que se segue não é outro senão opinar em conjunto com os blogueiros que aos milhares postam na Google, revelando sua alma, sem impor sua opiniao, se detem a analisar ludicamente o panorama, demonstrando esta forma de amar diferente. E agradavel ver que a cada dia surgem novos internautas agregados em torno do ideal de navegar, de se comunicar e expor seus vôos sem limites, respeitando a individualidade de cada um, propondo novos rumos a literatura na diversidade harmonica de sua concepções.

2. O avanco foi inevitavel e as ferramentas franqueiam aos colecionadores de poemas um prato cheio na era on line mundial- tem ai o Top Blog - aglutinando o pensamento, estimulando emolumentos de perder o folego exatamente. O Brasil ocupar um lugar de destaque nas redes sociais. Encontrei um amigo no interior esta semana, após conversarmos muito, ao se despedir ele disse-me. tem msn ?

3. Se você, companheiro de estrada, apetece o ar perene, aqueça doravante sua mente, respire fundo, inunde o mundo de versos até ao amanhecer, daqueles que são oriundos do bem querer, que as traças e os ladrões não abocanham, material nao perecivel. Então aperte os cintos, sinta-se forte, saiba que está em casa e convido-o a passear,espairecendo, esquecendo-se do mundo consumista, e aparelhando seu alforje das rimas, na mínima condição de poeta de esquina, na esgrima de antigos feitos, limando as palavras e encontrando sua função exata neste mundo que abstraiu o calor humano, baniu a prosa leve e se concentra na velocidade de  leques quebradiços.

4. Em contra-posição firme, julgue tudo pelo árbitro da lealdade, fidelize a amizade, não curve a cabeça ante a perversidade caotica, afaste-se da cidade dos homens e procure se achegar a cidade dos anjos bons, não faça arranjos que possam ofuscar a honra.

5. Mas, poeta detalhista, a sua lista é enorme e não usual, na sociedade pós moderna este parecer não encaixa no jogo do lego lero. Sinto muito meu caro missivista, entendo suas razões procedentes, no entanto a nova era traz surpresas agradaveis e revisões de conceitos antiquados. digo por mim e por muitos do meu convivio que as coisas estão virando de cabeca para baixo.

6. Hoje ser moderno e progressista requer parâmetros ativistas. O mundo bom só irá acontecer se preservarmos valores esquecidos na consciência plena de verdade. A evolução  teve sua maldade ao afirmar tons que destoaram da realidade. Vamos reaver nossa liberdade, sustentar o planeta com ações definitivas,vamos realçar na vida a sua face verídica. Vai encarar, amigo ou deixar tudo esvanecer, tem gente que gosta de pintar o casco do transatlântico da humanidade esquecendo sua crucial e urgente vitalidade.

7.E na hora derradeira, quando bater o estopor inevitavel sinalizando o fim da façanha terrena, quando derradeira chegar a hora conselheira, estará de maos cheias e alforge abastecido para a ultima viagem...Pense nisto com carinho, ja pensou, o Deus de misericordia dizer: -Filho, vem para cima das nuvens, achegue mais perto, quero olhar nos seus olhos límpidos e ungir sua fronte com as gotas imortais do orvalho celeste e lhe dar posse de um reino extenso de luz e perfeição.

8. E continua, solene patenteando sua decisão: - Porque foi na terra um homem de têmpera justa, esta luz que parte de mim não ofuscara sua existência, mas doravante realçarà para sempre sua ações  e proclamará seu caracter justo que labutou com clareza, despreendimento e bondade.

Helder Tadeu Chaia Alvim

terça-feira, 19 de outubro de 2010

As Projeções da Bio Versa

as projeções da bio versa
1. Nao vou cansar de dizer que o fomento do poeta são as rimas de onde derivam suas inspirações, comecei a escrever jovem ainda e hoje na idade madura persisto na caminhada e confesso que elas pairam generosas acima da cabeça mortal deste poeta minimo, as ideias aparecem num simples andar despreocupado, em uma noite calma, nas madrugadas insolentes, no dia subsequente.

2. As vezes me assombram insones, me impulsionam na sina de cantador, me direcionam para o tudo e o nada, tambem procrastinam as ações humanas, selecionam o pensamento, a crise latente na mente humana, que mais! Projetam na frieza as iníquas distorções, as calmarias, os maremotos nas enseadas perdidas, materializam abstrações. Ao apoiar seu pé no chão não levita e sim chora toda vez que surge um mal consumindo seus irmãos, vitimando-os sem perdão, como é o caso da bactéria Klebsiella- a dita infeliz KPC.

3. Tudo isto me faz refletir um tempão, absorve minhas energias me levando a explicitar neste blog, concordâncias, discordâncias, aplausos efusivos, descontentamentos alusivos, entristecimento compulsivo. Cônscio ao extremo da finitude, da fugacidade da vida, me faz caminhar garimpando palavras para direciona-las ao ponto nevralgico de questões delicadas, mesmo não fazendo o uso da anestesia, vou medindo o discurso, pois a situação atual requer do leitor a plena interação de sua opinião comigo.

4. Amigo, que lê o que digo, que tal dar uma chance ao mundo bom, ele necessita de sua clareza e antenação redobrada, não espere deste belo gesto, louro e fama, afague a chama e o fogo divino vai se encarregar do resto. Converse com ele, faça suas as esperanças dele e deixe rolar a caneta para valer e na simplicidade deste ato, verá com alegria que as ideias vão surgindo.... e muito depois pode acontecer a transformação, haja vista o longo alcance que os blogs do Google estão projetando, alcançando a marca invejável de milhões espalhados no globo terrestre. Este singelo trabalho, pelas estatísticas atualizadas diariamente, se alegra com acessos constantes em vários países atualmente.

5. Existe sim o poeta desde o inicio do mundo, ou melhor, Quem com maestria cobriu a terra de vegetação exuberante, idealizou os minerais, o reino animal na diversidade impressionante de seu equilibrio, os astros na perfeita simetria de sua evolução, o firmamento na feericidade de sua manhãs e ocasos. Quem criou do nada tudo isto e ofereceu ao homem no paraiso? Este ser existe desde todo o sempre e aprouve a ele incutir na cabeça do poeta seus versos de admiração, sua caneta a serviço da contestação, suas rimas na busca incessante de razões últimas para o ser humano.

6.De poeta para poeta eu não estranharia que dentro de voce exista um, ainda nao exercitado, acanhado mas que a seu tempo vai rugir forte e alto em prol das rimas consoantes com sua inspiração  confessa.Nos tornamos intimos da poesia franca neste blog e na qualidade de parceiro fica o convite insistente para que tente e de uma chance para o lirismo in fieri na sua mente proficua e sedenta de elevação.

7. Esta nossa conversa amena e direta não propõe auto-ajuda, fisiologismo ou mero assistencialismo tão em voga hoje em dia nas esferas politicas. Propoe sim um fazer poetico descompromissado, altamente complexo pois requer talento, esforço, dedicação e preparação devidas.Nao se acanhe, mas projete sentimentos e ganhe sua alma primeiro, equalize a mente no bem, desenferruje as dobradiças do comodismo e concentre-se nos seus sonhos e objetivos, dai verá ,nascerá a poesia pura para deleite dos amantes de tal gênero, depois blog a vontade, material e o que nao falta, tudo pode virar poema, seu espaço esta garantido. Só depende de você pois as ferramentas on line estão a disposição e á mão qualquer hora e sem sair de casa. 

8. E digo mais para calçarr e refutar os céticos de esquina, a interaçao  não é algo novo, a criatividade tem bases em Heráclito e foi se desenvolvendo, amplificando o conhecimento, renovando-se século após século na simplicidade, arte autentica e portento, admiraveis. Percebeu que o mais das vezes somos esquecidos após a morte, mas haverá sempre uma legião de admiradores que vão cultuar o poeta no seu tempo.

9. A postura de poeta requer lisura e bons sentimentos, sua carga expressiva deve agradar aos olhos, aquecer o coração da humanidade, chamando-a para horizontes transcendentais onde habitam as rimas divinas, onde os pássaros fazem sua morada, longe dos abismos de casuismos, perto da essência pura.

10. Nesta procura inveterada de ânimo, intemerata ao extremo da contemplação encontrará a equação final,plena de significados para oferecer ao mundo, máxime hoje em dia tão chamuscado de ideias vãs,conceitos impróprios a sua condição, indignos de sua posição. O que está esperando, ofereça a ele, sequioso das  aguas cristalinas da imortalidade,  a sustentacao de sua alma soberana.

11. É bom lembrar, se me permite um adendo que o relogio roda, o mundo da voltas arriscadas no epicentro de suas evoluções, a ciência avança alavancando descobertas maravilhosas, a politica encolhe o bem estar da maioria, mas a poesia atemporal na sua projeção bio versa escolhe a letra adequada. E neste universo virtual da alta definição da era do Iphone Touch Screen ela a convite das rimas calmamente estabeleceu seu promontorio para observar o movimento peremptorio, aconselhar mediando conflitos e no consenso arbitrar decisões meritorias. Também  ressalto que há vagas remanescentes, pois houve desistentes que foram assumir outras funções práticas alheias ao estatuto forense de suas avaliações.

12. No passado a poesia fez sua trajetoria brilhante, seus poetas frequentaram o pensamento de varias gerações, impulsionaram as artes e as canções, pagaram um alto preço na sociedade, mas fincaram pé na galeria da historia, ganhando a lembrança de monumentos, legaram textos formidaveis, ensairam  a prosa, prosearam em versos ate ao inimaginavel.

13. Quem é este ser chamado poeta, tão discriminado hoje em dia, parece folgar a realidade, dizem nas rodas  das conversas anexadas ao sentir moderno e pragmatico.Posso refutar em uma palavra, pois ser poeta no meu entender e um pouco bem mais que isso. E sentir a realidade, filtrar a maldade deixando prosseguir o bem, desconcertando o mal, propiciando ao mundo fugazes momentos de elevação, beleza e harmonia através de suas rimas leves e soltas.

14. Mais, convivo com poetas, eles nâo pedem para nascer poetas, ja nascem assim irmanados as rimas, solidarios nas lagrimas alheias, aqueles que idealizam nos versos o mundo bom, passivel de realização, aqueles que exercitam a mente, domam as ambições terrenas enfim pleiteiam amar sem condições.Venha para este mundo épico e maravilhoso e ganhe um presente das divas divinas: a felicidade de situação.

Helder Tadeu Chaia Alvim

segunda-feira, 18 de outubro de 2010

Jornada quase sem fim e fábulas brasileiras...

1.E a jornada quase sem fim continua na mente de Torquaro Alvim, homem simples e observador, de olhar irriquieto e sincero.Um dia estavamos parolando la onde o vento faz a curva e a lua na amplidao alumia o pensamento espargindo aquela alegria despreocupada de viver. Saudoso amigo e parente, pena que ele partiu e fui privado da sua insolencia provocativa, dosada por aquele bom humor, so dele. Pensando em seu espirito de boa lembranca, me encontro na cidade grande, na agitacao embaracada das endoencas em chamas.

2.E a jornada agora previsivel de fim vai tentar desenrolar o seu novelo na inquietante atmosfera que tudo indica se delicia em sabores diferentes daqueles degustados na outrora Pirineus dos vagalumes solidarios.
Sendo assim esta lente minima,  carente por mais que queira nao consegue mais ficar fora  da realidade complexa da mencionada era moderna com seus icones eudeusados e marketing altamente elaborado que induz e seduz esta ou aquela opiniao desavisada.

3.Reviro os bolsos, assunto a memoria e nada se apresenta. Caminho pensativo na Augusta Paulistana, alguem me chama, nao ouco, grita, entao, meio absorto, viro e nao enxergo ninguem. Estou louco? Nao creio! Estou vivo e na perfeita faculdade mental. Ando mais um pouco... de novo ouco vozes dissonantes,
poeta delirante, nao vem conosco, onde andara aquele que se intitula do polvo.E percebi que as rimas estavam me procurando, recolho as ultimas gotas de inspiracao, volto para casa e comeco e escrever novamente.

4. Pensei na finitude humana que martela minha mente, na fugacidade de tudo quanto ha na terra, na disposicao frenetica de muitos, na corrida do ouro, fama e gloria. Nas minha pisadas de bola, no meu telhado de zinco e vidro, na minha falta de juizo. E constato com Chesterton: o que vai mal no mundo...
eu mesmo.

5. Foram-se as cruzadas, o epico de Camoes, passou D.Sebastiao a fustigar mouros insolentes.Veio a era das grandes navegacoes, o comercio maritimo, o trafico de escravos, Tiradentes, a era Barroca, Colonial, Republica Nova, Velha, Antigo Reinado, foi-se tambem as Caravelas, veio o submarino, a 1a e 2a grandes guerras.

6.Nao exatamente na ordem cronologica as Ferrovias do Barao de Maua, a RFFSA  e outros movimentos, Euclidianos, dos Sertoes, conselheiros de opinioes diversas, o cangaco, Pe. Cicero, Vieira, Othon Bastos,Sao Jorge a guerrear dragoes, de rojoes joaninos, trovoes em ceu limpo, passamos ligeiro pela era dos arcabuzes, pelas cruzes a marcar as encruzilhadas das estradas traicoeiras, das leiras de arroz, do cafe erradicado, dos tostoes da venda do Juca Santana, haja pinga, causos e fama estranha, tramas politicas das gerais e suas duas divisas do noroeste fluminense e do espirito santense.

7.Passou montado em seu alazao o coronel de muitos rocados, o mando da vilania, as emboscadas no boqueirao da ventania, as vozes das ladainhas silenciaram, os cantos gregorianos, o credo em latim, os exorcismos dos cruzios nos delgados ranchos, o sermao dos novissimos calou no pulpito claretiano, as cancoes divinas que amamos tambem emudeceram.

8.Haja filosofia, historia e mudanca de geografia territorial, o poder da Idade de Vargas, o grande exodo do trabalho rural, o amontoado das grandes cidades, abertura, fechadura e ditadura, Quercia, Ulysses, Tancredo, Sarney, Collor, Henrique, Covas e Cardoso, Luis Inacio no palacio presidencial, atualizando os numeros o 2o turno da Marina ambientalista, com Serra e Dilma tete a tete.

9. 'E impressionante o relogio do tempo inexoravelmente passando, a politica pulando de mao em mao e a gente nao conseguindo um guardiao para segurar seu ritmo forte ou retardar por algumas horas seu destino cruel. Morre o homem fica a fama, ou nao.

10.Juizos a parte, a posteridade se encarregara melhor do que eu deste mister, em meio as tantas tentativas desta escrita incompleta as horas continuam a se esvair num processo quase louco e misterioso, sabio e procedente, coadjuvamos a situacao do mundo, ocupamos na sorte papeis principais, mas todos somos uns mais outros menos, personagens de um romance que nao foi escrito, os arredores de uma cidade que nao existe... a imaginar neste contexto o esforco de Dutra, Juscelino, Lacerda quase perco o arrimo. Tudo para eles um dia amanheceu e nao anoiteceu e o tempo para o poeta, para o estadista para o padre,continua correndo levando a esmo a seu bel prazer tudo o que atravessa em sua frente.

11. Quando na nossa ilusao fragmentar pensamos que o temos nas maos ele foge da fama, gloria e brilho e irreparavelmente nao volta mais, esta marcha a re, ele nao quer nem saber de seu nome, sempre em frente com seus propositos insondaveis pela mais inteligente das mentes humanas, mesmo par o QI mais avancado.

12. Esta eu nao esperava, indica a critica de plantao, olha o poeta chamando a si a prerrogativa de explicar o tempo, tirando o nosso sono com alegorias.Vamos colocar uma beca em seu ombro pois neste tom magistral vai assustar os calouros de algum tribunal.

13. Mas nem intenciono tal feito, pois considero estes versos inacabados, faltoso de moncoes. Me situo na escrita mais ou menos qual ebrio na esquina, aguardando a luz do poste acender para que possa ascender a minha casa de escada esguia e vazia de sentido quando fora da poesia minima que me alumia com clareza. 

Helder Tadeu Chaia Alvim

sexta-feira, 15 de outubro de 2010

Rimaram, rimamos, rimarão...

1.O mar ri do poeta sem riso
 e pergunta porque ele não perde
 o juízo no bom sentido.

2.O poeta responde irônico
na flexibilidade de seu canto:

3.É porque amo as rimas sem rumos.

4. O mar respondeu: - Ah! sei , um dia eu fui poeta,
bem que tentei... observar o ar duelando com o vento,

5. As  naus, continua triste, sufocando nos porões,
sonhos sonhados,
os remos quebrando-se ao meio.

6.O poeta entende a sinominia
e cala seu verso, o mar aquieta sua onda
e ambos seguem caminhos inversos.

Helder Tadeu Chaia Alvim

quinta-feira, 14 de outubro de 2010

Cliques Amigos na Era Cibernética

1. Funcionalidade é a fina ponta na atualidade. Concordo em termos pois nem tudo que funciona é bom. A bondade em si já se basta a si mesmo. Não é porque a propaganda focou um determinado objeto, ressaltou suas vantagens que devo achar o máximo. Isto vale para a vida, para a política e também no relacionamento pessoal, de emprego, na sociedade.

2.Praticidade, outro termo esquisito demais, em seu nome simplifica-se tudo de uma maneira muito imediatista o que significa ausência daquele tônico que sustenta a atmosfera dando um sentido forte de sonhos, ideais e tudo o mais de bom.

3.Por isso vou mencionar um detalhe da maior importânciaa em minha vida de blogueiro da Google soberana. Em uníssono com as aspirações transcendentais de meus amigos on line, vou registrar seus cliques agora atualizados. 

4. Sem demora quero relatar e aproveitar para agradecer de coração esta leitura que fazem de minhas humildes canções, vcs todos são a razão de ser, a animação de minhas manhãs ensolaradas.É imensamente gratificante ver nas estatísticas que em diversos países este mínimo teve o obsequio de um clique ou mais, de amigos que não conheço pessoalmente e que hoje agradeço cabalmente a atenção.

5.Do Brasil brasileiro, minhas lembranças eu ofereço, terra do jeitinho, do coração largo; os Estados Unidos, quem diria leu também este site e de uma maneira franca aprovou meus versos mínimos.O Canadá não ficou atrás e aquiesceu minha nomenclatura.

6.Também Portugal de além mar, pioneiro dos mares e dos feitos heróicos de Ceuta e Travancor, mãe pátria da nossa querida língua lusitana, um primor. O Reino Unido de Sua Majestade, também acessou com estilo e classe.O Peru em Lima das lisuras me prestigiou e agradeço a altura de sua consideração.

7.A Rússia das belezas e inteligências ancestrais esteve presente à leitura, a Ucrânia das tiaras e anseios consequentes, a Alemanha de critérios universais, seguida da Bela Itália dos Papas, Cézares e Cardeais de glórias imortais.E muito me emocionou da distante não menos querida Republic of Belarus algúem se lembrou de mim, agradeço muito a citação e prometo não esquecer a consideração.

8.Se por descuido involuntário a citação não atingiu outras plagas, vai o pedido de clemência, por certo ainda vou nomeá-las na próxima instância e pela aderência ao meu tratado singela e constância na amizade, eu revelo.

9. Nesta era cibernética onde pululam tantas interferências inócuas, maliciosas, quando são ultrapassados os limites aceitáveis da comunicação ou seja uma guerra travada no âmbito eletrônico mundial que ameaça os sistemas de segurança dos paises fica em contra partida a certeza que este blog e seus acessantes estão engajados no mundo bom e a nossa conversa é de união, harmonia  sem fronteiras e que nas mãos deles fica sempre um pouco de perfume da paz total.

10.Depois de tudo deixo o agradecimento cordial, um abraço de calor sincero, vocês todos se tornaram a luz de meus olhos, a beleza e o encanto da solidariedade universal, que não armam fronteiras para o bem querer.

11.Entendem na sua prospecção profícua a importância deste intercâmbio cultural, a par das diferenças de língua e costumes, erguem bem alto o estandarte da harmonia na diversidade, captaram a interação procedente destas rimas mínimas, que querem alargar horizontes, entrelaçar na concórdia os povos e as nações.

12. Quisera no alcance singelo destas palavras, que elas chegassem a muitas outras mãos  que plugam o conhecimento nos quatro cantos do planeta sequiosas do bem para interagir com os poetas ensaistas brasileiros os caminhos da poesia - lugar comum
do mundo bom como queria o inigualável mestre Carlos Drumond de Andrade.

13.Estou atento e sempre propenso em ouvir, dialogar, pois entendo que essência e consciência de dias melhores, da sustentabilidade de convicções exatas será a chave para futuras transformações no consenso da verdade.

14. Se Deus nos concedeu em sua bondade ilimitada o sopro de vida, se redimiu o mundo do pecado na cruz ignominiosa e nos legou sua presença eucaristica na última ceia, se deixou Maria Santíssima nossa mãe por adoção, porque  equalizá esta mesma vida na sintonia eterna, na clave perene transformadora que nos fará de homens, anjos da era quântica do amor.

Helder Tadeu Chaia Alvim



quarta-feira, 13 de outubro de 2010

O galopar do destino em uma palavra, em uma vírgula, em um ponto.

1.Percebeu amigo que este poeta mínimo tem limitações e não se arvora em entendedor pleno de conceitos,por isso mesmo encontrará falha na sua linguagem, verá letras atropeladas e indefinições na gramática. Nunca será meu intento discutir política, ferir a carreira suada daqueles que são sufragados pelas urnas eletronicas no voto popular.

2. Não obstante temendo, sem derramar o veneno da crítica destrutiva e improcedente, faço meu o sentir de milhões de eleitores sobre os perigos, os maus rumos, o assistencialismo, o fisiologismo que pairam no ar e ameaçam as instituições democráticas de nosso querido país em dissonância gritante. Quero um Brasil soberano, um lugar onde o bem estar geral seja plano de governo, onde as conquistas da maioria sejam mantidas, a estabilidade económica um fato concreto e não campanha floreada e sem nexo, onde o senso crítico permeie as discussões nos plenários e que as mazelas e a corrupção não se instalem ditando normas obtusas para a nação canarinha.

3. Quem terá o meu voto. Sim aquele que tiver o bom senso de manter as conquistas democráticas, a liberdade de imprensa, a livre iniciativa, o combate sério a violência, o amparo do órfão abandonado, a protecção ao sexo frágil, a condenação tácita à execrável pedofilia, a valorização dos professores, enfim a justeza de salários. Isto é o que almejo e espero, quem se canditar a esta vaga laboriosa e de compromisso merecerá ocupar o mando da Terra Brasilis. Não quero amador na condução de nossos destinos pátrios.Senão preservar nossos valores morais e religiosos, sobretudo na condenação tácita do aborto que ceifa vias inocentes, seria um retrocesso inaceitável.

4.A gente queima as pestanas na lousa da inspiração, acorda cedo para labutar o pão da sustentação, paga os impostos, recolhe contribuição para que? Queremos voltar a sorrir um riso largo e sincero, ter nossos dias de folga, rezar nos nossos templos sagrados, escrever na imprensa lida falar na tele visada em toda a extensão da palavra, sem ferir ninguém ou menosprezar outrem.

5. No final de meus dias, não há como fugir galopando o tempo, serei julgado pelo autor da criação, porque então não viver conforme seus preceitos para um dia ser aceito no seio de Abraão. Infere-se deste parágrafo a lógica, o motivo destes versos impulsionado pela inspiração colhida nos olhares sobressaltados de mais de vinte milhões de votantes do último pleito eleitoral. Segundo espero que quem for escolhido caminhe na sabedoria e esteja a altura do maravilhoso povo brasileiro e represente antes de tudo seus anseios de um mundo bom como queria Drumond.

6. Poderá acontecer que a morte me colha de surpresa e com a mala desarrumada, as obrigações incompletas e o choro poderá arder minha testa e não pretendo arriscar para ver na certa.

7.Daí o escopo destas rimas mínimas, acentuar a presença divina, aparelhar o trilho para não me perder no vazio de uma noite incerta qual os ventos la prás bandas do sertã de minha humilde origem, visse!!!

8.!Si tempus habemus, fatiamos bonum! Se quer caminhar comigo, agradeço a condescendência, pois procuro afirma e na aparência o que se passa no interior de minha consciência.

9.E da clareza do olhar de Deus, espero sua misericordia, da sua mão omnipotente a condução exacta de meus atos, da sua onisciência o verso certo para acompanhar minha jornada e poder concluir o que iniciei até esgotar a inspiração.

10. O irmão entende como se torna difícil hoje no mundo materialista ao extremo ajuntar palavras para oferecer na grade das boas intenções. As interações, as constatações demonstram o quanto ele está distante do pensamento de Deus.

11. Se estas palavras estão fora de moda, não creio, então esqueça o que acabo de dizer. Plugue-se na volatividade de outros conceitos, pule esta página impregnada de preceitos, verse sobre outros papos. E quando quiser me procurar saiba que estarei aqui para uma prosa de verdade, isto é até quando o destino me colher no seu rápido galopar mais ligeiro que um raio, mais fugaz que um sonho, mais imprevisto que as chuvas de verão.

Helder Tadeu Chaia Alvim

A onda do polvo na era do stunex, do tablet e do grafeno bidimensional.

1.Definitivamente os politicos não criam jeito, parecem conhecer o eleitor somente nos quadrienios decisórios da urna eletrônica. Fiz o teste de qualidade por amostragem, protocolei intenções e nada! A nota alcançada ficou abaixo da média. Assim não dá, tratam as coisas públicas de uma maneira impessoal no formato numérico. Por isso eu e mais alguns amigos radicalizamos na mesa de bar.

2.Desenvolvemos uma tese sugestiva com caricaturas e tudo o mais, que suas caras boazinhas estão aquém da realidade brasileira, dos anseios e sonhos do povo brasileiro. O fato da candidata Marina Silva ter conseguido uma votação expressiva e por fora do corredor eleitoral previsto mostra que algo anda errado no firmamento do poder. Ela é coerente com seu discurso e ainda vai longe, podem apostar!

3.Ah! o poeta de novo, confesso que ele está sempre onde anda o povo e sua inspiração pode revelar o quanto eles pensam acerca da situação, por isso é bom não relegar a ele apenas o papel de caçador inveterado de rimas.

4. Obrigado pelo elogio e não posso negar isto e não concordar seria falta de juízo, politico gosta mesmo é de Brasilia e ponto. Nas ondas atuais até polvo começa a surflar e o poeta declama na sugestão do mundo bom, costurar alianças não é condizente com a grandeza da nação, tempo retrógrado  está fora de canção.

5.A poesia traz para o mundo uma performance única pois capta o momento, se não registrada adequadamente foge e escapa da nossa mão, visse! Mas poeta porque vc insiste em dizer coisas com disfarçada empafia. Não é sugestão e sim constatação que ecoou nos meus ouvidos nestes dias da propaganda obrigatória, ouvi tudo do homem pacato das ruas paulistanas. Sem insinuar revoltas, estabeleço nas rimas livres os valores perenes da constituição plena, da jurisprudência decisória.

6.Sou poeta de carreira lírica, sigo a inspiração confessa do contraste complexo na era do "stuxnet", se fôsse diretor de arte louvaria o "tablet" pela sua gerência anunciada, na qualidade de irmão das rimas procuro expressar critérios baseado nos alvitres humanos.

7.Não digo por mim, intento em deixar palavras auferidas do cosmo estelar e quando em lá chegar pretendo estar com as mãos cheias para dizer ao Grande Artífice do Universo: " Senhor da vida e da morte, dos tempos e das nações, dos povos, dos mares e das criações literárias, falei, Mestre Divino tudo no reverso, enfeitei poemas para oferecer ao semelhante, procurei nas limitações a voz silenciosa de versos da animação.

8.Meu amigo, uma recomendação, somos chegados e posso declarar com franqueza a situação.Não espere muito de mim, mesmo se não ler tudo o que deixo anotado não faz mal, nada vai mudar na infinitude das possibilidades humanas, leia sim Vargas Llosa, recentemente eleito nóbel da literatura do ano 2010 e se curte física quântica aplauda os gênios revelados Andrei Geim e Konstantim Novoselov acerca de suas descobertas  do grafeno bidimensional que revolucionará a eletrônica.

9.Estes versos me condicionam a expressar minha satisfação por existir estas  mentes brilhantes que vão pesquisando os elementos da natureza e engrossam as fileiras destacadas dos cientistas de nomeada, da literatura contemporânea. Agora se está à caça de talento raro, me releve a revelação, estas rimas leves não serão citadas e não  vão poupar a tinta e irão derramar palavras, pontos e virgulas aos borbotões.

10. A par destas  notícias alvissareiras constato que já se faz inverno no telhado esburacado da humanidade, palco assíduo de guerras insanas, conflitos de ego, afirmações de intolerância e uma gama de desastres ecológicos anunciados e não evitados. A terra saída das mãos de Deus perdeu sua essência pura, seu frescor primevo, sua beleza estonteante.Ébria  de poder e consumo foi dormir um sono letárgico,  e seus pesadelos dantescos a fazem revirar no seu leito de um lado para o outro convulsionando suas artérias e as rimas de outrora não encontram mais o fluxo sanguínio restaurador de fôrças.

11. Cansada, insone ela acorda, espreguiça e sai pelas galáxias, sem rumo definido, distante da harmonia, se posiciona em rota de colisão consigo mesma e na confusa tergiversação de seus atos lança-se no abismo quase sem chance de retorno.

12.Amigo, não espere destes versos o lirismo tranquilo, o caminhar bucólico, o flanar auspicioso, o soprar da brisa suave em seu rosto. Gostaria que fôsse assim. Abdiquei do estilo versátil que outrora me encantou,quando escrevia sobre a roça, o maracujá, o pé de jenipapo, as cantigas de moda das tardes quentes da estância Pirineus. A cidade grande me trouxe uma outra realidade que queima meus pulsos e me leva com fôrça a abordar este assunto controverso e estarrecedor.

13.E nesta clave diferente, perambulando pelas ruas de idéias muitas, procuro auferir a verdade nua e crua,sem flores e frutos silvestres, sem o calor do rincão distante, longe de meus irmãos amados, avistando espinhos encravados na mãe terra que a levam a exaustão. Sem a prerrogativa salvadora de um cirurgião, atento neste blog descrever a situação.

14. Não é hora de costurar ensaios, locupletar os ouvidos alheios com blá, blá, blá. Por isso a necessidade de uma política séria e apartidária que fale menos e haja mais no sentido de preservar instituições democráticas, institucionalizar a preservação da natureza, dos mananciais, fonte vital da vida no planeta terra.
Uma sociedade mais fraterna, justa e solidária. Em suma um mundo melhor de fato na consciência reta e exuberante, na planificação das oportunidades, na preservação de valores morais e éticos.

15.É, pude constatar que o polvo encantado começa a suflar nas ondas do "tablet", adentrando e superando a era do "stunex" em demanda do "grafeno bidimensional."Que mais sói aparecer? que mais vai nascer da profícua mente humana? Sim, mais transparência nas coisas públicas, mais decência na sociedade. Vamos aguardar e rezar pelo dimensionamento equânime destas questões primordiais!!!

16.A certeza que temos é que nesta velocidade máxima, pautada pelos avanços da alta definição tecnológica, torna-se difícil prever o futuro que nos aguarda. Para onde isto tudo vai direcionar? O mundo parece não querer mais olhar para os valores perenes da bondade e da cooperação mútua, descarta-se tudo e nos encartes atuais a poesia já não  ocupa seu lugar, ela propria refém de sua síndrome de Peter Pan se enleia nas teias perigosas de seus partidos sonhos, perdidas ilusões.Ela própria, contaminada pelos miasmas do consumismo e marketing elaborado nos laboratórios de alta resolução, perdeu a prosa forte de seus caminhos envolventes e pulverizou-se em fragmentos dissonantes e estranhos a seu eterno bem querer.

17. E neste cenário do caos em ebulição, perdoa-me a franqueza que a nossa amizade requer, ela destoa de sua função milenar para servir tão somente de figura meramente decorativa nas estandes da literatura atual. Ou, ou se recolhe na essência de sua convicções, cabisbaixa, mas confiante na restauração, frequenta os blogs democráticos, os saraus  da periferia genuina com fôrça e resolução.

18. Mesmo no anonimato global, ela não se parte, mesmo retraida arregimenta razões para os embates que a aguardam e não pode ser diferente pois a sustância que corre em suas veias tem sangue eterno e transcende a vida humana por mais gloriosa que seja.

19. Os beija flôres solidários cantam uma melodia estranha que parecem dizer que seus versos singelos valerão no cômputo divino um por mil. Parecem bradar que a travessia para Crisálida está prestes a cerrar sua portas, o ar encontra-se contaminado e eles respiram com dificuldade inaudita, trazem a noticia triste que as rosas murcharam, seus espinhos afloraram e rasgam sua pele, originando sulcos profundos.Sangra a mãe terra em extrema alerta,  em rota de colisão, haja capacidade de absorção, o impacto fatal se avizinha, o grande perigo se alinha...

20.Se falei palavras estranhas, não vou negar, estas rimas mínimas mais uma vez não omitem a situação. Se estão  emboladas não sei. Se extravazei opiniões, se não colhi atenção, fica a reflexão e a vontade sincera que tudo volte ao lugar e poeta volte a falar e declamar calmo e tranquilo sobre seu perímetro.

Helder Tadeu Chaia Alvim


quinta-feira, 7 de outubro de 2010

reticências x referências humanas

1. O mundo está reticente pois perdeu o calor humano se afastou da rimas certas, se interessou pelos objetos contraditórios. Que esforço tremendo  tentar acreditar na referência humana , na amizade constante, nas viagens desinteressadas que almejam o bem do semelhante em quaisquer circunstâncias.

2. Realmente ainda resta a mecha que fumega, apesar das notícias constantes em contrário.Sem querer enfeitar o vocabulário sei que existe em algum lugar do planeta numerosos desejos latentes palpitando no coração dos altruistas anônimos.

3. A partir do que se passa comigo pude averiguar este movimento desinteressado que visa a alma, tem gente que se importa comigo, quer o meu bem estar, me apruma no juízo, me oferece um ombro amigo quando preciso, me alerta dos constantes perigos.

4.Como é bom saber que me salva do perigo, que me lança uma prancha e não me abandona à deriva, me acolhe na sua casa aquecendo minha desgraça.

5. Me põe com cuidado de pé, caminha comigo até aonde eu quiser. Se hoje estou lúcido escrevendo o que mereço foi porque ela se preocupou e  foi me buscar no fundo da noite que me encontrava e esta mão amiga percorreu comigo um longo caminho de volta para casa.

Helder Tadeu Chaia Alvim

quarta-feira, 6 de outubro de 2010

Desembocadura

1.Não vou arredar o pé de minha função de poeta, mesmo sem os louros, mesmo sem o reconhecimento, vejo que é preciso continuar, enquanto houver um papel em branco mesmo na solidão em meio a tanta gente circulando em prantos sentidos, uma força motriz me impulsiona pois fui picado pela môsca feliz da rima de raiz.

2.Não esquento esta rima, nem pretendo entender sua façanha estranha, não vou escrever em busca incessante das competências diversas. Às vezes - me dirá - para medir as palavras que falam muito e não dizem nada absolutamente. Agradeço o conselho e direi para não me perguntar porque sou assim e mesmo digo que não encontrará o sentido desta página incerta. Certo mesmo é a finitude que nos espreita na curva de um caminho sem volta.

3.Amigo não pire a sua cabeça, dê um suspiro, agradeça a Deus ter a mente inteligente que tem, estabeleça os parâmetros exatos do poeta do caos que pretende solicitar sua aquiescência nesta causa mínima do fazer poético, ela vai me animar a continuar escrevendo para espairecer.

4. Se sou vocacionado para o fato ainda também não sei, só pretendo não parar nunca, enquanto o sopro de vida me animar vou prosseguir pisando alto, falando calmo acerca da trilha incerta que eu mesmo não averiguei aonde vai desembocar.

5.Me alcunham de poeta do nada que rabisca versos até ao amanhecer, que se auto define  andante do espaço, que tem a pretensão de ser um vagalume solidário a tocar o infinito, que almeja um ideal absurdo do mundo bom, que quer atravessar muros invisíveis e tocar a fimbria de panoramas sensacionais.

6. Aceito a provocação procedente e fica o convite insistente para comigo e tantos outros ultrapassar o tangível, ousar o transcendental e quando findar nossos dias alguém possa dizer: aqui jazem os poetas inconformados e nada mais!

Helder Tadeu Chaia Alvim

Coadjuvando a realidade politica brasileira...

1. Bom, é meu dever opinar na condição de poeta mínimo e não estranhe, caro leitor pois na minha profissão ingrata das rimas soltas, desconhecida das massas, esquecida pelos meios de comunicação, do marketing político e demais opinações atuais.Elas falam conscientes ferindo as palavras na seriedade do momento, carregado de preocupações quando a democracia encontra-se relegada ao papel de coadjuvante morna e não atua no papel principal no palco da realidade brasileira.

2.Quem acessar este blog, verá uma opinião à parte da mídia discursiva, e poderá até dizer-me: -Mas, poeta das divas aleatorias, este discurso não cabe mais no amontoado de razões que o mundo prega, o universo está volante demais e estes pensamentos  já não se praticam mais. Tudo bem ou tudo mal, não sei ao certo!No entanto vejo que preciso concordar consigo novamente, vieram as eleições, a fatia do candidatos que ganhou está viajando para espairecer, a outra amargando a derrota, avaliando a não anuência do eleitor querido, e por outro lado a sua mea culpa sentida,um pouco atrasada, pela não frequência à  vida cotidiana. do cidadão brasileiro, cordato e sonhador por excelência.

3. Os quadros mudaram na política, temos caras novas empurradas pela campanha inteligente do marketing eleitoral, velhos caciques não conseguiram se eleger, outros ainda vão perdurar no poder. Tudo pareceu um jogo articulado, sendo que não saiu muto conforme o ensaiado. Teremos 2º turno para presidente, a ambientalista Marina se mostrpu consequente,  roubou a cena com categoria e inteligência e deu uma última chance ao brasileiro de mudar. Sua cultura é profunda como são seus conhecimentos a respeito da política, agradou ao eleitor e já vislumbra na voz de muitos para a próxima em 2014.

4. É pena que não tenha sido desta vez pois o planeta sustentável agradeceria... pois a senadora sustenta de fato posições meritórias,o direito sagrado à vida dos nascituros com tese forte, atos consequentes embasados na lei divina e natural, tem projetos que melhorarão a vida dos seus amados irmãos brasileiros .E muitos outros mais que fizeram jus a expressiva votação recebida.Muitos estão esperando sua manifestação de apoio para onde Marina Silva tender vai levar a vitória ao obsequiado.Seu  apoio e a influência de seu grande prestigio que arrancou dos outros dois canditados 20 milhões de votos vão decidir os destinos do Brasil por mais quatro anos. Quem vai levar esta, a canditada da situação ou Serra na oposição?

5. Decisão dificil, e se ela se abstiver e não apoiar ninguém? Realmente não sei, vamos aguardar sua decisão, acho que dificilmente ela apoiará a situação, pois foi justamente sua posição firme e serena que a guindou ao status privilegiado de defensora da nação.Ela ambientalista convicta aclamada e respeitada pela critica international conseguiu comover os brasileiros e já desponta naturalmente sua liderança incontestável. Trouxe para a política mais ternura, compreensão e as razões sinceras da mulher brasileira.

6. Quem se eleger precisa saber que o Brasil sempre foi o paladino do bem, da bondade e da solidariedade,e esperamos que o futuro detentor de nossos destinos possa preservar nossas conquistas democráticas... A nação é de todos e a gerência das coisas públicas é uma vocação legitimada por Jesus na galileia e a ele pertence o juizo das nações.

Helder Tadeu Chaia Alvim

sexta-feira, 1 de outubro de 2010

Sesmarias brasileiras...

1. Desliguei a televisão, nada de novo nos debates políticos da seção brasileira nas eleições que se avizinham, as caras maqueadas demonstrando seriedade, continuadoras fiéis do assistencialismo, heróis nacionais ao prêmio americano do oscar. Dominaram os não embates as realizações costumeiras, o que fizeram e o que farão em suas gestões. Claro suando a camisa da iniciativa privada até eu me posaria de bom moço na gestão pública. A oposição desapareceu e se Covas pudesse voltaria para esquentar a polêmica. Bom tempo aquele em que fustigava seus adversários com humor e alta competência...

2.O fazer político está na mesma, mudam os rótulos graças a midia inteligente, outrora endureceram contra o regime, hoje estão politicamente corretos não trafegando influências apenas gerindo com critério as coisas públicas, rrs... rrs...rrs... Não existe hoje no cenário nacional uma verdade plena, racham compromissos ideológicos por interesses outros da ocasião, a direita desapareceu pixada de vilã, bicho papão, etc... e as razões foram antes orquestradas nos bastidores milionários das campanhas gerais. 18 Bilhões gastos pela estatistica matemática E ponto final!

3.Vou fazer poesia, arranhar as rimas com olhos no irreal, os nossos políticos já estão com vida ganha pois habitam nas sesmarias brasileiras nos seus feudos que ninguém tasca.Quanto a mim vou tentando arrebanhar um clique amigo na incerta volatividade das letras soberanas.

4.Palavras de cá, palavras de lá conhecemos bem a realidade política brasileira e na franqueza facultada a todo e qualquer cidadão posso opinar dentro da liberdade constitucional e não quero dançar com eles uma valsa fora do diapazão e vou com alguns amigos solidários arriscando estas rimas voluntárias que declamam poemas sonhando ainda com o mundo bom que virá um dia e que fora anunciado pelos nunca ultrapasssados  poetas autênticos desta nação.

5. Não se iluda nunca, passa reinado, república e tudo quanto haverá, mas o tempo juiz implacável faz tudo voltar ao devido lugar como pretendia os arcanos superiores e na serenidade própria de  seus versos livres suscitarão outros protagonistas para continuar a jornada com o coração são e o olho bem vivo.Ele, iguala todos quando descem à  sepultura onde não caberá mais ilusões e conjunturas. Por isso a urgência de não se envolver com a poeira da ilusão para não ferir o coração leve do poeta das plebes.

Helder Tadeu Chaia Alvim