quarta-feira, 9 de junho de 2010

Imagem 3D e o perigo na ponta dos dedos!

A cada dia que passa surgem novas tecnologias que torna-se difícil a um poeta mediano acompanhar sua evoluções espantosas. É o caso dos processadores gráficos GeForce GTX para os jogos de computador lançado pela Nvidia para acompanhar a onda 3d. Mais o ThinkPad X100 tela LED de 11,6 polegadas widescreen da Lenovo que vai tornar-se um estouro de praticidade para as empresas trazendo processadores AMD 2 GB de memória RAM e disco de 250 GB. Haja cabeça para decorar todas estas terminologias fantásticas. A realidade tá aí e temos que nos adequar a ela para sobreviver a avalanche da comunicação, não resta a menor dúvida.

O perigo mora na ponta de nossos dedos, pois se é fato verídico as novidades do mundo virtual, pululam os crackers, invadindo os sistemas para levar vantagens financeiras e obtenção de infomações sigilosas, principalmente nas redes sociais mais vulneráveis aos ataques dos especialistas de plantão, uma vez que este mundo não dorme, um clique desavisado e podemos botar tudo a perder. Todo o cuidado é pouco, meu amigo!

Também pode virar uma tendência ao alienamento do mundo visível, de tanto navegar esquecemos das conversas com os amigos, da caminhada salutar, da nossa família, enfim do convívio social que forja o carácter e alivia o espírito das tensões maléficas da vida moderna.

Uma boa dose de bom senso e equilibrio não vai fazer mal algum ao internauta, pois antes de exister a internet vivíamos deveras e garanto que sobrava mais tempo para o lazer e a vida era mais tranquila. A quantidade de informações que um clique traz é espantosa e sobrecarrega nossas potencialidades para decisões que dependerão o futuro de muitos empreendimentos.

Estamos atrelados ao sistema e sobreviverá lúcido aquele que se utlizar desta imprescindível ferramenta não como um fim em si, mas como uma escada propulsora para seus anseios de alma. Lá mais na frente na curva da vida verá que este conselho foi procedente e partiu de um poeta mínimo que deseja o máximo de tudo o quer for bom ao amigo que me acompanha neste reflexão despretenciosa.

Estar sempre se preparando para os desafios e embates desta jornada terrena é questão vital, mas sem abandonar o seu sonho que lhe traz a razão de viver, senão a gente passa por ela e não percebe e quando se dá conta já passou, se é que me entende... E mais uma vez obrigado de coração pele sua leitura.

Helder Tadeu Chaia Alvim.
Postar um comentário