terça-feira, 31 de outubro de 2017

power struggle


A evolução do poder
1.        Não é de hoje que o tema ocupa um lugar central na mesa da humanidade, e houveram tantos e tantas lentes no assunto que suas teses locupletaram estantes e mais estantes ao longo da história, e continuam a ilustrar o tema.Celeumas à parte hoje em dia poderia se encher os espaços da mídia virtual e escrita quase ao infinito. afinal, o que vai mal no mundo”?  Indaga e responde Chesterton em seu inconfundível estilo intuitivo e penetrante: - “eu mesmo!”
2.        Poder, mando, liderança, influencias permearam a vida na terra dos homens desde priscas eras, vão mudando de mãos, formato, situação geográfica, histórica e econômica de cada região, continente ou povo. Mas se nos detivermos a reflexionar sobre, veremos que em sua linha condutora, tudo é a mesma coisa: eu mando, decido, legislo, ordeno, se precisar com o uso de força, e você obedece, e se não questionar é melhor! E e e e e e e ! ! ! ! ! !   Eu idealizo utopias, manobro a opinião alheia, engabelo, e direciono ações concretas ao fim proposto, de vez em quando elimino desafetos, faço alianças espúrias, e no escopo de minhas razões sempre justifico os meios utilizados.
3.        Assim foi, acho eu, assim é tenho certeza, e assim não será indefinidamente. Não pode ser que o Grande Ordenador Divino vai permitir estragarem na totalidade  sua obra de perfeição intitulada terra dos homens. Mas por enquanto ainda não se tem sinal das revoadas arcanas que irão restaurar tudo e todos no amplexo universal do mundo bom das certas certezas empíricas. Até lá o que temos para hoje é essa desagregação sistemática da alma humana.
4.        No antigo testamento as ordenações divinas visavam organizar o povo eleito em tribos e a orientação ficava a cargo dos patriarcas, os reis Salomão e David são estes arquetípicos de soberanos justos e bondosos. A inspiração do alto vinha dos profetas, canais diretos entre os Hebreus e Deus. Jonas, Isaias, Jeremias, Ezequiel, Daniel, Oséias, Amós, Miqueias, Habacuc, Ageu, Naum, Baruc, Joel,  Sofonias, Zacarias, Abdias, Josué, Samuel, Esdras, Neemias, Tobias, Judite e Ester, Jó, Malaquias, e Macabeus, Elias e Henoc, entre tantos , pontuaram a vontade de Javé a respeito das ações e intenções de seu povo, de suas relações inter pessoais e coletivas. Outros povos também tiveram seus reis, uns cruéis, outros equitativos e inteligentes. Alexandre, o grande e Ciro deram exemplos de uma psicologia profunda, de uma visão extensa e de uma bravura sem limites. Apesar de não terem a iluminação do Altíssimo Senhor, eles seguiram suas consciências e a lei natural em prol de seus reino e súditos, e fizeram história na era antiga de uma maneira surpreendente.
5.        No alvorescer da era cristã, deparamo-nos com eles, sempre ciosos de seus cargos, e endeusados em si mesmos. Na altiva roma dos césares, Poncio Pilatos e Herodes Tetrarca da Galileia, encarnam a percussão dúbia e cruel da ambição que fará uso sistemático de suas sandálias e elmos em nome da pax romana. E o fio condutor da história assistirá ao longo de sua evolução a mesma trajetória de milhares deles até tocar em nossa era afônica e escatalógica, sem precedentes na memória dos tempos.
6.        Mas, tanto Pilatos e Herodes, e posteriormente os Imperadores Romanos sentirão uma ponta de inveja do Justo Jesus, o Deus humanado, e ao se defrontarem com Ele e seus seguidores, a pretexto de aplacar suas consciências perversas, buscarão a “ verdade”, o que não ocorrerá de fato. E conluiados com a autoridade religiosa dos Fariseus culminarão com a sangrenta crucifixão de Cristo, e depois com as dez   tremendas perseguições nos séculos adiante.
7.        Eles não imaginavam que estavam diante da realização do mistério da Redenção Humana prevista pelas profecias,  e que estava alvorecendo um novo tempo de perdão e bondade infinitas, que à partir do gólgota salvifico iniciara-se  a parusia do mundo bom que duraria até ao cair da ultima folha seca na consumação dos séculos. E que suas demonstrações de força de nada valeriam contra o Autor da criação e por extensão a todos aquele e aquelas que acreditassem e estivessem incondicionalmete sempre unidos a Pedro e a seus sucessores na profissão perene ao ‘ Cristo o filho do Deus Vivo” Seria questão de tempo, um tempo que já duram mais de dois milênios até que a suave vontade do Cordeiro e Pastor universal seja feita plenamente na terra dos homens.
8.        A nova organização da sociedade, deixou bem claro Jesus em suas predicas as margens do mar de Tiberiades, seria baseada no amor, paz, concórdia, doação e no exercício do bem comum maior. Restaurou com os sacramentos de sua Igreja o elo perdido dos profetas, e abriu a possibilidade de ingresso no reino do outro mundo, aquele que nem as traças, muito menos os ladrões e potentados roubarão para si.
9.        Vivemos minha gente em um tempo desagregado ao extremo do extremo , ninguém em sã lucidez ousa negar, direitos divinos e a dignidade humana dos povos conspurcada. E em pensar que o Criador da vida encheu de cores e enzimas, de sementes e paisagens a terra inteira, e dela fizeram um palco de horrores e mal querença. No entanto a consciência histórica dos povos e nações, que se encontra adormecida, quando despertar vai estar com fome e sede de justiça , então se dará o grande reencontro de Criador e criatura, terão muito o que conversar... Muitas decisões a tomar, muita saudade a reviver, e um pedido formal de perdão universal das criaturas ao criador. E a firme decisão coletiva de viver no bem comum, e fazer da sua terra uma antecâmara do paraíso. O pesadelo de uma noite eterna está reservado aqueles e aquelas que feriram a Deus na pessoa de seus filhos e filhas... E devastaram o planeta terra, e o deixaram irreconhecível de sua obra primeva, e privaram dele o direito sagrado de sua sustentabilidade. Não se trata de figura de linguagem, mas a cristalina verdade que sobeja das palavras de um Deus: ‘’’’’’- “ o céu e  terra passarão mas as minha palavra” de justiça, paz, concordia e bem comum não passará!

Chaia Alvim Helder

quarta-feira, 18 de outubro de 2017

o gigante, esse desconhecido

O gigante, esse desconhecido
1.                   O Sonho do gigante assusta aos desavisados de sua essência de brasilidade, ao desconhecer suas origens desconhecem o quanto alto sonhou, o quanto sua gente desenvolveu em sua personalidade própria a intuição, o quanto limou sua consciência nesses quinhentos anos de sua história. É todo um conjunto de ações, convicções, fé e destemor aqui praticadas neste solo de mil canções. Geração após geração o povo continuou cultivando em sua alma valores de ética e bem querença. Espalhados que são num país continente, dotado de uma natureza exuberante, de cidades, campos e sertão coligados em torno da bandeira pátria.
2.                 Houveram discrepâncias no meio do caminho, quase sempre mal representados, esta representação arrumou um jeito de driblar a tudo e a todos em proveito próprio e desembocou na situação atual tremenda e sistêmica que o a má conduta parece premiada, e o bem obliterado às canções de um povo sonhador e hospitaleiro. Mas no peito que cada habitante honesto pulsa um coração plugado no bem comum maior de sua pátria, e o senso critico parece aparecer no imenso coletivo desta raça forte e varonil.
3.                 Este povo bem sabe que o futuro não será o que vai acontecer, mas o que ele vai fazer. Ele ente que a vida brasileira no contexto atual da globalização ainda está boa, fugaz em sua totalidade, pegadas que o tempo apaga mas sua memória cívica não esquece jamais. Ele tem uma espécie de crença boa que esta corrupção vai passar, assim que como os ventos lá no sertão iluminado passou e passa há gerações.
4.                 Existe em seu coração a  certeza empírica que o Brasil está mudando para melhor, e apesar dos pesares ele tem força e decisão suficientes para encontrar a trilha perdida intencionalmente pelos aproveitadores dos votos  de um povo um tanto confiante demais em suas lideranças. E o gigante a cada dia que amanhece adiciona em seu mar de preocupações as aguas boas da esperança em dias melhores para sua prole.
5.                 Ademais se o  tema é denso, o pendulo que equilibra seu bom senso é do tamanho de sua extensão territorial, e cristalino com suas aguas, e maior que ideologias liliputianas, ah se o é! Apesar da brasilidade ter-se esboroado em seu horizonte ele num esforço homérico as está juntando com o auxilio de seus filhos e filhas sensatos para devolver á sua gravura original o brilho que sempre idealizou.
6.                  Apesar desta crise maldita de carácter de muitos de seus mandatários, crise sorrateira e eivada de corrupção, crise que depenou o erário publico com fome de mil dragões dos infernos, crise proposital que aliterou a mania de levar vantagem á custa do dinheiro publico. Pois bem esta situação anômala requer  das consciências retas uma vigilância sem igual, uma ação conjunta nacional para barrar as más ações e construir um novo tempo de paz, harmonia social, abastança financeira, concórdia e crescimento sustentável para todos sem distinção.
7.                 Volto a frisar que a consciência do gigante chamado brazil sempre esteve ao longo de sua historia a serviço da ética e justiça, cabe ao povo brasileiro, beneficiário direto destes valores pátrios, discernimento e a força de uma ação prática para que vinguem em seu solo os desígnios sagrados a realizar, as discrepâncias politicas e sócias a corrigir. Todos nós devemos isto a ele. E o mecanismo constitucional ao nosso alcance é o voto soberano das urnas no ano vindouro de 2018. A não ser assim poderemos voltar a dormir um sono de pesadelo, pois não acreditamos deveras em nossa grandeza pátria,e melhor seria que não houvéssemos nascido.
Chaia Alvim Helder
Festa de São Lucas,

O medico da medicina divina.

domingo, 15 de outubro de 2017

I´ m afraid we´ve awoken a needy giant

I`m afraid we´ve awoken a needy giant
A sina do gigante carente
1.                 Esses versos mimados, escritos despretensiosamente ao amanhecer, tentarão quase em vão dizer o que vai no coração do gigante, e se porventura esta tinta azul plasmar no papel algo bom, agradeço de antemão à bendita inspiração, sua volta em revoltos traços, quiçá alados, alegrará este coração de poeta das esquinas intuitivas, anoitecidas no afã do mundo bom das certas certezas empíricas, a você que ora  se detém a lê-los minha extensa gratidão e consideração sem fim...
2.                Você mesmo que acompanha esta elaboração, que possui em alto grau o senso comum das coisas ao seu redor, que olha apreensivo o horizonte da pátria amada, que espontânea e naturalmente conhece a realidade que nos acerca, a politica domestica com seus dentes afiados e consciência laxa, e se pergunta o que será do Brazil?
3.                O lamento, a frustração, a decepção tornaram-se o coro de mais de duzentos e sete milhões de irmãs e irmãos nossos espalhados pelo nosso pais continente. E com razão pois a toda a hora há quems desmintam a constituição federativa, neguem o obvio e açambarcam o estado de direito em uma leitura no mínimo absurda da realidade que nos acerca e parece não querer deixar as gentes progredir, ir e vir na livre expressão de sua intuição da brasilidade.
4.               Mas, mas... o gigante carrega consigo reservas de generosidade e heroísmo e de uma hora para outra vai soltar um grito de bem comum que exorcizara esta era afônica para o quinto dos infernos, se vai hein! Ele, o gigante pela própria natureza vai areunir os seus filhas e filhas no anverso desta hora triste e medonha, e vai gotejar sobre a Mãe Pátria uma revoada de esperança pratica e categórica contra os mal feitos da politica mal intencionada.
5.                O Brasil está faltoso de estadistas, lentes do saber, mestres da cultura, lideres autênticos que representem de fato e de direito o anseio da maioria. Sem menosprezar outrem, a meu ver eles existem, mas deveriam se posicionar á altura da tremenda situação e fazer valer dentro da lei e da ordem os princípios magnos da constituição sem privilegiar ninguém, o certo deveria ser certo, e quems ou qualis tenha claudicado a força da lei neles sem dó ou piedade.
6.                A par do enorme esforço do Ministerio Publico e da Policia Federal, precisa mais, ou seja a unicidade em torno do bem maior de todos, e cessar de vez  esta mania de defender o indefensável, tenham paciência, que a do povo brasileiro já se esgotara há tempo. A ausência de etica nas ações de muitos parlamentares tornou-se patente, para não dizer gritante. Como conseguem conviver com suas consciências não sabemos, O fato é que construiram suas verdades e elas  passam bem distante do Brasil ideal, do justo e reto caminho da reconstrução nacional.
7.               A não ser assim, dizem as ruas soberanas, gritam o senso comum e o instinto intuitivo do povo brasileiro, nos sentiremos órfãos, náufragos, insones, desesperançados ao extremo. Enquanto uns outros, detentores de mandatos, muitas das vezes, usurpando a dignidade cívica e moral da pátria de todos. A sensação adversa começa a tomar corpo, a comoção social se avizinha solerte. Aprendi na vida que a sorte de um amigo não pode estranhar a outrem, mas a sua desgraça sim! O amigo gigante padece de um doença quase incurável em suas entranhas, e uma boa dose de senso comum salutar irá curá-lo plenamente. Quem poderia ministra-lhe a dose correta do antídoto? Após o que ele vai se levantar do seu leito de morte e sorrir um riso solto de liberdade, e vai aflorar novamente em sua face as cores vivas da brasilidade.

Chaia Alvim Helder

domingo, 8 de outubro de 2017

AND THE COMMOTION IN JANAUBA - BRAZIL

The visceral emotion in Janaúba – Brazil
1.         Amanhecia mais um dia no semi árido brasileiros, e Janaúba cidade simpática do norte de Minas Gerais, saudava aquela manhã igual a todas as outras sem saber sequer que a maldade rondava sua inocência, que um celerado covarde acordou para perpetrar uma ação inominável justamente contra indefesas e alegres crianças de sua Creche Escola Gente Inocente.
2.       A tragédia só não foi maior porque a heroica profª Helley Batista se interpôs bravamente, e mesmo em chamas não regateara um esforço incomum lutando contra o invasor,  sendo vitimada com quase dez crianças, e hoje descansa na luz eterna em companhia justamente de seus alunos mimados e queridos por ela.
3.       O que moveu o vigia a tal ato vil e covarde? Porque este individuo teve acesso a escola, uma vez que se encontrava afastado por motivos ainda a serem esclarecidos? Faltou vigilância aos órgãos de fiscalização? Tudo a esclarecer mas nada disso vai trazer de volta à Janaúba e suas famílias enlutadas o sorriso, a algazarra desta turminha inocente que precocemente fora  alvo da brutalidade de um perverso ser, que melhor seria que não houvesse nascido!
4.       O Brazil e o mundo se comoveram visceralmente com o acontecido, se solidarizaram com Janaúba e sua gente ferida de morte por este  herodes da crueldade , um covarde, monstro sem nome. Resta nos a dor, somente a dor velada e pungente e a certeza que professora e aluninhos vitimados encontraram no céu o aconchego da Mãe de Deus, dos Anjos e Santos. Tornaram se estrelas de luz para a sua família, somente isto que sei dizer. Meus Deus!!!!!!
Chaia Alvim Helder