terça-feira, 8 de junho de 2010

Outros Portais

1. A pedido de uma pessoa que muito prezo, pois representa para mim um elo forte e constante do bem resolvi citar um trecho a mais do Apocalipse versiculo 9 a 17 que muito me impressionou ou melhor me arrepiou em pensar neste inspirado texto.Continuo afirmando que não é meu propósito destoar dos exegetas canônicos - de passagem deixo registrado neste blog a atualidade do tema que visa contribuir para elucidar uma metáfora que bem se poderia aplicar à  nossa época que  tantos avanços materiais protagoniza e ainda tateia nas questões maiores do espírito.O corpo cresceu e a alma diminuiu, invertendo os valores e desbalanceando o seu equilibrio natural. Daí a meu ver as catástrofes diárias que vivenciamos, muitas vezes longes dos nossos portais e que mesmo assim afetam o cotidiano de milhares de seres humanos, irmãos nossos, independente de sua raça ou situação geográfica. Sofremos com todos e cada um indistintamente.

2.."Os reis da terra que com ela viveram no prazer e no luxo, hão de chorar e lamentar-se por causa dela, quando virem a fumaça do incêndio! Cíonservando-se a distância, pelo receio do seu suplício, dirão: "Ai! aí, da grande cidade, ó Babilonia, cidade poderosa: numa só hora chegou a tua condenação! Também os mercadores da terra choram e se lamentam por causa dela, porque já ninguém lhes compra as mercadorias: carregamentos de ouro, prata, pedras preciosas e pérolas, linho, púrpura, seda e escarlate: toda a espécie de madeira odorífica, objetos de marfim, madeira preciosa, bronze, ferro e mármore; cinamomo, amorno, aroamas, perfume e incenso, vinho e azeite, flor de farinha e trigo, animais de carga e ovelhas, cavalos e carros, escravos, seres humanos."

3. "... Os frutos que faziam as tuas delícias afastaram-se para longe de ti; todas as coisas delicadas e magníficas se acabaram para ti e não mais se poderão encontrar. Os mercadores de tais produtos que se enriqueceram à custa da cidade, conservar-se-ão a distância com receio de seu suplício, chorando e lamentando-se deste modo:
"Ai!, aí da grande cidade vestida de linho, púrpura e escarlate, adornada de ouro, pedras preciosas e pérolas! Numa hora foi reduzida a nada tanta riqueza."

4.Penso que em vez de tantos dicursos vazios a inteligência humana poderia se ocupar mais dos livros sagrados, como esses versículos tão explicativos do Apocalipse, pois seu autor se debruchou sobre a inspiração divina e escreveu uma matéria digna de ser lida várias vezes sob a égide inspiradora do Espírito Santo. Acho que grande parte de nossos problemas atuais se resolveriam. Porque não começar a tentar...

Helder Tadeu Chaia Alvim
Postar um comentário