quinta-feira, 30 de abril de 2009

Iglus da moda recessiva

1. Recesso parlamentar, uma espécie de parada que nossos políticos adoram esperar, acesso permitido às contas da união, quando o eleitor verá, sem restrição tecnocrata a transparência administrativa finalmente vingar.

2. Voa Brasil de céu azul claro, paga Brasil as contas que o voto soberano botou lá em Brasília para nos governar, sem falar do STJ e suas regalias, as reportagens televisivas não deixam estas rimas silenciar.

3. Levanta nação, patria nossa para que possamos progredir,a recessão não é só aqui, lá na América,Vespucio foi expulso do seu lar, hipoteca atrasada, a moda é a fabricação de iglus para o povo morar.

4. Keneth está crente que vou me calar... ondé ouvi não preciso falar, tá na boca do povo o que ouço, sobre a amazônia colosso do Brasil, que tão com uma conversa atravessada dizendo não ser nossa, que prosa, viu Zé Rosa.

5. Querem colocar a mão nela, tem gente estudando fora, depois vem com lero lero mole pescar em águas turvas do rio aragarças, meu praça.

6. Lá pela estrada de ouro fino, os tempos são outros, tem marmanjo estrangeiro chavecando índio a troco de euro Ainda bem que o Ratinho vai a o ar em breve qualquer dia desses vou aparecer lá para denunciar a ousadia de quem está na estranja vendendo terras aqui, pela internet, meu chefe E tem indio entregando madeiras par o madureira, gente onde vamos parar, vi uma reportagem na tv, te vê hein!

7. Se é fato veridico, ele não tem medo de se pronunciar cabra bão, amigo do paraná, o seu café no bule é expetacular. Acordei de madrugada, sem sono resolvi fazer minhas anotações, de manhazinha blogo as rimas de um poeta minimo e deixo estes versos andar.

8.Escritor em projeto de elaboração, não me vejo na condição de publicar um livrinho, mas bato no malho, cozinho feijão no alho no tempero sem trans do sabor toucinho brasileiro.

9. Se alguém quiser comigo partilhar, saiba que sai  primeiro do que se possa esperar, para o bem do povo e felicidade de novo será emancipado, segundo conhecerá o mundo levando nas asas verde-amarela o quanto ser brasileiro nos alegra e morar em São Paulo das singelezas é uma beleza.

10. E declamo mais se alguém quizer comigo vencer o desafio aposte que este poeta pobre , sem ser Pedro terceiro vai virar nobre sem carecer do cobre, diz o que queria, mereci, se merecia deixo um abraço caloroso a todos que me prestigiam.

11. Que Deus proteja nosso terreiro, que o manto da Virgem Santa cubra o Brasil inteiro, pais que Deus quiz de Aparecida, Frei Galvão, Plinio e Lucilia Que ele ilumine os governantes, autoridades, povo inteiro sabendo que um dia compareceremos na sessão solene da eterna claridade.

12.E o bonde da alegria pode transmudar-se para uns em séria adversidade, e quem tem consciencia límpida
verá a completa felicidade.

13. A justeza das coisas, tem quem nos ouça, um dia se arranjará... atualmente nosso chão canarinho tá fora de jeito, já passou boi, não tem mais goiabada, falta pão, queijo e sobra muita, muita, marmelada...

Helder Chaia Alvim
Poeta Minimalista

terça-feira, 28 de abril de 2009

Cenestesia ou Cinestesia

1.Vejo na poesia a palavra acertada, de abrangência ilimitada, tange as portas da revelação, descreve a ingratidão,documenta fatos, enxerga a realidade caminha pelas ruas, presencia a tristeza ora se anula na dissertação, ora voa nas asas da contemplação.

2. Ela se esforça para reverter casos reais em oportunidades sensatas,entende que a prosa, o verbo substantivado, o documentário exato de nada valem se o estômago se encontra vazio e a alma carente de agasalho.

3. Vago sentimento? Que na confusão de minha mente- koinós taisthesis -independe da ação dos sentidos, traduziriam os gregos, ou seria - kinesis aísteris -sensibilidade aos movimentos. Porque não os dois? Não visualizo problemas, são duas ferramentas filosóficas de longo alcance. Se está em dúvida, aconselho tome um caderno e lápis e saia em busca da verdade, deixe a realidade das ruas tomar conta de você. Uma coisa é dita, outra percebida. Ao longo de um dia terá em mãos material farto para suas conclusões.

4. Abstraia o que disse se não acrescentar nada ao que sabe, às vezes o poeta falha, viaja nas palavras, entala em praias perdidas, as falas da ilusão.É assim mesmo, o que seria do mundo se ele não levantasse a discussão. O intuito é movimentar diálogos, interagir a razão. Perdoe-me se tomo o seu tempo em vão, pretendia que o pensamento não se prendesse ao concreto, deslanchasse para o mundo imaterial, faz bem ao espírito desenvolver parâmetros, processar o desconhecido.

5. Toco o ponto da questão, os lentes no assunto são unânimes em afirmar que as idéias movem o mundo, quando o ser humano olvida seu conselho, seca em seu peito a fonte do equilíbrio,a sua generosidade inata, o heroísmo. O pragmatismo avança, estabelece o ceticismoe perde-se na confusa busca de crenças materiais, desprovidas da lógica.

6. Vou e volto e não temo em declarar que muitas das panacéias atuais, em âmbito global deixariam de açoitar o ser humano, se formulasse tese sólida de compreensão,baseada na cordialidade, imbuída de cooperação, que na prática reverteriam a atual situação.

7.  Enfim, mais pão à mesa, a tecnologia a serviço da humanidade, minorando a fome, a desnutrição alarmante, as guerras e ódios, legados ao passado, o equilíbrio e o bom senso restaurados, a crença no criador norteando as gentes, o planeta terra respeitado, voltando a ocupar seu espaço comum.

8. Sol, ar, chuvas, ventos, o firmamento, os animais, as plantas, os minerais, o homem, rei da criação - sinalizando uma era próspera para todos - patenteando a concórdia, a paz e a harmonia, estados de direito em um mundo perfeito.

Helder Chaia Alvim

Grãos em abundância

1.Quando escrevo estas linhas, lembro-me de uma matéria da maior importância que li no Diário do Comércio outro dia, não me lembro a data, no entanto credito a favor deste conceituado matutino paulista a inteligente e explanada informação da mais alta relevância para àqueles que tem o sentir exato da brasilidade em seu peito verde-amarelo. Fiquei contente, neste momento crucial para a economia mundial, onde vemos gigantes revelarem seus pequenos pés de barro, pois bem o Brasil expande sua produção de grãos em escala acelerada:" 135 milhões de toneladas é a previsão da sua safra para este exercício de 2009, o que representa 6% da produção no mundo todo."

2.Se a notícia é alvissareira, a escassez de alimentos é notória em nosso mundo globalizado - os antigos egípcios que o digam - se dominamos a tecnologia adequada, se produzimos soja, milho,café, carne e etanol em patamares invejáveis, é sinal que vamos gerar riquezas para o nosso povo, melhor condição de vida e espera-se do governo que aparelhe com malhas ferroviárias , à maneira do Visconde de Maúa, permitindo o total escoamento em tempo hábil de nossa produção.

3.País do futuro, de passado distante, do esforço no presente, reconhecido mundialmente, que bom! Ocupamos lugar de destaque na FAO, etc... Julgamos ser de nossa obrigação assimilarmos nosso progresso em outras áreas, na educação, no combate à violência crescente, na saúde pública,transporte, na total transparência e controle das contas públicas.

4.E ainda conforme o artigo citado, não alcançamos o limite de nossa área cultivável, os analistas apontam que ainda tem um longo caminho á percorrer, melhor que isso! Não existe! Ao longo de nossa história chegaram povos de toda a parte e que fizeram a diferença com seu trabalho árduo, esforço e gosto pensado. E o Brasil tornou-se à altura de seu sonho latente.

5.É motivo de alegria e alento esta notícia da safra monumental pescada em alguns tópicos do DIÁRIO DO COMÉRCIO, que aliás traz matérias em todas as áreas da informação com competência e apresentação,admiráveis. E ela estaria completa se os especialistas apontassem também uma outra saída, uma vez que "a sobrevivência das espécies está cada vez mais ameaçada por danos ambientais". E aí, vamos melhorar isso? Se não vamos perder o juízo? E nossa vocação de potência, ficará só na aparência! Colherá o fiasco, não acho justo!

6. Vivemos em São Paulo, cidade que foi fruto de muito esforço e trabalho dos Bandeirantes,Nóbrega e Anchieta, que hoje também sofre a rescessão renascida , que tumultua a cabeça e o bolso da maioria. Mas, desanimar não, outra notícia do Diário do Comércio estampada no caderno E4 de 5/5/2009 que: "de 34 mil empregos em março, 98% foram gerados em SP." oh! Então vamos para frente, minha gente, sempre existem saídas meritórias.

Helder Chaia Alvim
Poeta Minimalista

A evolução do tempo

1.O tempo vai, o tempo vem, gosto de acompanhar sua evolução,uns se perdem no vácuo de suas alienações,outros se jogam com sofreguidão no amálgama da solidão sem face.

2. Muitos conquistam, com mérito e louvor posições franqueadas, palmilhando escalas arriscadas,aceleram a vida e somem na esquina da desilusão, sem dizer nada.

3. E o tempo vem, o tempo vai nocauteando na praia anseios não revelados, sonhos quase alcançados.A uns é facultado, sem saber, vida longa, estabelecendo valores, a outros vê-se interrompida, sem dar razão à dor, deixam apenas o rastro de um perfume sem maior valor.

4. Vem o tempo, traz a alegria solta, os projetos delineados,o canudo na parede, o time campeão, o abraço de um amigo,o primeiro emprego, o casamento em grande estilo,o primeiro choro do filho amado, a missa aos domingos,a tão sonhada casa própria, é fato realizado,o automóvel na garagem, o título do clube preferido.

5. E o tempo vai, chega a aposentadoria almejada,o primeiro netinho, seu batizado, o santo crisma, primeira comunhão.E no grande espelho da vida, ele passou depressa,talvez tenha valido à pena... tardes ensolaradas,a família reunida, a presença da mulher afeiçoada,as festas de confraternização, as viagens, os passeios,as férias abençoadas. Quantas realizações,muitas decepções na jornada...

6.E o tempo foi, aos poucos levou para sempre, o amigo, o parente, a mãe e o pai queridos,na missa de finados a recordação apertada,o filme em preto e branco roda sem parar a certeza da vida que passa...

7. O tempo vai, o tempo vem e na sua medida exata ninguém escapa de sua determinante evolução,colhe na hora acertada cabeças coroadas, tiaras, a modesta dona de casa,jovens, crianças, adultos, idade avançada, a todos iguala.

8. O tempo da serenidade me faz pensar na sua fugacidade, se me proponho a escrever sobre ele, agradeço ao autor da vida, as horas que vejo escoar, na oportunidade que ainda tenho para observar seu movimento,não duelo com ele, apenas procuro acompanhar seu andar.

9. No meu caso ele tem sido bom para mim, vivi o bastante, confabulei com ele meus anseios de menino interiorano registrei tristezas, compartilhei alegrias, decepções estranhas.

10. Ele, na sua bondade peculiar, mas soberana devolveu-me a inspiração,e a vontade sincera de compartilhar com o irmão, versos do coração.

11. Quando me concede a honra de sua visita, parece dizer: - Poeta mínimo, apregoe valores,encha o papel de cores, que um dia outros compreenderão,realize-se na escrita, pesquize os sentimentos alheios,espalhe versos de alegria, fuja das encrencas,creia em Deus, seja devoto de Maria, tenha o Anjo da Guarda como guia,pois estou atento ao desenrolar da vida humana ... E cem anos para mim é um dia! e continua, deixando pasmo a este que se minimaliza:- Pincele os fatos, seja exato e võe comigo nas asas da imaginação,oh! poeta mortal, aproveite o máximo, esquente a tinta, saboreie as rimas, antes que um dia mudo nas cinzas se extingua,reparta com os outros este pouco de poesia que conseguiu ajuntar,e que anima e alumia o seu caminhar...Pois quando o anoitecer da vida bater à sua porta,poderá com toda a calma e serenidade dizer:- Irmaõ tempo mê estenda a sua mão a hora de meu tempo chegou, então vamos...

Helder Chaia Alvim
SP 28/04/2009

sexta-feira, 24 de abril de 2009

Vindoura Solução

Vou continuar escrevendo versos, um amigo, o grande Anivaldo Ferreira, mestre na poesia pura,à frente da casa de cultura Santa Teresa me disse em riste solene, não titubeou, numa tarde de lunações lá no Embu das Artes, terra que respeito, o seguinte: - Helder,vamos levar uma poesia para este povo que nos assiste,pois é só o que sabemos fazer, visse!

Então, pretendo tanger o sino da emoção, viver da escrita é quase viagem perdida, será!Mas mesmo assim vou continuar, poeta da periferia, me ufano de levar minha glosa na gloriosa São Paulo dos contrastes, sem os quais não seria ela mesmo. Mas vamos lá, juntos, percorrer o caminho do pensar, tangendo forte, esperando que a sorte nos sorria à moda de Patativa do Assaré, que soube tão bem esplanar idéias, com graça e leveza, cônscio da grandeza da pátria de singeleza. Rezando na sua cartilha,admirando seus dons da poesia, me chamo Helder Alvim - poeta mínimo - aqui procrastino palavras, imaginando prosas até ao amanhecer.

Se é verdade que a fila anda, os versos dos poetas do povo acompanham sua evolução e ainda nesta cidade se revelarão, hoje encontram um coração ferido, que na emoção compartilha com ele este universo em transformação, para melhor, vejo que está chegando a vindoura solução.

Vinte e hum de abril de dois mil e nove, por extenso data quase nobre, sem entrar no mérito da questão, inconformado com a situação de descalabro político-social, destinos desviados que não contemplam a razão, convido-os a derramar comigo versos do coração, pois encontrei dois parceiros, confabulamos nossas conversas e buscamos a seis mãos um ponto de junção, elaboramos teses, nos identificamos no que reze aos destinos do Brasil nação.

É, amigos, só sei escrever versos, por isso me alinho no reverso de uma existência que confesso ser passageira, busco com insistência o elo perdido, no sufoco, canto e grito, tentando entender a sentido último de uma única existência que passa e se inunda de preocupações.

Saibam, amigos que eles animaram este velho poeta e disseram sem dizer palavras certas,num feriado quase banal, me empurraram para frente e nas entrelinhas conscientes deixaram teses incontestes. Deparei-me com dois inteligentes jovens, num mundo carente de lucidez, pois eles esquentam com carinho a tinta das boas intenções.

Se a vida vale à pena, e vale muito mesmo, vejo que eles chegaram no ápice da contemplação, me ensinaram verdades adormecidas, escondidas em suas mentes abertas, que guardam a vontade certa de mudar a situação. Dois estudantes, um de padagogia, o outro filosófo em formação.Raíres e Edson, mereceram esta trova amiga e saibam que peregrinam em meu coração de um poeta do povo que insiste em tanger as fibras adormecidas que nos levarão a um mundo novo.A vida continua e não para jamais, sei que esses dois irmãos chegarão longe, mais longe do que se possa imaginar... Guardam o frescor, a força e a resolução de vencer barreiras e dividir com os outros, a pérola preciosa do conhecimento.O poeta necessita de um alento, ser acordado do sonho e passar à realização, saber que os seus versos não se perderam no amálgama confuso de vazias confabulações.Que alegria, quando em vez, surgem pessoas que partilham o seu sentir, embelezam em alto relevo o seu viver e carinhosamente oferecem-lhe um aperto de mão.

Helder Chaia Alvim

Quando a vida se fecha...

1. Vê se me compreende, amigo que me lê,procuro nas letras alguma significação,não tenho tema, apenas digo que a vida para mim se fechou.Preciso de um conselho, não sei se vou,se fico, se mudo aguardo um sinal pretendido.

2..Eu que tantas vezes encontrei no soneto o alívio, avisei aos outros o que sem saber ora se passa comigo.É fácil ver as chagas alheias, mas quando a correia dos sentimentos  aperta as feridas abertas da gente, aí a coisa pega,a alma titubeia, se esvai, emperra, empaca em teias abstratas.

3.Nessas horas, o cabedal de conhecimento se pulveriza e previsões concretas sinalizam a iminente capitulação, o ânimo enrijece e de pouco adianta querer, se esmoreceu o bem querido viver.Não sei se passo, se vou, se fico, se grito apelo para seu juízo para não enlouquecer,você que me conhece, partilha comigo emoção,será que a minha escrita fora em vão?

4.Poeta conselheiro, parece-me que disseram ser...sequer consigo usufruir um milésimo do que afirmei em exaustiva dissertação.Alheia, a poesia comigo se fecha, companheira de outrora, agora se ausenta de minha presença, será que ela conspira, me põe à prova ou desdenha minha inspiração?

5.Escrever é fácil, dizer palavras é agradável, mas quando a vida entorna o caldo, o jeito, numa espécie de fuga, seria: " fechar-se em conchas e não procurar saber o que perdeu," no dizer do poeta Andri..O que sobra? Nada, apenas o vazio de uma rima desalinhada, um chapéu, encostado num canto escuro do armário e que sente a falta da pessoa amada. Dos ohs! que recebia, apenas a lembrança vaga; das certezas iluminadas, as promessas roubadas pelo sopro da desilusão.

6.Poeta mínimo, ainda encontro forças para assimilar um tempo que foi bom, muito bom, ajuizado nestas anotações.Não cabe a mim tentar explicar o distanciamento sem razão, se abro o assunto para conhecimento público, guardo para sempre as nuanças tristes daquele momento único, quando a vida se fechou, quando o silvo dos ventos e a aura da manhã se afastaram e das mãos de um pobre poeta sonhador escaparam imperceptivelmente a luz de seus olhos, e  a imagem meiga que o tempo para sempre apagou.

7.É o que tinha a dizer, não deixei a mágoa, nem palavras ásperas permear o texto desenvolvido, longe de mim tais avaliações,dos desacertos meço bem o alcance de minhas lacunas cultivadas,e tenho em mente o desencaminhamento que motivou a separação.

8. Já que me pediu ajuda, poeta, tomo a liberdade de constatar neste parágrafo final de sua fala alusiva, um tanto formal, acho-a eu. Que quando aparecer um novo amor. A vida é um eterno começar, porque não? Aí vais saber conservar a sintonia, desenvolver a sinominia perfeita e o vazio desta rima será preenchido em igual proporção.

 Helder Chaia Alvim

quarta-feira, 22 de abril de 2009

Boiando no ar...

E o vazio continua, assunta o infinito e não obtem respostas
por mais que pense não encontra a vírgula proposta
ausculta sem saber a memória sem volta
e ningém lhe reporta a lugar nenhum

Sózinho matuta longamente suas frustrações
e constata que tentou, tentou e morreu na praia
de sentimentos vãos

Num esfôrço último
ainda é capaz de escrever versos
e jogá-los ao vento

Não encontra volta
sem nenhuma revolta
deixa registrado
linhas de desilusão
pois a eleita da sua vida
sabe o que diz...

Se persegue, não desiste de encontrar
o sentido vão de dores não correspondidas

Errou em algum ponto
não auferiu da bela dama
o encontro
queda-se amuado
no canto solitário
de sentimentos frustrados

No seu arrazoado vê fugir das suas mãos
o amor sublimado

Até quando não sabe,
se fechou para balanço
vê que no momento colhe espanto

Talvez na curva de uma esquina
apareça alguém que se sintonize...

Escrever é sua última saída
para não enlouquecer neste paraíso sem amor
ouvindo Jota Quest, o que mais precisa!

Encerra as considerações
acanhado mais uma vez
em suas idealizações

Não entende nada do amor,
as flores oferecidas
lhe geraram aborrecimentos

O conforto vem da escrita
companheira que não falha nunca
ainda que não encontre quem leia
sabe que a resposta virá... e virá!
No sopro suave de uma inspiração...

Helder Chaia Alvim

Alumiações cismadas x o vazio sem voz

alumiações cismadas 
1. Externar em palavras o que se passa na alma sustenta o poeta, qualquer que seja o seu estilo, torna-se uma forma simples e prazerosa de dialogar com o papel. O vazio sem voz é preenchido, a poesia reveste-se de sentido, torna-se analista perfeita na analítica situação humana, quase desfeita.


2. Nessas horas, o peso da existência fica mais leve, a cabeça tumultuada pelas angústias e desacertos financeiros, ordena sentimentos, aquece a memória, desanuvia problemas, e se embrenha em factíveis soluções. A vontade e a inteligência se alimentam de bons temas, a teimosia dos dilemas se afasta, a trégua é estabelecida e o enfrentamento se esvazia declinando as ameaças.


3. Alguma idéia flue, o cansaço se dilui, o gênero irriquieto se apresenta no conta-gôtas das praças literárias,e na contra partida o coração despedaçado por motivos de aparências insolúveis,se recompõe nos traços que o acompanham.


4. A terapia iniciada avança resoluta na estrada infinda de alumiações cismadas e a acanhada conversa com a caneta e o papel se estende sem retissências e preenche as lacunas de escusas existênciais, que esmaecida, brilha, esquecida, grita, muda, busca a inocência perdida.


5. Talvez pareça estranho ao leitor este jeito esquisito deste aprendiz estreante das letras no fazer poético,nem pretendo laurear méritos ao escrever estes reais versos. Não é minha intenção confundir rimas, a verdade é que por trás destas linhas espaçadas esconde-se a satisfação de realçar os contornos de minhas ânsias reveladas.


6. Sem estender em demasiado as alumiações cismadas afirmo sem retórica, se é certo que a vida passa, propuz-me a percorrer o caminho que ainda me resta, na poesia. O fato de você ser meu amigo, me engrandece, sobremaneira. Estabelece no meu pensar a condição salutar que o seu olhar de irmão enriquece meus versos, alumia com clareza os meus percalços e incertezas, anima e incentiva a cada dia a criação destas rimas.


7. Se me falta a métrica apropriada, sobra a disposição renovada de continuar, continuar perseguindo os poemas, tentando encher de temas, o vazio sem voz da fugaz existência, meu bom rapaz!


8. Em lá chegando, ou melhor, quando chegar, é inevitável uma parada, uma olhada para trás,pois na memória guardo a insólita trilha percorrida, as arestas aparadas e direi a quem me ouvir que você meu amigo, tornou-se peça chave, suportou com paciência as lamúrias ora declamadas, me deu um ombro amigo, fez um leve, eu digo! E agradecido vou relatar, se consegui concluir o estabelecido restabelecendo o equilíbrio emocional foi porque encontrei um amparo e seu nome guardo comovido, meu irmão.

Helder Chaia Alvim

quarta-feira, 15 de abril de 2009

Fotovoltaica

1. Invencionar é uma característica inegável de nossa época. Não há como negar o QI avançado do cérebro humano. Ele se embrenhou com afinco e estudo profundo.O resultado está aí,
turbinas de vento de grande escala, estou atento, energia solar fotovoltatica em escala avançada,
redes sociais na web, haja fôlego para acompanhar a mente inteligente que a concebe. E não para mais, internet banda larga, computadores pessoais e laptops acessados in loco, que louco!
E navega-se com a precisão de um binóculo, altamente definido; celulares, emails, teste de DNA,
fibra óptica e a lista não para de crescer, a cada dia a mídia estampa as invenções, apareceu a ressonância magnética, microprocessadores, que deixaria pasmo aos mais antigos.

2. Depois disto e não tem uma década, o mundo já não é mais o mesmo, software para escritório, cirurgia à laser, robótica, nas montadoras os robôs desempenham funções com métrica e programação precisas, software livre, já acostumamos com o linguajar. A parte lógica e física da informática dominam conceitos e parâmetros - temos à mão feramentas e links.

3. Diodos de emissão de luz, tela de cristal líquido, GPS, e-comerce, compressão de arquivos, microfinança e energia solar fotovoltaica, ufa!
Cada um tem seu preceito, se esmera nas teses, apresenta suas reais ações ecnológicas.
Conceitos abstratos que na prática desenvolvem definições em alto grau; relações humanas
alternadas de realizações práticas, se Julio Verne fôsse vivo diria: Meninos, eu passo!

4. E o mundo já não é mais o mesmo, ele se comunica impessoalmente nas redes de relacionamento, a cifra é impressionante com 108 milhôes de usuários únicos. Nunca a informação foi tão rápida e o calor humano tão fraco. Aonde vamos parar? Será que o tiro sairá pela culatra? Não podemos olvidar as atuais emissões dos gases de efeito estufa que empurrarão a ascensão do nível do mar e que poderão levar a inundações devastadoras em um futuro próximo? Resta dizer o que Raíres me afirmou, segundo estudos, que o nível do mar está subindo 2cm. dia...

5.Não cansarei de falar, amigo Edson, a mão que pluga o conhecimento é a mesma que manuseia os elementos... Ações, ações que podem desencadear reações, as mais improváveis!
Meu amigo, obrigado pela sua leitura. Estas observações não carregam consigo pessimismo, não rezo nesta cartilha, apenas escrevo porquanto acho que esta nossa prosa é da maior importância.
Na vida presente o que fica é o pensamento da gente, o esfôrço conjunto para que o mundo não pereça, conserve o equilíbrio natural, o bom senso e não vá se perder, na conjectura atual, na curva de uma história sem volta.

6. Quando voltarmos para a era do arco e flexa, então vamos acordar para o que perdemos. O que não entendo se detemos tanto conhecimento e tecnologia porque não canalizá-los em prol do ser humano? Equilibrar a balança, desenvolver softwares de ressonância humana. Que bacana!
Tanto avanço, que deixaria pasmo a Einstein, Coopérnico e Galileu, meu!

Helder Chaia Alvim

terça-feira, 14 de abril de 2009

Nação Canarinha

                                  Nação Canarinha

a) Ah! Terra de Santa Cruz, hoje Brasil o que anda fazendo com sua extensão territorial? Tornou-se um problema cabal! A região da Amazônia é um exemplo: mais de 22.000 km de rios navegáveis,11.500 km de fronteira, captados por recente leitura dos satélites da Nasa. De dimensões continentais possui o maior banco genético do planeta e guarda em seu bojo uma preciosa biodiversidade, 1/5 de águas superficiais e subterrâneas do planeta, 1/3 de florestas e riquezas no subsolo a par de seu imenso vazio demográfico. Só por aí constatamos a enorme abragência do assunto que pincelamos

b) Já existem estudos categóricos e bem fundamentados de gente antenada na realidade da amazônia brasileira. Não estou dizendo coisa à toa, figurada na linguagem poética, apenas alinhavo minha tese em consonância com os especialistas no assunto. Se a quase total falta de comprometimento com a região, principal sustentáculo do planeta terra,no que diz respeito ao equilíbrio global é fato que salta aos nossos olhos, com dor e lágrimas pensadas.

c) Se não cuidarmos dela, outros cuidarão com interesses escusos e as gerações vindouras ficarão no escuro. Sua preservação imediata e sem mais delongas é ponto vital onde demanda políticas específicas voltadas para o bem comum e a soberania nacional. Afinal que povo somos que não sabemos cuidar do que é nosso, meu!

d) Posso relatar por conhecimento próprio, já estive na região e as dificuldades de transporte e comunicação saltam aos olhos de todos. Pude conversar com os amazônidas, por sinal hospitaleiros, gente alegre, guerreiros natos, nossos irmãos brasileiros, sempre à espera de uma atenção especial por parte daqueles que conduzem os destinos de nossa nação canarinha e das instituições comprometidas com o verdadeiro progresso nacional sustentável.

e) A presença do benemérito e atuante exercito brasileiro vai muito além de suas funções de guarda fronteiriça, sua ação social é marcante e quase a única esperança de vida dos habitantes daquela região brasileira de dimensões continentais, máxime, no período de chuvas torrenciais,aliás, bem frequentes.

f) Que este simples alerta, não seja em vão, então espera-se, em consonância com todo o Brasil, ações concretas e duradouras, na prática um despertar uníssono da consciência nacional.Encerra-se aqui a escrita. O poeta, qualquer que seja seu pensar, pluga-se na realidade, sua função reveste-se muitas vezes de missão. Não basta dizer palavras bonitas, floreadas na rima. Ele também esgrima-se na caneta, espreme a letra, pois no seu coração bate forte um palpitar preocupado, no meu caso com a atual ocupação da amazônia, a precária condição de saúde e da quase total falta de oportunidades para o crescimento de seus habitantes, nossos irmãos pátrios.

g) Vamos acordar, despregar os olhos da telinha alienadora, olhar mais longe, para o sentido norte deixar aflorar a nossa brasilidade. Senão, amigos que partilho respeito, o tão propalado desenvolvimento com sustentabilidade ficará na saudade... E será quem assinará o termo de rescisão? Protocolará a omissão. Que Deus nos valha e não permita tal devastação!

h) Abra os olhos, Brasil, jovem nação de mais de 500 anos, de pouca idade mas que faz a diferença vital. Estão desmatando suas florestas, poluindo seus rios, desfrutando de sua riquezas, patrimônio da soberania nacional, fonte de equilíbrio do eco-sistema.

i) Ao escrever estas considerações, saiba amigo leitor que o texto encontra-se passível de ajustes, opiniões que possam melhorá-lo, conceitos a serem agregados visando o bem comum interativo,É hora da união estreita, condição de vida para as futuras gerações, afastando de vez interesses outros que maculam nossa história e desaprumam nosso lugar perene no concerto das nações.

Como diz Jota Quest na sua bela canção:"... Falar é complicado..."

Helder Chaia Alvim

segunda-feira, 13 de abril de 2009

bio tipo x trans

1.Os malefícios da gordura trans à saúde se acham plenamente comprovados em pesquizas de ponta. Os resultados divulgados pela mídia são irrefutáveis. Preocupam a sociedade, haja vista que as marcas já assinalam % de trans - nível de HDL exat0! O que é bom. A conscientização deve ser em larga escala. O assunto é complexo, envolve a praticidade adquirida por hábitos de alimentação não saudáveis. Graças aos pesquizadores incansáveis já avançamos o caminho encontra-se traçado. O alerta vem sendo dado pela mídia consciente o que agrada muito a gente. (Conf. Rede Record de Televisão- em 18/02/2009 veiculou uma reportagem abalizada onde o comunicador Celso Freitas expôs com detalhes impressionantes a matéria hora delineada).

2.Se a saúde do corpo está em jogo, tornou-se o foco da questão, a boa velha receita caseira fortalece, dá cor à vida sem nenhuma sinteticidade ou seja o arroz, feijão, salada e bife acebolado voltam à pauta alimentar. Quem diria,hein, senhor leitor, no agito frenético da vida "moderna" abandonaríamos, um dia, maneiras práticas a favor da longevidade:" corpore sano in mente sana", já os antigos preceptores apregoavam em modestas salas de aula esta máxima da flor do Lácio.

3.Nada impede, a meu ver, de cada um elaborar sua estética consultando sempre o médico da família, com esta opinião criteriosa sinta-se afortunado! O histórico de sua gene bem elaborado torna-se primordial quando o tema sua saúde. Inserido no contexto atual estes versos intencionam, na sua módica condução fazer um eco rimado, contribuir um bocadinho para a melhoria e boa qualidade do que for doravante mastigado.

4. Se nem todo mundo é galgo na aparência, existem outras belezas e sutilezas que nos acalmam. O importante é cada um se sentir amado, as estaturas: robusta, delicada, esguia,alta, média, baixa e encorpada são meros detalhes ou melhor qualidades que a natureza entalhou na humanidade com sábia acuidade. A palavra-chave é estar bem consigo mesmo.Boa alimentação é o quesito indispensável para não perdermos o bonde do bom senso, ágape perfeito, bilhete sem picote, anote!

5. Irmão, se por acaso clicar neste Blog e tomar conhecimento deste parecer singelo, queria dizer que a vida é uma grande viagem em busca da felicidade. Por isto se faz necessário ingerir vitaminas e proteínas em dosagens recomendadas afim de manter as fôrças, evitar doenças e mal estar inesperado. É bom não esquecer de colocar na bagagem as calorias salutares da calma,paciência e tranquilidade. O metabolismo do sorriso vai ajudar nas adversidades que se tornam inevitáveis ao longo do caminho.

6. Leia um poema, alimente a alma, escreva um soneto, desanuvie os nervos quando chegar ao seu destino suspirado atrevo a afirmar estará em forma para abraçar novos sonhos, novos desafios, a trajetória não para nunca, as metas alcançadas ficam para traz igual as paisagens observadas das janelas das locomotivas em movimento. A vida deve ser bem vivida, não têm marcha à ré, sempre em frente, passando entre os povoados das alegrias, tristezas, sobressaltos e das perdas inerentes à condição humana. A sorte sorri, o mau tempo transcorre, o sol nasce, a noite desce, a estrela sinaliza o espaço, o cansaço chega, o corpo bem alimentado não se entrega , revigora-se. O outro dia aparece, sorri para o andante e rejuvenesce seu semblante.

7.Termina aqui a prosa, desço na próxima estação.Vejo que o passageiro amigo vai continuar munido de ânimo e otimismo a trajetória que me descreveu durante nossa conversa. Sinto-me alegre, vejos nos seus olhos que vai prosseguir à frente... Me dê notícias,mande-me suas anotações. De antemão estou agradecido por me ouvir, partilhar o pão à sua mesa, confidenciar suas firmes e sonhadas intenções.Quanto a mim pretendo continuar meu destino à pé. Um dia desses retomo o expresso e nos encontramos nas páginas de mais alguns versos.

8. Espero que este ensaio tenha valido a pena, me atenho a escrever para conservar a lucidez, perambular pelos papéis em branco, procurando entender a fugacidade dos preâmbulos. As letras soltas me mantêm na lousa da inspiração,são poucas as palavras,me encontro,ouço,grito... Amigo, quem alcançar primeiro o intuito perseguido avise ao outro em telegram alguma coisa desse tipo: - Irmão, a minha mente está sadia, gozo de boa saúde, enfim,venci! Realizei o sonho que concebi. Tal dia vamos prosear - a mala está repleta de novos projetos, não vejo a hora de partilhar consigo as idéias que assino. Reserve outros bilhetes sem picotes, rumo ao extremo norte! Não esqueça na primeira classe, anote! Boa Sorte!

Helder Chaia Alvim

terça-feira, 7 de abril de 2009

Dores Salvíficas

dores salvificas
1. Dores do Redentor assim pretendo relatar uma história antiga presente nas cantigas dos oradores sacros. Motivo que me impulsionou a escrever estes traços nesta semana santa do ano de dois mil e nove que transcorre em São Paulo paulistana sem motivos maiores.
2. O aparente desconhecimento dos que professam a fé católica me preocupa. Será mais uma semana de feriado,dia santo ou buscas inusitadas pela páscoa enchocolatada e do descanso merecido!O mistério da morte de Cristo se renova e revela, foram abertas naquele dia no Gólgota de par em par as portas do Paraíso. É isso que esperamos ouvir dos pregadores, continuadores da missão evangelizadora.

3. Dores que redimiu o mundo do pecado de trevas e noite pesada, já é fato relatado quando o Deus de bondade assumiu a natureza humana, nasceu em Belém da Judéia entre bois ruminantes, pastores flautistas,José, Maria, Magos e Anjos de louvores naquela época em que o mandonismo imperava com reis impostores.Foi quando surgiu uma estrela brilhante anunciando a chegada de Jesus Cristo,o escolhido que veio para destronar a maldade dominante.


4.Se procura,amigo leitor, doce poesia no feitio deste poeta mínimo,sinto que hoje posso desapontá-lo. O acorde me leva desta vez a um tema de Fé que jorra do lado aberto de Cristo pela lança do soldado Longino Romano. A água e sangue que jorraram demonstram a grandeza do acontecimento. Se nos deixa pasmo, o empenho nulo deste que lhes fala não é motivo para deixar de pontuar em tom grave, uma vez que os púlpitos,constato, não entalham, em tom cadenciado a jornada de sangue,dores e lágrimas redentoras em toda a extensão de sua veracidade.
Enquanto possuir o sopro de vida pretendo sem cessar escrever arriscar deixar anotado os dons salvíficos do Redentor da humanidade, aliás tão esquecido de nossa geração.

Dores continuas eis a veia sagrada,assim foi a sina do Deus Profeta que percorreu a Samaria,Efrém Betania,Hebron,Gaza,Caná,Jerusalém, enfim toda a Palestina, foi a sina bendita ao lado do Simão Bhar Jonas, a pedra primeira que contraporia ao decaido anjo, os arranjos do grande pescador.

6. Dores que conduziu Zaqueu, filho de Abrãao à salvação, dores que choraram sobre Jerusalém ingrata que não conheceu o tempo assinalado.Dores do Messias prometido,que realizou prodígios caminhou sobre as águas da Galiléia,acalmou os ventos,deu movimento aos paralíticos,sanou as feridas dos leprosos,a visão ao cego de betsaida restituiu

7. Dores do Amigo que ressuscitou Lázaro,acariciou os pequeninos,iluminou no tabor os apóstolos,no gólgota esvaiu-se até o último suspiro,reuniu os discípulos no cenáculo,trouxe Pedro de volta à sua vocaçâo e ao primado.
Dores do perdão solene na trágica sexta-feira santa,que a Dimas, o bom ladrão abriram as portas do céu, que na pessoa de João Evangelista, o discípulo amado,nos mereceram a Virgem Santa, Mãe bendita por adoção.Dores antecipadas da agonia mortal no monte Oliveti, na ignominiosa flagelação, coroação de espinhos, no caminho do suplício, no auge da consumação,dores atrozes do Rei dos Reis no madeiro pregado, envoltas ficaram no manto sagrado.


8. Dores do Mestre que conduziu Saulo ao patamar do apóstolo dos gentios,que a Thiago reservou missão em Espanha, que a Lino e Cleto fez realizar façanhas tamanhas.Dores que nas dez perseguições sustentaram os mártires entre milhares cito Filomena, Sebastião, Cecília, Inácio de Antioquia e uma pleiâde numerosa de santos seguidores.

9. Dores do gólgota que pontilharam de luz e esperança as tôrres de catedrais, mosteiros e as modestas Igrejinhas dos arraiais,espalharam pelo mundo seu canto forte,o madeiro de opóbrio tornou-se glória de todos quanto acreditam em um destino post-mortem.

10. Dores que clarearam o pensamento de Nicodemos curaram Longino centurião,esclareceram a samaritana reconduziram o filho pródigo, concederam o perdão sem limites multiplicaram os pães.
Dores que declararam sua divindade no sinédrio perante ao conselho de anciãos grão-sacerdotes e escribas

11. Dores que fizeram reconhecer sua inocência junto a Poncio Pilatos e que se calou soberano diante de Herodes, o insensato,que fizeram de João o discípulo amado que com categoria e gosto pensado deixou anotado que "desde o começo o Verbo era Deus a Verdadeira luz que a todo homem ilumina para vir a este mundo, que de sua plenitude todos nós recebemos graça após graça"...

12. Dores gloriosas do Redentor que no aconchego sagrado do colo de sua Mãe Santíssima se refugiou das grandezas do mundo, dores do Messias prometido das profecias,que veio para"os seus e os seus não o receberam."
Dores salvíficas do crucificado pelos nossos erros e pecados que consolou Nossa Senhora a as santas mulheres nos passos da via-crucis, que ressuscitou vencendo as forças do mal, que visitou os discípulos de Emáus,que ascendeu ao céu, redivivo até ao sinal dos últimos dias.

13. Dores que entusiamaram Lázaro, Marta, Maria Madalena,
Francisco Xavier, Dom Nuno Alvares,Inácio de Loyola,Gregório Magno,Sebastião,Antonio,Teresa d'Avila,Teresinha de Jesus,Brás,Cristovão,João Bosco,Vicente de Paulo,Bento,Charbel,Gabriel da Dores, Goretti,Francisco de Sales, Madre Cabrini,Frei Galvão,Pio X, João Paulo II, Plinio Correa, Lucilia Ribeiro, Madre Leticia, Paulo Angelo Vieira e tantos outros luminares e heróis da hagiografia cristã.

 

14. Dores benditas originárias do Gólgota,sinalizam através dos tempos sem cessar a eterna mensagem do Amor Paz e Harmonia nos suntuosos castelos no alto do campanário,nas cruzadas gloriosas nos navios em ferros nas regiões gélidas montanhosas,nas humildes choupanas,nas serras vales povoados e cidades em cada palmo da terra evangelizada.

15. Dores de esperança que ainda perduram passados mais de dois mil anos do maior e mais trágico acontecimento da história ainda norteiam a humanidade quase que perdida em meio aos seus conflitos dementes na curva da grande estrada sem crença:"Tomai sobre vós meu jugo e aprendei de mim que sou manso e humilde coração e assim encontrareis conforto para vossas almas pois o meu jugo é suave e o meu peso leve".

16. São tantos os motivos que derivam do Mestre Jesus de sua trajetória única que fico meio perdido vejo Nele a fonte inesgotável de sabedoria o princípio de onde emana a inspiração desta poesia - si ne me niquil potest facere - "sem mim nada podeis fazer" são suas palavras divinas por isto a razão do presente assunto.

17. Quisera de coração,amigos,que a lição de suas dores ora declamadas fizesse parte integrante da nova literatura se tornasse objeto de pesquisas de tantos colegas bons trovadores que sem dúvida saberão com mais ternura e estilo apurado levar aos leitores, sobrepondo às minhas lacunas, o grande valor e alcance da vida do Redentor da Humanidade que se entregou aos suplícios tremendos da crucifixão em nosso lugar e para nos salvar e redimir dos maiores de todos os males, o pecado.


18. Tema atual? Mais que isto, eterno! Aos leitores deixo em aberto a opinião. Não omiti o que sinto, o que fiz foi deixar o coração me conduzir.Palavras bonitas? Não é minha intenção figurar a retórica, o evangelho fala por si de tal monta que se torna agradavel a debruxaçao sobre os dizeres do mestre divino:"E,eu quando for levantado da terra, atraírei todos a mim."
19. Queria de um Antonio Vieira sorver em tom apurado os matizes de prolixa intuição,de um Antonio de Pádua as finuras e meandros de sua dissertação,de um Tomás de Aquino as teses sólidas de sua concepção,de Agostinho de Cartago as sublimidades da revelação, de Frá Angelico as côres eficazes de sua intuição,
dos Arautos do Evangelho a pureza e garra de sua consagração e dedicação ao Divino Capitão, de tantos que fizeram de Jesus Nazareno o idealde vida devotada aos irmãos menos favorecidos da sorte, nos claustros, asilos hansenianos, lugares distantes, poeta mínimo, apenas registro linhas de devoção.


20. Teimo em continuar, confiado na proteção da Virgem Maria a quem dedico minha humílima homilia e ao Sumo Pontífice Bento XVI submeto humildemente estas apreciações. Se encontrar algum diferente coração que se digne ler o que foi dito agradeço muito e se mereço ser ouvido saiba que afirmo ser o Cristo fonte inesgotável de inspiração,"O caminho, a verdade e a vida" de todo ser humano em meio à tanta aflição.


Se estas linhas mereceram atenção, de um leitor apenas, saiba que guardo comovido a citação e será um incentivo para continuar leve e forte enaltecendo, adorando àquele Deus que os ventos e as tempestades obedecem, àquele que um dia na cruz venceu a vitória de todas as vitórias contra a morte e o pecado e num gesto de bondade infinita legou aos homens a continuadora de sua dores redentoras,a Santa Madre Igreja.

21. Se abandonei a via certa é hora de ajeitar o que tiver diferente de seu diapasão.Que Ele ilumine estes versos surgidos num repente e tenho presente que a vida passa ligeira e só permanece na soleira da história a verdadeira ciência e a intendência do conhecimento será julgada e pautada pela onisciência do Deus crucificado.


22. Um dia ensolarado a beira do Mar de Tiberíades Ele, o grande poeta dos versos perdidos proclamou, revestido de sua presença iluminada, ser o Amor o ponto de equilíbrio e fonte perene de renovação do ser humano na sua busca incessante pelo sentido último da existência, nesta clave se encerra toda e qualquer motivação!

                               Epílogo



Dores do Homem-Deus, tenho ouvido   mistério que confundiu a mente do descrente  do tetrarca,herodíades e salomé a realidade divina ainda hoje anima a justiça e a verdade,dotado do espírito e da virtude de Elias,João Batista prenuncia: "preparai os caminhos do Senhor,aplainai suas veredas"...
Ao finalizar tenho em mente a convicção que me acompanha:"Si ne me niquil potest facere", sem Nosso Senhor Jesus Cristo nada posso fazer então cabe a mim como o leproso curado de sua feridas agradecer agradecer Obrigado Mestre Divino,leão da tribo de judá a oportunidade que tenho de escrever aos amigos leitores, espargir no papel a grande e única lição que encerram sua dores salvíficas.

Helder Tadeu Chaia Alvim
Páscoa de 2016 -SP