sexta-feira, 30 de outubro de 2009

Átomos Embravecidos

Ouvi de Frederico Alvim idealizador de fato, coisas assim: as peripécias nulas de inércias, do fenômeno em Atafona-RJ, forças gerando o conflito da grandeza ou átomos embravecidos,um embate grandioso da natureza, que consome a criação do homem generoso, afirma Ele, estudioso do assunto.

Lento, inevitável o insondável mistério, transfigura-se em apocalipse, "visse" no compasso de milímetros, em milésimos centímetros, desmorona o concreto, sepulta os objetos, retrocede o humano,construindo o cenário da destruição, aguçando a imaginação dos defensores desta gesta.

O anuncio já foi feito, o vento norte tornou-se mensageiro autarquista da morte, o braço amado da terra, limítrofe de dois fabulosos guerreiros, a queda de braço é centenária, mas minha gente Atafonense, sejam fortes, a lição está por fazer a decisão depende de vocês e um dia as gerações futuras e o meio ambiente vão agradecer! ( outros poemas, verso 89)

Helder Tadeu Chaia Alvim

terça-feira, 13 de outubro de 2009

Deixaram São Jorge à pé...

1.Bombardearam a lua nesta sexta passada dia 09/10/2009. Porque? Ah! a tecnologia moderna aventa explicações... E muitas são elas! Não é meu propósito medir fôrças com a ciência evoluida, estudada, altamente abalizada. Nessa esfera, leigo no assunto, não cabe a mim, destrinchar razões sobre a face oculta daquela que que tem 1/4 do diâmetro do planeta Terra e dista de nós cerca de 380 mil km, mas, considerando nossa Via Láctea é logo ali!

2. Falar, emitir opinião a este respeito é da competência do poeta. E no seu quadrado pretende iniciar agora sua elucubração. E pergunto o que a lua fez de mal, a não ser cumprir sua missão no espaço sideral. Em sua rota elíptica, entre uma fase e outra proporciona à Terra benefícios incalculáveis, movimentando as marés, pois zés, eclipsando de tempos a tempos o planeta em que habitamos numa demonstração clara que é de paz, meus bons rapazes.

3. Desde pequeno ouço falar do seu lado mítico e das proezas do cavaleiro São Jorge lendário. Posso afirmar que já vi sua silhueta em riste contra o dragão malvado refletida nas noites de lua clara. A lua traz em seu bojo muitas qualidades, cheia de boas intenções,desinteressada, ela o é ao máximo, gosta de ocupar seu lugar de coadjuvante estelar, sem luz própria, reflete sonhos maiores, acalenta desde o berço a humanidade, sem esquentar a cuca demais, brilha singela inspirando canções.

4. Gente sensata, a nova velha lua merece ficar do jeito que está, porque ferir sua face oculta para descobrir mistérios, revelar o seu solo se sua missão é tão somente dar colo aos nossos cansados anseios terrenos. Deixem-na com a sua poesia, ok! E será que no meio de tantos tratados não exista umzinho que a contemple e a preserve atualmente.

5. Acho que deve aparecer, neste mundo esclarecido, um de naipe pró lunar, talvez com a sigla TGPL, que tal? Meus amigos, a coisa é séria, mexer no equilíbrio da lua, mingua nossso crescente anseio por um mundo melhor. Espero de coração apreensivo que a física se arme de decisões peremptórias em prol do equilibrio universal. Ademais Deus já fez tudo pronto é só seguir o compasso da grande harmonia primeva.

6.Não cabe mais invencionar ousadias desmedidas que perigam sem mais valia. Não é detonando a face de um satélite amigo que resolveremos nossos urgentes problemas mundias, eu digo! Se incorri em algum erro me corrijam, por favor! O fato acontecido feriu meu entendimento... deixando-me atônito. Aonde vamos parar, amanhã soçobraremos e não sobrará nada ao vento.


Helder Chaia Alvim

Natureza sábia

1.O jumento selvagem vive na savana, bem distante de nosso olhar cosmopolita, do concreto armado, da alta tecnologia, mas é feliz! A água que consegue são umas poucas gotas do orvalho da noite, mesmo assim sobrevive em seu habitat e nem conhece e quer outro lugar que não seja aquele onde nasceu.

2. O calor diurno beirando a 50º não o intimida, sabe lidar com a vida adversa e se falasse diria versos ao seu interlocutor, o grande e misterioso deserto. Quando a chuva vem em suas raras visitas, aproveita para se refrescar e a contempla sem parar.

3. A natureza é sábia, de uma sabedoria inesgotável, é dotada de segredos de " enlouquecer" a nossa cabeça e na grandeza desta louçania divina estão inseridos os inimagináveis mistérios, quer queira, quer não o cético.

Helder Chaia Alvim