terça-feira, 7 de abril de 2009

Dores Salvíficas

dores salvificas
1. Dores do Redentor assim pretendo relatar uma história antiga presente nas cantigas dos oradores sacros. Motivo que me impulsionou a escrever estes traços nesta semana santa do ano de dois mil e nove que transcorre em São Paulo paulistana sem motivos maiores.
2. O aparente desconhecimento dos que professam a fé católica me preocupa. Será mais uma semana de feriado,dia santo ou buscas inusitadas pela páscoa enchocolatada e do descanso merecido!O mistério da morte de Cristo se renova e revela, foram abertas naquele dia no Gólgota de par em par as portas do Paraíso. É isso que esperamos ouvir dos pregadores, continuadores da missão evangelizadora.

3. Dores que redimiu o mundo do pecado de trevas e noite pesada, já é fato relatado quando o Deus de bondade assumiu a natureza humana, nasceu em Belém da Judéia entre bois ruminantes, pastores flautistas,José, Maria, Magos e Anjos de louvores naquela época em que o mandonismo imperava com reis impostores.Foi quando surgiu uma estrela brilhante anunciando a chegada de Jesus Cristo,o escolhido que veio para destronar a maldade dominante.


4.Se procura,amigo leitor, doce poesia no feitio deste poeta mínimo,sinto que hoje posso desapontá-lo. O acorde me leva desta vez a um tema de Fé que jorra do lado aberto de Cristo pela lança do soldado Longino Romano. A água e sangue que jorraram demonstram a grandeza do acontecimento. Se nos deixa pasmo, o empenho nulo deste que lhes fala não é motivo para deixar de pontuar em tom grave, uma vez que os púlpitos,constato, não entalham, em tom cadenciado a jornada de sangue,dores e lágrimas redentoras em toda a extensão de sua veracidade.
Enquanto possuir o sopro de vida pretendo sem cessar escrever arriscar deixar anotado os dons salvíficos do Redentor da humanidade, aliás tão esquecido de nossa geração.

Dores continuas eis a veia sagrada,assim foi a sina do Deus Profeta que percorreu a Samaria,Efrém Betania,Hebron,Gaza,Caná,Jerusalém, enfim toda a Palestina, foi a sina bendita ao lado do Simão Bhar Jonas, a pedra primeira que contraporia ao decaido anjo, os arranjos do grande pescador.

6. Dores que conduziu Zaqueu, filho de Abrãao à salvação, dores que choraram sobre Jerusalém ingrata que não conheceu o tempo assinalado.Dores do Messias prometido,que realizou prodígios caminhou sobre as águas da Galiléia,acalmou os ventos,deu movimento aos paralíticos,sanou as feridas dos leprosos,a visão ao cego de betsaida restituiu

7. Dores do Amigo que ressuscitou Lázaro,acariciou os pequeninos,iluminou no tabor os apóstolos,no gólgota esvaiu-se até o último suspiro,reuniu os discípulos no cenáculo,trouxe Pedro de volta à sua vocaçâo e ao primado.
Dores do perdão solene na trágica sexta-feira santa,que a Dimas, o bom ladrão abriram as portas do céu, que na pessoa de João Evangelista, o discípulo amado,nos mereceram a Virgem Santa, Mãe bendita por adoção.Dores antecipadas da agonia mortal no monte Oliveti, na ignominiosa flagelação, coroação de espinhos, no caminho do suplício, no auge da consumação,dores atrozes do Rei dos Reis no madeiro pregado, envoltas ficaram no manto sagrado.


8. Dores do Mestre que conduziu Saulo ao patamar do apóstolo dos gentios,que a Thiago reservou missão em Espanha, que a Lino e Cleto fez realizar façanhas tamanhas.Dores que nas dez perseguições sustentaram os mártires entre milhares cito Filomena, Sebastião, Cecília, Inácio de Antioquia e uma pleiâde numerosa de santos seguidores.

9. Dores do gólgota que pontilharam de luz e esperança as tôrres de catedrais, mosteiros e as modestas Igrejinhas dos arraiais,espalharam pelo mundo seu canto forte,o madeiro de opóbrio tornou-se glória de todos quanto acreditam em um destino post-mortem.

10. Dores que clarearam o pensamento de Nicodemos curaram Longino centurião,esclareceram a samaritana reconduziram o filho pródigo, concederam o perdão sem limites multiplicaram os pães.
Dores que declararam sua divindade no sinédrio perante ao conselho de anciãos grão-sacerdotes e escribas

11. Dores que fizeram reconhecer sua inocência junto a Poncio Pilatos e que se calou soberano diante de Herodes, o insensato,que fizeram de João o discípulo amado que com categoria e gosto pensado deixou anotado que "desde o começo o Verbo era Deus a Verdadeira luz que a todo homem ilumina para vir a este mundo, que de sua plenitude todos nós recebemos graça após graça"...

12. Dores gloriosas do Redentor que no aconchego sagrado do colo de sua Mãe Santíssima se refugiou das grandezas do mundo, dores do Messias prometido das profecias,que veio para"os seus e os seus não o receberam."
Dores salvíficas do crucificado pelos nossos erros e pecados que consolou Nossa Senhora a as santas mulheres nos passos da via-crucis, que ressuscitou vencendo as forças do mal, que visitou os discípulos de Emáus,que ascendeu ao céu, redivivo até ao sinal dos últimos dias.

13. Dores que entusiamaram Lázaro, Marta, Maria Madalena,
Francisco Xavier, Dom Nuno Alvares,Inácio de Loyola,Gregório Magno,Sebastião,Antonio,Teresa d'Avila,Teresinha de Jesus,Brás,Cristovão,João Bosco,Vicente de Paulo,Bento,Charbel,Gabriel da Dores, Goretti,Francisco de Sales, Madre Cabrini,Frei Galvão,Pio X, João Paulo II, Plinio Correa, Lucilia Ribeiro, Madre Leticia, Paulo Angelo Vieira e tantos outros luminares e heróis da hagiografia cristã.

 

14. Dores benditas originárias do Gólgota,sinalizam através dos tempos sem cessar a eterna mensagem do Amor Paz e Harmonia nos suntuosos castelos no alto do campanário,nas cruzadas gloriosas nos navios em ferros nas regiões gélidas montanhosas,nas humildes choupanas,nas serras vales povoados e cidades em cada palmo da terra evangelizada.

15. Dores de esperança que ainda perduram passados mais de dois mil anos do maior e mais trágico acontecimento da história ainda norteiam a humanidade quase que perdida em meio aos seus conflitos dementes na curva da grande estrada sem crença:"Tomai sobre vós meu jugo e aprendei de mim que sou manso e humilde coração e assim encontrareis conforto para vossas almas pois o meu jugo é suave e o meu peso leve".

16. São tantos os motivos que derivam do Mestre Jesus de sua trajetória única que fico meio perdido vejo Nele a fonte inesgotável de sabedoria o princípio de onde emana a inspiração desta poesia - si ne me niquil potest facere - "sem mim nada podeis fazer" são suas palavras divinas por isto a razão do presente assunto.

17. Quisera de coração,amigos,que a lição de suas dores ora declamadas fizesse parte integrante da nova literatura se tornasse objeto de pesquisas de tantos colegas bons trovadores que sem dúvida saberão com mais ternura e estilo apurado levar aos leitores, sobrepondo às minhas lacunas, o grande valor e alcance da vida do Redentor da Humanidade que se entregou aos suplícios tremendos da crucifixão em nosso lugar e para nos salvar e redimir dos maiores de todos os males, o pecado.


18. Tema atual? Mais que isto, eterno! Aos leitores deixo em aberto a opinião. Não omiti o que sinto, o que fiz foi deixar o coração me conduzir.Palavras bonitas? Não é minha intenção figurar a retórica, o evangelho fala por si de tal monta que se torna agradavel a debruxaçao sobre os dizeres do mestre divino:"E,eu quando for levantado da terra, atraírei todos a mim."
19. Queria de um Antonio Vieira sorver em tom apurado os matizes de prolixa intuição,de um Antonio de Pádua as finuras e meandros de sua dissertação,de um Tomás de Aquino as teses sólidas de sua concepção,de Agostinho de Cartago as sublimidades da revelação, de Frá Angelico as côres eficazes de sua intuição,
dos Arautos do Evangelho a pureza e garra de sua consagração e dedicação ao Divino Capitão, de tantos que fizeram de Jesus Nazareno o idealde vida devotada aos irmãos menos favorecidos da sorte, nos claustros, asilos hansenianos, lugares distantes, poeta mínimo, apenas registro linhas de devoção.


20. Teimo em continuar, confiado na proteção da Virgem Maria a quem dedico minha humílima homilia e ao Sumo Pontífice Bento XVI submeto humildemente estas apreciações. Se encontrar algum diferente coração que se digne ler o que foi dito agradeço muito e se mereço ser ouvido saiba que afirmo ser o Cristo fonte inesgotável de inspiração,"O caminho, a verdade e a vida" de todo ser humano em meio à tanta aflição.


Se estas linhas mereceram atenção, de um leitor apenas, saiba que guardo comovido a citação e será um incentivo para continuar leve e forte enaltecendo, adorando àquele Deus que os ventos e as tempestades obedecem, àquele que um dia na cruz venceu a vitória de todas as vitórias contra a morte e o pecado e num gesto de bondade infinita legou aos homens a continuadora de sua dores redentoras,a Santa Madre Igreja.

21. Se abandonei a via certa é hora de ajeitar o que tiver diferente de seu diapasão.Que Ele ilumine estes versos surgidos num repente e tenho presente que a vida passa ligeira e só permanece na soleira da história a verdadeira ciência e a intendência do conhecimento será julgada e pautada pela onisciência do Deus crucificado.


22. Um dia ensolarado a beira do Mar de Tiberíades Ele, o grande poeta dos versos perdidos proclamou, revestido de sua presença iluminada, ser o Amor o ponto de equilíbrio e fonte perene de renovação do ser humano na sua busca incessante pelo sentido último da existência, nesta clave se encerra toda e qualquer motivação!

                               Epílogo



Dores do Homem-Deus, tenho ouvido   mistério que confundiu a mente do descrente  do tetrarca,herodíades e salomé a realidade divina ainda hoje anima a justiça e a verdade,dotado do espírito e da virtude de Elias,João Batista prenuncia: "preparai os caminhos do Senhor,aplainai suas veredas"...
Ao finalizar tenho em mente a convicção que me acompanha:"Si ne me niquil potest facere", sem Nosso Senhor Jesus Cristo nada posso fazer então cabe a mim como o leproso curado de sua feridas agradecer agradecer Obrigado Mestre Divino,leão da tribo de judá a oportunidade que tenho de escrever aos amigos leitores, espargir no papel a grande e única lição que encerram sua dores salvíficas.

Helder Tadeu Chaia Alvim
Páscoa de 2016 -SP















Postar um comentário