quarta-feira, 30 de novembro de 2011

O verdadeiro natal vai chegar

            O verdadeiro Natal vai chegar

1. Eu não quero o natal da mídia com suas vestes de neon, acessível ao bolso daqueles que gastam sem pensar. Eu não quero as conversas vazias de novo. Eu não quero acordar no natal zonzo das realidades tristes de um mundo que insiste em consumir sem presumir o destino da mãe terra.

2. Eu quero aquele natal original, iluminado pela estrela de belém, aquele da manjedoura aconchegante, que acolheu o Menino radiante, o sorriso da Virgem Maria, a dedicação de São José, os pastores humildes, o anjo Gabriel, os reis de terras distantes.

3.Eu quero aquele natal de Bento xvi na Capela Sistina,de Fra Angélico, De Tomás de Aquino, de Assis,  de Stevenson, Exuperry, Bernardeth Soubirous,  Cura d'Ars, São Luís de França, Joana d'Arc,  Luiz de Gonzaga, Luzia de Siracusa e da mãe Geralda.

4.Eu quero aquele natal dos campanários, dos presepes, da ceia em família, da reza do terço, da missa do galo da procissão ao cruzeiro iluminado, o natal perene do 'eterno creatore del mondo'.

5. Eu quero aquele natal que envolva todos os povos na luz que surgiu um dia na gruta de Belém anunciando a nova era de paz, bondade, perdão e clemência para o universo inteiro.

6. Eu quero aquele natal que ofereça oportunidades iguais para todos, que ofereça conhecimento, moradia, transporte de qualidade, segurança, que olhe para o morador de rua e ouça seu lamento constante.Aquele natal dos poetas do povo com seus versos, coisas de louco bom!

7. Aquele natal que silencie de vez os canhões e desavenças e que a paz de Cristo abra suas asas de proteção ao orbe inteiro, que os homens se abracem e demonstrem à natureza seu respeito e resgatem com ela a dívida de gratidão por tudo quanto de bom e prosperidade vem recebendo ao longo dos séculos e infelizmente devolvendo o bem com um coice em seu rosto materno.

8. Tentam em vão roubar a cena, se apresentam no palco  sem o ator e autor principal e não convencem mais as plateias. Quem? Ah! sim os novos césares do século XXI, contribuem com seus editos descabidos, com sua passarelas da ostentação, para a junção do bem e sem saber adiantam a hora da aurora boreal.

9. O tempo atual perpassado de caos, violência, corrupção, injustiça, manipulações, inverdades dará lugar a outro das verdades serenas, a outro que valha viver e sonhar sonhos para depois oferecer ao parnaso de verdadeiras constatações.

10. Então a natureza cansada dos enzimas laboratoriais enjoada vai descartar a carga pesada de seus grilhões para poder voar e entoar  com seus filhos eternas e perenes canções.

11. Eu quero um natal diferente, não o dos tratados costurados entre o bem e o mal, não o dos átomos embravecidos, nem o dos bites adicionados, muito menos o do enriquecimento ilícito.

12. Eu quero um natal solícito com o mundo bom, aquele do abraço de união, do calor humano onde o profano se assemelhe ao soberano. o NATAL QUE PRESERVE A VIDA IN VITRO, IN NATURA ARTIS, NA CONCEPÇÃO NO UTERO MATERNO,  Mesmo que tudo pareça que não é, será e virá, mais cedo do que se pensa, mais tarde do que se imagina.

13. Este menino do natal, cresceu, sofreu na cruz em nosso lugar, organizou sua Igreja e abriu de para em par as portas de sua casa eterna, com um detalhe que não podemos esquecer jamais, este menino adorável é um Deus.

14.E pode tudo, vê tudo e tem um coração de infinito amor, justiça, bondade e a verdadeira solidariedade e o autêntico sentido da vida e do movimento pertence a ele.

15.Passados dois mil anos do 1º Natal seu perfume ainda continua no ar e assim será  até o soar do arcano final para o último natal, a ele pertence a plenitude dos tempos a evolução de tudo quando se move, a inercia dos elementos, a sustentação do firmamento, o pulo do esquilo,o pulsar do coração humano.

16. Se a essência do Natal acabasse, acabaria com ela a terra e tudo o que nela há. Por isso a paz universal emanada do fogo divino de Espirito Santo virá, mais cedo do que se pensa, mais tarde do que se imagina...

17. Não foi à toa que seu mensageiro Gabriel anunciou:"Gloria a Deus nas alturas e paz na terra os homens de boa vontade".Estas palavras proféticas ditas do alto da manjedoura de Belém, não é um recurso rítmico, tão a gosto dos que escrevem versos, mas uma realidade transcendental e o anuncio que virá a restauração do paraíso perdido aqui, não agora porém mais cedo do que se imagina, mais tarde do que o pensamento e ações dos homens possam tocar.

18. Então se não acontecesse, por absurdo poderíamos dizer: Deus não é Deus, mas uma fábula inventada da cabeça de algum filosofo de nome Aristóteles ou Tomás de Aquino.

19. No entanto ele existe mesmo para nossa alegria e desespero dos céticos e pertence a ele o segredo anunciado pelo arcanjo por ocasião do nascimento de seu filho  Jesus infante.

20. Virá a era dos solfejos benditos, da comunhão universal, da sintonia que equalizará as certezas de Deus e as palavras do grande poeta dos versos perdidos brilhará na totalidade de sua fôrça aos quatro cantos da terra: "Amai-vos uns aos outros com eu vos tenho amado."

Feliz e abençoado natal!
Helder Tadeu Chaia Alvim

terça-feira, 29 de novembro de 2011

Natal em curso

1. Já desponta mais um natal, não das compras aceleradas, das bebedeiras conjugadas, mesmo do pernil e chester tão a gosto da moçada. Este não me interessa e acho que a você também, leitor querido este assunto de presentes, festa e agitação incomoda e tenta ofuscar a beleza do fato em si, a comemoração é basicamente do nascimento do redentor da humanidade, aquele anunciado pelos profetas, datando a cristandade com o marco inicial da nova era de paz, alegria e esperança da vida eterna  tão ao gosto do Nazareno de luz.

2. Para brindar com você fui pesquisar e achei uma citação que traz a incomparável escritora Taylor Caldwell em seu brilhante livro sobre a história de São Lucas - Médico de Homens e de Almas. Lucas o discípulo do grande Mestre, evangelista, escritor, poeta e autor da vida espetacular  do cordeiro ungido.E feita as apresentações devidas e outorgado o mérito que lhe compete segue o que transcrevo da página.267- 268- 269, 31ª edição com tradução de Aydano Arruda, Editora Record Rio de Janeiro . São Paulo -2002. Vou citar agora o diálogo- o texto foi numerado  para se adequar a apresentação desta postagem entre Lucano e seu mestre e doutor em medicina José ben Gamliel noa primeira década da era Cristã.

3. "... - Há apenas um Deus - disse José - E é o pai de todos os homens. Pensas que o Messias virá apenas para os Judeus? Eles são um povo de profecias. Assim compreende-se que a profecia lhes tenha sido dada. A lei fora entregue nas mãos deles por Moisés. Por aquela lei o homem vive ou morre. Isso os gentios precisam aprender, através da elevação de seus impérios e de seu sangrento desígnio e da vasta e amontoada poeira dos séculos."  

4. E o diálogo entre o grego e o judeu continua com riquezas de detalhes que o nosso tempo tão avançado e apressado parece não querer ouvir:"... - percebi que os Judeus sempre tem uma história para contar - disse Lucano. -Tudo é em poesia ou metáfora , hipotético ou absurdo, ou oferecido sob a forma de pergunta. A vida é curta porque os eruditos judeus tratam o tempo com se ele não existisse, e como se houvesse uma eternidade para discussão?

5... Pela razão -respondeu José- de que o tempo não existe e há uma eternidade para discussão. Ainda acreditas, meu pobre Lucano, que o espírito do homem está acorrentado pelo tempo ou pelos acontecimentos? Voltou-se de novo para ele e de novo se rosto modificou-se, fazendo-se estranha e  e infinitamente doloroso, e Lucano pensou nos velhos profetas de que tinham falado os judeus de Antioquia, e José em Alexandria.

6.- Recordarás a esperança que os Judeus tem a respeito de um Messias que virá, e do qual lhe falei -disse José- Ele libertará nosso povo, Israel, de acordo com a promessa de Deus,. Foi Abraão, pai dos Judeus, um babilônio da velha cidade de Ur, quem nos trouxe essas boas novas. Leste as profecias de Isaías com relação a Ele. Será chamado o Príncipe das Dores, segundo aquele profeta, e sua Mãe esmagará a cabeça da serpente com seu calcanhar, e o homem ficará liberto do mal e do sofrimento e não mais existirá a morte. Por suas feridas seremos salvos.

7. - Há treze anos,Lucano, eu era professor da Sagrada Lei, em Jerusalém. Minha esposa teve um filho numa fria noite de inverno.Foi um noite muito estranha aquela pois uma grande estrela apareceu subitamente no céu, mantivera-se firme durante algumas horas, depois movera-se para a direção do Oriente.Nossos astrônomos ficaram muitíssimos excitados. Chamaram-na a Nova, e profetizaram que sua aparição agourava tremendos acontecimentos."

8.Lembro-me bem daquela noite. Herodes era nosso rei e um homem mau. Correu um boato que na pequena cidade de Belém nascera o rei dos Judeus. Tal notícia foi trazida a Jerusalém  por homens humildes e simples, entre eles estava alguns pastores que tinham uma história das mais temíveis a contar..."

9. Que seria?  "Falavam de Hoste Celeste que lhes aparecera quando cuidavam de seus rebanhos de carneiros, nas montanhas, e que lhes tinha dado notícias de grande júbilo. Como os reis são desconfiados, tem milhares de ouvidos, e assim essa história chegou aos de Herodes, a história dos pastores anônimos e ignorantes. Imediatamente, receando pelo seu poder, ele ordenou que todos os meninos nascidos recentemente fossem mortos, passados a fio de espada".

10.Podemos imaginar que na Judeia caiu uma grande tristeza e um lamento atroz: Raquel, as Marias Magdalas, Rute, Ester, Ana, Isabel e todas as mulheres de Jerusalém derramaram seu pranto, entoaram seu canto de dor e desespero pela matança dos santos inocentes, seus filhos amados, como indica o santo evangelho e soleniza pungentemente o missal romano na sua liturgia do período natalino.

11. Neste parenteses podemos conjecturar a maldade que personificava a alma de um dos piores seres surgidos na terra, o Herodes das ambições, da covardia, tudo de ruim num só lugar, num só homem , num só coração. Pior que ele fez escola e quantos e quantos a partir dele que poderíamos nomear exaustivamente que lotaria um livro denso de quase sem fim... e poderia trazer o título como: os filhos de Herodes ao londo dos séculos.

12. Voltemos à citação do livro de Taylor Caldwell, por sinal um romance de primeira linha e que flui como nenhum outro. "... José fez uma pausa. Lucano ouvia-o com relutante fascinação. Então, de repente recordou-se da grande Estrela que vira em Antioquia, quando criança, e seu coração bateu, apavorado." Esta conversa ocorrida há dois mil anos atrás se atualizou, Lucano ouviu  o seu coração sensível e juntando as revelações, pouco a pouco se rendeu à nova era que estremeceu o mundo todo.

13.Treze anos se passaram na história de José ben Gamliel: - ... as ruas estavam cheias de soldados romanos. Também eles tinham sentido um deleite incomum na primavera. Tinham apenas uma forma de expressar tal sentimento, pois eram estrangeiros em terra estranha que  os odiava... os soldados embriagaram-se e andavam pelas ruas, cantando. É triste ver qualquer homem rejeitado pelos seus irmãos e eu tive compaixão dos romanos.

14.Temos guardas no Templo para proteger os pátios internos de qualquer intrusão. Onde estava o guarda daquele pátio naquele dia? Não sei. Mas de repente as cortinas afastaram-se, e um rapazinho entrou no pátio, um rapazinho alto e muito bonito, trajado com a grosseira veste parda do povo comum.

15... Seus pés mostravam-se descalços e queimados de sol.A pele clara também fora amorenada pelo sol; seus caracóis louros mostravam sinais de terem sido queimados pelo calor , e caíam-lhe sobre os ombros.Tinha olhos azuis como o céu de verão, e um  aspecto solene e majestoso. Sorriu-nos, não como um rapaz que acaba apenas de alcançar a idade de Bar-Mtzvah e, portanto ainda tímido quando num grupo adulto.Seu sorriso era o sorriso de um homem, e ele estava à vontade, como um homem entre seus pares, como um erudito e um sábio entre eruditos e sábios. "

16. O relato impressionante continua e revela surpresas emocionantes, que a nossa época tumultuada de outros quereres desconhece, nunca ouviu falar ou esqueceu do sabor misterioso e contagiante das canções orquestradas pelas mãos do ente supremo do tempo, das coisas e de todos os homens.

17." ...Ficamos muito espantados e alguns entre nós franziram as sobrancelhas. Que estava fazendo aquele rapazinho em nosso páteo reservado, dedicado apenas à sabedoria e à discussão? Onde estava o guarda? o menino, era evidente, não passava de um camponês.Mais tarde ficaram a cogitar na razão de não terem mandado que ele se fosse imediatamente dali. Mas ao vê-lo pensei imediatamente em meu filho, que se não tivesse sido assassinado teria a idade daquele menino.

18. E disse-lhe: - Menino, que estás fazendo aqui, e onde estão teus pais? E ele me respondeu, com seu sorriso grave, e com o sotaque rude dos pobres e iletrados galileus: Vim para fazer-te perguntas e para dar-te respostas, senhor.

19. O rosto e o couro cabeludo de Lucano arrepiaram-se. Então, de repente, desejou ir embora e pulou sobre os pés. José, entretanto, não pareceu notar tal coisa, e continuou com sua voz remota e como que sonhadora: - Ele tinha o porte régio de um rei, aquele jovem camponês da Galiléia, com as mãos ásperas pelo trabalho, os pés descalços e a cabeça erguida. Penso que foi aquele seu aspecto que evitou a despedida encolerizada dos eruditos e doutores.

20.  Não temos grande  respeito pelo povo da Galileia.São pastores e artesãos, e sua fala é iletrada. Gente humilde.Mas aquele rapaz era um rei. Sentou-se entre nós, falou conosco, e depressa estávamos estupefatos com as suas perguntas e com as suas respostas,pois, apesar de seu sotaque galileu, falava com autoridade e profunda erudição.

21. Ficamos absorvidos nele. Perguntamos-lhe as coisas mais obscuras e difíceis, e ele as respondeu com simplicidade. Era como a luz da aurora entrando em aposentos escuros, repleto de livros eruditos, cheios de dificuldades. E mal saíra da infância, aquele jovem do campo, que vinha das nuas e quentes montanhas da Galileia, onde não há doutores nem sábios.

22. E eu lhe disse: Menino, quem é o teu professor? Ele sorriu para mim, com um sorriso que se parecia ao sol, e não respondeu. Foi então que a cortina afastou-se , agitada e um homem humilde, barbado, e uma bela e jovem senhora, vestida como camponesa, entraram num ímpeto pelo nosso pátio adentro. De novo José se calou. Sorria, e seu sorriso era infinitamente suave e remoto.Lucano sentou-se de novo, lentamente.Dizia a si mesmo: não devo ouvir! Isto é tolice obscura! Mas ouvia e esperava que José continuasse. 

23. - Jamais esquecerei aquela jovem senhora, Lucano, pois seu rosto era o de um anjo, radiante para além de qualquer descrição.Lembro-me de ter ficado instantaneamente atônito diante daquele rosto, que se erguia de pescoço e ombros vestidos em roupas ordinárias e opacas. Um pano azul tombava de sua cabeça, e eu vi o cabelo brilhante de sua fonte pura.

24.  Como posso descrevê-la? Não há palavras para isso, em idioma algum. Devia ter uns vinte e sete anos, o que não é muita idade, mesmo para uma mulher. Dava a impressão de ser, ao mesmo tempo velha como Eva, e nova como a primavera. Passado e futuro mesclados num só: ela não tinha tempo, não tinha idade. Imediatamente, eu soube que se tratava da mãe do rapazinho, pois tinha um aspecto régio.

25. O camponês barbado nada disse, embora fosse aparente a sua angústia. Manteve-se junto da cortina, mas a mulher adiantou-se para o menino, que voltou a cabeça e olhou para ela. E ela lhe disse: Meu filho porque nos deixaste, de forma que sentimos falta de ti em nosso caminho para casa e ninguém te havia visto? Temos estado em tua procura com grande ansiedade. O rapaz não respondeu por um momento, e depois disse muito suavemente: Porque me procurastes? Não sabeis que devo tratar dos negócios de meu Pai? E seus olhos irradiavam terno amor por ela.

26.  José silenciou e Lucano ficou á espera. Mas José não tornou a falar e Lucano perguntou, impaciente: - É tudo? - É tudo. Lucano mordeu o lábio. -Tu nada explicaste, José ben Gamliel.  Quem era aquele rapazinho?

27. José levantou-se e Lucano levantou-se com ele. José pôs a mão no ombro do moço e olhou-o bem dentro dos olhos, profundamente. - Isto terás que descobrir por ti mesmo, Lucano. Sorriu para o moço, com súbita melancolia. Dizem as nossas escrituras que Deus nem sempre lutará contra os espíritos dos homens. -Hesitou, depois prosseguiu: - Quando Deus luta contra o espírito de um homem é pelo mais sagrado e misterioso propósito, e aquele propósito permanece oculto ao homem até o de sua morte. No teu caso, não creio que isso permaneça oculto sempre oculto para ti. -- Levantou a mão em benção -- Vai em paz, meu aluno, querido e muito amado médico." ( Assim termina o relato de Taylor Caldell.) Até a próxima parada..."

Helder Tadeu Chaia Alvim

segunda-feira, 28 de novembro de 2011

influências em curso

1. Escrevo o que escrevo, mesmo se adoidado lhe pareço e não vou refutar e nem tão pouco me zangar com sua opinião. É um direito sagrado respeitar o semelhante que reflete o brilho de seu grande artífice, o Deus das nuanças intocáveis. ao mesmo tempo das bondades deliberadas, dos perdões sem limites, da beleza sem prazo de validade, da presença eterna, em tudo presente.

2. Neste esboço que traço ensimesmado sobre a amplidão do poeta divino, o único digno de adoração, que quedo amuado e ouso sem exageros continuar versando acerca do que imagina e pagina o que ofereceu a inspiração e que sua plenitude aclareie nossos corações e sustente em nossa veia o sopro de vida lúcida e que a caneta, troféu usado deste poeta mínimo, sempre se ponha a serviço da causa humana e que sua tinta transcenda as querelas existenciais e ofereça janelas para a contemplação da verdade eterna e incorruptível de um ser supremo que os  'homens conhecem tão pouco, mas cuja  glória a natureza canta'.

3. Não há como negar que a história de todos os tempos registra o feito de homens que mudaram seu curso e influenciaram séculos e séculos e até hoje perduram sua memória feliz ou tirânica. Não fora um Tutmés II, um Ramsés do Egito antigo, dos faraós, dos sarcófagos, enigmas e hieroglifos, responsáveis pela glória e exuberância  às margens do lendário rio Nilo?

4. Não fora a batalha de Isso que revelou o carácter e supremacia de Alexandre sobre Dário e envolveu numa era de grandes feitos e conquistas o povo macedônico? E o rei David de pastor a chefe supremo de Israel? Jesus o cordeiro de Deus por excelência que amealhou pescadores e fundou a Igreja Católica e dividiu as águas do bem e do mal até o derradeiro suspiro do homem na face da terra?

5.  Carlos Magno, precursor da idade média que inaugurou pela diplomacia da espada um era de esplendor e canções carolíngias de um brilho que ninguém em sã consciência pode negar? E d. Henrique, o navegador, que do promontório de Sagres em Portugal propulsionou as navegações, a descoberta do novo mundo e mereceu as elegias do imortal Camões.


6. E no século da secessão americana prevaleceu a democracia que perdura até os dias atuais, bem antes o talento, garra, disposição e visão universal de George Washington aflorou na mente de seus compatriotas a luta pela liberdade no glorioso ano de 1776.

7.  Assim foi e assim continua sendo, não fora Bonaparte o pai dos  caudilhos modernos, que espantou a Europa com suas quimeras, pois um pé no Egito e agitou o mundo com sua pretensões deusianas? Não fora Diderot, pai dos enciclopedistas e inspirador da Revolução Francesa? E Robespierre e Danton responsáveis pelo grande terror e idéias deletérias que impregnaram  as artes, a política, a academia, o ensino e meio mundo na farra e dissolução e promulgou a volta à renascença pagã e anti cristã?

8. Não fora a primeira grande guerra motivada pela malfadada corrida armamentista e responsável pela redefinição geográfica e política da Europa e Oriente Médio?

9. De memória infeliz, não apareceu na Alemanha, uma mente doentia que difundiu idéias e práticas nacionalistas infundadas e extremadas, caldo de cultura para Hitler promover o horrível holocausto e deflagrar a segunda grande guerra? E Alemanha atual com pensamento positivo, leveza e inteligência religa seu presente ao seu passado de grandes serviços prestados a humanidade inteira, retoma sua trajetória, reconquista seu espaço de dignidade e soberania no concerto das nações.


10.  E as figuras de Lênin e Stalin próceres de uma era de desagregação da Rússia e seus países satélites que influenciaram o mundo na luta de classes e negação de Deus? E quando da derrocada do muro de Berlim a realidade nua e crua da ditadura do proletariado apareceu aos olhos do mundo com todas as suas mazelas e pecados? E a grande figura do Csar colocada de lado, ele e sua família cruelmente assassinados! E tempos depois o tempo reata sua memória e de seu reino de glória, pompas e calor humano ao seu valoroso povo.


11. E assim por diante num interminável filme em preto e branco vemos rolar em nossa frente a existência de uma raça originária das puras mãos de Deus e que o não de nossa primeira mãe nos imputara tantas calamidades e provações, e na fôrça contrária dos anjos decaídos mais o conluio com seus lugares tenentes na terra impingiram tantas calamidades e por pouco a bomba atômica não sepultara sonhos de uma geração, antes mesmo de tê-los sonhado por completo.


12. E continua, caem reinos e impérios, governos, repúblicas e nações igual a poeira que arranha os olhos inquietos da humanidade e alguns manipuladores  in fieri, invejando o dote de Abel, impetram massacres, subjugam povos pelas armas, endeusam o poder e posam para as câmeras subservientes, em eternos trejeitos inconsequentes, e a citação anônima de uma Igreja em São Paulo, Brasil define este sentimento : "Todo homem quer ser rei , todo rei quer ser  deus, só Deus quis ser homem..."


13. E assim vamos sem saber se voltaremos...  e nos dias da primavera oriental, vemos na viagem o anseio de meus patrícios pela liberdade. Aqui no Brasil o poder econômico fechando seu novo ciclo do consumo, idealizando dia e noite novas formas de lucro, modifica o gene, quer safra    recorde de soja e feijão, quer abandonar o tradicional arroz regional, perfuma seu leito sem ao menos saber se deitará nele por inteiro, não se importando em poluir rios e mananciais, não dando a mínima pelo elevado grau de dióxido de carbono no ar.

> É tristeza falar: continua desterrando do planalto de piratininga  a sabiá laranjeira em nome da verticalização, da corrida imobiliária, outros arrancando as matas ciliares, afugentando os irmãos indígenas, os animais selvagens, as aves canoras de seu habitat natural neste imenso solo rico de gente pobre, neste intrincado país que amamos, e de dimensões continentais, chamado Brasil.



14. E assistimos, estupefactos, na esfera mundial, os crimes contra esta mesma e indefesa humanidade, a violência desgraçando a vida das minorias étnicas, gente que sobe ao poder, gente que é tirada do poder ao bel prazer da trama orquestrada. E não paramos por aí, muita desgraça é pouca, e ao sobrevoar este  tempo de louco, falta-nos o fôlego, ao constatar que a era pós moderna para aportar no enlouquecimento,  falta um tantinho de nada.


15. E tudo muda de lugar, vestem outra roupagem, calçam não as sandálias da camaradagem, mas ostentam botas altaneiras que pisam e esmagam o bom senso e a caridade fraterna, esquecem-se da cidadania, implantam suas vontades, descartam uns, promovem outros e o gostinho louco da hegemonia a qualquer preço ilude e presume-se de divisas insustentáveis.


16. Tocamos hoje no ápice do descontrole, assumimos a era digital, nomeamos a democracia, e nos esquecemos da ideia certa, nos esquecemos que alguém, um Deus humanado, assumindo nossa natureza humana disse às margens do Tiberíades:" Eis que  vos dou um novo mandamento: amai-vos uns aos outros com eu vos tenho amado."


17.E hoje nossas mãos cansadas esbarram nas fímbrias do caos, nossos pés já não suportam a caminhada, param ébrios de prazeres e comodidades, a inteligência clica tudo e esquece de acessar sua alma, esquece que está às portas de um novo momento... do espírito novo, aquele que guarda desígnios diferentes da hora presente e vai soprar forte a renovação perene, não atrelada a bens materiais, mas à alma puramente espiritual.


18. Analisando a criação, as atitudes divinas de Jesus, a gente se empolga com seu desapego, mansidão, e bondade infinitamente grande a ponto de deixar-se coroar de espinhos, carregar uma cruz e sofrer com resignação e majestade o suplicio no gólgota.


19. Que texto acabrunhado, pessimista, que foge das vias normais, da serenata ao ar livre, da líricas canções dos trovadores, da corrida vida da plebe multa, aquela que paga as contas, que compra no carnê das lojas Bahia e Pernambucanas, que assiste as novelas, os programas sensacionalistas, vai ao shopping, vê as notícias de catástrofes, as guerras no Iraque e quem sabe
detesta os políticos das falcatruas, das verbas embolsadas na cara dura.


20. Já não existe mais o mecenas amigo, aquele das classes ricas. Então vai laborar poeta mínimo, o ritmo salsa e merengue vai continuar e a merenda pode não chegar à mesa da criançada inteligente que sonha ainda com um Brasil para a frente e diferente deste que amanhece desde o sertão, das veredas do coração já partido de perdidos caminhos, partidas decisões. Das cidades grandes altaneiras de problemas, faltosa de calor humano, locupleta de prantos não ouvidos, insensíveis á situação do sofrido irmão.


21. Gostei da fala, você diz, amigo, sei que posso contar contigo amealhando uma gota de sua intenção que esparzida neste escrito vai alumiar eu, tu, eles neste mundo quase sem perdão. O que disse, em parte tem razão, no meu idioma criptografado não sigo normas pré estabelecidas e sempre ouço a voz do coração, ela me levou para este cenário de impressões diversas e agradeço deveras sua importante atenção.


22. Mesmo não tendo a condição precisada, no entanto tá bom assim e a luz de um ser chamado Deus há de alumiar sempre nossos caminhos, o que faltar ele completa com um tantão que sobejará parao irmão.


Um abraço de união,
Helder Tadeu Chaia Alvim












21. Você diz, amigo

Helder Tadeu Chaia Alvim

o ápice do descontrole e o espírito novo

1. O nosso século é marcado por avanços sem fim em todas a áreas do conhecimento, sem dúvida. Uma notícia no século passado podia demorar até três longos meses de navio, p. ex para chegar da Europa até o nosso conhecimento. Morria-se de doenças, as mais variadas e terríveis possíveis, o tratamento para as catalogadas era um suplício. Hoje tudo está mudado em muito para melhor, em muito para pior e pesando a gente tergiversa longamente e não chega um palpite correto. 

2. É típico em nossa época a cultura do absurdo, do insensato, do anti natural, da negação do sublime, do não cultivo da honra, retidão e calor humano. A costumamos com a bazófia - dizem ultra moderna - e a demonstração de poder e prestígio e mais aquilo consome os dias e manhãs, tardes, noite e madrugadas afora da moçada desajuízada, da idade madura, do vale tudo na política brasileira, que até a merenda sagrada da criançada é desviada.

3. A nossa época optou pelas facilidades da era robótica, da vida enrolada, dos seus interesses particulares, e dane-se literalmente o bem comum. Tudo irá bem até não desmancharem nosso penteado, até não aparecerem no nosso cercado dizendo a realidade do egoismo e de tudo quanto decanta os desígnios de Deus para o corpo e a alma imortal. Dane-se o meio ambiente e ambiente todo, dane-se a camada de ozônio, pois não vou estar aqui para ver a desgraceira geral.

4. Dane-se igualmente, repetem:  Pitágoras, Confúcio, Fídias, dane-se a ordem de Deus, as suas leis ultrapassadas, o deleite espiritual. Não queremos o pão para a alma e sim desejamos as trevas para a luz, nadica de nada que alembre um destino depois da morte, um compromisso com os dez mandamentos de Moisés, odiamos - repetem inconscientemente - aquela história do mandamento do amor.Aquela que derivou de uma voz que amou todos sem condições e levou ao ápice do sofrimento o gesto mais belo de todos os tempos: dar a vida pelo irmão na cruz redentora.

5. E assim vamos de descontrole em descontrole, que todos os conhecimentos adquiridos se pulverizam na fornalha ardente de intenções vãs. Caminhamos carregando nosso esquife para o grande túmulo da era atual e nem nos damos conta do tamanho da pirambeira no final da via. Confiamos na técnica absoluta, gostamos dos prazeres que a carne faculta a nossa presunção e perdemos o século e não ouvimos sua canção de paz e prosperidade universal.
Helder Tadeu Chaia Alvim

quarta-feira, 23 de novembro de 2011

o vozerio social e a alma brasileira de bondade

1.E o vozerio se levantou nas redes sociais sobre a recente doença diagnosticada do ex- presidente Lula que encontra-se em tratamento quimioterápico no Hospital Sírio Libanês em São Paulo,Brasil.

2. Desnecessário seria dizer que não pretendo comentar a celeuma em torno desta notícia triste para o Brasil. Trata-se de um dignitário político que imprimiu rumos sociais e humanitários da maior importância nesta última década e possuidor de dois mandatos, que o povo lhe conferiu.

3. O Brasil, colonizado pelos portugueses traz em seu bojo muita bondade, companheirismo e calor humano a molde da "última flor do Lácio", conforme citação de Olavo Bilac.Evangelizado por Nóbrega e Anchieta, comandado nas suas origens pelo quilate de Mem de Sá. E de lá para cá houveram tantos e tantos que honraram esta terra, outros nem tanto.

4. E num desfilar de mais de 500 anos,vivemos sob o jargão de colônia, monarquia, república velha, nova, militarismo e abertura, tarantantãm...pisaram neste solo, dividiram anseios e sonhos muitas autoridades, muitos poetas, juristas, santos e carrascos.Entre outros: Pedro I, Pedro II, Deodoro, Floriano,Artur Bernardes, Café Filho, Getúlio Vargas,Juscelino, Tancredo, Collor, Henrique Cardoso,Luis Inácio e atualmente a primeira presidenta: Dilma Roussef.


> Salientando a bondade deste gesto, quando os brasileiros na voz soberana das urnas legitimou  a primeira mulher a galgar o topo da presidência, a modernidade da presença intuitiva do sexo feminino na condução dos destinos da nação continente, abrindo um nicho de oportunidades iguais.

5. O Brasil, não há como negar, nasceu à sombra da cruz de Cristo, venera sua padroeira e mãe Aparecida com carinho e devoção, tem tradições católicas arraigadas na alma, no sangue e crença forte de seu povo, tem reservas de generosidade e heroísmo, traz em sua dimensão continental sonhos latentes.Tem a honra de venerar no altar Frei Galvão e Madre Paulina.

6. Houveram erros e acertos, estupidezes crassas que seria longo enumerá-los nos seus pormenores e nos dias que correm o nosso mar de anil é balançado por corrupção na política, falta de  leis tributárias, violências e muitos vagalhões.Por outro lado a nação carrega a esperança de dias melhores para sua prole.

7.E tanto quanto pode o ex- presidente, hoje atravessando a sua via-crucis se bateu por uma situação social mais justa e de menos desigualdades sociais gritantes. E conseguiu em grande parte seu intento. Isto ninguém poderá negar, mesmo que não concorde com sua posição política.

8. Bom, leitor assíduo as minhas assertivas, agradeço seu olhar de benevolência e queria dizer que este mesmo Brasil autêntico está solidário e reza à Virgem Maria, a jaculatória da ladainha lauretana a favor do pleno restabelecimento do Lula: Nossa Senhora, saúde dos enfermos rogai junto a seu filho Jesus, o médico dos médicos, por Luís Inácio Lula da Silva.

9. Nesta clave solidária prossigo estas observações, e vejo quanto é finita a nossa existência, e mesmo sendo autoridade a adversidade a todos iguala, daí o motivo do calor humano irrestrito, apoio e  prece nesta hora difícil para o caro Luis Inácio Lula da Silva,lider sindical, presidente e cidadão brasileiro da mais alta competência política e diplomática.


>>> Barack Obama e Bento XVI se adiantaram e prestaram ao ex- presidente seus votos de vida longa. Este blog na parte mínima que lhe compete afia suas rimas ecoando o mundo bom das certezas de Deus  ao grande brasileiro Luís Inácio Lula da Silva.E que possa estar junto conosco para os grandes desafios de um futuro próximo.

10.Vejo quanto ele é querido aqui e em outras partes do mundo, dado o volume de manifestações recebidas augurando-lhe pleno restabelecimento que as críticas advindo de uma pequena minoria fez foi aumentar sua popularidade.

11. Lula fez boas coisas para o povo brasileiro, criou condições e elevou muita gente ao status de dignidade. E a situação não está melhor porque muitos na política estão viciados na corrupção, nepotismo, assistencialismo ( o último está levando a Grécia à bancarrota), muitos legislam   em causa própria ou partidária, esquecem dos objetivos patrióticos  da  Res Pública.Isto daria capítulos e capítulos à parte e fugiria do escopo da presente postagem.

12.Mesmo discorde com sua posição partidária, reconheço seu valor como líder genial e carismático, ex chefe do estado brasileiro, que soube falar a língua de seu povo e atravessou dois mandatos e ainda de quebra conseguiu eleger sua sucessora Dilma Roussef.


13. Por isso é de bom tom, é de espírito cristão e patriótico torcer para sua melhora e cura definitiva e que Lula possa voltar à sua azáfama política em plena forma e tão a seu gosto popular.2012 será um ano atípico para o panorama global, e o Brasil inserido nesta realidade apocalíptica deverá estar à altura dos balanços inevitáveis que a natureza das coisas materiais e espirituais reserva ao planeta.


14. Vamos reconhecer sua influência inquestionável lá fora,e aqui dentro de nossas fronteiras pátrias;lamentando com indignação as vozes maldosas e despropositadas sobre sua enfermidade que não partiram  dos brasileiros sérios e preocupados com os rumos da nave Brasil.- Estas  caçoadas de mau gosto não ofuscaram seu valor Sr. Presidente e nem tão pouco refletiram o pensar de quase duzentos milhões de brasileiros.


Boa Sorte Presidente Lula,
Esperamos em Deus, atravessar consigo muitas e muitas cachoeiras na Terra Brasilis.
abraços,


Helder Tadeu Chaia Alvim   
Poeta Minimalista



sábado, 19 de novembro de 2011

cópias ocultas on line...

1. E vamos prosseguir na via anterior, tentando alguma coisa inusitada, no anseio de seu parecer abalizado, na certeza empírica que permeia este texto não normativo, se quiserem descritivo, que pousa sob instrumento, que garimpa a essência, na anuência de um ponto em comum: o mundo bom. De pronto já afirma, que ao repousar tranquilamente neste blog intuitivo, descarta as canções líricas da atualidade, não todas mas aquelas copiadas, aquelas ditadas pela moda televisiva, pela propaganda elaborada, aquelas que atrelam suas vaidades aos conceitos de responsabilidade sustentável.

2. Não priva seus sonhos com quem busca sensações on line, on tudo, on nada, quem adiciona amigos para quantificar seu perfil, para quem se preocupa com sua colcha de retalhos e menospreza o irmão carente sem detalhes de riqueza, para quem está na rede social por estar apenas e não imprime nela sua consciência coletiva de renovação mundial.

3. De que adiantaria 800 milhões de >> acessos >>>,  'se o papo não fosse direto ' , se o vazio estampasse a intenção de seu objeto, se não almejasse a paz e convivência pacífica de todos os povos, respeitando suas crenças, características e perfeições, se conspurcasse seus anseios maiores, derivados do olhar de Deus, criador e mantenedor maior da obra saída de sua mãos portentosas. 


4. Se não reconhecesse o sopro de vida que impulsiona estes e outros cliques dos internautas solidários, se não entendesse que a verdade está impressa na criação, no ser  minusculo, no molusco, na planta, nos astros, em cada partícula, em cada batida do coração, em cada bombeamento da artéria, na economia, na política, religião e lei natural.


5. Por isto não pretende imprimir neste trabalho de amealhar rimas da inspiração,  um conceito estético - artístico , o que flui, flui, até soou bem, não acha? Este texto e seu autor mínimo, não carregam pretensões, ilusões de grandeza lírica, já passaram desta fase, o que querem mesmo é versejar consigo e indicar a luz que nasce para todos, sem discursos outros que não sejam a sintonia de todas as raças e irmãos.


6. Podem ser versos ou crônicas mimados, escritos ao anoitecer, que ao amanhecer continuarão, sem recursos, engavetados sem provarem do encanto da suspirada publicação em papel editorial. Não obstantes serão sempre versos do coração, versos de amor irrestrito aos irmãos, à natureza, versos sem pactuar com estado de exceção, resgatados pelo sangue salvífico de meu amigo Cristo Jesus, aquele que atraiu a si no Gólgota todas as coisas a mais de dois mil anos atrás e continua vivo na memória de seus seguidores e na hóstia consagrada, aquele que escolheu para sua mãe, a melhor e mais pura de todas a sempre Virgem Maria.


7. Dois caminhos construíram duas vias opostas e a raça humana se exclui de enfrentar esta realidade que a todos enleia: copiar ou originar? O mundo poderia estar mais evoluído se entendesse e vivesse na beleza das canções divinas. Se ele ao invés de colar, realmente criasse no campo do saber e na prática quântica idéias novas que alavancasse oportunidades para todos, equitativamente ao esfôrço, talento e qualidades pessoais e de carácter de cada um em particular.


8. Viver todos estão vivendo, morrer igualmente iremos, então se  nascemos  com este destino pré estabelecido por um poder maior porque querer para si os créditos devidos a outrem e não reconhecer as qualidades alheias na humildade e encher nossa medida da bondade.


9. Enfim, ninguém há mister de roubar projetos e cansar a beleza do semelhante pois nada escapa ao semblante enérgico daquele que é o principio da sabedoria e onisciência. O copiador assemelha-se à comadre onça que no intuito perverso de comer o gato , solicitou-lhe que a ensinasse a caçar. O felino de pronto anuiu ao inusitado convite e manobra vai, correria vem; a dita cuja preparava o seu bote fatal e só não aconteceu pois ao pular em cima do gato, o compadre astuto pulou para trás e a onça espatifou-se na pedra e não pode se apresentar no prêmio grammy seu novo penteado.


Helder Tadeu Chaia Alvim 

copiar ou originar ?

1. Público diferente este para o qual escrevo, tenho ciência disto e me alegro sobremaneira. Acho uma das vantagens da avançada era virtual, indispensável, esta liberdade de expressão que varre o mundo online para o bem. Constantemente tenho acompanhado a Avaaz na sua luta planetária a favor dos direitos humanos, coisa que a uma década atrás seria impossível acontecer.

2. A turma está antenada nos grandes problemas hodiernos e pressionam em conjunto os dirigentes das nações a se posicionarem corretamente em face dos fatos, ações e acontecimentos que afetam a harmonia universal e a concórdia de todos os povos. Trabalho extremamente difícil, pois acumulamos vícios e distorções ao longo de séculos direcionados pelo gozo da vida, pela farra do poder, pela ganância de grupos financeiros e perdemos a essência tranquila da convivência do ser pelo tão propalado teeerrr, que virou terror, quando não obcecados por fanatismos religiosos e raciais instituíram a era da intolerância maciça nos quatro cantos do mundo, haja vista o martírio  dos Montes Nuba.

3. No entanto, com tantos conflitos ainda em curso, vemos surgir aqui e acola, gente lúcida e transparente que se utilizam na lei e na ordem da internet para construir um mundo melhor, mais humano e solidário, aquele original que saiu um dia das mãos do criador e foi conspurcado pelos agentes a serviço das fôrças do mal que in fieri foram destituídas pelo Arcanjo Miguel na memorável batalha celeste segundo o gênesis.

4. Fui claro, espero, e entendo que os leitores desta missiva, que me honram sempre com sua presença e clique habitual são sensíveis ao destino último da existência humana, balanceiam o seu apetite espiritual ao material com equidade e justiça e se importam com o semelhante na bondade e gosto pensado.


5. Mesmo sem explicitar, eles querem que a matéria e o espírito estejam equilibrados, veem no consenso uma saída par os grandes males que os cercam,no consumo exacerbado de bens um prejuízo para si e o planeta. O bom senso permeiam as suas elucubrações acerca da vida, e na divisa entre o sagrado e o profano mandam bem seus argumentos.


6. O futuro começa no presente, e ele apesar de suas obnubilações aparentes guarda reservas de heroísmo e generosidade e  dos pesares atuais está a um clique da renovação total. A natureza clama por isso, a beleza da criação conspira a favor dos homens e a chama que consome o último pavio do mal está por um fio, aguardando o sopro do arcano e a conjugação da galera do bem em prol de um mundo totalmente contrario às maldades que correm, um mundo regado pela suavidade das canções de Deus, da virgem santa, daqueles que cantam et in terra pax hominibus.


Helder Tadeu Chaia Alvim

sexta-feira, 18 de novembro de 2011

A modificação em curso

1. ' Toda mudança em si é um mal, a não ser que seja para melhor ' quem fala assim não sou eu, nem ninguém de nosso tempo, mas um homem, um gênio, um doutor angélico, um mestre da filosofia tomista, um santo da Igreja católica que para ter inspiração costumava ficar demoradamente com a cabeça dentro do sacrário da hóstia santa, seu nome: Tomás de Aquino, merecedor dos elogios de Cristo que certa vez apareceu para ele no convento e disse: 'bene dixisisti de me, Toma.'

2.  Seu pai o conde Landulf de Aquino, sua mãe Teodora de Theate da dinastia Hohenstaufen do sacro império romano-germânico. Entre as desavenças militares do imperador Frederico II e o Papa Gregório IX em 1239 Tomás foi estudar na universidade studium generale em Nápoles. Tudo indica que nos bancos acadêmicos da recém criada escola estudou a fundo Aristóteles e outros gênios da filosofia.

3.  De inteligência rara tornou-se dominicano e embrenhou pelos campos da teologia e filosofia, ciências com as quais se identificou plenamente, elaborou a tese da matéria e forma e vislumbrou de uma maneira genial os átomos intrigados. Foi mestre em Paris no reinado de Luís IX de França e legou a  posteridade   a suma teológica, uma visão baseada no aristotelismo, inaugurou e fundamentou as relações sintonizadas entre fé e razão.

4. É dele a explanação brilhante e fundamentada do ' motor imobillis ' aquele que deu o primeiro impulso em tudo o que existe, Deus. Também o princípio da causa e efeito provem de sua pena a serviço da Igreja Católica, mais uma vez prova  a existência da causa primeira:Deus.

5. E vai num crescente fabuloso desenrolando o raciocínio na lógica irrefutável da sua escola aristotélico - tomista: existem seres contingentes, aqueles que poderiam existir ou não, só existe um ser que não depende da existência de outros, este ser chama-se: Deus.

6. 'A existência da ordem no universo pressupõe um ordenador inteligente, pois tudo o que vemos na sua simetria perfeita seria impossível pela metafísica originar-se do caos e do acaso'. E assim em sua lógica e verdade ele vai discorrendo sobre o ser, o bem, o imutável, a ética. Por fim vemos em sua concepção conceitos que hoje são mais que atuais e exemplificam as mutações em curso - contrárias às leis naturais, à inteligência, vontade  e sensibilidade.

7. Se querem entender a era da atualidade do caos em movimento estudem  a fundo e sem pé atrás a  metafisica e a suma teológica de Tomás de Aquino, e verão implantado nos dias que correm seus conceitos ao contrário, é a era da anti suma, da anti metafísica, do anti pulcro, do anti decálogo, do anti natural, do anti mundo bom, do anti tudo o que é certo.

8. Neste contexto o bispo de Hipona, mestre da antiguidade clássica: Santo Agostinho explica melhor do que eu: ' Dois amores construíram duas cidades: a cidade de Deus, lógica e transcendental, e a cidade dos homens, materialista e anti- natural.' Rumamos indubitavelmente para a segunda com escala direta no caos institucionalizado. É mole marreco!

9. O mundo ao abandonar a escola tomista e metafísica cometeu um grave erro de percurso  do seu livre e solto arbítrio e se enleou de lá para cá em terrenos do pensamento nada seguros; ora apoiado em falsas miragens, quis o mundo sem Deus, a política sem a razão, o corpo sem a alma e assim por diante. É claro que o anjo decaído manipulou os elementos a seu bel prazer e chegamos onde chegamos e não sabemos para onde vamos e aonde tudo isto num dia próximo vai desembocar.

10. É verdade que baseado nos conhecimentos anteriores, dividiu os átomos em nióbios quânticos, descobriu o nitrogênio, aperfeiçoou a maldade, pesquisou os anidridos, construiu as armas de destruição em massa, adquiriu lucros, poluiu os rios e mananciais, devastou as florestas, fossificou o transporte, perdeu a mansidão primeva, mapeou a terra e em plena era on line monta seus esquemas de controle total.

Helder Tadeu Chaia Alvim

quarta-feira, 16 de novembro de 2011

A mata ciliar


a mata ciliar

1. Outro dia alguém me parou na rua e perguntou, poeta tenho acompanhado seu blog mínimo e observo, numa boa, que você , nos seus  escritos recentes, se parece mais com um colecionador de dores alheias, onde está sua estética admiradora do começo? Sua hermenêutica encontra-se esmaecida? Assuma de vez que é um cronista da poesia dos fatos com leve ascendência do espírito à dinamica, sua letras e palavras são o que? Formas artísticas meu caro?

2. Dado a contigência humana, agradeço de coração ao leitor a correção, confesso que vou pensar e depois responder. Vou escrevendo conforme as dádivas da inspiração batem à soleira acanhada da habitação , uma dinâmica dos versos almejando o resultado do mundo bom, não me atenho a estilos, ao escrever gostaria que o leitor entendesse o que digo. Uma forma de dasapertar o peito em meio as tantas aleivosia atuais. Vou misturando tudo, pesquisando e imprimindo um tom ameno, palatável ao dicernimento, citando a fonte da pesquisa suada, ou anotando na liberdade poética aquelas conjecturadas.

3. No entanto é sempre bom a interrogação ou crítica, o que seria dos versos se ninguém lesse e  objetasse, seria um casulo insuportável de parnasos e mais parnasos empoados, o que foge da idealização do autor divino da criação, que acendeu tantas belezas e um ritmo próprio diferente a cada manhã que amanhece, a cada noite que anoitece. A missão destas rimas é tentar tornar mais palatável os fatos atuais e servir como canal aberto e receptivo de alertas e mais alertas e dizer a convicção que para além deste inverso belo e complexo existem as certezas empíricas e que o bicho homem está interferindo no planeta de uma maneira incorreta, para não dizer desastrosa para hoje e para as futuras gerações.

4. Me atenho ao assunto das matas ciliares. Uma pouco porque saudosista delas, de seu orvalho puro, de sua vegetação cerrada, de seus mistérios e vida própria, mais porque elas contribuem para o equilibrio do ecosistema e protegem os cursos de água, filtram as impurezas e preservam seus rios e regatos de uma forma natural e equitativa, proporcionam o alimento ao peixe e o perfeito equilíbrio da fauna e flora de sua competência.

5. Os estudos avançados utizando equipamentos de alta definição demostram a utilidade e importância vital para a vida humana na terra das nossas matas ciliares. Preservar o que resta delas e primordial  e um ato de amor à humanidade, uma vez que elas sem dó e piedade continuam sendo banidas em nome da verticalização imobiliária, da agricultura e pecuaria, ou deixadas ao abandono e poluição sem nenhuma preservação adequada.

6. E nossos dirigentes brasileiros em vez de fixarem em lei rígida seu código de honra florestal, tergiversam para um lado e outro conforme as pressões de base política e as APPs ficam á margem da história ideal e fadadas a desaparecem do mapa brasileiro.

7. É sabido de todos, mesmo os que não vivem ou viveram no interior do sertão que as matas virgens foram objeto de cobiça de muitos, considerada o ouro verde tem sido sistematicamente derribadas, ora visando o lucro da madeira, ora a favor do pasto e plantio. Desde criança presenciei uma avalanche feroz contra as indefesas árvores consideradas madeira de lei, muitas vezes, lá de casa ouvia o gemido atroz do jequitibá, da aroeira, do jarcarandá, do cedro dizendo: me salve seu moço, que perecemos nas mãos deste machado , não vai durar muito e seremos substituidas pelo concreto protendido, menino.

8. E elas ainda hoje, as que sobreviveram, parecem repetir em coro nas tardes sombreadas de janeiro: > O brasil, outrora brasileiro deita sob nossas sombras que restaram e chegará o dia que acordará indefeso, descoberto com o sol a pino em seus rostos, outrora verdadeiros, ele, com seus fatores agregados está destoando da verdade ideal. Traiu o seu passado, não vive o seu presente e não quer para si um futuro sustentável.

9. E as vozes continuam, num crescente de assombro e indignação:Também pudera estão deixando de consumir alimentos saudáveis e naturais e a ganância de muitos chega a um grau de loucura que modificam o gene pelo lucro absurdo. . . Vai desaparecer da mesa do brasileiro o bom arroz, quiça o feijão tropeiro e isso não vai esperar muitos janeiros...

10. Em face do que ouvi vejo que escasseia o bom senso na cabeça da nação pátria, e as dores alheias se tranformaram em próprias e vou descansar na sombra de alguma árvore ciliar amiga e dizer que sou solidário em sua cantiga. Amigo, quer vir comigo?


11. Obrigado por ter aceitado o convite, pois a união em torno do objetivo comum alavanca o resultado e retrocede os prejuízos e vamos pesquisar a quatro mãos, 6, 18, 56, 1.000,00, quiça milhões acerca do assunto ciliar e da modificação em curso dos genes visando o aumento da produção, o lucro exorbitante em prejuízo do equilíbrio natural concomitante.


12. Tem estudos exaustivos sobre estas duas questões acima o que prova que tem gente lúcida estudando o problema a fundo e agindo no sentido contrário à avalanche desprotecionista  em curso, levada a cabo por uma parcela dos políticos brasileiros, conluiados com os interesses escusos de outra parte que só visa o cifrão maldito de ganhos brutos.


13. No site do www.AmbienteBrasil /ÁrvoresBrasil. com.br lemos alguns tópicos interessantes: "... O processo de ocupação do Brasil caracterizou-se pela falta de planejamento e consequente destruição dos recursos naturais, particularmente das florestas. Ao longo da história do País, a cobertura natural nativa, representada pelos diferentes biomas, foi sendo fragmentada, cedendo espaço para as culturas agrícolas, as pastagens  e a cidade."


14. Viu como eles entendem do assunto e de uma forma didática explicam o arrazoado tão bem: "... Neste panorama, as matas ciliares não escaparam da destruição; pelo contrário foram alvo de todo tipo de degradação. Basta considerar que muitas cidades foram formadas às margens de rios, eliminando-se todo tipo de vegetação ciliar; e muitas acabam pagando preço alto por isto, através de inundações constantes."


15. E o caldo quente vai engrossando no fogão de suas convicções acertadas: "... Apesar da reconhecida importância ecológica, ainda mais evidente nesta virada de século e de milênio, em que a água vem sendo considerada o recurso natural mais importante para a humanidade, as florestas ciliares continuam sendo eliminadas cedendo lugar para a especulação imobiliária, para a agricultura e a pecuária e, na maioria dos casos, sendo transformadas apenas em áreas degradadas, sem qualquer tipo de produção."


16. Finalizando eles embasam na lei sua tese excelente da qual extraí alguns trechos que me pareceram vitais à presente postagem, vejam: " o novo código florestal( lei 4.777/65 inclui as matas ciliares na categoria de áreas de preservação permanente. Assim toda vegetação natural( arbórea ou não) presente ao longo das margens dos rios  e ao redor das nascentes e de reservatórios deve ser preservada. 


17. Para resumir se a devastação de nossas matas ciliares continuar seu curso, a nação brasileira estará literalmente com os cachorros sem mato, sem gato, sabiás, sem respirar, a demanda pelo lucro sufocará seus anseios de sustentabilidade e malogrará sua cadeira no concerto das nações.


18. Vou aproveitar o final de semana para analisar as mudanças acerca do gene e continuar consigo anotando solene o que vier na mente. Até lá então e um ótimo intervalo na suas ocupações, vou procurar uma frondosa copa e descansar o esqueleto desta prosa, alinhavar o rascunho e depois ser sabatinado na prova em questão.Vou precisar de sua opinião,amigo!

Helder Tadeu Chaia Alvim



segunda-feira, 14 de novembro de 2011

Nas redes poéticas de Solano Trindade

1. Sexta- feira 11/11/2011, duzentos e tantos quilômetros de lentidão no trânsito em São Paulo. É de torrar a moringa de qualquer um. Tomei a condução, como de costume com destino à cidade das Artes, a bela Embu, entre o anda e para da perua Clinicas X Engenho Velho me pus a folhear os "Poemas Antológicos de Solano Trindade", Editora Alexandria, São Paulo -2008, que a Profª de língua portuguesa, Silva Maria Pessoa, gentilmente me emprestou. E foi na companhia agradabilíssima do poeta resistente, orgulho da raça negra que fui saboreando seus solfejos máximos e encurtando na mente a viagem engavetada.
2. Lá fora o desempenho da cidade atingiu seu clímax de loucura, ao poeta Solano sobram inspirações, ao mundo atual faltam deliberações e o engalfinhamento continua e continua por horas seguidas, e a cidade não dá sinais de repensar seu destino, continua sôfrega adicionando gente nas redes sociais, implodindo visão  nas inconsequentes baforadas de dióxido, exalando ébria de consumo o odor do combustível fóssil.
3. Num contraste fabuloso o versejar abrangente de Solano Trindade aquieta meus ressentimentos, e agiganta meus sonhos,  e faz soltar um grito mudo de esperança, tá virando mais quinhentos anos, e a natureza parece despontar um encanto medonho, quiçá diferente, será? Pode ser o despontar do  mundo bom? O fato é que algo estranho paira no ar... para o ano que vem. O enveredamento do curso dos acontecimentos e ações humanas desdenharam o Eterno Ser e sua idealizações sublimes.
>>> Isto é preocupante, extremamente sério, considerando que a fonte de luz, ciência, conhecimento dos átomos e nióbios quânticos proveem em escala infinita de sua criação, o grande motor imóvel, e desconhecer esta verdade cristalina faculta aos homens se equipararem à formiguinhas indefesas, malvadas e ingênuas caminhando enfileiradas e associadas para o abismo do apocalipse, visse!
4. E nas páginas plácidas e argutas do grande mestre das artes e pioneiro do Embu, co- fundador desta cidade poema, vejo nos seus olhos imateriais o amor que amou a humanidade inteira, e sua memória resistiu, encontrou na sua filha amada, Raquel um doce escrutínio de fidelidades abrangentes. Morre o poeta e fica a fama, ainda mais que trata-se de um homem, um dos melhores das letras e ação de vida.
5. E Ele, somente ele sabe o que dizer: ouçamos sua Advertência altamente inspirada e atual: "Há poetas que só fazem versos de Amor, há poetas herméticos e concretistas, enquanto se fabricam bombas atômicas e de hidrogênio, enquanto se preparam exércitos para a guerra, enquanto a fome estiola os povos..."
6. O poeta continua clarividente chispando a sua inconformidade:" ...Depois eles farão versos de pavor e de remorso e não escaparão ao castigo porque a guerra e a fome também os atingirão e os poetas cairão no esquecimento..." vide- "Poemas antológicos pág 17).
7. E Na página 167 do citado livro, encontramos o seu último voo prateado, pleno de sabedoria; o guerreiro da diversidade racial e cultural, dispõe-se a repousar suas armas cancionadas e se prepara para embalar seu espírito rumo às novas plagas das certezas , vejamos: " Quando pararei de amar com intensidade? Quando deixarei de me perder aos seres e coisas? Quando me livrarei de mim? Do que sou, do que quero, do que penso? Quando deixarei de prantear? No dia que eu deixar de ser eu, no dia em que perder a consciência do mundo que idealizei... Neste dia... Eu sorrirei sem saber do que sorrio." 
(Interrogação - último poema-Embu , 1969).
8. E o perfume de seus escritos abençoados, continua exalando benesses, na página 24, o poeta dos poetas faz sua Chamada, e se consagra nos versos como ninguém sói faze-lo: "Poetas despertai enquanto é tempo, antes que a poesia do mundo vá-se embora , antes que caia sobre o homem um peso insuportável...Vinde correndo cantar o vosso canto de Amor para que as crianças não sucumbam. Vinde com a vossa poesia  socorrer as mulheres, para que elas não caiam em desespero. Vinde poetas pois vós conheceis o segredo da vida..."
Obrigado Mestre Solano Trindade, 
Helder Tadeu Chaia Alvim
Poeta Minimalista