segunda-feira, 12 de maio de 2014

visões de Isaías profeta...

visões de Isaías profeta
1. O profeta Isaias  parece querer fazer alusão ao mundo bom das certezas empíricas quando se refere nas suas palavras a um tempo incomum que surgirá na terra, um tempo atípico e salutar bem diferente deste momento pesado e carregado de maldades e descaminhos, onde  a cada hora surgem noticias tristes e ações horrorosas do ser humano que nos perguntamos porque  o sal perdeu seu sabor? Porque a natureza não traga em seu seio estes e estas malevolentes? Porque tanta trama e desolação?
2. Vamos cotejar Isaías profeta e saber dele o que pensa: '- ... pois eu mesmo vou criar novos céus e uma nova terra, o passado já não será lembrado, já não mais volverá ao espírito, mas será experimentado a alegria e a felicidade eterna daquilo que vou criar;
3.Jerusalém me alegrará, e meu povo se rejubilará, doravante já não se ouvirá ai, o ruído de soluços, nem gritos.
4. Antes mesmo que me chamem, eu lhes responderei; estarão ainda falando e já serão atendidos. O lobo e o cordeiro pastarão juntos, o leão qual o boi se alimentará de palha e a serpente comerá terra, nenhum mal ou desordem algum serão cometidos em todo o seu monte santo, diz o Senhor.'( Is. cap 65, vers. 17-18-19-24-55).
5. '... não se ouvirá falar mais de violência em tua terra, nem de devastação e de ruínas em teu território...
6.... Chamará tuas muralhas: salvação, tuas portas: glória, não terá mais necessidade de sol para iluminar; permanentemente terá por luz o Senhor e teu Deus por resplendor...
7... Teu sol não mais se deitará; e tua lua não terá mais declínio, porque terás constantemente o Senhor por luz, e teus dias de luto estarão acabados...
8... teu povo será um povo de justos que possuirão a terra para sempre; serão uma planta cultivada pelo Senhor, obra de suas mãos destinada à sua glória...
9. Do menor nascerá toda uma tribo, e do mínimo uma nação poderosa: sou eu, o Senhor, e em tempo oportuno realizarei estas coisas!'( Is. cap 60, vers. 18 a 22)
10. Assim seja! Amém!
Helder Tadeu Chaia Alvim
Postar um comentário