terça-feira, 24 de setembro de 2013

a palavra que da escrita surge...

1. Poemar é uma maneira interativa encontrada pelo verbo rimar que conserva através da história humana seu frescor nas palavras que fluem da inspiração. É um cismar daqueles que se dedicam ao mister prazeroso de entornar versos no papel em branco. Neste exercício de abstração a alma se revela, doce, suave, contundente, clarividente. Posso afirmar cotejando o trabalho de criação de muitos desde a antiguidade clássica de Heródoto, passando por Cícero, Platão, Agostinho, renascendo com Dante Aliguieri, Luis Vaz de Camões, Bernardes, Vieira, Euclides, modernizando-se com Cecilia, Cora, Drumond, e tantos outros e outras, que sem eles o universo teria perdido o equilíbrio sadio do espírito. 

2. E hoje esbarramos com nada de novo sob o sol da tão propalada pós modernidade, nos encolhemos na cultura e saber e as conquistas astronômicas da ciência quântica no frigir dos ovos não estão valendo muito, o que vemos são crises mundiais, muita, fome, miséria, tanto moral quanto material, muito ego exacerbado no comando das coisas publicas em proveito particular, muita gente perdida em meio aos GPS, Smartphone, iPhone 5 S, Galaxy S 4, veículos possantes e sofisticados das informações  em tempo mais do que real. 

3. Vamos que vamos e não sabemos se voltamos, se as nossas asas douradas de glamour, poder, fama estiverem só chamuscadas nos daremos por felizes neste mundo em transição para o abismo sem volta.

4. Tenho presente que somente uma conexão empírica poderia ainda salvar o planeta terra e seus bilhões de ha. Impressões ou tristezas deste tempo mix, fantasmas à solta, tudo e todos decaíram de suas concepções abstratas, e creio estarmos sorvendo as últimas gotas do cálice amargo de um progresso mal calculado, fora de jeito, e de propósitos deliberadamente contrários ao calor humano, à auto determinação dos povos, à paz e harmonia universais.

5. Por isso infere-se deste " delírio encapsulado " anuviado pelo anjo das trevas, que uma era de  luz total deve surgir no panorama mundial, trazida por mensageiros arcanos para dar continuidade aos planos do Artífice do universo, que poucos conhecem, mas cuja gloria a natureza em sua interioridade própria canta e canta sem cessar um cântico novo a cada dia que amanhece,   a cada noite que anoitece prepara em seus segredos um outro dia mais esplendoroso ainda...

6. Bom sendo assim, esta rima quer antecipar na sua humildade própria este dia e convida-o a equilibrar a balança dos sentimentos, a limar a fé, a sonhar com este mundo bom do coração de Deus que o medirá conforme em sua nova estatura de bondade, justiça, misericórdia e vigilância constante, sem esquecer de umas pitadas de cor, brilho e poesia.

7. ' Pater si fieri potest transeatis a me calix iste! Fiat voluntas tua sicut in coellis et in terra... Adveniat Pater regnum tuum...'

8. Quando chegar a hora da travessia dos sonhos sonhados para a realidade cristalina, as nações caminharão sob o impulso e harmonia da Rosa Mistica de eleição e verão o quanto estávamos distanciados do Amor Total. Ah! a era do concreto armado dará lugar à outra: a da clorofila amada!!!

Helder Tadeu Chaia Alvim

segunda-feira, 23 de setembro de 2013

a era do re ver x o declínio delineado...

a era do re ver x o declínio delineado

1. Já pararam para pensar a situação atual, sim eu sei sim! E a responsabilidade cai nos ombros de quem? Realmente seria difícil apontar, é você! Não é aquele outro, ora, ora ninguém vai assumir a direção torta em que nos encontramos.

2. Então  jeito seria encontrarmos juntos alguma explicação plausível, delineado que está  o declínio de um mundo do médio ao péssimo. Hoje cada nação tem sua preocupação mais ou menos acentuada, você  vai se deitar aqui no hemisfério sul e não sabe o que acontecerá par exemple no norte ou leste, no oriente médio e extremo.

3. Está tudo tão incerto como a vida efêmera a que estamos fadados a abandonar a qualquer hora. Minha vó Vivina dizia que seria de bom tom estar com mala pronta para a travessia...

4. E o ser humano, que deveria ser humano, teima em não entender o que acontecer com o globo o envolverá de permeio, caminha sobre o lodo de loucos calabouços, manuseia os elementos com uma desfaçatez impressionante, lança bombas, comercializa armas de destruição em massa, engendra o maldito pó químico como se fora confetes de carnaval.

5. Seria bom ter em mente que não existe hoje em dia heróis salvadores desta ou daquela nação, que eu saiba o redentor do mundo foi crucificado naquela trágica sexta-feira e deixou o legado de uma redenção insuperável. Agora a malha humana, concebida no pecado é falha, sujeita a erros de toda a espécie, a contornos tortuosos, delineados em laboratórios das rãs decaídas.

6. A saída honrosa seria re ligar este mundo ao seu Criador, observar a lei divina do saltério de dez cordas, a natural, amar um Deus único e trino e neste amor total enlaçar o próximo com versos de alento.

7. Gente sensata não adianta protelar, Agostinho de Hipona, gênio inconteste magistralmente anteviu as suas 2 cidades em constante litigio existencial. Seria tão fácil de onde estiver cada pessoa ter um pensamento bom, elevar os olhos acima de sua cabeça, lá está o puro espírito Motor Imóvel, principio e fim de todas as coisas.

8. As barreiras existem de fato, dado a condição de matéria a que fomos criado, a força está na nossa alma imortal, infundida em nós no momento da nossa concepção no seio materno. Tudo bem elaborado por queM sabe e detém a sabedoria infinita.

9. Diante da beleza, harmonia e perfeição da criação, o homem, muitas vezes se porta como aquela formiguinha que passou a vida toda ao pé do monte Everest e não se deu ao trabalho, coitada de saber onde estava e para onde iria.

10. A não adequação com esta realidade e que causa tanto desconforte, crises e guerras, máxime neste tempo de aflição imensa, perigos, bytes soberanos à serviço de forças descontroladas e caotizadas pelo anjo decaido, inimigo nº hum do gênero humano.

11. Sopra insidiosamente  pela  boca  de  seus  lugares  tenentes  que  as  normas 'impositivas ' oriundas do Ser Supremo, não valem mais nesta era globalizada, evoluída, pós moderna, pós tudo, ante nada, de liberação geral, sem tempo para abstração ou coisas de poetas lunáticos, não tem campo mais... 

12. Passei um tempo de minha existência em uma ilusão, de alma desfigurada, por isso me detenho a escrever neste blogger em ritmo de conversa amena e sincera, convidando meus brothers a recuperarem comigo o tempo perdido, a amar doravante a Deus sobre todas as coisas e Nele enxergar a face oculta do semelhante.

13. Gostaria que encarasse irmão meu esta fala como um convite, de sorriso aberto, coração aquecido, justamente quando o planeta se aproxima deuma escatalogia, quando uma era não tão ciosa do bem, falha, perversa, e que na sua empáfia deixou muito a desejar, fez sofrer muita gente inocente e não sabe agora como encarar o Amor Total quando ele chegar...


14. O resgate da humanidade já se deu no ano 33 da nossa era, quando um Deus humanado, no gólgota das dores pronunciou 7 palavras de sonoridade ampla, perene e universal e na prática mediu sem medida o seu  Amor Infinito às criaturas: '- Tenho sede; Pai perdoa-lhes, eles não sabem o que fazem; Filho eis aí sua Mãe; Mãe eis aí o seu filho; Ainda hoje estará no Paraíso comigo; Pai, porque me abandonastes? Tudo está consumado!'

15.É impressionante a atualidade da redenção, quando um Deus em um ato de amor total assume a natureza humana em tudo, menos no pecado e planeja e realiza de fato a salvação do gênero humano. Tateamos hoje nas sombras da morte porque não houve reciprocidade nossa com a cruz que contém a verdadeira luz do mundo, tudo o que destoa dela é apenas facho pequeno que o menor vento da história apaga não só sua memória, mas mesmo os vestígios de sua existência. 

16.Hoje quando nuvens carregadas de sérias preocupações ofuscam a beleza da criação, ainda sopra a fagulha e de quando em vez sentimos saudade de algo indefinido, além de nosso corpo. O que seria senão aquele paraíso de delícias que Cristo prometeu a Dimas no gólgota daquela sexta feira de todas, santa!

17. Sentimos-nos num imenso mar de abandono, mesmo cercados por tanta gente, tanta informação em tempo real, tanta rede social, instagrans, smartphones, satélites de olhos biônicos... Mas a solidão bate, e bate com força e reflete em nosso ser, no íntimo de cada um...

18. E ainda mais quando percebemos que a derrocada deste mundo que não conseguiu se sustentar seria uma questão de tempo, lembramo-nos de  7 palavras que salvaram nossas almas, e inserida nelas a que mais toca o nosso coração: 'Filho eis aí sua Mãe!'

19. Quando mais a situação fica fora de controle, a existência torna-se amarga, mais a lembrança dessa promessa enche nossas almas de confiança e esperança de dias melhores que virão!

20. A atualidade do gólgota na vida da humanidade está atualizada de uma forma transcendental e única, aí está o balsamo para todas as feridas abertas pelo egoísmo do homem em subjugar o homem, pela força bélica, psicológica, pela descrença, pelo ceticismo.

21 O centurião Longino, estava presente ao ato mais principal da história e exclamou que verdadeiramente o justo era o filho de Deus e também filho de uma Virgem, concebida sem o pecado original, preservada tendo em vista os méritos do calvário. '...de que nEla a axiologia do plano de Deus se realizou completamente.' Magnificat Mãe pelo seu grande Sim Co-redentor!

Helder Tadeu Chaia Alvim 

O Ele, Empírico e a curva da historia...

1. Quando Cristo na histórica ocasião se encontrou com a Samaritana e disse ter água cristalina e pura para oferecer, ela entendeu em sua atilada psicologia  feminina  tratar-se de um momento único para si e seu povo. Acreditou no Rabbi e saiu a proclamar a chegada do reino de Deus.O Messias estava no meio do povo eleito e viera com a missão de resgatar o mundo do pecado, da maldade e das trevas dos erros. Enquanto à sua volta e mais além as sandálias de ferro da Legião Romana dominavam os povos e a razão,o Nazareno pôs-se a pregar uma água que iria regenerar à partir do Jordão o mundo inteiro até a consumação dos séculos.

2. Se fôssemos relatar à maneira de João Evangelista tudo acerca do Grande Mestre uma existência seria pouco e milhares delas não dariam para abranger toda a teologia de Deus que Cristo encarnara. Mas o tempo Dele amanhecera bem diferente e contrastante com o período histórico ferrenho a que encarnou no seio de uma Virgem para resgatar o homem inteiro e introduzi-lo no paraíso de delicias empíricas.

3. À Maria de Magdala não julgara seus atos, oferecera a mesma água que anteriormente a Samaritana sorvera, e Madalena aquiesceu o chamado, um dos mais lindos e cristalinos que se tem notícia e com fé e unção prática seguiu o Mestre ao extremo do heroísmo de santidade e renuncia dos prazeres do mundo.

4. Entendo a fala do Papa Francisco neste contexto, e que não se pode excluir da Igreja pessoas, a cada um compete no seu infinito particular seguir ou não lei natural e se o sim vier, que se posicione na estatura do Evangelho e no final da jornada terrena, quando a travessia sem volta se apresentar estará cada um no seu íntimo preparado para o banquete onde o melhor vinho será servido ou na pior das hipóteses haverá, dado o livre e solto arbítrio, após o juízo particular a companhia nada agradável de anjos decaídos e o horror de sua presença maléfica para todo o sempre.

5. A não ser assim a Igreja se tornaria não a Pedra de Contradição do Grande Pescador mas uma espécie de clube de campo para aplacar a comiseração alheia, mostrar cultura e flanar nos tabores materiais sem perspectiva sobrenatural. O Cordeiro num ato extremo de Amor Total se imolou, e na sua esteira salvífica Pedro, Paulo, Estevão, Lino, Cleto, Maria Magdalena, e tantos e tantas levaram ao limite quase infinito suas vidas... e lograram alcançar a bem aventurança, lá onde as traças não corroem e nem muito menos os ladrões abocanham para si...

6. Na era atual de escatalogia anunciada o que vai contar é o coração, e quem errou ao abortar, que reconheça o ato de atentado contra a vida do sangue de seu sangue inocente e abra novamente a possibilidade de dar uma chance para a vida de fato nas leis e em seu meio de atuação, por que não! " E por ironia ! Los que están a favor del aborto: Nacieron" < E que os modismos sexuais, tão antigos e tão novos repensem sua maneira de agir pois a essência do Evangelho é bem clara, tudo passa e o mundo bom das certezas empíricas aqui no planeta terra será o tempo do Pater e da Rosa Mistica, e quem se habilitar a provar de sua água cristalina terá que estar em sintonia de fé e razão com o Crucificado e sua Mãe Santíssima.

7. Será uma nova era da harmonia, união, paz, caridade, bondade, vigilância, amor e temor de Deus. Não adianta fugir desta realidade que vai surgir 'ex opere operato'  na curva de uma história arcana que não será dos homens mas do Amor Total que emana do trono do Cordeiro e o perfume puro, profético, formidável de uma Rosa se fará presente no ar da Poesia Divina.

Helder Tadeu Chaia Alvim

terça-feira, 17 de setembro de 2013

Diário do mar sem fim...

o diário do mar sem fim...

Apresentação

Nessa Melodia plenamente Estonteante de Luar existe uma flor de rara beleza que guardo com carinho, cultivo com afeição no universo espiritual de uma amizade sem fim. Ao folhear este diário , você encontrará uma emoção forte, delírios de um poeta, que na liberdade lírica retrata a alma da Mulher. Buscas, tempo, mar e a lua se confundem em uma viagem de vinte dias de solidão. Na calma e vagar esbocei este poema ou diário do mar sem fim... Surgiu uma linda pintura , imprimi e resolvi entregar a quem é de direito, depois do sonho veio a elaboração alegre e o poema ficou com a cara meiga da lua que me encantou uma tarde de manifestação na São Paulo das diversidades.

10 set...
Oi metamorfose de amizade sincera ao me distanciar posso ver seus passos na cidade interativa a rocejar nas ruas, um tanto vazias de sentido pois seu amigo não está mais por perto...

11 set...
Hoje fui ao mar, suas ondas me envolveram completamente.... a minha deusa estava distante uns 970 km.... o tempo e o ma r me disseram: - poeta irmão, que bom que você veio nos visitar, estamos sabendo de suas aventuras de cotejar a lua, mas.... algum astro na certa a esta altura lhe roubou a atenção e a afeição.... – Entendeu! Quem sabe em outro dia uma brisa suave põe-se a soprar de novo seu hálito quente assim....

12 set...
Ao contemplar o mar de Marataízes uma enorme onda se formou, vi nela a sua face sincera a sorrir para mim! Pensei ser miragem ou viagem.... rss,rss,rss, mas para minha surpresa não! Era sim o alvorecer de um lindo dia que vi nascer... Feliz aniversário!bjs bjs bjs. Te volo bene!

13 set...
Minha ‘metamorfose’ de suave delírio, poema lindo de rimar na forma que denota afeição, tem a seu favor o tempo e o mar a sussurrar assim: existe um tempo para amar... outros para enfrentar os baixios e um tempo para olhar o mar...

14 set...
Crisálida em botão, rosa flor, rosa amor, sonho de eleição.... dia pleno ao tocar o mar, me recordo dela mais uma vez a rocejar o meu coração de poeta. Labios de Mel,... suavidade sem fim....

15 set...
Lua de singeleza que brilha no firmamento de minha vida, e nas incertezas me guarda, com carinho me protege e me enleia com seu jeito e olhar que ilumina...

16 set...
Se pudesse lhe daria as estrelas, o dia, as tardes e noites, oceanos, vales e montanhas e o espaço sem fim do meu coração, quanta saudade!

17 set...
Só posso de onde estiver lhe desejar o mundo bom de suas certezas empíricas,, que continue esta pessoa incrível que é. Ser seu chegado me trouxe uma alegria imensa,, uma razão intensa para cantar as canções eternas do mar sem fim...

18 set...
Os amigos do bar pirata notaram a minha inquietação e ainda faltavam dez dias para partir... - O poeta mal chegou e seu pensamento está em outro mar... a mil melodia... ah! ah! ah!

19 set...
Na calmaria a saudade bate forte, olho o norte e vejo uma estrela a brilhar... Será... Falei dela ao mar, à lua, ao tempo... Eles me disseram: - Que fisionomia de Mel ela tem!!! Carrega um quê de paixão no olhar... razão na alma... emoção no andar...

20 set...
Hoje o dia amanheceu estonteante e passou brilhante, à noite fui pescar com o amigo Doca. Ah! foi bom lançar livre as redes, conversar demoradamente com meu velho truta, depois ficar à imaginar o quanto estou enredado no coração de uma sereia...

21 set...
O mar companheiro fiel de tantas aventuras disse: - poeta irmão a realidade de cada um se mira pelo espelho, aconselho só amar... amar... amar... - Ah! mar se não fosse assim o que seria dos românticos? Ele, atencioso respondeu:- Um mundo sem brilho e cor... uma existência fria sem amor não vale!

22 set...
Hoje, domingo a brisa está suave nooossa! Que brilho bonito no céu. Queria ofertar à alguém... Mas lembrei-me que ela possui seu brilho próprio e ninguém vai conseguir roubar-lhe o encanto.

23 set...
Arrisquei um mergulho na Lagoa do Siri, esteve calma a manhã inteira e a linda paisagem da praia de Marataízes me extasia, é um convite irrecusável para andar pelas suas areias mornas, à tarde como de costume as gaivotas vão sobrevoar em belas rasantes para catar mariscos e de repente me encontro pensando nela... 


24 set...
Primavera chuvosa e fria, da janela avisto o céu nublado, hoje não sai para lugar nenhum, fiquei andando de um lado para o outro, revendo anotações, folheando o álbum de família, carregado de lembranças... recostei na cadeira de lona e da varanda avistei o meu mar sem fim... quantas inspirações me  proporcionou  nesta viagem... quantos planos de futuro idealizei em sua companhia...
Fechei os olhos e acordei bem mais tarde, acordei de um sonho com minha irmã chamando para o jantar. Conversamos sobre nossa mãe, recordamos a nossa infância na estância Pirineus. Ah! era feliz e não sabia, alegre e não merecia presenciar tantas maravilhas, vivenciar tantas energias sadias! Foram boas e saudosas as recordações entrecortadas de saudades, tudo passou tão depressa. Depois rabisquei uns versos, estava tomado de emoção e com ela consegui prosseguir este diário dedicado a uma amiga de nome Mel. 

25 set...

Um  dia   triste   lembrei-me  de  minha  mãe...  Zarpei   cedo  pelas  encostas  de Maratiba, caminhei sem rumo definido... o calendário estava passando agora mais célere 25... depois  26, 27, 28, e enfim seria 29 – dia do arcanjo Miguel,  aquele da espada forte que expulsou a maldade do céu,  faço  uma prece antecipada, e penso onde estará  o meu tesouro de Mel?


26 set...
O vento me acordou  no  meio  da  noite,  soprou no meu rosto um aroma de jasmim e  disse:
 -  poeta  vamos  andar  ao  leu, vejo que andou triste  o dia todo, não fica assim brother ,acalme sua alma...


27 set...
As   horas  escoam  lentas,  e   como   é   bom   a  gente   se  aquietar,,  colocar   o   pensamento   em  ordem, inquirir  de  seus  sentimentos, vasculhar seu infinito  particular e depois deixar   a  emoção  chegar  devagarinho,  as  lembranças,, as conversas,, os   passeios  na  São  Paulo  dos   contrastes  de arrepiar... os  risos soltos... os  versos em torno  de  sua  pessoa, quantas  coisas  boas...em  tão  pouco tempo pude saborear ao lado dela...

Ops! Hoje retorno da viagem, vou chegar em Sampa amanhã... vou adiantar as postagens até dia 30 set...

28 set...
Ops!  O  mar  sem   fim  trouxe-me  uma  decisão,  mesmo estando longe sinto que ela está tão perto do meu coração...um longo  abraço  de  saudade  recebi  hoje  dela,  que  incrível,  só possível  acontecer uma vez no espaço de um tempo passageiro.

29 set...
Finalmente raiou o dia de voltar para  os  meus  braços de Mel,,  acordo   cedo, me  despeço  de  todos,, triste e  alegre  ao mesmo tempo;  a  viagem  será  longa  até  São Paulo, se pudesse voava nas asas do vento impetuoso para contemplar aqueles cílios de Mel...Ouvir sua voz, contemplar aquela fisionomia dos deuses.

                        Conclusão 

a. São Paulo, a metropole, que não para,  impressiona a cada vez  que  você  retorna,  a  cada manhã que você  acorda e se envolve no hálito quente de sua agitação,  A cada momento que se  dá uma pausa  para o almoço ou mesmo  na  parada  nas  mesas  de  bar,  no finalzinho do expediente você  reflete  no  olhar  de  um  amigo  seus sonhos mais secretos a espera  da  elaboração  prática. Esta  é  a  cidade  que  amamos   na realidade absurda de seus contrastes, foi numa dessas circunstâncias  que encontrei   Mel  e travamos uma amizade assim...
B. Ah!  a  cidade   da  consciência  coletiva  que  não  para nunca , e  consegue  mesmo  inovar sem perder o aconchego de seus detalhes intimistas se você tem sorte de encontrar pessoas amigas do caráter  e feitio  de dela.  Daí a simples razão de surgir este diário e de todas os versos que traz na alegria solta de um riso alegre.
c. Existe  um  tempo  para  ver   o   mar... e   outro  de   amar...  ambos idênticos,  o mar reflete  a  lua  e  seus  encantos, ele  continua  amargo, pois não conseguiu de Zeus a chance de amar, sem  por isso  deixar  de   ser   romântico,  imenso,  intenso   em   seus sentimentos  nobres a respeito   da  ninfa  de  sua  eleição.
d. O   amor  navega     em    oceanos    desconhecidos   da    maioria    dos    marujos,   fez     um   pacto     com     a    sinceridade   e   não   abre  mão  de  sua  ingenuidade.  Descobre  logo  no primeiro    olhar   a  rima   que  vai  levar, e  volta  de  sua  viagem carregado de  sonhos,  quase infinitos...  E põe- se a realizá-los um  por  um  –  dois  por  dois  para voltar a sonhar de novo.
e. Quem  tem  sorte   neste conjugar  tão  difícil  e  tão  fácil,  pois  envolve  a  alma  da pessoa   amada,  sabe  do  enlace  do  verbo amar,  que  muitos   procuram   e   poucos  almejam  alcançar  este  sopro  divino  do  bem querer.
f. Ah!   uma   espécie   de  delírio  envolve  quase  por  completo  aqueles que se amam   de  verdade,  e   o  querer  de   ambos  se   fundem   numa metamorfose   maravilhosa, o  relógio  para  quando  estão juntos, o  tempo conspira  a   favor  do  amor... Não  fora assim o épico Camões não teria cantado a glória de Dinamene.
g. Ah!  amigo  mar, amar  é   tão   bom... uma   espécie  de melodia de mel no   coração,  uma  cascata   de   luzes,   um acorde   que   este   mundo teima   em  desconhecer, pois   entroniza  em  seu  lugar a  moda,  o status em vez do olhar, só do olhar...
h. Hoje   vou  me  encontrar  com ela,  uma mulher  especial, de  alma sublime,  simples, singela mas que revela no brilho  do  seu  olhar  aonde quer  chegar em se tratando de amizade e  relacionamento  humano. Tornou-se  em  pouco tempo em minha  vida uma amiga  do  coração,  uma   estrela   a  brilhar  no     firmamento  das  rimas e   versos   ao amanhecer... Por isso  quero  presenteá-la  com  este  diário do mar sem fim... e com um vestido azul da  cor de  seus  sonhos e  mesmo  se  eu  não  me tornei alvo de seu bem querer, ela vai continuar assim: este mar incrível de amor sem fim...
I. Não  estou  apaixonado  por  ela  e  nem  ela  por  mim,  as  nossas  conversas  são espirituais, a as nossas almas se entendem no mundo de nossas certezas  onde um não vale por um sim, ela conquistou a  minha estima e a nossa união fraterna está ligada na força da compreensão, nas ideias que batem desde o início e nos ‘sonhos da visão’.
L. Estou contente pois, vou poder vê-la novamente e continuar juntos na boa a idealizar mundos, mudar os rumos de um universo em versos. Aprendi dela que a mudança do mundo começa no calor humano, na prece a Deus. Não abrimos mão de nossa amizade ser assim: sem hora para estar, sem tempo de terminar, sem cobranças, sem perfis sofisticados das passarelas fashions, mas pousa  leve  e suave no olhar...
M. A doce melodia é assim: um livro, uma prece, um poema, uma estrofe, uma pessoa querida, linda de amar. Enfim para mim sempre será uma Melodia Estonteante que encerra o Luar pleno de conchas, pérolas, tempo e mar....

Ah! muitas das vezes o amor pode desmoronar-se, do ar ausentar-se a poesia, a lua eclipsar-se e partir em busca de algum astro errante, o tempo, ora o tempo perder a razão, mas a amizade  sincera, não, ela constitui-se em uma espécie de ponte espiritual onde você vai e volta a qualquer hora...

São Paulo, 15 de setembro de 2014

  






Marataizes, 12/09/2014

Helder Tadeu Chaia Alvim
poeta minimalista

terça-feira, 10 de setembro de 2013

o mundo bom segundo Deus x a era home biométrica

1.' Qual o homem que pode conhecer os desígnios de Deus?' Ou quem pode exatamente imaginar o pensamento de Dele, o que passa agora em sua mente cristalina justa e sábia, toda a sabedoria da terra é pó comparada a sua onisciência. "Na verdade, os pensamentos dos mortais são tímidos e suas reflexões incertas, porque o corpo corruptível torna pesada a alma
e a tenda de argila que somos oprime a alma que pensa. Mal podemos conhecer o que há na terra e com muito custo entendemos o que está ao alcance de nossas mãos - ensina o livros da Sabedoria - e continua esclarecendo: " Acaso alguém teria conhecido o teu desígnio, sem que lhe desses sabedoria e do alto lhe enviasse teu santo espírito? Só assim se tornariam retos os seus caminhos e os homens conheceriam o que te agrada e pela sabedoria seriam salvos."

2. Nem há mister de me estender mais, olhando a nossa volta e dentro de nós mesmos vemos o quanto estamos distantes do ideal para nós e para todos os nossos irmãos do mundo inteiro, pois a mão que fere e mata, subjuga, engana não merece compartilhar o mundo bom...

3. E o salmista lembra a condição humana precária peculiar a todos indistintamente: " Vós fazeis voltar ao pó todo mortal quando dizeis: ' Voltai ao pó, filhos de Adão, pois mil anos para vós são como ontem, qual vigília de uma noite que passou, eles passam como o sono da manhã, são iguais à erva verde pelos campos: de manhã ela floresce vicejante, mas à tarde é cortada e logo seca.

4. Ensinai-nos a contar os nossos dias e da i ao nosso coração sabedoria! Senhor vinde, até quando tardareis, saciai-nos de manhã com vosso amor e exultaremos de alegria todo o dia. Que a bondade de nosso Deus repouse sobre nós e nos conduza, tornai fecundo, ó Senhor o nosso trabalho.'

5. É o que vos pedimos hoje meu Deus ao lembrar do irmão povo Sírio e da sua grande tristeza... Vivemos num tempo avesso ao sobrenatural, os homens, muito deles que detém o poder, muitos que estão à serviço do mal preparam a industria da guerra e Deus em sentido oposto prepara a revanche do Bem maior Comum. Será uma transformação inesperada, repentina como o trovão rebomba ao longe e a chuva chega com a capacidade de inundação para quebrar o orgulho dos maus e levantar a humildade dos bons...

6. Adentramos na era home biométrica sem muito entusiasmo, pois a comunicação excessiva está levando a humanidade a sua quase completa destruição, se não fora material, quiça espiritual, pois sem a alma de calor o humano fica abaixo do abaixo destes inventos impressionantes e não serve para quase nada.

Helder Tadeu Chaia Alvim

segunda-feira, 9 de setembro de 2013

' não tenho tempo!'

Assunto: ENC: Não tenho tempo!
Dom Murilo S.R. Krieger, scj
Arcebispo de São Salvador da Bahia – BA

O Eclesiastes é um interessante livro bíblico, do Antigo Testamento. Seu nome vem do grego
e significa: o homem da assembleia; aquele que toma a palavra na sinagoga. Escrito em
hebraico pelo ano 250 aC, esse livro comprova a influência da cultura grega na Judeia. Um
tema atravessa, de modo especial, todos os seus capítulos: a precariedade das ocupações
humanas. Tudo é –vaidade–, ou seja, tudo é neblina, fumaça e ilusão. Pessimista? Diria que
não. Seu autor, um sábio ancião, quer instruir os jovens a viver com realismo e seriedade.
É o que se conclui, por exemplo, com suas observações sobre o desenrolar do tempo: –Tudo
tem seu tempo, há um momento oportuno para cada empreendimento debaixo do céu. Tempo de
nascer e tempo de morrer; tempo de plantar e tempo de colher a planta (–); tempo de chorar
e tempo de rir– (Ecle 3, 1-2.4). A partir de suas observações, faço as minhas.

Um dia, quando se escrever um livro sobre o nosso século, talvez se escolha como título:
–A época dos homens sem tempo–. Afinal, nenhuma justificativa é tão usada como a da falta
de tempo. Ninguém tem tempo. Nem os adultos (no telefone, depois de não ter ido à reunião:
–Pois é, infelizmente não tive tempo––), nem os jovens (ao professor na Faculdade: –Por
que ainda não entreguei o trabalho? Tempo, falta de tempo!–– ) e até as crianças (à mãe,
que pede ao filho para fazer um serviço: –Ah! Mãe, logo agora que não tenho tempo?–).

Alguns não se dedicam a clubes de serviço porque não têm tempo. Outros não visitam seus
parentes porque –não se tem mais tempo para nada–. Aquele jovem não estuda, este não
trabalha e você nada lê porque lhes falta tempo. –Os homens não têm mais tempo de conhecer
coisa alguma. Compram tudo prontinho nas lojas. Mas, como não existem lojas de amigos, os
homens não têm mais amigos–, é a irônica observação da Raposa ao Pequeno Príncipe.

A conclusão a que se chega – conclusão óbvia, clara, cristalina – é que há alguma coisa
errada. Essa evidência se acentua quando se ouve a desculpa daqueles que cortaram, aos
poucos, todo relacionamento com Deus, por um motivo muito simples: não têm tempo!
–Gostaria de ir à missa, mas não tenho tempo. Desejaria ler o Evangelho, pensar nos
outros, rezar, ser voluntário em algum hospital mas, infelizmente não tenho tempo–. Se o
ser humano não tem mais tempo para cultivar sua amizade com o Pai ou para ir em direção a
seus irmãos, alguma coisa está mesmo errada. Demos, pois, uma de pesquisador: procuremos o
culpado por essa situação insustentável.

Seria Deus? Afinal, foi Ele que deu o tempo ao ser humano. Mas, talvez lhe tenha dado
pouco tempo: afinal, há tanto que fazer!– Contudo, convenhamos: seria um absurdo pensar
assim. Ele certamente dá aos homens e mulheres o tempo suficiente para que possam fazer o
que Ele quer. Mais: Ele só espera de cada pessoa o que ela tem condições de fazer.

O problema da falta de tempo teria como causa o próprio ser humano? (De você, por
exemplo?). Afinal, quem consegue realizar tudo o que gostaria? Dada à nossa insatisfação
contínua, por mais que alguém aja, fale ou pense, sempre falta pensar, falar ou fazer
alguma coisa. Novos horizontes se abrem diante de cada caminho percorrido. O que fazer,
então? (–Fazer mais alguma coisa ainda? Mas eu já disse que não tenho tempo!––). Abra o
Evangelho. Ouça o que Cristo tem a dizer sobre isso: –Marta, Marta, tu te preocupas com
muitas coisas. E, contudo, uma só é necessária–. O que seria o essencial na vida, o único
necessário? Deve se tratar, sem dúvida, de uma realidade que permaneça sempre, que não
passe com o tempo, que continue a existir mesmo após a morte – que é, para cada um, o fim
do tempo.

Um dia, um doutor da lei perguntou a Jesus o que era mais importante – isto é, o que é que
era essencial e resumia sua doutrina. A resposta do Mestre foi simples: o amor. O amor ao
Pai e o amor aos irmãos. O resto, isto é, o que cada um vai fazer, pensar ou dizer, será
uma consequência de seu amor. Ora, se alguém não tem tempo nem para se doar, que pobreza!
Talvez seria melhor não ter recebido tempo algum!–'