quinta-feira, 29 de maio de 2014

alteridade

Alteridade

1. Dar oportunidade ao outro para se expressar, deixar ele ser o que é - que exercício fabuloso da alteridade -  melhora em muito  as relações e comunicações sociais. A pessoa chega com gosto diferente do seu, a sua formação cultural, psicológica, religiosa totalmente oposta, e daí? Começa a prosa e se você está imbuído deste espírito indispensável no trato inter pessoas terá a capacidade de discernir sem impor opiniões e vai conquistar  mais um amigo para seus círculos tonais.

2. No espaço atual extremamente 'alter ego centrico', e com fortes tendências de 'transtorno dissociativo de identidade', uma prosa amena, despojada será um lenitivo eficaz e proveitoso, pois você se dispões a ser o outro, ouvir sua fala, qualquer que seja, aceitar a percepção de seus valores humanos.

3. Todos se animam e querem falar indefinidamente quando o assunto é o ele, e hoje poucos realmente se dispõem a ouvir o que ele tem a dizer, mostrar suas evoluções no instagram, zapzap e lugares assim...

4. Agora se quiser encerrar uma conversa comece a falar de si sem deixar espaço para o outro também se expressar, faça o teste e tu vai esvaziar o contato, ah ah ah! Amigo, dê atenção ao irmão que você ganha o fato, a linguagem, umas boas risadas e aprende de montão pois ele lhe completa e cultiva seu instinto bom de sociabilidade.

5. Sem entrar na dialética a respeito do assunto alteridade, sei que o termo é forte e seu exercício mais forte ainda. O outro é o meu vizinho, a dama do bar, o padre na igreja, o morador de rua, o alfaiate, o moço do balcão, o motorista da lotação, um parente, amigo, irmão. Ela, a alteridade,  vai chegar na sua soleira com erros e acertos, mesmo assim será preciso admirar alguma qualidade que tenha., pois entende-la é é a chave de conhecer a si mesmo e vice versa.

6. Ah!  o outro quantas vezes não será um desconhecido que mora dentro de você? E as famosas e constantes crises existenciais da sociedade hodierna cessariam como por encanto se cada um olhasse com amor para o outro, o respeitasse e caminhasse com ele construindo na paz, harmonia, verdade e justiça o mundo bom das certezas empíricas.

7. É esta unidade se torna intensa sem descaracterizar o outrem e você, a tal ponto fundamental que Cristo falou: ' Pater si fieri potest transeatis a me cálix iste, Fiat voluntas tua...' Pai não seja feita a minha vontade mas a sua...' A poesia perfeita se desprende destas palavras creditadas por Deus, espelho de perfeição humana e divina...

8. O que fora a redenção golgotiana senão um extenso total e irrestrito amor ao outro ( a humanidade) E o mistério uno e trino ( aos que tem fé para discernir) uma axiologia magnífica. O filho contempla o outro por excelência ( pai) e deste amor surge o espirito santo.

9. O que faz o santo, altruísta por natureza,senão 'anular' o seu eu, projetar em Deus seu coração e olhar o semelhante de uma forma especial e dedica sua vida para a salvação eterna do próximo, aquele  alter que cristo redimiu na cruz.

10. No brasil, a falta de alteridade tornou-se responsável pelos descaminhos na politica, solapou a democracia das mãos legítimas do povo e construiu um governo paralelo sem representatividade ao bem comum.

11. Encarnou uma causa que não é da maioria, instituiu um governo burocrático e autoritário, abriu caminho para a corrupção, a todos notória e pública., tornou um peso ao se ausentar dos verdadeiros anseios da federação, quando a população está fora das deliberações, quando a justiça é lenta, quando conta com dirigentes despreparados, incompatíveis com a modernidade, avesso aos valores pátrios e relativistas com relação a moral e a ética.

12. Todo este conjunto errado emperra uma nação, torna-a não séria aos olhares de fora, esvazia dentro a alma de seu povo e acumula crises financeiras, existenciais, protestos descambando para uma grande comoção social.

13. O motivo copa vai trazer ódios, reinvindicações, as mais diversas à tona. Será que na mente do poder passou por acaso um laivo de lucidez ou quer botar o bloco do caos nas ruas, em vez de governar para a maioria absoluta dona do Brasil: 207 milhões de habitantes...

14. Estas rimas estão a serviço do Brasil, se dispõem a ser o outro, ouvir sua fala, qualquer que seja, aceitar sua percepção, seus valores humanos e transcendentais, abstrair estes valores e juntas com 207 milhões de outros construir o mundo bom, realmente bom para todos sem discursos tolos e assim tornar viável a realidade participativa do irmãos brasileiros nas decisões nacionais.


15. É Math, irmã querida vejo que está certa si: ‘’ abstrair valores e fazer deles poesias, filosofia e antropologia’, está certa simmmm!!!!!!! É o melhor que o poeta poderia fazer , e ele tenta e esquenta a mente, alima as palavras e abraça as gentes, outras caras metades de  seu coração. 
abraços de união,
Eldi

terça-feira, 27 de maio de 2014

equalização da brasilidade

equalização da brasilidade

1. Gente sensata, na exata equalização da brasilidade 'tamo aqui travéis', o que importa nesta vida fugaz seria arruar o pasto extenso in natura artis, extirpar as ervas daninhas nas urnas soberanas no próximo pleito, e de peito aberto semear, semear ações corretas em todas as direções e a mancheia focar o solo fértil do bem comum maior inerente a 207 milhões de irmãos nossos.Todos os brasileiros sem distinção de raça, credo, cor e região de origem!
2. Palavras, palavras, como se torna fácil e prazeroso dize-las, como difícil são revolve-las em camadas obsequiosas de pequenas atitudes que somadas à voz das ruas soberanas fariam sim a diferença
salutar, concretizariam  o desenvolvimento sustentável.
3. Celebrariam a abastança geral, e um solene jus ao que o Brasil Continente sonhou in fieri com José de Anchieta, santo e cidadão em tudo e por tudo consoante com esta terra de todas as possibilidades, sons, diversidades e fé na Santíssima Trindade, na Santa  Virgem de Aparecida,  terra de Frei S'Antana Galvão, também santo clarividente deste planalto que acolheu a gente.
4. Não é possível abrir mão do seu destino glorioso, de sua grandeza pátria, de sua reserva de generosidade, calor humano,  solidariedade e hospitalidade, não! Falta muito para ele chegar lá, e falta pouco se Deus encurtar estes dias tristes e peçonhentos de troca de favores imediatos...
5. Amanhecerá em seu terreirão de Jorge Guerreiro e São Sebastião um dia de luz harmoniosa e democrática, que perdurará o tempo suficiente para a realização de seus desígnios tonais. O tônico já possuímos em nossas reservas de fé e generosidade que nos ligarão espiritualmente a uma era equânime para todos.

6. O Brasil enquanto nação livre, protagonista  de tantos gestos heroicos no passado não pode hoje correr o risco de  dormir ' sem acreditar em sua própria grandeza'.( Exuperry) E grandeza entende-se uma retidão  de princípios  a toda a prova e uma disposição de pensar o tudo em todos.

7. Discursos, palavras empoadas, promessas já não valem mais. O  que está em pauta é afagar a alma da nação brasileira e 207  milhões  de seus filhos dizerem em conjunto: podemos e queremos!

8. Sim, gente sensata o  importante  de  tudo  isto  é  não  deixar  extinguir a chama da esperança, desejar o advento promissor da terra prometida '... .' E sem bobeira, mas na inteligência calma, amparado na constituição e leis  vigentes  trabalhar  de fato para  depois de direito exigir rumos  novos  de  folga livre e gosto pensado  para a maioria   cordata   que  compõe  os  espaços  de   um  país lindo  e maravilhoso chamado Brasil.

9. O primordial na vida brasileira é cessar de vez esta tremenda versatilidade do consumo descartável e deixar florescer o ser pelo ser em toda a abrangência de sua potencia criadora e abandonar este faz de conta de lado, procurar em tudo a justiça, a paz social e o verdadeiro progresso, aquele que beneficia todos, e não este arremedo populista  em voga.

               Oração

a. Oh! Deus, ínfimos somos ao seu olhar, mas mesmo assim  ousamos pedir uma monção urgente para o Brasil, que se cumpra ao seu beneplácito o que prometestes bem baixinho aos ouvidos do Santo de Anchieta, à Frei Galvão,  ao Prof. Plinio Correa de Oliveira, e a tantos outros  heróis da verdadeira brasilidade, lembra-se?
b.- ' Tive fome e me destes de comer, sede e me destes de beber, estava nu e me vestistes, peregrino e me acolhestes.' Pai de bondade pelas mãos de Nossa Senhora Aparecida será que não sobejou um pouco daquela água viva da Samaritana? A quem iremos, fomos traídos pelo desgoverno geral que lastra em nossa pátria, pelo laicismo, pela descrença e total ausência de ligação espiritual de um povo que amastes in fieri.
2. Sabemos que sim, sim, sim,  pai de misericórdia. Então poetas, esquecidos sem voz e vez, preteridos do sistema  aguardamos a sua hora, e com Maria solicitamos a antecipação, por favor!
3. Dispões, pai justo de anjos alados; náufragos fazemos água, e que tal abreviar para nós brasileiros o tempo da provação, e que nossos ouvidos cansados e decepcionados com esta situação caótica, ouçam aquelas sublimes e proféticas palavras: ' Fazei tudo o que Ele vos disser!' 
4. Temos bem presente que com 3 pães e poucos peixes fizeste o milagre da multiplicação, achamos que não seria muito pedir outro tanto para estes 207 milhões de corações inquietos, quase descobertos de fé e razão. Amém!
Helder Tadeu Chaia Alvim

segunda-feira, 26 de maio de 2014

a gestão brasil e o hexa

          Brasil e o Hexa...

1. A gestão Brasil não pode se dar ao luxo laxo de estar sujeita a erros crassos, desvios de conduta por parte de seus dirigentes políticos. Pagaria um alto preço pela falta de competência  e colocaria o destino de todos a perigar. Vale lembrar a  máxima Salomônica: ' o que é bom para Salomão deve ser igualmente bom para o seu povo.' Os tempos estão mudados, e como mudaram, pelo menos em terras brasileiras, o que se vê são os bolsos cheios de um minoria instalada no poder enquanto a economia retrocede e a inflação avança.
 
2. As reformas fiscal, tributária, judiciária e etc. não saem do papel e sua não consecução emperra as engrenagens da nação brasil num contra senso  de arrepiar. Os dispositivos legais de mudanças poderiam, se usados adequadamente alavancar  em  muito o país imerso que se encontra em dúvidas, apreensões e total falta de rumos.
 
3. Na prática 207 milhões de brasileiros hoje não vivem no espaço da democracia, na liberdade de expressão e pouco a pouco vão no seu infinito particular perdendo a autenticidade, a capacidade de reflexão, os valores morais e toda um conjunto de virtudes que fazem de um povo, uma nação unida e próspera e com soberania de sobra.
 
4. A falência das contas públicas, o consumo exacerbado de tecnologia contrasta com o que deveria ser o Brasil em sua potencia criativa e na realidade crua e nua se arrasta moribundo, trefêgo se arrastando qual espectro em sua realidade fotoshopeada da comunicação.

5. Que pena! Quando um povo não reconhece sua própria face de grandeza e inventa modismos e se distrai nas teclas de anseios alheios à sua missão de gigante territorial, cultural e de fé, esmorece  por si só. Um povo ordeiro, solidário, equânime e acalorado, com vocação sobeja de crescimento tonal espetacular que definha e não alinha Deus em seu paralelo.

6. Um povo que deveria ser guardião da dignidade humana, que tem espaço físico de sobra, e lhe falta a compreensão exata de sua potência criadora de bem comum. Um povo sofrido que assiste sua política descambar para a corrupção, que sente sua saúde fraquejas nas infindáveis filas da assistência pública, que vê seus professores ganhar menos, muito menos que um jogador de futebol.

7. Que vê a violência, as drogas, a prostituição infantil consumir as reservas de sua nação, onde será que vai chegar? Muito mais baixo que o filho pródigo se dentro dele, do seu interior intuitivo, não surgir um brado de arrependimento e fazer brotar a vontade sincera de regeneração.

8. Um povo que finge ser o que  não  é, e  paga um  alto preço pela  gestão errônea de seus dirigentes. Quando 207 milhões terão atitude e ação? Que em conjunto vão deflagrar o mundo bom das certezas empíricas e construir no cenário de sua brasilidade inata um novo brasil bom para a maioria que esbarra em seus 207 milhões de habitantes. Quando  então o luxo laxo e o crasso na gestão brasil vão deixar de existir?

Helder Tadeu Chaia Alvim

sábado, 24 de maio de 2014

patria da bola...

1. Ficção ou realidade? Tudo junto, tudo misturado segue neste texto, pois quando me disponho  a escrever o impulso aparece quase sempre do nada. Às vezes na alvorada, também nas madrugadas, nos dias corridos da metrópole, no serão da tarde, nas mesas de bar, já dá para imaginar. Acho que rimar é uma forma interativa de amar o próximo, mesmo que para isso a gente se utilize de palavras ásperas e contundentes. O tempo passa e porque não percorre-lo na busca do mundo bom das certezas empíricas?
 
2. No meu caso não vou cansar de derramar lamentações no afã sagrado de querer melhoras para o semelhante que Cristo, Nosso Senhor libertou das peias e grilhões do erro, vicio e pecado. Precisou do sangue de um Deus para se colocar ordem na casa, e recomeçar uma nova era. Paira no ar os seus méritos infinitos e sua aplicação prática seria o que de melhor poderia acontecer em nosso tempo extremamente caotizado. Mas isto foi um capítulo, extensamente tratado na postagem anterior do Ideo Precor.
 
3. Aliás voltando ao começo, o tema flui naturalmente, não pretendendo os 'ohs alheios' e sim a continuidade da inspiração, se  a você Math  não faltar disposição, e a mim um quê de intuição sincera. Me disseram alhures que estes escritos seriam ' crônicas poéticas,' gostei da definição e agradeço e entrego à  minha irmã querida os créditos na versão.
 
4.  O que almejo é tornar mais palatável assuntos densos, sem transigir com minhas convicções filosóficas procuro auferir da situação atual algo de bom, e tá difícil,  minha irmã. Mesmo sem ser  'fruto do meio' estes escritos carregam influências desta era turbulenta e dissertam quase sempre em temas de uma sonoridade e cadência escatológicas.
 
5. Na minha infância adorada conheci o sertão, vive nele em meio ao seu luar de iluminação, subi nas grimpas da serra dos Pirineus no Norte Fluminense, minha terra natal. Neste fundo de quadro de memória procuro assentar minha alma para na calma escrever para espairecer, e junto com  minha irmã Math tentar entender os dias que correm e não deixar o enlouquecimento ilícito tomar conta de nossas vidas, ah ah ah!!!
 
6. Agorinha amanhece em São Paulo, e não vejo as serras azuladas de outrora, não tenho mais o café no bule, a broa de fubá que cuidadosamente d. Geralda preparava, nem tão pouco poderei mais usufruir da companhia agradável de meus irmãos: José Geraldo, Elaine, Mathildes, Helcia, Lourdes por perto, cada um anda cuidando do recado! O cão Peri e o Boby já se foram, a boiada já passou, a sede da fazenda foi demolida, os taquarais, os manguezais ainda resistem ao tempo, a cigarra, me disseram, continua cantando nas tardes ensolaradas um canto mavioso e triste...

> Ah eu era alegre e não sabia, respeitoso e não merecia presenciar tantas maravilhas, vivenciar tantas louçanias... de camisa aberta ao peito, com aquele meu jeito de interiorano, galopando égua baia ou cousa que valha e muito menos suspeitava o futuro incerto que em São Paulo me aguardava... ( cantos da antiga era, cap 2, & 14.
 
7. Hoje o dia está chuvoso e frio, e maio como se despede da moçada. A atmosfera  induz o citadino à reflexão e outro assunto não poderia estar em pauta do que a Copa do Mundo em junho próximo, sediada em 12 estados brasileiros. Sinto saudade, muitas saudades de um tempo que se foi e que tinha muitas copas de árvores, que as irmãs terezinhas se esbanjam em seus galhos e cipós em alegria, algazarra contagiante na Estância Pirineus, oh! Deus!
 
8. Aliás, nasci ouvindo meu pai, Sr. Didi, falar coisa com coisa que no Brasil o futebol 'brotava em árvores', que um dia seria uma 'profissão lucrativa... mais valorizada que um doutor.' E não é que foi mesmo, seu moço! Ele esqueceu de mencionar o samba, a feijoada e a caipirinha raízes de uma terra exuberante, hospitaleira e gentil.
 
9. O problema atual do brasil não é a Copa. Este evento mundial do esporte chamado futebol, tornou-se uma espécie de justa, celebrada no passado e que vencia o melhor. Somos orgulhosos de nossos títulos e taças merecidos. Quem não gosta de saber que somos Penta campeões? Quem não gosta de Tostão, Rivelino, Dodô, Zagalo, Zé Moreira, Pelé, Garrincha, Clodoaldo, Ronaldo e Neimar Jr, entre tantos?
 
10. Nos gramados verdes do mundo afora o futebol  brasileiro granjeou respeito,  e exporta  craques e técnicos de montão. E bem verdade que o rei Pelé e Ronaldo, o fenômeno, recentemente não foram muito felizes acerca de certas  declarações... Isto a gente esquece pois o  talento deles  em campo são  inquestionáveis e já deram muita alegria ao torcedor brasileiro e conquistaram o respeito internacional.
 
11. O que está em jogo na visão ampla  da realidade brasileira é outro campo de ação ou se quiserem  ' desação' da política doméstica. A carência de educação, escolas, saúde, transporte, rodovias, moradias, segurança estão gritantes, bem mais alto que o ' brado retumbante ' de Pedro I às margens do Ipiranga. Perdeu-se valores como a honra, justiça e a capacidade de gerir os destinos desta nação continente e praticamente nula para não dizer que fomos traídos à nível nacional.
 
12. Nos Tribunais Superiores, condenações e mais condenações pulularam igual febre amarela; mensalidades, CPIS ocuparam a manchete dos jornais aqui e lá fora. Tais aleivosias entravaram o crescimento sustentável e desviaram recursos que aplicados ao Bem Comum Maior fariam a diferença de qualquer nação ajuizada. Ou seja parece que o certo virou errado e vice versa. E palavras ditas outrora no fervor de campanhas eleitorais não são sustentadas depois.
 
13. O respeito  à  auto determinação, à  soberania, às leis constitucionais não se aplicam a uma camada de dirigentes, e as gentes são iludidas a mais não poder. A corrupção na malha política se alastrou qual fogo no taquaruçu de meu sertão amado, e de longe ouvimos o estalar seco de escândalos em Brasilia.

>  no  momento que   escrevo, irmã Math querida e você  me lê com   bondade   estampada nos  olhos,   mais escândalos propinas e mais propinas, compras superfaturadas, a Petrobras em alerta, etc,  sem falar das benesses das sesmarias brasileiras, loteadas pela ambição, ausência de senso comum, faltosa de tino administrativo, canetadas e mais canetadas da abjeção... se apresentam solertes nos gabinetes da administração publica brasileira.
 
14. Fábula, ficção ou a realidade nua e crua? E estou mais propenso a dizer nenhuma das opções, pois
a beirada a situação está mais para uma  comoção social sem precedentes na história brasileira. Aqui e acolá pipocam manifestações. E ainda se lembram da mãe de todas elas, em Junho de  2013 que ameaçou a acordar o Gigante de vez. Com um manobra ' inteligente ' confundiram a cabeça das pessoas, esvaziaram o seu sentido  maior e impuseram arruaças para descaracterizar o movimento; ' vem para a rua, vem!"
 
13. Depois dela ( a beleza das ruas soberanas ), o Brasil começou a esboçar resistência legítima contra os desmandos da política doméstica sem desmerecer a Constituição e os Poderes Constituídos. Hoje pequenas batalhas se travam e já não representam o pensamento da maioria, eivadas que estão de segundas e terceiras intenções   afunilando quase sempre em arruaças e depredações e confrontos desnecessários entre brasileiros.

14. Esta é a moldura do quadro em que a Copa do Mundo vai se inserir, uma realidade em ebulição. E como será na ocasião do magno evento? Será que o 'jeitinho' vai resolver desta vez? Noticias nos chegam que houve por parte dos turistas do esporte 25% de desistência. Aliás seria um absurdo envolve-los neste problema doméstico de desorganização nacional. Este evento é uma incógnita e torço vai dar tudo certo e pós copa retomarmos nossos protestos cívicos com civilidade. Porque não?

15. Agora aproveitar o gancho para hostilizar os visitantes seria uma desproporção e falta de senso inominável. Está em jogo dois brasis, e na calma, argúcia e fé o melhor vai vencer, sabemos disso, é questão de tempo  e o fenômeno  osmose coletiva aglutinará 207 milhões de brasileiros para o bem do povo e a felicidade de um novo tempo verde, amarelo, azul e branco. Basta querer! Queiramos!!!

16. Este evento trará os holofotes do mundo para o Brasil, poderá ser um tiro no pé do atual governo, poderá lhe custar o mandato, e a tão sonhada hegemonia de perpetuação no poder. Se me perguntassem antes eu diria que primeiro seria de bom tom arrumar a casa, colocar as contas públicas em dia e depois receber a Fifa, sua comitiva, os países  participantes, os turistas, e sim aí  fazer uma festa prazerosa e do nosso jeito hospitaleiro de ser.

17. No reboliço atual, as aguas se turvaram de tal modo com a gastança de bilhões, desproporcionais com a realidade de bolso do brasileiro que não sei não e rezo para que tudo transcorra normalmente, hein! Agora foi. É torcer que tudo se encaminhe bem,  a bola vai rolar... E poderia ser diferente, mas não o é! Isso que dá não consultar as ruas soberanas e locupletas de patriotismo!

18. O Brasil pós copa vai continuar protestando até ver raiar o dia bendito em que o Bem Comum se transforme numa instituição sagrada. E que haja de fato na mesa de todos os brasileiros, oportunidades, pão e esperança. Enquanto isso as ruas soberanas aguardam o desenrolar dos acontecimentos, e a moçada está de olho bem aberto com um 'no padre e outro na missa'~.


Helder Tadeu Chaia Alvim

 
 

quarta-feira, 21 de maio de 2014

rumo ao ideo precor...

              ' ideo precor '

&   Reiniciar  >  configurar  > atualizar > a compreensão > a força> na potencialidade da origem > salvífica.

1. Quando finalmente a raça humana vai se dispor a entoar um canto novo? Embora estranho aos ouvidos hodiernos, acostumados ao marketing elaborado, ao consumo indiscriminado de bens, voraz em seus conceitos do ter, da flanação nas passarelas da moda fashion? À alienação da rede televisiva inconsequente? À rapina da política domestica, ao indiscutível sorriso disfarçado de existência nula?  E sem falar do 'poder' da tecnologia açambarcando valores.
 
2. Realmente não sei! Em meio a esta turbulência atual e desajuizada que tomou conta do mundo inteiro, foge dela a lucidez, acanha de sua face a bondade, enlouquecida não enxerga um fiapo de tempo a sua frente, demente não consegue sequer justificar seus avanços nióbios quânticos.

3. Cresce na quantidade e se anula na qualidade de vida, sustenta o consumo e se esquece da primordial sustentabilidade do planeta. Por isso e apesar deste panorama sombrio e triste necessário se faz o aparecimento inusitado da era da identificação total!

4. - Mas poeta das rimas curvas, que sonoridade será esta? - Aposto minha irmã e meu irmão diletos que será a grande era do ser em constante comunicação com o alto sem desprezar a matéria, sem olvidar a irmandade universal.

5. Uma era de luz intensa que não cega, mas eleva, que se afina com o Autor da vida. Era esta a cargo de uma Maestrina Mística, eleita bendita entre todas as mulheres pelo emissário Gabriel, e que carrega consigo prerrogativas de bondade, e outros e outros dons extraordinários de perdão justiça e sabedoria inigualáveis.

6. E esta Mãe e Virgem Maria desprenderá uma luz de tal intensidade que os ímpios não poderão suportar, mas seus filhos eleitos usufruir do carinho e benção da melhor de todas as mães, a inocência primeira e leveza serão fatores primordiais.

7. E esta claridade que um dia comoveu o coração de um Deus em Nazareth, a tal ponto que a cumulou de todas as graças vai espalhar brilho, calor e equilíbrio tonal por toda a parte. Ah! já se teve notícias de sua intervenção ao longo da História. Não fora em  Caná da Galiléia que a seu pedido Jesus Cristo transformou água em vinho?
 
8. Infere-se  que  a  seu  tempo  chegará  na terra  este  fenômeno universal de regeneração! Duvidam minha irmã e meu irmão com quem reparto estes versos e outros mais? Acho que  não!

9. Adão, Noé, Moisés, José, o  Batista, precursores do mundo bom, todos eles a seu modo sentiram este momento feliz! Outro portento e patriarca do nosso terreiro, o poeta José de Anchieta, santo canonizado, que detém a visão beatífica, conheceu em suas visões este despertar da nação brasileira. Aqui em solo pátrio ele lançou o alicerce da fé, da caridade, do calor humano e vislumbrou um porvir maravilhoso para o Brasil.
 
10. Desapeada, a Terra de Santa Cruz finalmente fará jus aos seus desígnios e inaugurará uma era diferente, a era do Bem Comum Maior, inerente aos seus mais de  duzentos milhões de filhos. E porventura qual será este alusivo som? Como se manifestará? Será pelas forças embravecidas da natureza? Pelos acordes de anjos arcanos? Pelo sopro de um vento impetuoso?
 
11. O mistério da hora e o momento exatos que tais fatos deflagrarão o mundo bom das certezas empíricas não pertence  a um reles poeta; mas o que posso conjeturar com certeza que virá sim somente após o tão solene e esperado Mea Culpa de todos em conjunto.
 
12. Não se trata de uma ideia teórica o que está exposto, nem tão pouco arranjos rítmicos para impressionar as plateias de um parnaso coletivo, muito menos de uma verdade filosófica, ou mesmo de utopia elaborada, mas será real e palpável a transformação que o mundo experimentará quando exercer 100% suas faculdades anímicas iluminado pelo Espirito Santo Paráclito.

13. Em última análise aquela tão almejada abertura de alma objeto do sonhos dourados dos anjos guardiões, suspirada pela natureza, sem precedentes na história humana, e que movimento será este? Não outro senão ao Caminho, Verdade e Vida: Nosso Senhor Jesus Cristo!

> o próprio Mestre adorado já profetizará com palavras impressionantes, e aconteceu um dia às margens do mar da Galileia:'...Vim para que tenham vida e vida em abundância...'

14. Não será um alheamento da nossa realidade material, mas um enlace em dimensões e profundidade espirituais nunca antes visto e sentido no planeta terra. E ao encerrar estas rimas mínimas completo o pensamento dizendo que  somente os segredos da arcanologia poderão lhes sinalizar o tempo que tais coisas se sucederão.

15. Ao demarcar esta visão fica a vontade de que se apresse o quanto antes o TOTEM IN TOTUS, pois já se faz tarde muito tarde no horizonte do planeta terra e nuvens espessas se achegam... e achegam... e com tal intensidade e fúria diabólica que só um poder maior oriundo do alto poderá salvar o que restar...

16. Nas entrelinhas dos livros sagrados a gente percebe que tem muita gente santa, eleita, habitantes do céu empíreo  envolvida nesta empresa. O 'movimento' será psicológico e de intuição divina, de modo que não se tem como prever seus desdobramentos e aplicações
empíricas. O que estão ao alcance limitado destas rimas são suposições e mais suposições.

17. Dias caotizados nos cercam de todos os lados, mal a gente termina de ler uma matéria triste, aparecem outras e outras atropelando a curta existência humana. Muitos e muitos se deitam e não sonham mais sonhos maiores, e se levantam sem  acreditar na vida. Mesmo agora quando escrevo de coração aberto sobre um tema querido, outras convulsões sociais se formam e espalham o mal estar social...

18.  É do interesse do principio do mal manter os homens alheios à sua realidade espiritual e sem tempo de pensar sua alma e o transcendental de sua existência. E vai e vai empurrando quase tudo e todos para o abismo do seu egoísmo, de seus conflitos interiores até engendrar uma atmosfera de insatisfação coletiva culminando em abominações particulares e públicas.

19. Ele,o anjo decaído, intui que a grande intervenção está chegando... quisera a passos lentos no cômputo de seu tempo infernal do ter pelo ter, retardar o mais que  fosse possível, mas no fundo não consegue mentir a si mesmo e percebe o fato galopante na imagem do Ser...

20. - Mas poeta das linhas obscuras, como entender um tempo que ainda não veio? - Sei  que vivemos na imensa afronta ao saltério de dez cordas, sei que tá osso tudo em nossa volta, sinto no ar que alguma coisa estranha está por vir, mas como passar a outro estado anímico empírico?

21. Uma  pergunta difícil de responder, vamos então encontrar a resposta juntos sem perdermos o valor intrínseco de nossa amizade, posso apenas na minha limitação acenar para o porvir, mas juntos podemos desejar para ver...

22. Paira no ar a complementação redentora do gólgota, ou seja a aplicação prática neste mundo é o que de melhor poderá existir. Jesus Cristo subiu  passo a passo a via crucis, consciente cordeiro   sofreu injurias e sofrimentos atrozes,  soldados romanos e a populaça desvairada invectivaram contra o Justo blasfêmias e maldições culminando com o deicídio.

23. Ah! levantado numa cruz de ignomínias ofereceu a oblação perfeita ao Pai, e com sua Ressurreição instituiu o Reino da Esperança, atraiu a si todos os tempos, fundou a sua Igreja com Pedro, o grande pescador, e o Evangelho espalhou uma lufada de liberdade e amor para todas as  nações; e invariavelmente Cristo só se dará por satisfeito quando a lira de dez cordas entoar a sua canção divina.

24. E da origem do gólgota aparecerá a imagem do ser humano ideal, não esta pálida figura que hoje se encontra-se no poder da tecnologia, nos fotoshops das esquinadas ilusionadas, nas faces do Instagram, na velocidade dos bytes soberanos, na definição do What Zap. Não, mil vezes não! Até porque, diante do futuro reservado ao bem comum, hoje a realidade nióbica quântica engatinha...

25. A alta ressonância empírica está reservada para um pouquinho mais à frente e SERÁ UMA ERA MARIAL DEDICADA E ORIENTADA PELA ROSA MISTICA DE ELEIÇÃO, UMA ERA INTEIRAMENTE DA MONOTIPIA LIRICA, QUE VAI MISTURAR  ALMA E CORPO PRODUZINDO EFEITOS BENÉFICOS IMPREVISÍVEIS E IMPRESSIONANTES.

                 epílogo

a. O homem moderno perdeu o sentido de sua existência ao se desligar da religião, aventou hipóteses absurdas, ceticismou tudo ao seu redor, transformou-se em iskariotis de si mesmo e, vendilhão do templo construíu sua moral particular, uma cidade egocêntrica, ergueu na vaidade de suas paixões equivocadas castelos de areia movediça, armou redes de pessimismo ao próximo, fracassou quase em tudo e hoje descarta o planeta em que habita consumindo bens de uma forma totalmente voraz e indisciplinada.

b. Desvinculou de seu coração o amor verdadeiro, e de etapa em etapa cresceu no inverso de sua natureza, cultuou o prazer efêmero, perdido fugiu de si mesmo, e encontrou em suas noites vazias um arremedo de felicidade.

c. Enfatuado menosprezou sua alma, deixou escapar de suas mãos a calma de seu espírito, e elegeu a matéria como refúgio de suas interrogações, mal resolvido consigo vive assuntando a sociedade e nada o completa exatamente.

d. Instituiu a mentira, aliou-se à corrupção e sem noção caminhou para sua própria destruição, e parece que ao seu redor tudo o que tocou vira ambição.

e. Paira no ar àqueles que não se deixaram levar pela onda corrosiva das babéis modernas, que a restauração da criatura se tornou uma questão de honra para o Criador. É de se supor que chegará a hora em que o poder do Alto vai cortar profundamente o joio e afins para deixar vingar o trigo da comunhão universal.

f. Encontra-se escrito e estas rimas se dão ao trabalho de registrar os anseios que pairam por cima da criação. Na verdade, e sem postar de tecnicamente corretas, elas se negam a tapar o sol com a débil peneira do relativismo.

g. Crimes, desvios de uma era se propalaram com tal intensidade pelo mundo afora, que supõem o castigo merecido. As rimas não se arvoram em aves de mal agouro, letras apocalípticas, ou coisas deste naipe escatalógico, são constatações e mais constatações...

h. No entanto resta uma única saída honrosa que não será indolor, um extenso, convicto, contrito e universal: Mea Culpa. Após o que Deus escreveria uma outra história carregada de cores, bênçãos e surpresas boas para o bem do povo e a felicidade de um novo e prazeroso tempo.


abraços de união!
 Helder Tadeu Chaia Alvim


 

segunda-feira, 12 de maio de 2014

visões de Isaías profeta...

visões de Isaías profeta
1. O profeta Isaias  parece querer fazer alusão ao mundo bom das certezas empíricas quando se refere nas suas palavras a um tempo incomum que surgirá na terra, um tempo atípico e salutar bem diferente deste momento pesado e carregado de maldades e descaminhos, onde  a cada hora surgem noticias tristes e ações horrorosas do ser humano que nos perguntamos porque  o sal perdeu seu sabor? Porque a natureza não traga em seu seio estes e estas malevolentes? Porque tanta trama e desolação?
2. Vamos cotejar Isaías profeta e saber dele o que pensa: '- ... pois eu mesmo vou criar novos céus e uma nova terra, o passado já não será lembrado, já não mais volverá ao espírito, mas será experimentado a alegria e a felicidade eterna daquilo que vou criar;
3.Jerusalém me alegrará, e meu povo se rejubilará, doravante já não se ouvirá ai, o ruído de soluços, nem gritos.
4. Antes mesmo que me chamem, eu lhes responderei; estarão ainda falando e já serão atendidos. O lobo e o cordeiro pastarão juntos, o leão qual o boi se alimentará de palha e a serpente comerá terra, nenhum mal ou desordem algum serão cometidos em todo o seu monte santo, diz o Senhor.'( Is. cap 65, vers. 17-18-19-24-55).
5. '... não se ouvirá falar mais de violência em tua terra, nem de devastação e de ruínas em teu território...
6.... Chamará tuas muralhas: salvação, tuas portas: glória, não terá mais necessidade de sol para iluminar; permanentemente terá por luz o Senhor e teu Deus por resplendor...
7... Teu sol não mais se deitará; e tua lua não terá mais declínio, porque terás constantemente o Senhor por luz, e teus dias de luto estarão acabados...
8... teu povo será um povo de justos que possuirão a terra para sempre; serão uma planta cultivada pelo Senhor, obra de suas mãos destinada à sua glória...
9. Do menor nascerá toda uma tribo, e do mínimo uma nação poderosa: sou eu, o Senhor, e em tempo oportuno realizarei estas coisas!'( Is. cap 60, vers. 18 a 22)
10. Assim seja! Amém!
Helder Tadeu Chaia Alvim

quinta-feira, 8 de maio de 2014

a colheita primeira

 niver da Math ou  a colheita primeira...

1. Frequentemente estamos à procura de respostas para nossa felicidade pessoal, quiçá, coletiva, e esta busca incessante faz parte da nossa natureza, no entanto a decepção vem quando achamos que em nós ou em outrem encontra-se a tão almejada porta dourada.

2. Ora pensamos ser a afetividade, que queremos a todo custo, correspondida, ou um objeto de consumo, a carreira, o carro, casa, aliás necessários, ou mesmo o saber, a inteligência, ou até um simples poema pode nos dar a satisfação plena de uma felicidade de situação, ah, ah, ah! Salomão diria ser isto também  vaidade, uma espécie de corrida frenética atrás do vento. 
3. Ah! e o status social? nem me fale, quanta inquietude desnecessária no caminho, e isto porque estamos tratando de situações legítimas, se adentrarmos por outras vias sinistras o caldo entorna e apavora só em pensar.
4. Então pera aí, a felicidade de situação não existe, vivemos para a dor, tristeza? É isso encontrar prazer em sofrer freugmaticamente? Não irmã, a felicidade está bem perto do coração simples, na existência tranquila e calma, na conversa animada, no abraço sincero, na prece parece.
5. Quantas vezes em nossa infância nosso coração encheu-se de êxtase e alegria no colo de nossa mãe, nas brincadeiras de roda, nos serões da Pirineus bendita, nas viagens para Itaperuna, nos carinhos de vó Mathildes, tia Edinha e tia Sucena, dos primos engraçados, e tanta coisa borbulhando de vida.
6. Crescemos e fomos vendo os embates da existência, as transformações absurdas de um mundo tranquilo em desenfreado progresso às avessas do que deveria ser. A cidade grande e seus sonhos americanizados, os valores do passado deixados de lado, o glamour das passarelas da moda fashion.
7. E hoje  na idade adulta vimos uma era pós moderna construindo muros em vez de pontes, muitas pontes que nos levariam ao calor humano, a compreensão, ao respeito à mãe natureza, em última análise uma grande ponte que propiciaria nos ligar ao melhor de todos os amigos, filho da melhor de todas as mães...
8. E o patamar correto não fora atingido consequentemente, e náufragos seremos se em conjunto não tivermos esta visão empírica universal. Infere-se que a humanidade deverá passar consciente e livre por uma grande provação integral,  que não ficará a cargo do instagram, e sim pela ótica do Criador.
9.  Passados mais de dois mil anos da era cristã, vemos que através do modo pelo qual a redenção se deu na trágica sexta feira da paixão, a próxima era terá antes que subir ao calvário com sua cruz e deixar-se crucificar entre malfeitores e ladrões arrependidos para depois proximamente usufruir da luz da renovação salvífica. 
10. Após a jornada tenebrosa da época atual virá a renovação espiritual e material do planeta e seus habitantes, aliás ambos urgem de uma purificação especial pois a desproporção anímica em curso tornou-se perversa de uma maldade que beira à loucura bafejada por anjos decaídos, inimigos nº hum do bem e da verdade. 
11. E tudo leva a crer que o momento não está distante, um momento triste sim, mas necessário para o grande processo de desintoxicação geral. Não se assuste irmã dileta pois na sequencia salvadora virá um imenso banho de luz diáfana capaz de per si endireitar este mundo 'sabido', esvoaçante de tecnologia mas carente de fé e temor salutares.

12. O que e quem ficar poderá entoar um Te Deus laudamus ao Criador e começar uma nova vida, um novo tudo. Ah! o momento disto acontecer cabe ao Grande Professor alado, que ao seu dispor tem asas arcanas e inspiração de sobra para restaurar esta pintura borrada que somos nós, delinear o contorno de um brilho totalmente novo e devolver-nos a tal felicidade ancha de montão.

13. Será pelo sofrimento ou não! Importa agora carregar os feixes dos bons sentimentos e esperar, esperar na esperança certa o dia bendito em que a Rosa Mística e seus anjos servidores farão a colheita primeira.

Helder Tadeu Chaia Alvim