quinta-feira, 27 de dezembro de 2012

Emergindo...

1. A temática é quase infinita, as rimas precisam se desdobrar em atenção e amor para acompanhar os caminhos do Deus humanado 'por nós homens e pela nossa salvação'. O verdadeiro natal possui luz própria que não cega e nem tão pouco ofusca nossos olhos muitas vezes cansados e desesperançados. 

2. Quiseram para nós um sociedade sem coisas belas e elevadas, mas a arbitragem não conseguiu totalmente seu intento perverso, apesar de ter nas mãos as paixões humanas mal direcionadas, de quando em vez o brilho do natal emerge e aparece esparzindo uma claridade diáfana e acolhedora trazendo um quê de saudade, de um paraíso que foi perdido, depois encontrado e restaurado pelas mãos do pintor divino.

3. Visões de um poeta mínimo? Não! Revelações ocultas de uma noite insone? Também não! Segredos de algum manuscrito Celta? Desconheço! Se mereço atenção a dica está na oração perfeita, aquela que Jesus nos ensinou  na projeção de sua bondade ilimitada, aquele canto sublime entoado pelas gerações de fé ao longo da história: " Pater Noster qui es in coellis, sanctificetur nomen tuum, fiat voluntas tua sicut in coellis et in terra...' Pronto é isso que audemus dicere!

3. Jesus Cristo impressiona os estudiosos de sua vida, encanta os que acreditam em seu evangelho. Ele santificou o Batista no seio de Isabel, dando a entender a que veio, desde sua encarnação no seio de uma Virgem, de sua infância laboriosa em Nazaré, sua vida pública, milagres, ensinamentos, tudo de uma perfeição fabulosa, culminado com a redenção no gólgota salvífico.Ele enfrentou os poderosos  da época e interpôs em sua pregação o sal da terra e a luz do mundo.

4. Os caminhos tortuosos pertencem ao anjo decaído e seus comandados. O natal, a cada ano renovado, simboliza o tempo da verdade, o tempo da esperança, da paz e harmonia universais! E ademais a volta do espírito do natal está em curso para a sua realização plena.

5. Não detenho a informação de quando será, mas assimilo nesta página a intenção de Deus projetada no Pater Noster. Se enviou à terra ressequida o seu Filho muito amado, o tempo da complacência pode estar se esgotando para dar lugar à justiça que varrerá o mal. E virá no sopro da ventania angelical e alegrará as nações, cada palmo de chão, cada árvore, planta, semente, rocha, penedo, rios e mares, montanhas e planícies, florestas e cidades, animais e criaturas na dança divina de sua perfeição.

Helder Tadeu Chaia Alvim






Postar um comentário