domingo, 27 de junho de 2010

Árbitro, Meteorito , Impedimentos e as Chuvas Copiosas...

1.Continuo na Estrada Real da Santa Cruz que interrompi propositalmente à guiza de reflexão. Me disseram que o assunto é inusitado, porque não falar do recente asteroide ou fragmento que caiu esses dias em Varre-Saí-interior do RJ, aliás conheço bem a região pois passei lá uns bons anos no Seminário de Maria Imaculada e pude conviver de perto com aquela gente autêntica onde a Religião, Fé e devoção a Nsra fazem parte assídua de suas vidas. Um encanto de lugar na divisa com Minas e Espírito Santo, percorri inumeras vezes aquela região hospitaleira,a mais distante da capital, desbravada por descendente de italianos.Quando moço ainda, cheio de sonhos e ideais fiz boas amizades por lá  e garanto que ao escrever hoje a lembrança plácida e aconchegante daquele rincão vem à tona com agradáveis recordações... Quanto ao meteorito não pude averiguar e mais tarde a gente saberá o certo sobre o fenômeno. Sei que a camada de ozônio está vulneravel ao extremo e que os astronomos apontam para uma quantidade bem volumosa destes corpos que poderão cair na terra.

2. Outros opinaram que poderia citar a controversia da bola de futebol da seleção- a... como chama mesmo, esqueci -que tudo parece não tem as costuras apropriadas e desvia em linha reta- tanto que a Fifa já acenou para o problema e vai dar o que falar... Também disseram ser mais apropriado comentar o gol de impedimento, o primeiro da Argentina neste domingo contra o México que o juiz marcou. Que absurdo. Acho que ele não apita mais copa do mundo. Que parcialidade doida, não é mesmo! Ah! a Jabolani!!!

3. Outros mais políticos dizem que a coligação dos partidos está surpreendendo muito o eleitor e planificando posições contrárias, não sei ao certo. Há também quem diga que sairia do meu jejum editorial se tratasse do tema da reabilitação do Padre Cícero pela Santa Sé tendo em vista que acorrem em peregrinação ao Santuário de Juazeiro qualquer cifra na ordem de  milhão de fiéis em visita ao Padinho.

4. Este blog acompanha apreensivo e solidário as recentes inundações no Estado do Pernambuco e Alagoas fazendo eco da voz sofrida dos nossos bravos conterrâneos, um apelo nacional solicitando urgente atenção para aquela calamitosa situação em que os levou a natureza em fúria, estão carentes de tudo desde os gêneros de primeira necessidade,como assistência médica, material de construção, barcos para locomoção, vestuários, móveis, etc.etc.Sei que a consciência solidária do povo brasileiro e do mundo não vai omitir e já está movimentando neste sentido como pude constatar o repórter Caco Barcelos e sua equipe da Rede Globo se adiantaram e já estão presentes na região afetada e as verbas federais também se posicionam neste sentido. Espero que a burocracia não empate a sua total consecução emergencial. Estamos reféns das chuvas, haja vista mais recente São Luís de Paraitinga e Joinvile, no entanto temos reservas humans de generosidade e heroismo, e não podemos olvidar daqui para frenet uma política séria visando mapear as áreas de risco, construções irregulares e uma séries de cuidados preventivos, senão o boi vai par o precipicio com corda e tudo e vamos chorar lágrimas frias na cama, isto é se ela ainda existir!

5.Não sei se consigo editar no papel os poemas mínimos que blogo diariamente, estou pensando em fazer uma edição eletrônica e nem sei ao menos por onde começar. Acumulei muito material e idéia realmente não falta, modéstia a parte, graças a Deus, no entanto com estes incentivos pífios que andam por aí e a idéia errônea que livro de poesia não é vendável e até que não enche barriga torna-se quase impossível a sua realização editorial. A era dos Mecenas já passou e se não fôsse o franqueamento generoso da Google soberana muitos de nós, poetas de esquina , estariamos até hoje pensando com nossos botões amargurados.

6. Um assunto puxa o outro e vejo que vou protelar um pouco mais a continuação do poema na Estrada Real da Santa Cruz, fica para outra ocasião se para tanto não me faltar aquela companheira inseparável do poeta chamada: inspiração, pois sem ela não se pode viver, vive-se para fazer suas vontades solenes, meu parente. Se você ainda não experimentou esta sensação única, o que tá esperando. Aconselho papel e lápis na mão um canto quieto e comece a cismar acordado que daí a pouco ela vem roçando em sua testa trazendo o ósculo da paz e te escolhe, como fez comigo, para divagar com ela por outras serras escondidas dos homens. E na sua voracidade épica a poesia simples chega e não vai mais te largar.Que tal a proposta.

7. Depois, bem depois, comente comigo se estava certo ou não. Se não começar nunca vai saber! Não se atenha à metrica, ritmo, significado, escreva, escreva e ouça o seu hino solidário e perene, memorize e recite alto, convide quem gosta, faça um circulo, acenda velas e incensos e deixe calmamente rolar a intuição. Nestes momentos de tranquilidade a produção literária é intensa e recompensa toda a dedicação. É só o que posso dizer, o resto de luz fica por conta dela e de suas divas divinas..

Helder Tadeu Chaia Alvim

sábado, 26 de junho de 2010

O Eu Lírico e o J Literato

1. Ouvi esta expressão um punhado de vezes, na verdade não vou tratar dela pois ainda não entendi bem o seu significado. Achei bonito o eu lírico e resolvi homenagea-lo indistintamente. Se existe mesmo este ser abstrato, então deve ter por aí no conceito gramatical outros eus vagando a espera de definição.

2. A nossa língua portuguesa é rica de significados, tão abrangente que precisamos suar a casaca para medir sua estatura exata. E entendo que nem os filólogos, nem os gramáticos mais assíduos a ela conseguem definir tantos conceitos, expressões, verbetes, tempos gramaticais, conjugações verbais, orações as mais diversas possíveis e neste enleamento proposital a gente se delicia e arrisca tecer uma escrita sem fim...

3. Que bom que seja assim, que Portugal tenha propiciado isto tudo desde o romance até os recônditos sertões brasileiros.Esta unânimidade fundamental revelou tantos talentos como Gonçalves Dias, Luís Vaz de Camões,Antonio Vieira,Manuel Bernardes,Cecília Meirelles,Carlos Drumond de Andrade, Fernando Pessoa, Alexandre Herculano,Cícero,Euclides da Cunha,Cora Coralina, Haroldo de Andrade, José de Anchieta, Fagundes Varella e tantos outros que se debruçam na atualidade e debruçaram sobre o colo da nossa lingua mãe pátria e sentiram e sentem ainda o palpitar de seu terno e eterno coração acolhendo a todos indistintamente com seu sorriso nos lábios e sua bondade ilimitados.

4. Que bom que assim seja, que a palavra saudade não permita tradução, que este sentimento seja sentido a nosso modo e tudo o mais. E só a gente dispor a ler os jornais antigos e recentes que vemos a mesma linguagem sempre se aprimorando, sempre se adaptando aos novos tempos sem perder sua originalidade e genuidade de seu berço luso.

5.Tentam sim os desavisados introduzir novos termos se utilizando da propaganda, mas daí a pouco cai no esquecimento generalizado e a nova antiga lingua sobrevive as avalanches e naufrágio do mundo dito avançado.E acabam por devolver o pingo ao J literato.

6. Fiz bonito! Não sei a proposta é outra. Estou de viagem ao interior Fluminense e com a calma emanada de meu torrão natal enveredei com alegria por estas bandas da lingua portuguesa e deixo registrado estes traços ao leitor bacana e pensativo.

7. A cidade de São Paulo tem suas belezas e termômetro intuitivo, mas de vez em quando mergulhar na pacatez construtiva interiorana aquece a alma que canta sonoridades diferentes do cotidiano compulsivo daquela que não dorme e alavanca nossos destinos. Este doutorado de raízes é primordial nesta profissão de poeta cantador. Se a fonte seca aí que são elas e onde haverá o sal para temperar nossa dor . Termino este canto dizendo que ele acalentou meu humor e se pudesse queria renovar meu propósito latente neste blog que persiste e nunca vai desistir de sonhar...

8. Sonhar sim com o mundo bom- objetos de nossos encômios dourados- com a harmonia, a paz, a concordia, a tolerância, o perfeito amor a Deus e as verdades da religião, com a Virgem Santa, refúgio e alento de nossas apreensões e esperança de um futuro melhor mais puro e soberano.

9. Futuro em que haja um equilíbrio exato do corpo e da alma e que nossas responsabilidades eternas façam parte atuante na pauta do dia a dia das nações, povos e instituições. E que o reinado social de Deus execute na bondade e leveza os planos para a Terra- atual palco das incertezas.

10.Se nossa seleção  truxer o troféu uma beleza se não que o Brasil cresça em outros campos da compreensão, solidariedade e plena capacitação de seus filhos para a plena realização de nossos destinos materiais e espirituais.

11. Enfim, a lingua de que fazemos uso é bela, culta e simples nos leva a expor anseios escondidos, nos corrige  nos nossos ímpetos e delinea os diversos ritmos da grande harmonia na diversidade.

Helder Tadeu Chaia Alvim

A Estrada Real da Santa Cruz e o Up Grade

1.Contam que uma pessoa estava inconformada com a cruz que carregava há anos. Estava muito pesada e incomodava seu ombro e tencionava arranjar outra com design mais arrojado, estilo leve e confortável como a dos outros que admirava dado a garantia de sucesso que demonstravam.

2. Pois bem, um dia bem cedo saiu com o firme propósito de mudar de vida e se não podia deixar de lado o fardo comum a todos os de sua condição humana pelo menos arranjaria outra cruz diferente e com perfil moderno que se adequasse a nova geração dos iphones e ipods, pensava ela, enquanto caminhava sem rumo certo.

3. Andou o dia todo por entre vales, cidades, descampados, outeiros rios e mares. Já no finalzinho da tarde viu a placa indicando um desvio para a Estrada Real da Santa Cruz. Bom, muito bom é aqui que eu vou....Chegou de mansinho, persignou-se três vezes, parou para admirar uma fonte de água cristalina. Sorveu um bom gole d'água e depois foi até a recepção se informar melhor do seu propósito salutar.

4. Pessoa intuitiva que era demorou-se um bom tempo sentada olhando o movimento e o entre e sae de gente da mais diversa etnia, estatura e compleição física, parece que todo mundo também andava descontente com a própria condição e ali chegara para minorar seu sofrimento. A todas o anjo arcano Misael recebia com um abraço fraterno, ouvia suas queixas e lhes direcionava um conselho apropriado. De lá saiam leves, rejuvenescidas na fé,outras pessoas, mais humanas, solidárias que resplandeciam Deus em seus semblantes.

5. O sino do campanário anunciava as ave-marias quando a pessoa intuitiva finalmente saiu da fonte da cruz e retornou a sua cidade de origem. Pelo seu semblante vi que resolveu seu problema totalmente. Você está se perguntando o que ocorreu e eu também, mas vamos respeitar o seu silêncio de luz e no próximo parágrafo vamos desvendar este mistério, garanto.

6. Até lá que tal conjecturar a respeito, hein! Exercitar a mente em busca das respostas. Vale a pena pois aí tem também um pouco da história de cada um.

7. Então voltei a este texto hoje por acaso e vi que estava incompleto, faltava aquele detalhe final e por certo me pergunta como continua a história.

8. Aquela pessoa intuitiva saiu alegre mais leve, pois ao relatar ao anjo seu problema, que sua cruz estava insuportável, que não aguentava mais... O anjo arcano, consultou seu histórico e viu que ela falava a verdade.Tomou a cruz de seus ombros e a entregou ao gurdião do templo.Depois dirigiu a palavra ao aflito: -Não se aflija tanto pois existe nete recinto uma sala onde tem cruzes de todo o tamanho, vá lá e escolha a que mais lhe convier.

9. A alma ficou contente e extasiada, agradeceu tudo e foi direto à sala indicada, andou por corredores iluminados, páteos rodeados de jardins, gramas, tulipas e girassóis. Subiu uma rampa e num minuto chegou na salas das cruzes.

10. Num relance percebeu  a abastança, o peso, a largura e espessura de uma cruz diferente que estava ao canto sozinha. Para averiguar melhor dirigiu-se a ela e com carinho tomou-a nos braços. E pensou esta sim é meu número.

11. Portando a sua nova cruz, pensava: esta sim foi uma aquisição e tanto. Fez o caminho de  volta  todo  contente, não andava,parecia  voar de tão leve que estava.Passou na portaria e foi agradecer o arcano a dica salutar. Pelos protocolos divinos deveria assinar o livro de presença e a declaração que portaria doravante sua cruz com amor e abnegação. Tudo conforme a sabedoria, graça e leveza divina.

12. O arcano perguntou-lhe se estava bem assim... Ele assentiu comovido e ao se despedir entusiasmado disse. Obrigado irmão anjo pela troca efetuada, agora sim estou bem servido!

13. O arcano, olhou em seus olhos e disse esboçando um leve sorriso: - irmão esta é a cruz que sempre pertenceu a você, só tava faltando um   up grade nela...

Helder Tadeu Chaia Alvim

sexta-feira, 25 de junho de 2010

Inspiração momentânea

inspiração momentânea...

1.Todos os dias me posiciono em frente a esta tela do blog da google para rabiscar alguma ideia nova para proveito de alguém. É uma maneira que encontro para conversar despreocupadamente consigo que ora me lê e pensa senta que lá vem estória, rss... rs... rs... pois tenho emitido conceitos sérios nestas últimas postagens e vejo que vai estranhar a mudança de estilo.

2.De antemão considero uma responsabilidade escrever, pois a gente deixa um pouco de nós em tudo o que fazemos, em se tratando de palavras o ônus é maior, emitir opiniões não é fácil nesta sociedade pragmatista ao extremo.Ou é ou não é, e para cair na malha fina da imposição é um dois.

3.Prá começar o mais das vezes não costumo pré estabelecer nada. Gosto da inspiração momentânea aquela que aprendi no sarau do KVA quando a microfone aberto desfiavamos poemas e mais poemas mediado sempre pelo consenso presente. Uma poesia puxava a outra e assim por diante noite a dentro. E ainda se duvidasse continuava manhã afora na barraca de pastel da Vila Madalena em SP ou no dogão do Maurão. Bons tempos que não voltam mais.

4.Isto tudo para prologar o que tenho a dizer e nem sei ao certo. Mas vamos lá que já já sábado vai raiar, São João ficou na saudade e acabei de lembrar dum causo passado lá perto de Juazeiro que ouvi de João, cabra bom que respeito.Estava bem cedo no café Floresta do Luís Sousa Andrade na Augusta paulistana, lugar que frequento onde encontro Canuto Ramos e Deusamar amigos do peito.

5. E João foi proseando que Virgulino Lampião um dia quando vivia acordou bem cedo e chamou seu bando e a Maria Bonita e foi dizendo: Cismei a noite toda hoje vai dá raposa na cabeça e mandou que um cangaceiro arriasse um potro e fôsse a Juazeiro jogar no bicho raposa mil conto de réis na milhar seca.

6. O dito cujo saiu zambeiro e foi tratar de cumprir a ordem com respeito e pressa avisada. Apeou do cavalo baio em frente a banca de apostas, riscou na terra batida da rua a espora e foi logo dizendo: o patrão mandou fazer uma fezinha poe aí mil conto de réis na raposa da sorte. O homem cabisbaixo sem olhar semblante do emissário retrucou azedo: Pode voltar da onde veio pois aqui não tem a maldita rapôsa no jogo que premeio. 

7. Do mesmo modo que chegou voltou o cangaceiro, cuspiu três na rua e esporeou o animal premido de raiva e ... Galopou a manhã inteira por entre catingas e sarmeiros ao avistar Lampião foi dizendo seu proseio. O homem lá meu chefe disse que não vai fazer jogo nenhum não senhor. E porque retrucou Lampião com olhar zombeteiro. O outro explicou que não tinha a tár de rapôsa prá apostar. Ô se tem sim, volta e diga prá receber a aposta pois eu sonhei com a darnada a noite inteira!

8. Do jeito que veio voltou num galope só. Ao chegar foi dizendo sem enrrolar:seu moço, olha que voltei e meu patrão disse que tem sim a raposa, sô!Não tem não senhor, não tem não senhor... Tem sim, tem sim.E quem é esse seu patrão... O sinhô não sabe é Virgulino Lampião. Ah! diga a ele que tem sim e já deu na cabeça, tá aqui o premio! po levar!

9. Foi assim que a teimosia e a autoridade de Lampiâo ganhou o sertão.Se o caso é verídico ou não cito e deixo a você a conclusão, pois eu ri um tanto...
e valeu a sensação e o mote do João!

Helder Tadeu Chaia Alvim


quinta-feira, 24 de junho de 2010

Viva São João Baptista na era do homem ipod!

viva São João Batista na era do homem ipod!

1.Hoje é São João, tem festa e rojão, o santo é forte e agradece a participação.A alegria é contagiante, paira no ar sua santidade e grande compenetração. O Santo é nobre e recolhe atenção, esbanja solenidade e nas cidades, interior e capital todos lembram dele a seu jeito com cheiro quente da bebida ardente, tem canjica, pé de moleque, bandeirolas e fogueira crepitante. O importante é que se lembrem dele agora e a cada instante. Tem missa, procissão e a queima dos fogos de artifício para rememorar aquele que a Cristo batizou e amarrou com devoção sua vida a dele com comoção.

2. Que homem é este que até hoje se alembram dele. Sei que nasceu de Isabel, foi primo de Jesus,  Deus Humanado.João de nome indicado a Zacarias pelo anjo emissário, habitou o inóspito deserto da Judeia há dois mil  e tantos anos, se alimentou de gafanhotos e mel silvestre, vestiu-se de pele rota, mas com gosto preparou a vinda do Messias Glorioso.

3. Sei que foi profeta da penitencia, arrebanhou seguidores, foi contemplativo e saboreou eternos valores. Pregou a humildade, atraiu gente da cidade, desagradou o rei Herodes da maldade, viveu no tempo da cruel dançarina Salomé, boa de pé, de imaginação ambiciosa, demente, aquela da citação do evangelho que dançou para a corte a dança da morte e terminou por oferecer num prato a cabeça inocente de João, mártir e crente.

4. Até hoje a gente sente ao chegar seu dia que a inocência sempre vence. Cada São João que chega vem com ele no ar a chance para o mundo mudar e contemplar mais o infinito, ajustar o juízo aos planos de Deus Crucificado, que almeja o bem e não olha a quem.A sua fogueira crepitante faz lembrar o anuncio de seu nascimento nas montanhas de Ari Karim e até hoje clareia o mundo afugentando as trevas do mal e acrescentando uma boa pitada de sal, saibam todos assim.

5. A alegria santa dos festejos clama sua voz no deserto do homem ipod afastado de Deus, da pureza nas intenções.Feliz daquele que se deixa contagiar pela mensagem de João, santo forte e poderoso que miracula o mundo desgostoso.

6. E estas iguarias saborosas que o costume do povo instituiu na tradiçao secular do nosso Brasil é o emblema certo que ele prepara um mel eterno debastando os morros da incompreensão e erguendo uma escada que vai levar ao banquete das eternas monções.

7. Que viva São João ano todo em nossos corações até o momento derradeiro do último suspiro quando a morte bater à porta e nos encontrar apostos para a grande viagem para a eternidade.Aquela da última notícia que não requer aviso de volta.

Helder Tadeu Chaia Alvim   

terça-feira, 22 de junho de 2010

Sinais multipolares

1. Outro dia apresentei um poema intitulado o acalanto numa roda de poesias. Estavam reunidos diversos poetas conceituados e experts no fazer poético. Recebi um elogio quanto ao estilo de declamar acompanhado de uma crítica ao conteúdo da explanação.

2. A minha poesia iniciante, acanhada e franca desagradara os ouvidos daqueles lentes proclamados pela crítica adocicada e nula de conteúdo perene. O que você amigo faria naquela circunstância é uma curiosidade que gostaria de saber. Abandonaria suas convicções para amealhar as loas laureadas  dos correligionários ou persistiria nas afirmações desconcertantes sobre temas pontudos e controversos, literalmente destoante dos versos atuantes.

3.Acho que vai pesar a balança e me responder mais na frente após eu ter desfiado meu barbante por inteiro no jeito que dá, da maneira do meu pensar já consigo imaginar... Depois da morte vem o julgamento particular e os atos bons e ruins somados uns aos outros vão indicar o elevador a tomar para a eternidade, subir ou descer sem parada obrigatória e você vai me dizer agora o caldo quente começa a engrossar. Deixa disto meu caro poeta, ninguem  vassim faze-lo subir ao pódio da fama e no frio arrebatará os aplaudos vazios do silêncio mudo daquelas noites vazias de sentido.
4. Esta seria uma observação, a mais carinhosa que tenho recebido ultimamente depois de ter enveredado nesses assuntos de morte, juizo, inferno e paraiso. Non est Dante Alighieri e não está no patamar da comédia divina, encerre estas linhas antes que desligue a net e\ou pule para o prazeroso noticiário das 7 e vinte com helicópteros em revoada à caça de notícia quente e sensacionalista para atingir o iIbope na lista. Ou me ponha a espreguiçar confortavelmente folheando o placar do mundo, ainda me deliciando com a fama de  lindos olhos azuis modelando as ilhas caras, meu caro poeta da esquina perdida em partidos sonhos.

5.Endoideceu o poeta de vez com estes dizeres estranhos  e que ninguém diz mais, o tempo dos dogmas passou e a balada distrai a cuca e desanuvia a razão dos embates do dia estressante.Vou tomar minha cerveja, assistir o futebol e vibrar com a seleção em campo  de africa vitoriosa.Tá certo!

6. Concordo é melhor assim para não estragar a minha inspiração, olhando a volta e mais distante ainda vemos imaginar que não seria diferente. A história é a guia infalível da vida, a experiência do passado deu lugar a tecnologia de ponta, aos testes com os embriões humanos, a escassez de água no planeta terra, a não presença de bom senso nas pessoas, a não aderência das nações ao senso crítico  absoluto, e quando não  o surgimento de idéias perniciosas de intolerância, o endeusamento da matéria efêmera, a venda da propaganda sexual, o que poderiamos esperar. Um mar de rosas ou uma enchurrada de desastres ambientais e humanos sem precedentes na história.
7. Alguém interrompeu a minha elucrubação e foi dada a ele a palavra franca sem contestação. Achei ótimo e  disse com sincera admoestação: Não assuste este auditório com tanta invectivação, somos parceiros de poemas e não lentes a serviço de Deus. A sua imaginação fértil e profusa alça vôos que não poderá aterrisar na presente conjectura. A salvação do mundo depende única e exclusivamente da era tecnológica e num clique tudo se resolve e de pouco adianta revolver conceitos antologicos se os analógicos chegaram para ficar. Chegou o momento da composição de fõrças na catartese de contrários em unificação.

8. Voltei a fala corando forte e segurando os ímpetos, acalmando o pensamento sem disputas inoportunas declarei entender que apesar das palavras altissonantes o ilusionismo pertence ao mundo sensacional dos mágicos e a real realidade é bem outra que salta das telas, vias, logradouros grandes e pequenos e não há como conter o curso dos acontecimentos, a decepção aflora em nossa mente e que o princípio do mal não está nos planos de Deus. Ele permite para ver até onde vai nossa insanidade sem deixar de acompanhar  a trajetória de nossas almas imortais.

9. Lembrei-me do poeta Nelson Ned: "E tudo passa, tudo pasará..." Passou o império de Dario, Alexandre o Grande, de Roma, dos Carolíngios, dos Otomanos, o Tsar se foi, Napoleão, as Ditaduras modernas, o último dos Moicanos, o grande Furer, os Barões do café, anos dourados e trocentos mais, a primavera de Praga, o massacre na Praça celestial, a derrocada do muro de Berlim, o 11 de setembro, os tsunamis, os terremotos recentes, as enchentes pavorosas na Polonia. Tudo isto é passado e ao terminar de escrever neste blog às 00:23 também virou passado e o dia seguinte que amanhecerá hoje é o futuro próximo que depois será passado. vai entender!

10. Vou falando fatiado no repente anotando o que passa na retina e pretendo dizer que o mundo já não aguenta mais tantas interferências inócuas e tantos despropositos da mente humana que nasce, cresce  e passa desavisada semeando devastação. Será que ela, tão inteligente nao reflete e aquilata o termo da rescisão terrena quando a alma vai se encontrar frente a frente com o autor da criação. Fica no ar a indagação porque tantos despropositos, tantas varadas n'agua, tantos caos em ebulição se uma só coisa se torna  necessário viver na beleza da contemplação e não entregue aos descuidados de sua geração. Teresa de Lisieux dizia:"No anoitecer da vida serei julgado pelo Amor..." Ainda bem pois o ódio pertence a outros patamares.

11. Amamos alguém com toda a fõrça de nosso coração, devotamos a ela a existência inteira mas não podemos interferir no seu livre arbítrio e pressentimos que algo muito mal vai acontecer-lhe, está iminente. O que fazemos damos a entender, emitimos sinais para afastá-la do acontecimento funesto que paira sobre sua cabeça. É o que justamente está acontecendo hoje com a situação fora do normal e sem parâmetros que vivemos e de extremo perigo para a raça humana.

12. Toco o ponto principal da explanação, interrompida no começo por vozes dissonantes deste pensar, mas que graças à sua paciência, amigo, consigo concluir sem mais pausar.A natureza dá sinais inequivocos da saturação emblemática em que se encontra. Os homens abandonaram a trilha correta e se enveredaram para o principio do mal confortavelmente e peitam a Deus, autor da criação, da beleza da inocência, do suave murmurejar dos regatos, do canto alegre das tardes ensolaradas.Eles com suas leis e concepções já não querem ouvir a melodia de paz,concordia social que emanam da sapiencia eterna da Bondade e Sabedoria.

13. Se me permite dizer, vou dizer até a conclusão meu pensamento em forma de refrão na esperança calma que me entenda e junto comigo melhore as cores destes versos deixados à soleira da sua porta,qual o menino moisés, arrebatado das águass do Nilo pelas mãos abençoadas da filha do faraó...

14. Amigo sensato a hora é de extrema preocupação e refrexão.O grande transatlântico da humanidade está afundando e ouço ao longe vozes desesperadas gritando por socorro e não vou ficar sentado em na proa no conforto dantesco de suas ilusões.
15. Digo por mim mesmo e quisera poder enfeitar versos retilineos no parnazo de leves canções e não costurar nas madrugadas quase vazias de inspiração a prosa pesada medindo as palavras meditando à noite para arriscar escrever se o dia amanhecer.... Passa o homem fica a fama e muitas vezes ele parte ainda com a cama desarrumada.Um dia que se perde custa caro na contabilidade eterna.

16. É tão pouco uma palavra e tão muito um gesto de claridade, um carácter bom e justo fortifica uma cidade Lotiana. Ao término deste apanhado sem pretensão a não ser tornar-se um alerta claro e insofismável aliado a você amigo sincero e a tantos outros que se preocupam com os rumos deste mundão pulcro de capacitades ilimitadas de compreensão. Que venha logo a era da bondade que facultará a passagem direta para a harmonia e paz sinalizados pela Estrela Guia quando a felicidade sobrepujará estes  dias tristes e os vagalumes solidários poderão emergir de seu anomimato para alumiar refletindo a luz intensa da claridade eterea.

Helder Tadeu Chaia Alvim

segunda-feira, 21 de junho de 2010

O esmoler e o tempo verbal

1.Para se dedicar a uma atividade requer de quem busca um lugar ao sol a famosa especializção. O Médico, o Oftalmo, o Engenheiro, o Físico, o Piloto, o Professor, o Escritor,o Sacerdote para exemplificar,tanto mais conceituados se tornam, tanto mais lá atrás estudaram a fundo, obtiveram o conhecimento,in fieri, pois só o talento não capacita aos postulantes ao título honoris causa prá ninguém.

2. No escalonamento da sociedade cada qual nasce com sua vocação específica que no conjunto se completa harmonicamente. Cada indivíduo carrega particularidades que o diferencia dos demais,. É comum ouvi dizer: fulano nasceu para fazer aquilo que faz, ás vezes assoma ao nosso espírito numa tarde andeja a brisa de uma inspiração e entendemos as nuanças sem mais nem menos...

3. O Doutor Angélico dizia temer um homem de um livro só ou seja aquele que se debruçaa sobre um assunto, vai a fundo em sua explanação lógica. Quando os bárbaros invadiram a Europa, montados em seus cavalos ajaezados, a eles não ofereceram resistências a altura os romanos, até então, senhores da guerra, mas coube aos monges beneditinos preservar o patrimonial intectual, material e espiritual da Cristandade e a fúria inaudita se reverteu em conversões fantásticas para a Igreja Católica.

4. Os mosteiros preservaram a cultura dos livros, as primeiras noções da farmacologia, da botânica, os estudos avançados da astronomia,da matemática,da filosofia.Graças ao seu descortínio providencial toda a àrea do saber de então fora poupada atrás das paredes austeras dos claustos santos, para mais tarde serem auscultadas e decifradas no século das grandes invenções e descobertas que se seguiram paulatinamente.

5. Na alta Idade Média o rei nomeava um sacerdote da Igreja para a alta função de esmoler, aquele que iria distribuir de uma forma justa, sensata os beneficios materiais aos orfâos, viùvas, peregrinos, encarcerados, perseguidos de guerras, enfim a todos os necessitados sem distinção ou predileção. Temos nomes célebres que exerceram estes misteres com benevolência, critério e caridade cristã, não  com este assistencialismo míope que grassa em nosso tempo, nem igual aos políticos inexcrupulosos que abocanham para si e para os seus chegados aquela fatia que seria destinada em benfeitorias, oportunidades geradas que no conjunto social resolveriam muitos problemas gritantes de nossas cidades modernas.

6. Isto que falei por último, não é novidade nenhuma, a coisa rara ficava para a outra era - das luzes- quando o esmoler não reservava nada para seu proveito e dos seus confrades. Alíás ele compenetrado do Espírito Santo, da devoçaõ à Santa Mãe de Deus firmara com o céu um pacto de obediência, castidade e pobreza e estava cônscio que um dia prestaria contas severas ao econômo divino.

7. Surgiram da doce primavera da Fé gênios de santidade da estatura moral de Tomás de Aquino, Boa Ventura, Domingos de Gusmão, Teresa d'Avila, Belarmino, Camilo de Lélis, Luis Gonzaga, Inácio de Loyola, Francisco Xavier João Bosco entre uma infinidade de outros santos e heóis que chamando sobre si o jugo suave de Cristo Crucificado, em seu nome realizaram prodígios. E ainda muitos outros se dispuseram nos desertos, nas colônias de leprosos para aliviar as chagas dos irmãos. Tá bom assim!

8. E Francisco de Assis, que ao contrário do moço rico do evangelho, sintonizou sua vida na pureza, humildade e obediência renunciando sua condição nobre literalmente e escreveu uma das páginas mais belas da hagiografia cristã em tudo se assemelhando a Jesus Crucificado.

9.Durante os horrores do holocausto a Igreja Católica, na pessoa de seus pastores, dentro do quadro de sua influência e sem as chamas dos holofotes evitou que muitos judeus perecessem sob a sanha maldita do nazismo. E só para lembrar que o próprio Cristo que fundou sua Igreja Mística, anunciada pelos profetas e descendente da tribo de Judá. 

10. O longo serviço que a Igreja tem prestado à humanidade desde seus primórdios merece os encômios de muitos que não professam a sua crença mas reconhecem sua influência no decorrer dos séculos e a maré baixa pelos escandalos de pedofilia- inaceitável- não ofusca seu brilho divino, sua glória de santidade e propulsora da paz mundial.

11.A genuína vocação sacerdotal abraça com alegria o jugo suave e responsável de Cristo pois para seguir o divino capitão mais de perto requer-se o heroísmo das virtudes e a entrega total ao seu chamado, a recompensa o centuplo e a vida eterna." Si quis venire post me abneget semetipsum tollat crucem tuam e sequatur me."

12.Neste mundo multipolar onde se nega e afirma tudo ao mesmo tempo relativizando a vida, os costumes, a moral,o sabe, nos encontramos novamente às voltas com os novos bárbaros da civilização que cambaleiam sem saber aonde vão chegar, se chegarão! Não tenho como arriscar um palpite em meio ao pesadelo atômico que recrudesce, a violência,a intolerância servidos à mesa de nosso café da manhã e quando se chega à noite ainda não foram digeridas e no outro dia acordamos com mais e mais notícias avassaladoras para o menu do desjejum.

Helder Tadeu Chaia Alvim

quarta-feira, 9 de junho de 2010

Imagem 3D e o perigo na ponta dos dedos!

A cada dia que passa surgem novas tecnologias que torna-se difícil a um poeta mediano acompanhar sua evoluções espantosas. É o caso dos processadores gráficos GeForce GTX para os jogos de computador lançado pela Nvidia para acompanhar a onda 3d. Mais o ThinkPad X100 tela LED de 11,6 polegadas widescreen da Lenovo que vai tornar-se um estouro de praticidade para as empresas trazendo processadores AMD 2 GB de memória RAM e disco de 250 GB. Haja cabeça para decorar todas estas terminologias fantásticas. A realidade tá aí e temos que nos adequar a ela para sobreviver a avalanche da comunicação, não resta a menor dúvida.

O perigo mora na ponta de nossos dedos, pois se é fato verídico as novidades do mundo virtual, pululam os crackers, invadindo os sistemas para levar vantagens financeiras e obtenção de infomações sigilosas, principalmente nas redes sociais mais vulneráveis aos ataques dos especialistas de plantão, uma vez que este mundo não dorme, um clique desavisado e podemos botar tudo a perder. Todo o cuidado é pouco, meu amigo!

Também pode virar uma tendência ao alienamento do mundo visível, de tanto navegar esquecemos das conversas com os amigos, da caminhada salutar, da nossa família, enfim do convívio social que forja o carácter e alivia o espírito das tensões maléficas da vida moderna.

Uma boa dose de bom senso e equilibrio não vai fazer mal algum ao internauta, pois antes de exister a internet vivíamos deveras e garanto que sobrava mais tempo para o lazer e a vida era mais tranquila. A quantidade de informações que um clique traz é espantosa e sobrecarrega nossas potencialidades para decisões que dependerão o futuro de muitos empreendimentos.

Estamos atrelados ao sistema e sobreviverá lúcido aquele que se utlizar desta imprescindível ferramenta não como um fim em si, mas como uma escada propulsora para seus anseios de alma. Lá mais na frente na curva da vida verá que este conselho foi procedente e partiu de um poeta mínimo que deseja o máximo de tudo o quer for bom ao amigo que me acompanha neste reflexão despretenciosa.

Estar sempre se preparando para os desafios e embates desta jornada terrena é questão vital, mas sem abandonar o seu sonho que lhe traz a razão de viver, senão a gente passa por ela e não percebe e quando se dá conta já passou, se é que me entende... E mais uma vez obrigado de coração pele sua leitura.

Helder Tadeu Chaia Alvim.

terça-feira, 8 de junho de 2010

Outros Portais

1. A pedido de uma pessoa que muito prezo, pois representa para mim um elo forte e constante do bem resolvi citar um trecho a mais do Apocalipse versiculo 9 a 17 que muito me impressionou ou melhor me arrepiou em pensar neste inspirado texto.Continuo afirmando que não é meu propósito destoar dos exegetas canônicos - de passagem deixo registrado neste blog a atualidade do tema que visa contribuir para elucidar uma metáfora que bem se poderia aplicar à  nossa época que  tantos avanços materiais protagoniza e ainda tateia nas questões maiores do espírito.O corpo cresceu e a alma diminuiu, invertendo os valores e desbalanceando o seu equilibrio natural. Daí a meu ver as catástrofes diárias que vivenciamos, muitas vezes longes dos nossos portais e que mesmo assim afetam o cotidiano de milhares de seres humanos, irmãos nossos, independente de sua raça ou situação geográfica. Sofremos com todos e cada um indistintamente.

2.."Os reis da terra que com ela viveram no prazer e no luxo, hão de chorar e lamentar-se por causa dela, quando virem a fumaça do incêndio! Cíonservando-se a distância, pelo receio do seu suplício, dirão: "Ai! aí, da grande cidade, ó Babilonia, cidade poderosa: numa só hora chegou a tua condenação! Também os mercadores da terra choram e se lamentam por causa dela, porque já ninguém lhes compra as mercadorias: carregamentos de ouro, prata, pedras preciosas e pérolas, linho, púrpura, seda e escarlate: toda a espécie de madeira odorífica, objetos de marfim, madeira preciosa, bronze, ferro e mármore; cinamomo, amorno, aroamas, perfume e incenso, vinho e azeite, flor de farinha e trigo, animais de carga e ovelhas, cavalos e carros, escravos, seres humanos."

3. "... Os frutos que faziam as tuas delícias afastaram-se para longe de ti; todas as coisas delicadas e magníficas se acabaram para ti e não mais se poderão encontrar. Os mercadores de tais produtos que se enriqueceram à custa da cidade, conservar-se-ão a distância com receio de seu suplício, chorando e lamentando-se deste modo:
"Ai!, aí da grande cidade vestida de linho, púrpura e escarlate, adornada de ouro, pedras preciosas e pérolas! Numa hora foi reduzida a nada tanta riqueza."

4.Penso que em vez de tantos dicursos vazios a inteligência humana poderia se ocupar mais dos livros sagrados, como esses versículos tão explicativos do Apocalipse, pois seu autor se debruchou sobre a inspiração divina e escreveu uma matéria digna de ser lida várias vezes sob a égide inspiradora do Espírito Santo. Acho que grande parte de nossos problemas atuais se resolveriam. Porque não começar a tentar...

Helder Tadeu Chaia Alvim

domingo, 6 de junho de 2010

Os Profetas

1.Nos tempos dos Patriarcas Abraão, Isaac, Jacó,Moisés, David,Salomão, entre outros, Deus costumava enviar os profetas para em seu nome trazer um recado para os homens, por assim dizer. Jonas, Jeremias, Isaias, Elias, são citados na bíblia sagrada falando aos hebreus, ora na brandura terrível das interrogações, ora na dureza de suas interjeições ou no acalanto de suas exclamações.

2.Nos episódios de Nínive em que por pouco escapou da destruição, de Jerusalém ingrata que não soube reconhecer o tempo de sua visitação,do anuncio do Redentor, a travessia do mar vermelho,depois nos quarenta anos vagando pelo deserto, as pestes do Egito, são claras interferências do Deus de Israel a favor do povo escolhido, de cerviz dura, são palavras dos livros santos,pois volta e meia acabavam por se misturar aos povos pagãos e praticar toda sorte de atos contrários ao decalogo.

3.Nos dias atuais, vemos as manifestações Mariais frequentando diversas partes do mundo, sempre em linhas gerais trazem a afirmação do desacordo entre as ações humans praticadas e as intenções de Deus. Guadalupe,La Salette, Lourdes e Fátima são provas de que algo anda errado pois os homens persistem em não falar mais a linguagem do céu.

4.Realmente, o mundo saido das mãos de Deus se entregou ao seu endeusamento sui generis e tornou-se inapto para olhar mais além. É um erro crasso de objetivos, senso crítico e bom senso.Não há o que fazer uma vez que só tem olhos para os bens de consumo como fim último da existência passageira. O máximo que pode alcançar com o avanço da medicina é prolongar a vida por mais algumas décadas. Mas o fim chega o mais rápido que se possa pensar. E depois, o vazio, a matéria acaba... Não é o que parece... Cada um sabe de si, tem o pleno exercício do livre arbítrio, mas lembrar não custa nada e pode valer uma reflexão e mudança de rumos antes que a volta não se possa mais ser objetivada.

5.- Mas, poeta das rimas duras, não pensei que poesia tratasse de temas tão pontudos, tenho saudades de suas rimas calmas, das pausas pausadas, das madrugadas frias, vazias de sentido, a gente ficava mais a vontade consigo.- É meu caro de vez em quando bate uma saudade de Deus, de alguma coisa mais que possa completar a nossa existência e a gente fala, pois a voz singela da poesia não pode negar suas origens eternas. A quem iremos,só elas tem palavras 100% perfeitas de direcionamento eterno. A alma para Deus não vale quanto peza sua inteligência e seu bolso mas quanto ama de verdade.

6. As grandes lições de Fátima são uma prova incontestável que  a causa de Deus não morreu, ainda é possível retomar o contato divino interrompido e equilibrar a existência com juízo e gosto pensado e só dar o primeiro passo na estrada régia da cruz que as coisas se arranjam. Aliás, não só os homens, mas a natureza tem sede imensa e insaciável da fonte eterna, reflete a tendência implicita do sobrenatural, uma imã misterioso atraindo tudo e todos ao epicentro de seu destino. Eu, você e nenhum cientista ou gênio poderemos mudar o curso dos acontecimentos que desembocarão no reino anunciado em Fátima. É questão de tempo mas virá nas asas do vento impetuoso, no acalanto de sua benção maternal, nas provações da terra devastada, mas amanhecerá o fulgor da ordem universal restaurada por completo em Deus. Muitos sabem que é inevitável, poucos esperam e se preparam para o embate, daí a razão das advertencias marianas. 

7.A sede de imortalidade é uma prerrogativa do espírito, por isso temos aspirações e buscamos nelas as explicações que a matéria em si não pode fornecer. O anima, movimenta as ações terrenas visando a sublimação de seus atos, nesta parceria misteriosa há segredos uns anotados e divulgados, outros ensaiados, filmados, projetados em 3D. Há os guardados a sete chaves, selados no recondito das esferas espirituais de quando em quando vazam para a humanidade em conta-gotas pois o seu fulgor é tanto que poderia destruir a terra.

8. A mensagem de Fátima está no último caso e faz uma leitura radiográfica impressionante da presente situação de crises, caos, violências, guerras, e não observância generalizda do mandamentos da lei de Deus e projeta para o  futuro os rumos do mundo ou seja a grande restauração da raça humana em Cristo. A finalidade destes versos não é amedrontar ou apavorizar meus irmãos de poesia, nem tão pouco julgar suas ações. Apenas me passou pela cabeça este assunto e deixei naturalmente o espírito me levar, sem ele nada posso fazer...

9.Há insistência sim nesta fala deste poeta mínimo, mas intencionada no dialogo aberto e sincero para tentarmos juntos desvendarmos as grandes perguntas de nosso século cético e praticar dentro do possível suas respostas, enquanto há tempo pois o perigo ronda ao lado. Tudo parece que a ampulheta já foi virada pelos arcanos e corre-se contra o tempo. Já se faz tarde no firmamento, muito tarde e as nuvens carregadas de sobressaltos estão trazendo a notícia triste de uma rebordosa de apreensões e logo mais anoitecerá... Digo simplesmente torna-se-a difícil, quase improvável encontrar a alma do mundo que se perdeu em meio ao nevoeiro espesso em que tolamente se enfiou. Ela, somente ela possue a chave que vai abrir depar em par a penultima porta que introduzirá os vagalumes solidários na terra prometida da bonança.

Helder Tadeu Chaia Alvim

sábado, 5 de junho de 2010

O Corpo de Deus

1.Deus olhou para a Terra, obra perfeita de suas mãos e viu que o inimigo deu uma bagunçada geral em  tudo. Deturpou a mente dos homens, fez nascer nela a ambição, o egoísmo, o poder, as paixões descontroladas, fez surgir as guerras, a fome, em suma estabeleceu o caos por toda a parte. A fim de restaurar a ordem primeira tinha enviado os profetas para preparar o caminho da grande aliança. Eles profetizaram a alto e bom sobre  a vinda do Messias, o Príncipe da paz. '' Eis que uma Virgem conceberá e dará a Luz a um menino..." Deus fez as contas e no momento exato de sua onisciência enviou Jesus nas circunstâncias que todos nós conhecemos para por meio de seu sacrifício no calvário redimir, oferecer uma reparação a altura de sua divindade. Ele ama o mundo com tal intensidade que enviou o seu unigênito paráclito. E não vai me perguntar porque, são seus desígnios insondáveis e para o equilíbrio da Terra era necessário a Redenção.


2.Não estou na apologética, apenas exemplificando o que aprendi do catecismo e acho oportuno mencionar agora, nesta hora de esquecimento das verdades dogmáticas em prejuizo para a alma que suspira por explicações  que não sejam só materiais e efêmeras. Olhei pela janela a empáfia do poderoso, sai de casa outro dia para caminhar, resolvi olhar para trás e ele se fora na véspera vítima de um mal súbito, fiquei triste e me perguntei será que ele teve tempo de se reconciliar com o altíssimo ou foi se apresentar ao tribunal das contas de Deus de mãos vazias.Nem por todo o ouro do mundo queria estar no seu lugar.


3.Vivemos tempos difíceis, de desencontros, sonhos deixados de lado, acomodações políticas, crises para todo o lado até o templo de Deus anda enfumaçado por tantos desvarios de alguns pastores que perderam a noção, a fé, o temor de Deus, princípio da sabedoria, quando não se enchafurdam em questiunculas que seria da responsabilidade de outro galho.


4. Neste fundo de quadro adverso a festa de Corphus Cristhi comemorada na quinta - feira passada veio a calhar.Alguém me perguntou o porque desta festa, ele via nela mais um feriado, e a sexta enforcada na preguiça,ocasião para viajar ou simplismente com a grana curta ficar em casae aproveitar para assistir Robin Hood ou Avatar.


5.Os tempos estão mudados, da época da ciência, progresso para frente, reivindicações políticas,das constetações inócuas que deram em quase nada.Passamos para a busca do mistério, do grande desconhecido, das ficções espirituais, das advinhações exotéricas, das curas milagrosas, do sucesso  financeiro atraves da fé que o inimigo assopra nos ouvidos dos incautos e mais na frente tudo vai dar na mesmo caldeirão quente, se é que me entendem...


6. Gente o mistério existe e ele esta no meio da humanidade desde seus primordios no paraiso, e desde o sempre na mente  de Deus, não me estou julgando o árbitro da verdade, somente expondo meus princípios e contribuindo para o equilibrio do universo, na paz e cordialidade, dialógo e apresentação de pontos de vista.


7 .Agora querer entender a dinâmica dos dogmas ou verdades eternas ensinadas pelos teológos com base na sagrada escritura, na tradiçao dos padres da Igreja é o mesmo que tentar colocar toda a água do mar em nossa cabeça, dizia o genio da antiguidade clássica, Santo Agostinho de Cartago. Ele, filho de Santa Mônica pode falar com liberdade assombrosa, e o fez com categoria e tato ao escrever suas confissões.


8. Passemos aos fatos bíblicos daquela 1ª Quinta-Feira Santa, quando o Mestre Jesus depois de sua vida pública repleta de milagres, ensinamentos, jornadas apostólicas incansáveis de três laboriosos anos, reune seus apostólos no cenáculo, espécie de parlatório, certamente de propriedade de algum de seus discipulos e entre outras coisas belas disse: "Amai-vos uns aos outros como eu vos tenho amado... Aprendei de mim que sou manso e humilde de coração... Naquela manhã única, os apostolos, Nsra, as  santas mulheres fitaram aquele rosto suave, de uma beleza sobrenatural e perceberam que era um adeus, A hora da expiação dos pecados do mundo chegara com o roçar forte do vento impetuoso que soprara lá fora naquela manhã de sol esplendoroso, a natureza fazia eco misterioso do grande e trágico acontecimento que estava prestes a eclodir.

9. Paralelamente na parte alta da cidade de Jerusalém outra reunião tinha sido convocada às pressas no sinedrio. Os sumos sacerdotes madrugaram para deliberações urgentes. Há muito urdiram a condenação do Justo e a páscoa se aproximava era o momento do tudo ou nada, pensaram eles.Revestidos de suas vestes de praxe e do poder a eles confiado pelo povo, lançaram o veredicto fatal: "Um homem deve morrer..." Pensamento tolo,a história vai revelar posteriormente a insanidade deste ato deicida, será que  não sabiam que o reino do Nazareno não era deste mundo, se fôsse legiões de anjos viriam em seu socorro, já tinha dito Jesus.Miguel Arcanjo estava de prontidão, aquele mesmo que liderou a primeira batalha do bem contra Lucifer...Bom , os dirigentes sabiam dos milagres de Jesus pois diariamente eram informados meticulosamente de seus passos pelos espias de plantão, isto não é novidade para ninguém. Só que as pregações do Mestre tomara projeções espantosas, curava cegos,  paralíticos, leprosos e mais recentemente ressuscitara Lázaro, seu amigo e que pertencia a uma família bem situada, dono de haveres e de posição social."Vinde a mim todos que estão sobrecarregados e eu vos aliviarei."


 10.E o desenrolar já sabemos o que aconteceu... Tudo foi comnsumado...A cruz de escarnio passou a simbolo e perdura até hoje. o olhar, a presença real de Jesus na Eucaristia. A partir de quinta feira santa cada vez que uma missa é celebrada em qualquer parte do mundo se renova o sacrificio da cruz de uma forme incruenta. Jesus partiu o pão deu aos seus discipulos dizendo: Isto é o meu  corpo, o cálice com vinho, este é meu sangue. Deu-se a transusbstanciação. Seus inimigos quiseram bani-lo da terra e ele ficou escondido nas espécies eucaristicas. Não é fabuloso os planos de Deus. Hoje volta á pauta os mistérios e segredos do mundo espiritual, no entanto ele já existe de fato há mais de dois mil anos. Pilatos só é lembrado no credo, Anás e Caifas não temos mais notícias, Cristo está vivo na hóstia consagrada. Daí a merecida homenagem do dia santo de Corphus Cristhi. Foi santa Juliana Corvilhão que teve uma visão de Jesus solicitando a implantação desta data. E de lá para cá tem acontecido a tradição de confeccionar tapetes para sua procisão.

Helder Tadeu Chaia Alvim

quarta-feira, 2 de junho de 2010

Desconcertante...

1.Recentemente chegou às minhas mãos o fabuloso livro de Geraldo Morujão da Editora Quadrante sobre o Apocalipse. Achei o texto bem fundamentado, baseado em pesquisas sérias, uma pena brilhante elucidando um dos capítulos mais enigmáticos da Sagrada Escritura , nada mais, nada menos de autoria de São João Evangelista, o discípulo amado e que segundo a Tradição acompanhou os passos do Divino e proclamado Mestre Jesus da Galiléia e após sua Ascensão Gloriosa aos Céus, teve a incumbência divina de cuidar da Santíssima Virgem Maria até que foi assunta por Deus a bem aventurança eterna.

2. Não tenciono lançar luzes ao que já foi dito com todas as letras, me atenho apenas ao sentido místico de acordo com tradição apostólica, A quem associe o apocalipse a filmes contemporâneos exibidos com grande sucesso de bilheteria. O fato que o fim do mundo anunciado neste livro sagrado virá e será terrível para os maus e bom para os que trilham a via da virtude e temor de Deus.Quando virá não sabemos e está sob sigilo, justamente porque se requer a preparação devida.

3. Há muito queria registrar alguns trechos do Apocalipse neste Blog variado, nem sei ao enveredar por esta vertente se serei lido o suficiente. No entanto a única coisa certa nesta vida é a  morte, ela virá a qualquer momento e o juízo particular é inevitavel. O mesmo Cristo, senhor soberano da vida e da morte, nos avisa, porque é nosso amigo:"Estais preparados...estoti paratis" Cada um a seu modo pois os critérios de Deus não são os nossos, certo!

4.Ela muitas vezes nos  amedronta com sua caveira e foice. Não é verdade que seja assim, pois seria mais um anjo que vem colher a nossa alma para apresentá-la aos tribunais de Deus. Quem será o nosso Juiz, ora aquele bondoso Jesus que curou os cegos, fez andar os paralíticos, nos legou do alto da cruz Maria por mãe clementíssima do gênerop humano.

5. Ora bem, assim tudo muda de figura e vou obrar para que minha alma no fim do termo que me aguarda determinante ela esteja cristalina e cheia de boas ações.

6.Como ia dizendo o Apocalipse traz uma citação com a qual eu encerro hoje este assunto um tanto estranho a nossa sociedade hedonista e imediataista. Sinal dos tempos, agora creio que sim. Vamos lá e até outro dia desconcertante: "Mas a terra foi em socorro da Mulher: abriu a boca e engoliu o rio que o Dragão lançara pela boca.E o Dragão enfureceu-se contra a Mulher e foi fazer guerras aos seus outros filhos, os que observam os mandamentos de Deus e mantém o testemunho de Jesus .E Ele postou-se sobre as areias do mar." (capítulos 16 a 18 )

Helder Tadeu Chaia Alvim

A São Paulo antiga inserida na era das projeções tridimensionais

1. Povo sem história assemelha-se a um corpo sem alma. A cidade de São Paulo que amamos e respeitamos é um escrínio de feitos gloriosos e tradições.Suas largas avenidas, igrejas, prédios  arquitetônicos, monumentos,constituem no seu conjunto a memória viva da epopéia de homens que no passado remoto se encontraram com o planalto de Piratininga e vislumbraram aqui para além de suas vidas o destino que impulsionaria esta cidade nação. Homens da têmpera de Nóbrega, Anchieta, Tibiriça, Bartira, João Ramalho, Anhanguera, Frei Galvão, entre outros.

2. Cada bairro tem sua trajetória fabulosa que dado a correria da capital paulistana, conhecemos pouco. E com esta observação vou me adentrando em um assunto urgente: o da preservação do seu patrimônio histórico.Há de se reconhecer o esforço e a viabilização dos projetos de restauração ao longo desse anos.A consciência cultural agradece as benfeitorias neste sentido, mas falta muito o que fazer. Por sinal li uma reportagem da jornalista Kátia Azevedo no Diário do Comércio que me chamou a atenção dado a atualidade e urgência (conf. Cidades 12/05/2010 - pág. 9 ) "Parlatório do Largo de São Francisco já foi tribuna livre, abandonado, hoje é local de despejo e entulho." ..." um dos símbolos da liberdade de expressão na cidade sucumbe atolado na sujeira, bem em frente a vários representantes do poder público,que, pela lei, deveriam zelar  pela sua preservação."

3.Realmente é lamentavel e a articulista soube descrever a situação acomplexada do marco da democracia,justamente no atrio onde passaram centenas das cabeças jurídicas pensantes determinantes nos destinos do Brasil. Pego carona na sua indignação para relatar a título de amostragem mais alguns monumentos, a meu ver, também bastante judiados.

4. O primeiro deles está localizado bem em frente ao Parque Tenente Siqueira Camos < Triannon>. O Bartolomeu Bueno da Silva anda bem esquecido.Se São Paulo é hoje a extensão de seu sonho de gigante,controvérsias à parte, deve a ousadia do Anhanguera Bandeirante, se hoje admiramos a velocidade da grande metrópole paulista, nos inserimos nela com orgulho, não podemos olvidar a presença marcante do diabo velho  nestas terras, querendo ou não ele aqui viveu, se fez do ideal de vida à corrida ao ouro dos índios é um capítulo a ser estudado á parte. No entanto graças ao destemor das entradas e bandeiras desbravando os sertões brasileiros, fundando cidades, povoando vilas, que o Brasil possue sua dimensão continental. 

5.Um pouco mais a frente encontramos na Praça Oswaldo Cruz a fonte do Índio pescando, não consegui identificar os dados históricos. O local está rodeado por mais ou menos dez árvores centenárias, três palmerinhas singelas que sentem saudades da São Paulinho antiga com seus bondes e canapés, os barões dando o ar da graça por lá... A fonte, coitada secou, os apetrechos de pesca do simpático indio sumiram, sinalizando o descaso que salta aos olhos dos transeuntes atarefados.

6. Isto tudo no início da grande avenida, palmilhada pelo m² mais valorizado da América Latina e que constitui o símbolo da pujança dos conglomerados comerciais, hospitais, shopings centers, uma variedade estonteante de lojas posicionadas no mercado da moda.

7. No afã de continuar a caminhada voltando no sentido Consolação, deixando para trás o Paraiso, haja papel, tinta e paciência de sua parte, prezado que me acompanha, no que agradeço muito a sua gentileza.  Aquele alerta apropriado da Kátia Azevedo veio a calhar, nos impulsiona para frente cada vez mais, que somados a outros esforços podem reverter a situação de abandono em que jazem os monumentos.

8. Dando uma pausa no andar, para o alongamento, sei também que dado a dimensão mastodonte da capital existem dificuldades de toda ordem para elaborar um plano englobando todos os monumentos catalogados, expostos que estão às intempéries, mas sobretudo à  indiferença de seus habitantes,haja vista o Dumont Adams, parente em primeiro grau do seu vizinho Masp.O potencial de beleza desta cidade é impressionante mas encontra-se esmaecido pela negligência daqueles que deveriam zelar pela sua restauração.

9. A par da complexidade do tema, deve existir um projeto sério tramitando neste sentido na secretaria competente para valorizar nosso cartão postal, avivar a memória histórica, regalar os olhos dos paulistanos, dos visitantes advindos de toda a parte do mundo,dos músicos e poetas de esquina que estão na vanguarda a espera da chegada da Grande Arte...

10. Entendemos que protelar este empreendimento vital é relegar ao passado apenas a vivência dos museus.A estação da Luz, por exemplo, ganhou há pouco brilho novo e demonstra primorosa sua trajetória através do tempo. E porque não cuidar melhor das rosas das rosas da casa que traz seu nome, Haroldo de Campos do alto do seu empírio poético agradeceria com versos concretos.

11. O parque < Triannon> também está merecendo cuidados especiais, andam dizendo que ele anda sentido porque o recém criado Parque Mario Covas entrou para a era das projeções tridimensionais e ele não.Porque?

12. A memória histórica de São Paulo pode acabar  pois a verticalização da cidade é um fato diário do voraz progresso, mais uma razão para balancear a situação descrita.

13. Termino com o parágrafo da sorte, pois a São Paulo de tantas conquistas é exemplo de superação inteligente de crises e problemas, sei que com um pouquinho dela , a boa vontade dos dirigentes máximos eleitos pelo voto soberano,das empresas comprometidas com o valor cultural,  saberão olhar com carinho para o seu passado de lutas e glórias e atinar para o futuro com garbo, coragem, confiança e determinação.

Helder Tadeu Chaia Alvim