sexta-feira, 28 de dezembro de 2012

fade e fauces.

1. '... O mundo a arrebata ( a calma ) ao passar e a este se amolda.' Santo Agostinho. Ah! o mundo, sempre o mundo visível com suas leis e proporções que ao abandonar a alma vive na busca gradual e  estonteante da imagem e do som para encher a sua  vista e ouvir o que ele quer ouvir e através do movimento esvaziado do transcendental constrói seus e nossos castelos de areia que ao menor sopro da garganta do mal é pulverizado em fragmentos difíceis de reconhecer...

2. O verdadeiro sentido da existência passa longe de sua porta, pois a ciência a grande responsável pela chave dos mistérios deixa-se manipular por pseudos investigadores, ensaístas especializados em fazer desaparecer a mão do Criador e suas evidências.

3. Seria tão simples revelar toda a extensão da verdade criadora e suas intrincadas e sábias leis. E num piscar de olhos exclamar: oh! Deus, sabedoria incriada, sua mão modelou do barro o homem , infundiu-lhe espírito, vontade e sensibilidade e quisera para ele in fieri o paraíso de delícias ao lado de sua companheira formada da costela de sua compleição.

4. A seu fiat apareceu astros, ventos, sóis e outros corpos celestes, a seu aceno a terra cobriu-se de vegetação, formou-se rios, montanhas e vales. No seu impulso a água separou-se da mesma terra e seu espírito iluminou todas as coisas.

5. Seu sorriso, oh! Deus revestiu o universo de segredos e belezas e deu ao homem in principio a inteligência  para dominar tudo na ordem que dispôs ao seu redor. Deu a ele a ciência infusa, a sabedoria, a bondade e a inocência primeva.

6. Não contente deu ao átomo o impulso, ao ar o poder de vida, as pedras a solidez, ao camelo a robustez, ao ser humano o pensamento, o sono, o sonho no repouso, a ousadia de construir o mundo bom das certezas empíricas, ao movimento a ausência de monotonia, as manhãs a graça e leveza da louçania, as tardes ensolaradas uma espécie de nostalgia para desejar o céu feliz da perenidade.

7. Infundiu nele as deliberações de sua mente criativa, as razões de sua existência, os desejos puros, as aspirações de uma realidade  perfeita e sem mancha alguma. A tudo, Deus criou e mantém na sua ordenação perfeita, o único que irá destoar, como veremos mais na frente, é o homem, criado à sua imagem e semelhança que vai claudicar, borrar esta mesma imagem e espalhará a tinta medonha do orgulho a sua volta.

8. É, foi assim desde o começo do mundo que 'o grande motor imóvel' ordenou aos caos que se afastasse e o mundo espelhasse a ordem da etérea felicidade. Traçou no coração do homem a ansiedade, fé-lo buscar nas nuvens seus sonhos, na terra sua morada passageira.Eis o plano da criação esboçado em traços gerais, visto agrada, e expõe a genialidade de quem sabia o que fazia e não poupou detalhes, não esqueceu os entalhes de sua precisão de cores, vida e profusão de tons maravilhosos.

9. Bem antes, o anjo decaiu levando consigo uma terça parte das miríades celestes. Aconteceu segundo a cronologia genesiana, a primeira e memorável  batalha da história quando o Arcanjo Miguel liderou a reação, expulsou os revoltosos para os lugares inferiores. Quebradas as ordenações, aquele que levava a luz passou a ser das trevas e do mal e os lugares vacantes seriam preenchidos pela raça da mulher bendita, a mãe do redentor: Maria Santíssima.

10. Pronto nem precisamos dizer acerca da inimizade eterna que se criou entre Ela e  a serpente; as bendições da Virgem e as maldições da boca  astuta da última. E o tempo passou, não o tempo de nossa acanhada medida terrena, mas o tempo real na mente de Deus: o tempo do merecimento!

11. Nossos primeiros pais prevaricaram ouvindo a música maviosa dos infernos e a sereia do mal os envolveu completamente propiciando-lhes a pior coisa do mundo: a expulsão imediata do paraíso de delícias.  A terra, depois da queda original começou a produzir abrolhos e espinhos e trouxe  um ar carregado da revolta, morte e  danação.

12. O Criador não esmoreceu, prometeu-lhes o Redentor e a reconquista do mundo bom. E o tempo passou, vieram as profecias, os patriarcas, o êxodo, o cativeiro da babilônia, o Egito e suas deportações, a travessia do deserto e o mar vermelho, Josué, Moisés... os Macabeus... E uma estrela brilhante apareceu aos reis magos anunciando o link fabuloso de uma Nova Era de luz para a humanidade.

13.E tudo se cumpriu, Jesus nasceu numa estrebaria por obra do Espírito Santo, uma Virgem concebeu  e gerou o Salvador, aquele Deus anunciado incessantemente e desejado ardentemente pelos profetas e patriarcas da antiga lei, que viria para ser a Grande Pedra de contradição, que iria crescer sob a tutela do justo José e na suavidade do amplexo da melhor de todas as Mães: a Santíssima Virgem Maria.

14. Sim o tempo o saudou o Anjo do Grande Conselho, o Pai dos séculos futuros; O Batista revestido do fogo precursor anunciou a nova terra às margens do lendário rio Jordão. E Ele, o Salvador, em graça e santidade pregou com amor o reino de Deus, fez milagres e prodígios que se fôssemos relatar em pormenores não acabariam mais segundo São João Evangelista.

15. E Ele foi entregue na mão dos malfeitores por aqueles que por ordem e direito deveriam revelá-lo as nações e povos da terra como o Messias prometido. Mas bafejados pelas fauces enganosas da serpente o crucificaram impiedosamente na cruz naquela sexta feira de trevas e dores ignominiosas.

16. A trama urdida nos bastidores da maldade não deu certo, a redenção se consumou, Jesus instituiu o batismo, a eucaristia, a sua Igreja a partir de Pedro. Ressuscitou ao terceiro dia vencendo a morte com uma rasteira fabulosa e abrindo de par em par as portas do céu. Assim foi e a jornada continuou facultando aos homens resgatados pelo seu sangue, a posse definitiva de seu reino sem fim...

17.- Nossa, o poeta das rimas soltas, amigo do sertão, aquele de camisa aberta ao peito, com jeito de interiorano,que atravessava as pinguelas nos aguaceiros de janeiro, que morava na casinha de pau a pique, que se admirava com as preás, que contemplava o entardecer das cigarras, a noite fechada dos vaga-lumes solidários, buscou agora  fundo a religião, soltou o verbo, alinhou versos, será que enlouqueceu? 

18.- Hum... meu amigo que me escuta atento se não fosse você não teria motivo e alento para expor sentidos sentimentos da fé que trago na origem do meu sertão iluminado, da monção sagrada que aprendi da mãe Geralda, de saudosa memória. Tudo é a mesma coisa pois está ligado à alma, e foi pois na calma deste texto despretensioso que deixei anotado o que se seguiu e que a inspiração mo permitiu.

19. A curva da história é agora, a estrada está ainda por se endireitar, o abismo, o caos moderno não conseguirão fazer sombras ao tempo soberano, pois Deus é sua claridade perene, as nuvens carregadas passarão e darão lugar a dias futuros de esperança e reconstrução, ainda neste vale que denominamos terra.

20. Temos em mente ao finalizar as palavras de Santo Agostinho: '... Tão pouco julga, o homem espiritual, os povos inquietos do mundo. De fato que julgaria ele os que estão fora, ignorando a doçura de tua graça, ó Senhor, e quem porventura permanecerá na eterna  amargura da impiedade.'

21. Amigo que considero irmão, desejo-lhe um ano bom repleto de novas cores, de muita paz, e que a poesia divina o acompanhe durante todo o percurso da travessia dos 365 dias vindouros.

Helder Tadeu Chaia Alvim

quinta-feira, 27 de dezembro de 2012

Emergindo...

1. A temática é quase infinita, as rimas precisam se desdobrar em atenção e amor para acompanhar os caminhos do Deus humanado 'por nós homens e pela nossa salvação'. O verdadeiro natal possui luz própria que não cega e nem tão pouco ofusca nossos olhos muitas vezes cansados e desesperançados. 

2. Quiseram para nós um sociedade sem coisas belas e elevadas, mas a arbitragem não conseguiu totalmente seu intento perverso, apesar de ter nas mãos as paixões humanas mal direcionadas, de quando em vez o brilho do natal emerge e aparece esparzindo uma claridade diáfana e acolhedora trazendo um quê de saudade, de um paraíso que foi perdido, depois encontrado e restaurado pelas mãos do pintor divino.

3. Visões de um poeta mínimo? Não! Revelações ocultas de uma noite insone? Também não! Segredos de algum manuscrito Celta? Desconheço! Se mereço atenção a dica está na oração perfeita, aquela que Jesus nos ensinou  na projeção de sua bondade ilimitada, aquele canto sublime entoado pelas gerações de fé ao longo da história: " Pater Noster qui es in coellis, sanctificetur nomen tuum, fiat voluntas tua sicut in coellis et in terra...' Pronto é isso que audemus dicere!

3. Jesus Cristo impressiona os estudiosos de sua vida, encanta os que acreditam em seu evangelho. Ele santificou o Batista no seio de Isabel, dando a entender a que veio, desde sua encarnação no seio de uma Virgem, de sua infância laboriosa em Nazaré, sua vida pública, milagres, ensinamentos, tudo de uma perfeição fabulosa, culminado com a redenção no gólgota salvífico.Ele enfrentou os poderosos  da época e interpôs em sua pregação o sal da terra e a luz do mundo.

4. Os caminhos tortuosos pertencem ao anjo decaído e seus comandados. O natal, a cada ano renovado, simboliza o tempo da verdade, o tempo da esperança, da paz e harmonia universais! E ademais a volta do espírito do natal está em curso para a sua realização plena.

5. Não detenho a informação de quando será, mas assimilo nesta página a intenção de Deus projetada no Pater Noster. Se enviou à terra ressequida o seu Filho muito amado, o tempo da complacência pode estar se esgotando para dar lugar à justiça que varrerá o mal. E virá no sopro da ventania angelical e alegrará as nações, cada palmo de chão, cada árvore, planta, semente, rocha, penedo, rios e mares, montanhas e planícies, florestas e cidades, animais e criaturas na dança divina de sua perfeição.

Helder Tadeu Chaia Alvim






habemus

1. Enquanto isso, nós os que vivemos de olhos abertos despertos, abrimos nossas mentes para um sonho certo, vemos com fôlego preso que a pátria amada, máxime nos grandes centros urbanos , mais propriamente em São Paulo não tem sonho para uma parcela de seu povo. E quando não se sonha mais, dentro da alma morre-se um pouco cada dia que amanhece, e cada noite que anoitece o coração aperta e chora um pranto sentido e indefinido.

2. Ah! o Brasil que exporta nióbio e estanho a dá com o pau, muitas vezes não tem ganho para seu morador de rua, ele vive sem rumo, sem banho, carente de alimentação adequada, a margem das ruas e calçadas, de olhar vago a esperar algo que não chega, a ver passar tanto progresso, cego para ele, faltoso do necessário do necessário, sua dignidade se foi, o lixo o aguarda para amealhar algumas latinhas ou algum outro material a reciclar.

3. Que papelão de uma sociedade preocupada a mais não poder com seus iPods, iPhones de última geração, que se comunica na velocidade de um raio, e passa ao largo do semelhante de fugaz destino, sem arrimo, fogão e teto aconchegante, sem companhia a não ser seu cão solidário a qualquer peço.

4. Sim, a grande e opulenta metrópole que esbanja charme nos shoppings centers, nas passarelas e ruas motorizadas com seus possantes veículos de ipis reduzidos, a grande cidade que se vê iluminada pela luz de neon e deixou-se esquecer da estrela de Belém, uma cidade imensa mobilizada em torno do dinheiro e bem estar material, que a cada dia verticaliza seu sonho concreto.

5. Que sem abrir mão de sua expansão imobiliária poderia criar condições para solucionar este quadro dramático e triste em que vive o morador de rua. Mas, mas Aquele que nasceu numa estrebaria de animais se fosse levado a sério traria a solução num piscar de olhos neste crepúsculo sombrio do ano que se finda com tantas interrogações. 

6. Afinal, não podemos esquecer "que o aniversário  é Dele e não de Thomas Edson" como lembrou alguém alhures.Tão bom seria se a grande cidade acordasse no albor de 2013 e exclamasse de verdade: 'Sursum corda, habemus ad Dominum: Corações para o alto, nós o temos no Senhor!'.


quarta-feira, 26 de dezembro de 2012

sursum corda

1. Ah! o Natal por si deve trazer fé, alegria, aconchego, paz e mudanças de rumos. 'Deus se fez homem e veio habitar entre nós', para na suavidade de seu hálito puro nos elevar à condição de herdeiros do céu.

2.Toda a atmosfera do primeiro natal da história foi tomada de júbilo, miríades de anjos desceram a terra para comemorar, pastores humildes acorreram à gruta de Bethlehem, reis misteriosos apareceram com seu séquito numeroso e todos viram um menino envolto em panos, cercado pelo carinho de sua mãe, a mãe bela de todas, a virgem Maria e pela guarda de seu pai adotivo, o justo José.

3. É foi desta maneira, da maneira mais humana e singela que podíamos imaginar. Jesus não quis nascer em algum palácio ou rica propriedade. Nasceu na gruta do seu ancestral David na calma daquela noite abençoada em que anjos cantaram a mais bela de todas as canções: 'Glória a Deus nas alturas e paz na terra aos homens de boa vontade."

4.Ele, o príncipe dos séculos, o Deus humanado, se alimentou do leite de uma virgem e nos convida a um movimento de alma contrário ao tempo atual, da correria insana às compras, aos presentes e comelanças tão em voga neste período.

5. Nada disso vai completar o anseio que ele depositou no coração do homem, uma inquietude que o conduz a se tornar melhor, a respeitar a si mesmo e ao próximo, a natureza e tudo e todos ao seu redor.

6. A história humana gravita em torno deste mistério e não será diferente, quem possui a chave da vida, dos acontecimentos nasceu humilde, viveu obediente, fugiu para o Egito, pregou, fez milagres, foi pregado numa cruz, e... e ressuscitou!

7.Este arremedo atual de seu nascimento com luzes de neon, papai noel comercial,não tem nada a ver com a essência do verdadeiro Natal. Quando raiou o dia prometido e anunciado pelos profetas ele veio, uma estrela de sumido brilho foi vista no longínquo Oriente e afugentou as trevas. O Natal enlaçou o mundo na justiça e solidariedade, fez iguais escravos e livres, homem e mulher e devolveu à condição humana a dignidade própria de sua raça.

8. Então infere-se que o mundo bom não é outra coisa senão um volta da humanidade à manjedoura. Tem a manha de entender, amigo que lê bondosamente estes traços rápidos de um poeta cantador. O parecer do natal é pelo principal, pois os acréscimos financeiros  a gente já corre atrás o ano inteiro. Sursum Corda! Corações ao altO, canta a liturgia da missa todos os dias...

Helder Tadeu Chaia Alvim

quarta-feira, 19 de dezembro de 2012

A face do mal na cidade de Newton...

1. Cada tempo tem seu Adam, de carácter frio, calculista, fechado em si mesmo,que  forja para si um mundo sombrio,doentio; assassino em potencial, após deliberação e preparação sai para matar e destruir tudo ao seu redor.

2. Gosta de jogar uma espécie de game dos infernos, escolhe seu alvo, ajunta sua munição e plaft, plaft, plaft.É um covarde excêntrico, em vida percorre a região das sombras, sem face encarna o mal e se transforma num destruidor. Procura o alvo fácil em escolas, atira contra jovenzitos indefesos.

3. A inocência o incomoda, a felicidade de outrem não suporta, e transtornado lança mão do projetil para destruir os sonhos que ele nunca sonhou.A simbiose social o acabrunha de tal maneira que se fecha à toda  possibilidade de convívio.

4. Um tempo que desenvolveu ao extremo a fibra ótica, que manuseou o neutrino, que focou o absurdo, não aqueceu a alma e propiciou o surgimento destes monstros da insanidade mental. 

5. O perfil de Adam não é exclusivo da América, ele aparece aqui e acolá trazendo em sua mão a destruição do semelhante. Ele não mede forças com um inimigo de igual para igual. Na sua aparente fôrça carrega o medo,se emerge das sombras é somente  para matar.

6. A luz dos olhos bons o ofusca de tal modo que quanto mais jovem for mais cedo dá cabo da vida de outros e de si mesmo. Foi o que ocorreu recentemente em Newton e que sangrou o coração da América e o nosso.

7.Não há mais o que falar... Enquanto os santos inocentes descem à sepultura pela sanha maldita deste novo Herodes moderno, um véu espesso de tristeza e dor cobre o rosto dos que sobreviveram...

8. Há sim muito o que rezar em união com todas as famílias enlutadas de Newton, máxime quando a manjedoura transborda seus primeiros raios de cristal: 'Pater noster qui es in coellis, sanctificetur nomem tuum... Et ne nos inducas in tentationem, sed libera nos a malo. Amen'

Helder Tadeu Chaia Alvim

quarta-feira, 12 de dezembro de 2012

audemus dicere...

1. Dezenove não é vinte... Faltou este ano algo de imprescindível e um tom  homogêneo no que tange à decoração natalina na avenida mais paulista de todas.A meu ver isto se daria se tivesse a cargo de projetistas sensíveis ao espírito do natal que adequassem o ter ao ser. A quantidade enorme de luzes neonizadas e justapostas aleatoriamente carregaram em muito o ambiente e ofuscaram a beleza intrínseca da maior data da cristandade.

2. A ornamentação no seu conjunto não agradou aos olhos e fugiu do conceito tomista 'quod visum placet', e o motivo  intimista reflexivo não apareceu. Afinal não se pode esquecer que o aniversário é de Jesus Cristo, o Deus humanado, que veio a esta terra encarnando no seio de uma virgem , cumulada de graças na sua concepção, preservada da mancha original, sempre virgem por obra do Espírito Santo.

3. O mais belo gesto da história foi movido por amor, um gesto que assumiu a natureza frágil para a elevar e realizar a redenção salvífica da humanidade. O primeiro natal foi cercado de mistério, luz e cores de uma intensidade maravilhosa que seria difícil descrever em letras e ornamentos, foi rodeado de sinfonia angelicais, do ósculo da mais pura de todas as mães, dos cuidados de um descendente direto da casa de David, o justo José, pela presença de humildes pastores, dos animais de candura, e de sábios e contemplativos reis magos.

4. Desta irradiação saíram os primeiros lampejos de uma era nova, da melhor notícia que se pode imaginar.Respingou na terra ressequida e cheia de maldades melodias celestiais que inundaram a atmosfera inteira de gozo e alegria espirituais, simbolizadas pela estrela de belém, alumiando os vales e montanhas da Judeia.

5. Voltando ao assunto, na avenida paulista entre tons, luzes, do concreto ao abstrato faltou muito.A Fiesp surpreendeu com sua decoração de arte lediana,  mesmo dissociada do tema em  questão o que agradou em muito caindo no gosto do publico. A originalidade e criatividade do tema compensa você se dispor a ver e ir lá admirar os efeitos especiais.

6. O mais foram projeções de neon contribuindo para dar um ar de parque de diversão sem lastro no verdadeiro sentido do calendário cristão. Tem-se a impressão que tudo leva a um distanciamento categórico e planejado para esvaziar no coração do paulistano o pouco que resta de tradição natalina. Sem falar que o comércio encampa, midianiza um acontecimento celebrado ininterruptamente ao longo de dois milênios e que hoje infelizmente não encontra mais ressonância  na era robótica dos nióbios quânticos.

7.Olhem as idéias do romano imperador Julio Cézar, desejoso de saber quantos estavam sob seu jugo ou para auferir mais impostos para sua decadente nação decretou este recenseamento.Na Síria ficou a cargo do governador Publio Sulpício Quirino,tetrarca da  Ludaea, cioso de seu cargo organizou este tal censo.


8. Nazaré, distante e desconhecida do poder central de Roma altiva, também estava sob o mando da pax aquilla e Jesus, José e Maria  seguiram  para Belém, jurisdição a que estavam inscritos.Não passariam mais de quatro séculos o voo da altiva seria interrompido e abatido pelos caçadores vorazes chamados bárbaros.E o nazareno iria se perpetuar nas promessas ao grande pescador...

9. O império dos deuses declinou por volta do ano 476 d.C a nau de Pedro bafejada pelo sopro do Espírito Santo continuou sua trajetória rumo a pátria celeste sob a proteção de Santa Maria,'omnium plena celesti gratiae', genitora e formadora em seu puríssimo seio de um Deus.

10. Cristo Jesus apareceu como um pontífice para propiciar a todos os bens futuros, 'entrou no tabernáculo mais excelente e perfeito, não construído por mãos humanas, adquirindo-nos uma redenção eterna'( Hebreus 9,12). Um tabernáculo revestido de tanta beleza e pureza que o próprio Deus outorgou. Ela,  Stella Maris no natal deu a luz ao verbo divino sem perder a sua integridade perfeita.Mais bela que lua, mais brilhante que o sol, a mãe solícita cumulada de tantas graças tornou-se a mãe de Deus...

11.Outros vieram, uns mais outros menos deixaram se envolver pelas influências da janua coellis e a sagrada manjedoura tornou-se um referencial de entusiasmo sem igual. O grande império tornou com Teodósio I o cristianismo a religião oficial, às 10 perseguições sucederam conversões e mais conversões.

12. Vieram ilustrar o rebanho, Clóvis, Carlos Magno e uma plêiade  de homens e mulheres ao longo das gerações que a partir da luz de um berço pobre, aparentemente sem futuro, nasceu dali a esperança do mundo e um sólido arrimo das almas.

13. Outros e outros fecharam as portas à evidência da fé e foram se perdendo em teorias vãs e práticas deletérias. Tocamos assim na fímbria da era robótica, sofisticada, mobilidadeada ao extremo  e em ascensão quase definitiva no convívio atual. Tudo é rede, tudo é sistema, nada é alma, nada é calma, parece real mas é sim, virtual.

14. E analisando o movimento a gente percebe que a lição da manjedoura ainda está por fazer, o ano letivo de Deus não encerrou sua adoção e a sabatina está por vir e a correção na sequência se fará para depois virem as almejadas e merecidas férias.

15. E a humanidade depois desses dias de turbulência descansará à sombra da cruz, realizará coisas impressionantes que deixarão estas brincadeiras dos neutrinos e átomos enriquecidos no chinelo porque estes impulsos virão da alma,que é imortal e está destinada à morada do meio dia onde o Sol de Justiça nunca se põe. 

Helder Tadeu Chaia Alvim
Texto em cnstrução















segunda-feira, 10 de dezembro de 2012

ao poeta das curvas...

1. 'Somos o que pensamos...' 'O tempo leva tudo o que pensamos ter, mas o que somos de verdade, bem lá no fundo do coração vai permanecer e todos vão lembrar.' Aline Ladvocat. E o Brasil segue a sua trajetória internacional atraindo os olhares, outrora não focados em nosso chão doméstico. O Twitter abriu recentemente um escritório em São Paulo projetando negócios importantes para milhões de seus usuários brasileiros que acessam seu microblog na velocidade 'worldwide' dos bites 'trending topics' dos sms/rss/softwares de alta e precisa configuração.

2. Éramos o que pensávamos ser, pois depois do advento da internet móvel não está ficando pedra sobre pedra e a pan globalização e iminente e irreversível para alegria de muitos e tristeza de alguns. Considerando que o tempo do tempo não avalizou a teoria do fim do mundo para 21/12/2012, vamos continuar pregando prego, faltoso de estopa no mural bar zileiro que 'inliás' está melhorando a olhos vistos sua performance da não corrupção governativa. 

3. E o arquiteto Oscar Ribeiro de Almeida de Niemeyer Soares faleceu esta semana aos 104 anos legando aos seus compatriotas mais de 100 obras concluídas e outro tanto projetadas. De invejável currículo profissional, respeitado no Brasil e lá fora tornou-se o ícone da arquitetura brasileira e de reconhecimento internacional.

4. Tinha livre trânsito nos governos e nações, deixou sua marca inconteste no Brasil, EUA, Argélia, Itália, Portugal, Inglaterra entre outros, que seria longo enumerar. Em Brasilia encontramos sua menina dos olhos nas colunas do palácio do planalto, em São Paulo o edifício Copan... e na América do Norte a  sede da Onu em Nova Iorque.

5. Eis o "arquiteto da invenção" como costumava se auto definir, ' o homem da prancheta, do texto explicativo', 'o homem das curvas livres e sensuais'. Niemeyer,  de  carácter  científico,  racional,  humano, ouçamos : 'gosto de ficar  sozinho, a pensar na vida, neste universo imenso que nos encanta e humilha. De sentir a fragilidade das coisas e a nossa própria insignificância.' 

6.'Somos o que pensamos...'  Ele, a seu modo pensou a política, a miséria e se definiu como comunista e avesso à globalização. Apesar de ser substancialmente contrário à sua posição doutrinária, tenho que concordar e admirar a coerência de seu pensamento e sua vida de ação que plasmava em suas obras a sua versão de mundo material.

7. O brasil perdeu o expoente máximo da arquitetura moderna, o Rio de Janeiro seu fã, São Paulo, sua coluna, Minas seu xodó, a família a sua convivência e calor sem igual. Ao partir Oscar Niemeyer deixou após si  uma existência longeva, lúcida e coerente com seu pensar resta-lhe agora em outras dimensões o encontro com o Grande Arquiteto do Universo e suas projeções incomensuráveis.

8. Oscar Niemeyer, em vida caiu no gosto de sua geração e na arte que saiu de sua mãos 'desembaraçadas' plasmou idéias concretas que marcaram sua vida política, intelectual, familiar e humanista.Construiu Igrejas que sem olvidar seu mérito criador, remeteu-as à cidade dos homens e as isentou de sacralidade.

9. Dotado de virtudes naturais as desenvolveu vitoriosamente e colheu em vida os aplausos merecidos e quando a ampulheta do tempo soou para ele a inexorável hora ninguém pode tirar-lhe os méritos , nem ofuscar sua personalidade. Veio, realizou e partiu tão a seu gosto: ' um ser humano que atravessa a vida,.. que é um sopro.' 

10. Enfim, buscou a razão pela razão, tocou o coração e dele hoje recebeu ao partir universais óscares de justo reconhecimento: ' leves como penas pousando no chão' Ao poeta que fazia do 'hoje o passado de amanhã', a Oscar Niemeyer dedico estas linhas dizendo: 'requiescant in pace' em suas abstrações, enquanto nós por enquanto vamos palmilhando este mundo visível e admirando suas criações.

Helder Tadeu Chaia Alvim





quarta-feira, 5 de dezembro de 2012

na era do toque visual

1.Décio Pignatari se foi, partiu deixando a cidade de São Paulo  sem a presença de um gênio acessível e disposto a ouvir, que transitava por sobre as várias tendências culturais sem perder sua essência própria. Partiu deixando a cidade de São Paulo, sua família, amigos e admiradores esparsos pelo mundo afora, órfãos de sua pessoa e poesia concreta. 

2.Ele melhor que ninguém soube aproximar a poesia da arte visual. Adeus grande poeta e ensaísta, você passou da fugacidade à visão empírica da realidade, das incertezas à definição plena da poiésis que tanto amava, que tanto respeitou e fez respeitar, que tanto admirou e fez admirar.

3. Mais um natal chega, ambientado por tantos desencontros mundiais, tanta tristeza acortinada pela maldade e insensatez sem noção da época atual de tanta conquista científica, de tanto conhecimento emproado em que vemos valores do passado esquecidos, descartados, deixados de lado. Mais um natal transcorrerá sem a presença meiga da saudosa mãe Geralda, com meus irmãos distantes, mas pertinho do meu coração fraterno... 

4. Mais um natal se aproxima em meio às novidades tecnológicas pululando nas mãos das grandes feras, expoentes máximos da era da alta resolução. De um lado  a data magna da cristandade se pulveriza na corrida às compras, em meio às inovações personalizadas sensíveis ao toque do consumidor que deixarão o papai noel e nós boquiabertos.

5. Aliás, o bom velhinho estará quase sem ocupação, não há mister mais de arriar suas renas, abastecer seu trenó de presentes e se abalar do ' paulo norte ', e encetar sua longa viagem tinida. Para que ele viria? Afinal não tem mais sonhos  nas cabeças dos pequeninos, à magia deu lugar a realidade virtual dos games sem fim, dos ' Ipads, dos Nooks HDs e Windows Phone B'. Acabou, seu moço a emoção, a fantasia gostosa, a inocência dos folguedos em torno da árvore de natal. A meninada está plugada na proximidade virtual de última geração.

6. Acabou igualmente a lareira, sininhos e as chaminés iluminadas, a meia não está mais dependurada na porta do quarto, pois não existe mais a expectativa da passagem do noel abençoada pela árvore enfeitada. O mistério se foi, a quebra da inocência se deu no coração das crianças e o presépio feliz foi trocado pela tela fátua e os games divertidos com bites atualizados.

7. A lição de pobreza, realeza, humildade que emanam do mistério natalino pertence ao recanto escondido de poucos corações 'saudosistas' e repletos de fé. O maior e mais importante acontecimento da história humana deixou de lecionar a vida hoje em dia. Perdeu-se na memória do tempo e o sentido transcendental do nascimento do menino Deus na gruta de Belém foi absorvido pela onda tecnológica dos neutrinos e afins.

8. Sem negar frontalmente a pedra de contradição e sua vinda messiânica, rodeada de reis, pastores, anjos, e animais sob a tutela de José e sob os olhares puros e sonhadores de Maria, a diretoria  habilmente inventou os games atrativos, os adicionamentos compulsivos e deixou o natal à margem da sociedade. No coração da maioria implantou  ora o consumismo voraz, ora as panaceias políticas e filosóficas, ora as guerras...

9. Mas,a pedra fundamental, a única sólida e verdadeira que traz um sentido à existência humana clama sem cessar a cada natal que se renova pela voz dos anjos belemitas: ' Gloria in excelsis Deo, et in terra pax hominibus boni voluntatis.' Quando esta era da alta resolução estiver fora de moda e se espatifar em sua emproação atonal, a pedra angular empoada pelo esquecimento generalizado da moçada estará de volta para o centro de gravitação do universo. Os que propugnaram contra, de uma três: ou já se foram ou o meu amigo o tempo se encarrega de quebrar sua cerviz ou fica a cargo dele julgar suas ações no exercício do livre e solto arbítrio.

10. Creio que o mundo bom teve três manifestações cabais na história das inter relações divinas e humanas: no natal, nas bodas de Caná da Galiléia e no lava-pés.Três momentos de graça e verdade que na sequência do tempo estampou o amor, a bondade, e o serviço do coração de Jesus. A renovação pateriana passará necessariamente por estas vertentes. Quando a fé voltar ao convívio dos homens e eles compreenderem a grandeza de servir ao próximo em Deus então poderão rezar de fato e de direito: Adoramus,benedicimus, glorificamos, laudamus te...

11. O lucro, o status social, o poder não encontrará mais lugar na terra renovada. A calma contemplativa acenderá a luz que alumiará todos os cantos da terra sem ferir nossos olhos e sem inquietar nosso coração. A caridade de Cristo vai enlear o tempo, a bem querença se tornará uma instituição, o lavá pés se concretizará à serviço do irmão e desaparecerão as potências ionizadas sem noção.

12. A poesia divina é concreta e na sua abstração intrínseca não necessita de recursos de linguagem, ela espera que aqueles que acreditam rezem na noite de natal do ano da graça de dois mil e doze por si e seus irmãos na esperança suave que amanheça logo o tão sonhado 'fiat voluntas tua sicut in coellis et in terra'. Cabe ao tempo soberano definir o tempo do tempo... E ao Pontifex trazer o toque perene e pacífico à alma inquieta do mundo hodierno customizado.

13. Uma coisa é certa, num relance pela história da hagiografia cristã ao longo desses dois milênios da fundação da mais sólida e longeva instituição, a que pertenço na humildade pela graça do batismo, a Igreja Católica, podemos vislumbrar certezas e não meras suposições que o espírito do natal sempre existiu desde a era das catacumbas, passando por Teodósio, Carlos Magno, Fernando de Castela, Luis IX  até aos conturbados dias atuais, ele atravessou  incólume o tempo no frescor de seu primeiro alvorecer.

14. Ele, a par dos céticos, continua leve, vivo, atuante, atraente. Ah! a sua melodia original, mesmo esquecida por muitos, negada pelo laicismo dos estados, perdida no amálgama de nossa era 'sensível' renasce a cada ano, mesmo na aparência agrilhoada em seus pulsos eternos pela sandice das criaturas terrenas, ela ressurge, sem cópias falsas, luzente de asas em seus ombros a rogos da melhor e mais pura de todas as mães: a sempre Virgem Maria a nos conclamar na suavidade de sua canção: 'fazei tudo o que ele vos disser.' Assim Sea! Embraço de união!

Helder Tadeu Chaia Alvim


sábado, 1 de dezembro de 2012

o prego sem estopa e a convulsão cisneal...

1. E vamos que vamos continuar a bater prego sem utilizar estopa neste imenso universo veloz dos 100 Mbps que cobre o mundo e está chegando ao Brasil com a banda larga Lte. Impressiona os monumentais avanços das conexões da fibras óticas de altíssima qualidade esbanjando tecnologia de ponta.

2. No terreiro doméstico vemos que  a  ' Cielo  associa  à  rede  social  Facebook  em  São Paulo ' - DC economia 28/11/2012 - projetando mudanças positivas nos aplicativos a nível nacional. 'Quero- queros, corujas buraqueiras, carcarás e urubus habitam aeroportos brasileiros e ameaçam aviões quando decolam ou aterrizam. Falcões treinados estão à postos para caça-los. E até os devoram algumas vezes.'( DC Cidades pág 9 17/18/19/11/2012).

3. Não trata-se de ficção, pois os papeis inverteram e ela chega depois, o perigo é real, existe mesmo como relata Valdir Santos no conceituado matutino citado acima, uma extensa, elucidativa  e bem escrita matéria sobre a arte da falcoaria que os medievais aprenderam com os árabes.

4. No meu rude devocionário começa-se a esboçar a tela bar zileira planaltina.  Enquanto em diversos campos comemora-se estas vitórias da ciência quântica dos neutrinos, a alma do brasil encolhe e encontra-se neste novo século que adentramos em seu nível mais baixo, em vertiginosa queda cisneal.

5. Quando a torrente de corrupção invade nossas vidas pacatas de cidadãos, capitaneada por setores de Brasilia; quando assistimos em São Paulo um retrocesso sem precedentes na paz social com a guerra entre facções criminosas e a polícia militar abrindo um franco de dimensões imprevisíveis...

6. Ou o poder do estado se afirma ou então a população ordeira estará em má malha na maior metrópole da America Latina, que a justo título se orgulha de ser a locomotiva de sonhos e realidades nacionais. É hora da inteligência técnica estatal unir esforços, com uma ampla visão da realidade entrar em campo e fazer os gols de placa necessários como queria o saudoso jornalista Joelmir Beting.

7. A ousadia do mal não pode acuar os bons, os paulistanos não merecem esta situação, nem a política pode tirar partido da atual conjuntura. A brasilidade que é comum a duzentos milhões de irmãos nossos,com os recursos on line democratizados pelo Google, estamos de olho na performance de seus líderes e para substituí-los serão um, dois. Haja vista o episódio do mensalão em que o STF fazendo jus às nossas leis e aos anseios populares distribuiu condenações à mancheias aos corruptos de plantão.

8. Enquanto os políticos  se degladiam, enquanto as ações visam dividendos eleitorais o crime e a insegurança avançam a olhos vistos. Sem subterfúgios de linguagem, batendo o prego sem estopa na crua e fria realidade paulistana onde inocentes morrem, policiais, pais de família deixam órfãos seus filhos e nem uma gota de lágrima se colhe para os consolar, onde os direitos humanos choram com um olho só nos perguntamos: isso aqui é o Iraque?

9. Ouço do tempo soberano que o povo só quer ir e vir, trabalhar, sorrir, crescer e vencer na vida. Se o poder do crime organizado existe, é um fato, existem policiais dispostos a combatê-lo e estão em suas corporações e nas ruas arenadas de São Paulo cumprindo seu dever pátrio, nós e eles aguardando do Estado respostas urgentes e diretrizes mais eficazes ainda.O sangue de muitos que tombaram nesta luta está clamando por justiça.

10. Brasil atípico o nosso, enquanto a nossa safra de soja e milho bate recordes e mais recordes, emperramos nas estradas em meio à logística deficiente ( DC- 29/11/2012, Pà 13 - economia). Um País do sonho do tamanho de seu povo, um país berço dos imigrantes que aqui se estabeleceram in fieri e fizeram deste solo canarinho o objeto de seu amor.

11.Este mesmo país legisla coibindo e enfraquecendo o direito sagrado de  propriedade; que não tem saúde, educação, transporte, moradia para todos e fecha os olhos às invasões urbanas de uma confusa e bem direcionada negação do direito de possuir e crescer com honestidade.Assim não dá pé!

12. Um País que vive com a mania de importar idéias que não se coadunam com o querer da maioria, um país que compreende mal o aquecimento global e que vê esfriar o calor humano no coração de seus filhos, que vê o progresso material do consumo sufocar os anseios legítimos da alma dos brasileiros.

13. Um País que precisa dar respostas urgentes às suas questões sociais sem deixar de respeitar o direito sagrado de propriedade, o respeito à vida dos nascituros, os direitos de Deus, a fé de seu povo na ícone sagrada de Aparecida.

14. Se não for assim sossobraremos na perda gradual de nossa identidade que fez de nós uma imensa colcha multicolorida de gostos, costumes, tradições, embaladas pela devoção a São João das fogueiras, sertão, fé e devoção.

15. Uma posição firme dos seus dirigentes contra a corrupção é que cabe agora no cenário nacional, uma posição coerente com modus vivendi de ontem e de hoje, uma preservação de nossas riquezas minerais, de nossas matas ciliares e da Amazônia brasileira com sua impressionante biodiversidade.

16. Ações que visem a paz no campo, celeiro e prosperidade de todos os brasileiros, corrigindo distorções sem imputar aos produtores agrícolas cerceamentos ao seu direito sagrado de possuir suas propriedades - como afirma o DC 29/11/2012 à Pág 2 SEÇÃO OPINIÃO- ' ... Essa mobilização se torna muito mais necessária e relevante na medida em que se trata de defender o direito de propriedade, princípio fundamental para a livre iniciativa e para o desenvolvimento econômico e social da Nação.'

17. O resto a gente se arranja, canta, improvisa, reza, faz poemas, bebe no bar, torce pelo time que gosta, abraça o irmão, vai à Igreja oferecer oração e acalmar a inquietude da alma - passageira desta vida portando só um bilhete picotado de ida... de olho na atual política bar zileira planaltina...

Helder Tadeu Chaia Alvim