sexta-feira, 30 de agosto de 2013

Coração de Mel

I
Onde andará o coração de mil melodias? Que surgiu no brilho de um sorriso em junho frio e aqueceu a vida de um certo poeta. E no calor de um abraço terno revelou o doce olhar de seu jeito sincero.
II
A onda do mar sem fim é assim: ao acaso surge, na inspiração se compreende, na trilha afora se estende, na prosa e verso adiciona-se, nas estrelas, oceanos, vales e montanhas, vislumbra- se.
III
Ai da rima _se não fosse a partícula SE, se quiserem indispensável até. Ela mereceu ser lembrada, estar a seu lado é um poema, ouvir sua voz um dilema, ser seu amigo uma razão a mais para acreditar no inatingível tempo, ao lado dela, onde estiver, a existência tem sabor de suave delírio.
IV
A cada dia uma visão se sucede à outra, podem achar devaneios, mas no seu olhar não anda-se, voa , não caminha-se faz-se peregrinação, na sua intuição feminina atilada a vida se torna mais leve,o juízo esclarece, a calma e a paz estabelecem a prosa alegre, ou a possibilidade de um sonho arcano ser decifrado nas asas da imagem em ação.
V
- Oh! amigos: mar e tempo não duvidem não brothers do eu digo! Ainda não terminei, por favor me ouçam mais um pouquinho antes de rasgarem estes versos escritos ao amanhecer, sentidos para perceber; dela a gente não se cansa de falar, a sua lembrança traz uma suavidade incomparável, seu nome destila néctar espiritual, gotas de riquezas indizível, uma realidade empírica emanada dela que pouco a pouco me envolveu completamente.
VI
- Oh! tempo não fora seu impulso dos deuses que determinou o encontro do mar e a lua? - Oh! mar não aconteceu você ter soprado a monção da esperança que trouxe esta amizade sem fim... Então porque ralham comigo como se eu ousasse roubar-lhe o encanto.
VII
Então ela mereceu este louvor e outros mais... a razão e a emoção juntas me conduziram a externar em palavras o universo de intuição que poucos conhecem mas cuja a alegria esta estas rimas soltas pretendem doravante cantar. Ao fitar sua fisionomia um quê de humano, simples, sincero e divino afloram naturalmente, sem se revelar inteiramente. Juízos e observações à parte, a cristalina amizade que nos une nesta cidade me permitiu escrever esta trova deveras.
VIII
Calem-se hoje os bytes velozes, desapareça de sua frente a moda fotoshopeada, ela não carece destes artifícios e nos solstícios de inverno setembro desponta no calendário e de onde estiver vou me lembrar de seu aniversário com carinho e afeição.
IX
Ao contemplar solitário o mar sem fim... ofertar-lhe-ei rosas de mistico sentido a pensar comigo: a Mel é assim... – Oh! Mar, leve esta canção singela a ela por mim! - Oh! tempo me dê uma chance para desfiar estes versos de presente, mesmo despedaçado pela ausência momentânea, carente ao extremo de sua presença amiga. ansioso de sua anuência, vou frequentar por um instante apenas seu pensamento e declarar o quanto prezo esta amizade sem fim...-Ah! amigo mar você já se sentiu assim ao avistar a lua clara e não poder tocá-la com amor pela distância que os separam?? Dedicar a ela versos e mais versos nas enseadas frias? Compor uma melodia a cada minuto? Pensar nela a cada segundo?
X
- Ah! Amigo poeta, eu entendo sua inquietação, também fui guerreiro e conquistei várias sereias, mas a mulher que admiro ficou distante e Jorge ganhou a disputa em riste, fiquei tão triste que minhas lágrimas lá no começo inundaram metade da terra. Amigo estamos nessa e a sua vantagem é que poderá velejar até ela, rolar qual pedra para seu pedacinho de céu.
XI
- Obrigado mar sem fim... vou sonhar e desejar para ter este tesouro sempre perto de mim... ouvir indefinidamente a melodia suave que brota dos lábios desta ninfa de mel.
XII
Confabulei com ela nas mesas de bar, entendi seu pensamento, interagi o entendimento, estendi o mais que pude o momento, analisei pelos seus olhos o movimento do tempo na São Paulo das manifestações e dos contrastes mil! Ela me ensinou a ver a face correta do semelhante, e aos poucos fui percebendo em sua alma detalhes escondidos e hoje me ponho a rimar recordando seu semblante alegre e sorrio, e me ponho a rimar para sempre e sempre no seu universo viajar mesmo estando a 970 km de distância.
XIII
É, ao fixar seu olhar,numa boa, queria possuir do mar a imensidão, a amplitude, a coragem, a suavidade para prosseguir esboçando versos e mais versos do coração! - Ah! tempo irmão das coisas efêmeras > me diga francamente você que conhece o sentido exato da existência, que já viu muito, viveu o bastante, você já sonhou acordado, já se encontrou a cismar nas asas do vento impetuoso em noite enluarada?
XIV
- Já sentiu o gosto de duplat em seu paladar amargo e porventura, atordoado, em suas veias não se confundiu em seu próprio time? Você algum dia 'irmão das coisas fugidias' à moda de Cecília Meireles, não ficou ou não passou quando esteve ao lado de alguém que admira e não parou o relógio?
XV
O tempo como que disfarçou seu riso irônico e declarou seu ponto fraco: - Simmm, foi numa tarde de sol eu me apaixonei por ela, uma nuvem bela, e consegui dela um quis eterno. Fui punido e hoje vagueio vigiando a efêmera condição do ser que deveria ser humano! Mas poeta é assim, gosta do imposível, e quanto mais o mar for sem fim, melhor!
XVI
- Mas... mas... poeta me fale mais dela, desta princesa que arrebatou seu coração... continue amigo de minha condição, aprecio sua elaboração e sei que não mente, o que fala sente. - Misteriosa sereia, que clareia o pensamento, o sentimento incendeia, ela conseguiu unir em sintonia o concreto e o abstrato. Esse é seu o retrato no esboço desses traços, amigos mar e tempo!
XVII

Então o tempo balbuciou pensativo uma espécie de prece, parece }'kaire poiésis ars tou karpous' e tive um arrepio: -Você passou junho esperando setembro... poeta, poeta calma, cada rima a seu momento. E continuou com uma voz que ficou gravada em meu ser, e não era nada do que queria ouvir para meu gosto desencanado, que me despertou de um sonho... que relutava em acordar. Mas fazer o que? - Veja meu caro, veja você que o mar na sua maré alta pula sempre para tocar a lua, dança uma valsa em ritmo de baião, mesmo ao captar a essência da lua, ele continua mar, sem chance de amar... e a lua devaneia formosa flertando com o astro de sua estatura e beleza...
XVIII
- Entendeu! Aos poucos volto a realidade, olho para cima e vejo a lua serena a refletir no mar de Marataízes suas 
certezas, toco no mar, ofereço a ele meu ombro solidário, somos parecidos, idênticos e ao me distanciar ainda ouço sua voz rouca, que entre lamentos e afeição parece dizer: 'kekaritomene ars poiêsis, kaire mel luna karpous'. E na silhueta do tempo que vai passando lentamente em minha frente me disponho a encerrar esta rima benfazeja agradecido a Deus por me proporcionar a oportunidade feliz de homenagear a meu jeito uma grande amiga e oferecer-lhe a inspiração nestas linhas, contida. 
XIX
Dezenove não é vinte, e para chegar em 22 falta trecho, é vejo que foi bom navegar por esses mares de mel, e por falar nela, aliás o que fiz o tempo todo com alegria e gosto pensado sem pesar na alma e com calma pretendo encerrar, viu.
- Querida amiga Mel Santana, estes versos são seus, guarde deles o que for bom para você,fragmentos esparsos de nossa
amizade, espero que goste de verdade! Postei estas estrofes em forma de prece, parece, nesta criação que guarda a grata 
emoção de ser seu amigo do peito.
XX
O título você escolhe, o presente é seu, somente seu, curta-o o quanto puder, o passado ficou no mar, o futuro pertence ao tempo soberano. Deixo a ti um grande salve, e que tua estrela continue a brilhar na vida de todos os seus amigos, inclusive eu. Sob o signo de mel foi ficando nesta paragem do mar sem fim, pois o tempo é assim... 
XXI
Que a chuva possa cair + mansamente em seu telhado, que Deus possa tê-la +calmamente na palma de suas mãos até que nos encontremos + uma vez. Abraços de saudades,de algum lugar do reino da amizade sem fim, perto do coração de Mel assim...
XXII 
Vai chegar, está a caminho... ah! um dia frio de junho as mãos preguntaram a uma certa rosa porque perdera a razão?
Ela pensou, pensou e respondeu com aquele perfume de mel que na verdade permanece na sua essência de rosa primeva e
respondeu simplesmente: - Entendeu... foram as gerações humanas que perderam o olfato e sensibilidade do toque essencial... ah! ah! ah! As mãos quedaram amuadas e sem dizer mais nada silenciaram...


' Sonho é um desejo d'alma n'alma a adormecer. E no sonho a vida é calma, é desejar para ter. Tem fé  no teu sonho, teu lindo dia há de chegar. Que importa o mal que te atormenta, se o sonho te contenta. E pode se realizar...'


Abraços de saudades,
Marataízes - ES
12/09/2013

Helder poeta











quinta-feira, 29 de agosto de 2013

O Amigo...

'SÓ OBSERVANDO !'


"O padre de uma igreja decidiu observar as pessoas que
entravam para orar.

A porta se abriu e um homem de camisa esfarrapada adentrou pelo corredor central.

O homem se ajoelhou, inclinou a cabeça, levantou-se e foi embora. Nos dias seguintes, sempre ao meio-dia, a mesma cena se repetia. Cada vez que se ajoelhava por alguns instantes, deixava de lado uma marmita.

A curiosidade do padre crescia e também o receio de que fosse um assaltante, então decidiu aproximar-se e perguntar o que fazia ali.
O velho homem disse que trabalhava numa fábrica, num outro bairro da cidade e que se chamava Jim.

Disse que o almoço havia sido há meia hora atrás e que reservava o tempo restante para orar, que ficava apenas alguns momentos porque a fábrica era longe dali.

E disse a oração que fazia:

'Vim aqui novamente, Senhor, só pra lhe dizer quão feliz eu tenho sido desde que nos tornamos amigos e que o Senhor me livrou dos meus pecados. Não sei bem como devo orar, mas eu penso em você todos os dias. Assim, Jesus, hoje estou aqui, só observando.'

O padre, um tanto aturdido, disse que ele seria sempre bem-vindo e que viesse à igreja sempre que desejasse.

'É hora de ir' - disse Jim sorrindo. Agradeceu e dirigiu-se apressadamente para a porta.

O padre ajoelhou-se diante do altar, de um modo como nunca havia feito antes.

Teve então, um lindo encontro com Jesus.
Enquanto lágrimas escorriam por seu rosto, ele repetiu a oração do velho homem...

'Vim aqui novamente, Senhor, só pra lhe dizer quão feliz eu tenho sido desde que nos tornamos amigos e que o Senhor me livrou dos meus pecados. Não sei bem como devo orar mas penso em você todos os dias.
Assim, Jesus, hoje estou aqui, só observando.'

Certo dia, o padre notou que Jim não havia aparecido. Percebendo que sua ausência se estendeu pelos dias seguintes, começou a ficar preocupado. Foi à fábrica perguntar por ele e descobriu que estava enfermo.

Durante a semana em que Jim esteve no hospital, a rotina da enfermaria mudou. Sua alegria era contagiante.

A chefe das enfermeiras, contudo, não pôde entender porque um homem tão simpático como Jim não recebia flores, telefonemas, cartões de amigos, parentes... Nada!

Ao encontrá-lo, o padre colocou-se ao lado de sua cama. Foi quando Jim ouviu o comentário da enfermeira:

- Nenhum amigo veio pra mostrar que se importa com ele. Ele não deve ter ninguém com quem contar!!

Parecendo surpreso, o velho virou-se para o padre e disse com um largo sorriso:

- A enfermeira está enganada, ela não sabe, mas desde que estou aqui, sempre ao meio-dia ELE VEM! Um querido amigo meu, que se senta bem junto a mim, Ele segura minha mão, inclina-se em minha direção e diz:

'Eu vim só pra lhe dizer quão feliz eu sou desde que nos tornamos amigos. Gosto de ouvir sua oração e penso em você todos os dias.
Agora sou eu quem o está observando... E cuidando!'.

Jesus disse: 'Se vós tendes vergonha de mim, também me envergonharei de vós diante do meu Pai.'

E se você não está envergonhado, passe essa mensagem adiante.

Jesus é sempre o melhor amigo.

SORRIA, VOCÊ ESTÁ SENDO OBSERVADO (a)!

TENHA UM LINDO DIA!

LEIA SOMENTE SE VOCÊ TIVER TEMPO PRA DEUS.

Deixa eu te pedir uma coisa: tenha certeza, que você irá ler até o fim, eu quase deletei essa mensagem, e fui abençoado quando eu terminei de ler.

A falta de tempo para Deus é exatamente o que tem causado uma porção de problemas no mundo em que vivemos.

Nos resumimos em encontrar Deus somente nas igrejas aos domingos de manhã talvez nos domingos à noite...

Nos ocupando com nossas obrigações durante a semana toda.

Lembramos dele somente quando estamos doentes, e, claro, em velórios , quando perdemos entes queridos.

Porém, não temos tempo pra ele durante o trabalho, lazer etc...

Não importa em que lugar do mundo, simplesmente , achamos que podemos nos virar sozinhos.

Que Deus nos perdoe por esses pensamentos!

Não existe tempo ou lugar em que ele não possa estar conosco.

Deveríamos sempre parar e pensar em tudo que ele fez e tem feito por nós se você não estiver envergonhado continue lendo abaixo.

Jesus disse: se sentires vergonha de mim eu também sentirei vergonha de você quando estivermos na frente de meu pai.

Continue apenas se você o ama.

Sim, eu amo meu Deus! Ele é a razão da minha existência e meu salvador!

Ele me mantém vivo a cada dia. Sem ele eu não seria nada, mas com ele me sinto forte.

Se você ama à Deus e não sente vergonha dele, nem de todas as coisas maravilhosas que ele tem feito por você, envie esta mensagem a todos os amigos.

Ainda tem tempo pra continuar lendo?

Fácil x difícil por que é tão difícil dizer a verdade e tão fácil contar uma mentira?

Por que sentimos tanto sono na igreja durante o sermão, mas acordamos rapidinho quando está quase terminando o culto?

De todos os presentes que recebemos de graça, a oração é o mais importante.
Não custa nada e traz maravilhosas recompensas!

Não é engraçado como as pessoas recusam à Deus e depois se perguntam porque o mundo parece o inferno?

Não é engraçado como as pessoas dizem : sim eu creio em Deus, mas ainda continuam adorando satanás, que a propósito, também acredita em Deus.

Não é engraçado como você envia milhares de piadas e elas se espalham como um incêndio numa floresta, mas quando você ou alguém começa ler um e-mail e percebe que é sobre Deus pensa mil vezes antes de dividi-lo com os amigos da sua lista ?

Não é engraçado que quando você terminar de ler essa mensagem, você não irá mandar para todos seus amigos, porque não tem certeza se eles acreditam em Deus ou não , ou porque se sentirá envergonhado a respeito do que vão pensar sobre você, por mandar uma mensagem sobre Deus?

Não é engraçado que eu estou mais preocupado no que as pessoas irão pensar de mim, do que sobre o que Deus irá pensar de mim?

Que todos aqueles que recebam essa mensagem enviem para todos seus amigos e que eles sejam infinitamente abençoados por Deus. Amém!" ( Email enviado por meu amigo Dr. Marco Antonio Machado em 29/98/2013 )e que posto neste Blogger agradecido a todos os que lerem...
Helder Tadeu Chaia Alvim




segunda-feira, 26 de agosto de 2013

a vida em fuga x era afônica...

' Nossos filhos sonharão sonhos... nossos jovens terão visões...

a. Ao encerrar extensas linhas anteriores, olho para o interior de cada leitor(a) e sinto a obrigação alegre e despojada de agradecer, agradecer em muito aos que me impulsionaram e proporcionaram a grata inspiração de percorrer trechos do caminho que se revelará verdade no momento exato do Senhor do Tempo. Alguém poderá objetar em sua interação atenta nesta via de mão única 365 dias de poemas empíricos a que me propus percorrer, e você na paciência de ler, que o que se seguiu encontra-se carregado de deísmo simplista em fuga, pois transfere responsabilidades ao Ser Supremo, onisciente e todo poderoso que detém os cordéis do universo.

b. Abstraindo da objeção formalizada percebo nela um quê de sofismo indefinido no ar. Deus, ser necessário tem tudo a ver conosco, está presente em espírito, move constantemente sua criação visível e invisível, impulsiona os átomos, equilibra os tons, realça as cores, sustenta as formas em sua perfeição lógica,rege os astros em sua evolução simétrica, preserva o raciocínio, os seres animados e inanimados em suas razões próprias.

c. Este simples at o de escrever para espairecer conta com sua presença. E visto que tudo era bom, conforme o texto genesiano, o domínio de um Artífice abrange todas as nunças escatalógicas e se apresenta com a significação primeira e última de tudo que se move e tem sopro de vida desde o início informe e vazio, passando pelos séculos até o derradeiro dia do acorde final.

d. Este Ser necessário que poucos conhecem, mas cuja glória a natureza canta dia, noite, manhãs sem cessar seu louvor traz uma característica divina e inconfundível, não impõe vontades aos seres contingentes, e de quebra dotou-os de livre arbítrio, calor, capazes de vôos intensos e de quedas vertiginosas, de índole boa porém propensa ao erro se não se esforçam constantemente na adequação entre fé e razão.

e. A terra em que habitam traz limites, lutas, conquistas a medida que se sintonizam com a ordem natural estabelecida in fieri e equalizadora do caos, si... se apartam desta convenção atraem os males, as guerras, as intolerâncias crassas a que fora palco este mundo e que neste exato momento se estende no Oriente Médio. Se ele destoa da bondade primeira influenciado pelo anjo decaído será por livre espontânea e estudada vontade.

f. A partir do prolegômeno acima vemos Deus interferir na história humana. Noé, Abraão, Isaac, David, Jacob, os Macabeus são exemplos palpáveis e convincentes no testamento antigo e na era Domini, a redenção salvífica do Gólgota revelou-se um marco inconteste da grande aliança, antecedida pela estrela de Belém, pastores, reis em torno da manjedoura, cânticos de anjos, os olhares únicos de José e Maria que mudaram o curso da história e deram inicio a era da boa vontade.

g. Esta noticia da intervenção divina de um Deus humanado por nós homens e pelos nossos pecados é o que de mais alentador paira sobre a humanidade e aponta a grande saída para crises existenciais, a aceitação da morte tendo em vista o céu de delícias empíricas.

h. E foi sobre uma pedra que o Cristo Senhor edificara sua Igreja, porto seguro nas tempestades e surpresas da caminhada, e foi construída firme, com promessas de assistência contra as portas inferi, uma Igreja una, santa, católica, apostólica de verdadeiras e sadias projeções divinas, perene, a persistir na fé até o final de tudo, do gotejar da última respiração do verdejar da última folha no vale que intitulamos de lágrimas, até a ressurreição para a vida eterna ou para o inferno de tormentos conforme as escolhas de cada ser humano, resgatado pelo precioso sangue do Cordeiro.

i. Sem querer assustar a galera não afeita a estes raciocínios, os livros sagrados são categóricos ao afirmar que virá
o grande acerto de contas chamado de juízo final e antes disso cada um passará pela sabatina do particular infinito
inevitavelmente, dado a sua condição efêmera. Ao atravessar o limiar do espírito o elevador subirá ou descerá dado as escolhas anteriores do livre e solto arbítrio.

j. Ter presente esta máxima corrobora em muito para equalizar a balança dos sentimentos e começar uma semana diferente com o pé no chão e a alma nas estrelas, eu não seria amigo deveras se não propusesse flores, mas com alguns espinhos que adornassem sua existência. Daí a necessidade de encetar ações profícuas, amar o semelhante sem limites, preservar a natureza, e amenizar a rude caminhada com o calor de nossas conversas e respeito mútuo.

l. Aquecer a alma, e na calma acreditar no mundo bom das certezas empíricas tornou o escopo carinhoso deste blogger mínimo, e quando a última notícia bater à sua porta pretende saúda-la efusivamente sabendo que a vida não lhe será tirada mas mudada para melhor. Acredita piamente ser a existência uma dádiva, um sopro, o prazer gratificante de sentir e ver a luz do dia e se mover nela em função de uma eternidade feliz. E a maior e melhor menção e ter irmãos do seu jeito e saber que em lá chegando temos outros e outros numa confabulação infinda...

M. Ah! amigo(a) solidário(a) façamos o bem, divulguemos a paz, o que é bom para mim será bom para você e para todos sem discursos outros, pois 'o tempo de Deus não é o tempo do homem, os seus caminhos não são os nossos... pelos frutos o conhecerei.' A dimensão espiritual reservada ainda para esta terra virá numa projeção inimaginável e surpreenderá muitos, como disse é questão de tempo... tempo... tempo...

N. Quando esta era afônica chegar ao fim a verdadeira rosa vai desabrochar com perfume de jasmim, quando um não vai valer por um sim. Então veremos nuvens esparsas ao acaso dispersas repleta de cores, semeada de favores, e os lugares tenente lotados de politica vazia vão dar lugar à verdadeira consciência coletiva do povo e o mundo novo surgirá na curva de uma estrada totalmente sombreada pelo Bem Comum Maior.

O. A meu ver, a não ser nesta impostação espiritual, o sentido da vida terrena se esvazia de significados transcendentes, as crises particulares aparecem, geram insatisfações sociais, transformam-se em opressões ao semelhante
e deflagram guerras pelo poder como assistimos na irmã Síria, onde vemos o presente momento carregado da maldade deliberada, gente sendo massacrada com suspeita de armas químicas sendo utilizadas contra o sangue do seu sangue!

P. Aliás em todo o planeta a realidade cósmica não se apresenta nem um pouco construtiva, a par dos avanços impressionantes no campo das ciências quânticas a humanidade beira trêfega a beira do abismo infernal e continua manuseando os elementos para a destruição em massa, e mais do que isso que destruir, se possível fora sua alma, criada a imagem e semelhança de Deus. Por isso uma intervenção divina não seria de se estranhar na atual conjectura.

Q. A crise no país Sírio é mais uma confeccionada pelas hostes contrárias, esta mesma situação foca a atenção das potências mundiais, e estas mesmas não sabem lidar com o problema estando há muito enfraquecidas espiritualmente, e sem rumo que se encontram, com roupa suja em seu tanque não conseguirão alvejar beneficamente outros povos se em seu bojo não carrega reservas de generosidade, fé, e heroísmo, capazes de alavancar o mundo bom das certezas empíricas.

R. Ninguém oferece o que não tem... o ocidente precisa primeiro adquirir a noção exata do bem comum maior para depois processar suas ações em conjunto salvaguardando a auto determinação dos povos, isto seria um capítulo à parte, pois o assunto que gostaria de comentar vai muito além deste episódio triste e amanhã se acordarmos estaremos nos braços da hecatombe do mal. Mas qualquer que seja as determinações das potencias envolvidas sobre todas elas paira o olhar e o braço soberano de Deus criador do céu e da terra e ele não vai permitir agora a total exterminação de sua obra, não!

S. Ah! a maldita guerra, sempre as guerras a perseguir o gênero humano! As guerras púnicas, napoleônicas, I e II, entre outras teve a primeiríssima no céu quando o Arcanjo Miguel derrotou Lúcifer e seus seguidores naquela batalha histórica
do 'Quis ut Deus? ' e no presente momento que sabe se não fomentam a III ? Vai saber até onde a paciência de Deus vai tolerar tanta intromissão nesta terra saqueada e abominada pelos anjos decaídos e seus séquito terreno, pois que não semeia nos campos de Deus, trabalha contra Ele.

T. Seriam palavras duras em meio ao borborinho afônico de uma sociedade estruturada em valores ionizados e nada mais? Uma sociedade sôfrega de prazer, comodismo, uma sociedade 'fotoshopeada' ao extremo de sua loucura consumista, que chama a si a jactância de ensinar o padre nosso ao vigário, e nem mesmo sabe donde e para onde quer ir! Uma avalanche de avanços tecnológicos que deixaria Einstein boquiaberto, tantos átomos enriquecidos de urânio e sei mais lá o que! E acordamos com os pesadelos e carregamos nossos fantasmas existenciais ao extremo de estupor geral.

U. Ufa! E a Terra na sua trajetória veloz do tempo a si permitido caminha nos seus bytes soberanos e se prepara para a transformação do quase nada para o quase tudo, pois uma outra fisionomia se esboça plena redesenhada na mente do Criador que vai valorizar a alma humana, criada à sua imagem e semelhança. Os bastidores Dele, não são os nossos, e nascerá das cinzas frias um outro mundo, equânime total, solidário, pacífico e do bem. O grande aviso do cosmo já foi emitido e desta era afônica, distorcida surgirá outra a 'Pateriana', como o relâmpago precede o raio, o trovão à chuva copiosa. Duvida? É um direito livre! Critica, uma questão enunciada. Aquecer a alma, uma provisão ajuizada!

V. Ah! o homem, sempre o homem, este ser desconhecido de si mesmo que carrega suas dúvidas e sua alma imortal. Este ser que tem a pretensão de ser um deus particular de seu parnaso e dominar seu irmão a ferro e fogo, um ser que esquece que somente Deus quis ser homem e resgatar os pecados do mundo pela cruz salvífica. Mas para Ele é questão de honra as coisas serem do jeito certo...

X. E chegamos na parte da questão enunciada ao longo deste a, b, cedário, e eu na minha ignorância não admiraria se os nossos filhos já estivessem sonhando sonhos maiores... e os nossos jovens tendo visões...

Z. Foge o tempo irreparável de uma era afônica para lá na frente em um futuro próximo que a Deus pertence, dar lugar a outra poe excelência, sublime, a Era Mística da Rosa Maria Quando finalmente as nações caminharão na luz perene do Cordeiro de Deus, aquele, só aquele Deus humanado que tira a maldade do mundo!

Helder Tadeu Chaia Alvim




quarta-feira, 21 de agosto de 2013

o segredo dos gigantes frathers e as cerejas empíricas.

o segredo dos gigantes frathers e as cerejas empíricas.

1. Na pausa causada destes dias tristes em que uma cortina de incertezas paira bem por cima de nossas cabeças, uma alegria diáfana paira no ar rarefeito das decepções amealhadas ao longo da estressante caminhada da humanidade, é que vimos despontar no Brasil uma geração antenada, plugada no bem comum, consciente, que na sua coletividade espontânea e lucidez clarividente, um tanto arrojada e inusitada saiu às ruas e disse a que veio. Ela trouxe a juventude a seu favor e começou, à partir das redes sociais, a se mover em sentido contrário a atual conjuntura política.

2. Um movimento contrastante com o caos institucional em andamento, camuflado de social , que nem de perto, nem de longe, nem de cima , nem do lado, muito menos de lado reflete a brasilidade em todos os entornos a que ela tem direito. Pois bem ela soprou ventos novos nas ruas e deu uma pequena mostra democrática do que é capaz, e que o Brasil será doravante de todos para o bem do povo nas ruas, praças, repartições, sertões, cidades, litoral, campos, metrópoles e assim por adiante, que almeja sinceramente sem peias, nem conchavos, decisões acertadas dos mandatários da nação Brasil.

3. Muitas palavras foram ditas num só gesto de união, pude ver sentir na pele o alvissareiro anuncio in fieri de uma nova era esboçada nestes rostos em riste querendo que oi bem comum maior prevaleça sobre estes interesses escusos que hora está em curso nos gabinetes do faz de conta, das faturas ampliadas, dos direitos fundamentais do cidadão negados na cara dura, da escassez da saúde, educação, transporte, segurança, da avalanche da violência em todos os campos da sociedade brasileira.

4. Trata-se de um fenômeno histórico único e suis generis, embasado numa geração jovem e autodidata que sabe ouvir, uma geração acalorada, apartidária, sem 'compromissos' políticos, bafejada por asas arcanas, fato que nunca acontecera em solo pátrio, que dera um susto aos desavisados políticos plantonários, à mídia atenta, ao mundo já sobressaltado pela intolerância cursiva e discursiva, um mundo caotizado e infeliz, que apesar dos avanços quânticos e neutrinos retrocedeu anos luz de sua vocação de felicidade de situação.

5. Uma atitude coletiva apareceu e encantou os brasileiros acostumados as mesmices de um sistema político arcaico, retrogrado, que guarda em seu seu bojo governar através de favorecimentos como é sabido extensamente... Apareceu nos céus de anil uns tantos milhares de pessoas da alta definição nióbica, que definirá os rumos do gigante nas próximas décadas tendo em vista somente o bem comum que construirá um mundo novo de solidariedade, cooperação, calor humano e das contas públicas em dia para o bem do povo e felicidade real e geral do filhos da pátria amada.

6. É com essa turma, caro leitor(a) deste blogger mínimo 365 dias de poemas, que convido todos vocês a compartilhar ações concretas, idealizações empíricas para juntos mudar os rumos de um universo em versos, e na fôrça deste consciente coletivo que pouco fala, mas age encontraremos a inspiração salvadora. Com ela sim a gente se anima, confabula, compreende, aprecia, olha no olho do irmão e exclama: sim podemos mudar a situação, reverter o quadro de tristeza secular e implantar o tempo da paz, da harmonia e da auto determinação, fazer cumprir todos os pontos de nossa régia constituição.

7. Não poderão doravante calar a voz das ruas, silenciar os anseios legítimos, volto a frisar aqui do bem comum maior que mora no coração da parte sadia da sociedade. Aquela parte na sua maioria esmagadora que está propensa ao certo, aquilo que for bom para uns será para todos sem esta discursada vazia que nos envergonha a cada dia, manhã, noite e tardes ensolaradas de um país de dimensões continentais e de lideranças pífias e corruptas. Sem querer generalizar precisamos de dirigentes em sintonia com a mensagem das ruas, deflagradas a alto e bom som em junho passado e que seu eco permanece pairando soberano e aguardando soluções cabais para ante ontem, visse!

8. Uma multidão de cara limpa entoando um hino de coração ao Brasil tomou as ruas das cidades e chamou a atenção do mundo, uma geração jovem que aprendeu sem lente, se sentiu ciente e conseguiu captar a dor do gigante, que soube colher seu sorriso cifrado de amizade e prometer-lhe devolver seu sonho ancho, perdido na mar dos desenganos da política avessa ao seus anseios de pátria livre, auto sustentada e de transparência total.

9. Bebe-se em sua fonte a novidade nova de esperança a calçar dias melhores, a energia de sua presença ultrapassa em muito o mar sem fim... deixa no seu chinelo os ídolos fabricados nos laboratórios neonizados da mídia comercial, ao lobby pragmáticos do poder, a sua mão guia sem dizer palavras, sem impor razões perversas, ao ponto delineado da poesia primeira. Ah! esses 'corações de estudante'fizeram desabrochar o verde e amarelo da brasilidade e serão capazes de salvar do naufrágio iminente a nação. Eles guardam as reservas de generosidade, louçania e heroísmo capazes de mudar a face, o peito e o corpo inteiro da idolatrada pátria de nossos maiores.

10. O exercício da verdadeira cidadania encontra em suas mãos o aconchegante abraço de união, pude constatar in loco e na pele a amplidão deste grito nacional contra a corrupção a que as nossas ruas, até então nulas de expressão, foram palco e ensaio da nova construção da mundo bom das cerejas empíricas.

11. Ah! Ah! Ah! parece utopia, figura de linguagem ou coisa do gênero literário, mas não o é. Apesar de acreditar na poiésis no cenário empírico do cosmo, na sua consciência teórica,em sua exequibilidade prática,em sua beleza intrínseca em sua verdade nata, em sua realidade physis, ela apartada das ruas será tão somente um sino que zune no anonimato de suas feições, um mero parnaso de vaidades das letras empoadas E NÃO A FONTE DE RESTAURAÇÃO A QUE TANTO O BRASIL CARECE.

12. Deste hiato estabelecido acima deduz-se que o fazer poético hoje deve estar lado a lado inconforme com a situação em que nos encontramos e se tornar o tônico inspirador e propulsor de novas canções, e nada mais. O mérito da mudança pertence as ruas e a esta juventude arrojada e de sacada genial, o resto se encaminhará para o reconhecimento posterior ou para o ralo da história. Foi assim com Roma altiva, Cartago, Atenas, Esparta, Macedônia na antiguidade clássica. Foi pela clarividência de Santo Agostinho que a Idade Média se constituiu, foi com saudades dos valores gregos que a Renascença surgiu, foi pela tenacidade de Nóbrega e Anchieta que o Brasil se constituiu desde os primórdios de sua fundação.

13. A questão doméstica ´nos é muito complexa, e somente a retidão de alma aliada à prática poderá alavancar o Brasil e colocá-lo definitivamente nos trilhos da democracia e apartar de vez a herança cartorial a que se encontra submergido. por isso quando surgiu o grito das ruas, muitos de nós se perguntaram: será desta vez? Em tudo e por tudo a história começou a ser escrita por mãos afagadas pelo bem comum maior, o prego da brasilidade começou a encontrar o cerne de sua s convicções adormecidas, a estopa do discernimento começou a interligar os brasileiros de norte a sul, leste - oeste e e nada escapa mais da percepção lúcida da moçada.

14. Imaginem vocês, amigos(as) solidários(as) 207 milhões de olhos atentos cuidando do gigante, do seu acordar para querer um Brasil com B maiúsculo e que em todas as camadas da sociedade a diversidade cultural e de pensamento convivam na harmonia pacata e sustentável de seu  desenvolvimento material e espiritual, e que a partir das ruas soberanas o trigo dos bons sentimentos e ações comecem a germinar e a se separar do germe da intriga política, e a nação deixará de
flanar em mares duvidosos da pilheria e perceber que tem ondas colossais a espreitar o momento da nova construção nacional para que seus filhos queridos possam todos surfar em suas acrobacias diversas em sintonia com seus campeões da
ética e equidade.

15. Em prosa e verso pontuo este movimento total dos gigantes anônimos, irmãos dos meus irmãos, sangue do meu sangue que antes de tudo amam a paz e as canções, a lei e a ordem constitucional. E pouco a pouco serão percebidos, passarão a ocupar os cargos de direção e renovarão a face, o corpo inteiro do Gigante Father chamado Brasil.

16. E se alguém me indagar acerca do segredo deles? Direi o que intuí nas ruas soberanas naqueles momentos eternos de doce felicidade, pois sou brasileiro com muito orgulho, com muito amor, direi que o segredo está no seu olhar, somente no seu olhar! Observe bem eu tenho observado e anotado neste blogger mínimo 365 dias de poemas e não me canso de admirar e eles de me surpreender! Bem amigo(a) leitor(a) que considero mentor(a) se olho no espelho da realidade brasileira creio que neste exato momento estou confabulando com um(a) deles(as).

17. Assim sendo chegará o dia em que as saborosas cerejas com sabor de mel serão servidas à mesa empírica da população na abastança que lhes compete, na prodigalidade de um pais federativo, intuitivo, bom e de promissões infinitas. E exclamarão: Brasilia terra nostra est, ars poiêsis facta est. Será amigos(as) solidarios(as) o florescer do mundo bom, com sua criação dinâmica, com suas múltiplas formas e cores no esplendor de sua luz diáfana, podem crer!

18. Um tempo e espaço ainda não demonstrado na prática da solidariedade universal, será a era da poiésis produtiva e empírica. "Um fazer como saber sobre o ser..." Uma era experimental, funcional e atípica, bem diferente da atual pragmática, perversa e fantasiosa. Uma era do 'intus legit' onde através da observação o conhecimento inteletual abstrairá de cada objeto individual a sua essência, um tempo em que a fé removerá montanhas em prol do Bem Comum Maior.

19. Dezenove não é vinte, ? Uma pergunta aflora naturalmente em nossos lábios sequiosos do mundo bom:? Será para o nosso bico? Dependerá exclusivamente do desejo total de cada um para ser e incendiar o consciente coletivo. Mas... o fato é que com nós e sem nós este lindo dia vai chegar aliás asas arcanas foram sentidas a roçar as ruas soberanas...

20. Uma rápida sinopse sobre as eras históricas comprovam, foram-se erros e acertos, vôos intermitentes, ilusões nas enseadas frias da humana raça, o ponteiro das gerações várias vezes zerou nervosamente, e os que estão vivos poderão demarcar um novo tempo é só desejar para querer!

Helder Tadeu Chaia Alvim














segunda-feira, 5 de agosto de 2013

' a voz dos que não tem voz'

Contra o aborto, os católicos devem ser a voz dos que não têm voz.

Jan 23, 2012 Autor: Bíblia Católica | Postado em: Igreja
Mons. José H. Gomez - Contra o aborto, os católicos devem ser a voz
dos que não têm voz. LOS ANGELES, 21 Jan. 12 / 07:21 am (ACI/EWTN Noticias)

O arcebispo de Los Angeles (Estados Unidos), Mons. José H. Gomez disse que com a ameaça do aborto, os católicos devem ser a voz dos que não têm voz: os recem nascidos.

Em seu artigo intitulado “Defender a Verdade Sobre a Vida”, e publicado hoje no jornal arquidiocesano de Los Angeles em espanhol Vida Nueva, o Prelado de origem mexicana disse que “somos chamados a ser uma voz para aqueles que não têm voz. Somos chamados para ajudar a nossa sociedade a ver que cada vida humana desde a concepção até a morte natural é sagrada e preciosa para Deus. ”

No artigo no qual analisa as consequências da sentença Roe versus Wade da Suprema Corte dos Estados Unidos que em 1973 que legalizou o aborto neste país, o arcebispo recordou que “como católicos, nós celebramos o Deus da vida. Ele é o Caminho, a Verdade e a Vida. Jesus deu à sua Igreja uma missão e a cada um de nós o direito de proclamar o Evangelho da vida”.

Devido aos questionamentos de alguns sobre o papel da Igreja que “erro” contra o aborto, Dom Gomez lembrou que esta questão “é um assunto de verdade e de princípios básicos . A verdade é a verdade, seja reconhecida ou não por nossa sociedade”.

“Para ilustrar um caso semelhante, o arcebispo recorda a luta para derrotar a escravidão americana “, teve que ir muito longe, e permitir que muitas gerações e vidas inocentes fossem perdidas antes que esta nação visse finalmente a verdade sobre a humanidade e a plena dignidade dos afro- americanos. ”

Diante dessa realidade, o arcebispo expressou sua esperança de que um dia os americanos “também começarão a ver a verdade sobre a humanidade dos fetos e do embrião humano. É apenas uma questão de tempo. Talvez em anos, talvez em décadas. Mas o tempo virá. Porque esta é a verdade. ”

“E não é uma verdade ” religiosa “o aborto não é apenas uma questão” católica “, disse ele.

O Arcebispo de Los Angeles, em seguida, descreveu que “o nosso país foi fundado sobre uma verdade moral: que todos os homens e mulheres são criados iguais e nascem com os direitos dados por Deus à vida, a liberdade e à busca da felicidade” .

“Roe versus Wade colocou ao revés esta bela verdade. O Supremo Tribunal, com efeito, disse que nossos direitos não vêm de Deus, mas são concedidos pelo governo, tribunais e órgãos legislativos.”

O Arcebispo Gomez ressaltou que “o direito à vida é o fundamento de todos os direitos de liberdades em nossa sociedade”, depois que ele finalmente anunciou que no sábado 21 janeiro celebrará uma missa na Catedral de Nossa Senhora dos Anjos por todas as crianças abortadas, e convidou todos os fiéis a participar dela.


Professor faz Crucificado seguindo os dados do Santo Sudário /jan 11, 2012 Autor: Bíblia Católica | Postado em: Espiritualidade

Professor faz Crucificado seguindo os dados do Santo Sudário O escultor espanhol e catedrático da Universidade de Sevilha, Juan Manuel Miñarro estudou durante dez anos o Santo Sudário de Turim. Como resultado esculpiu um Crucificado que, segundo o artista, seria uma reprodução científica do estado físico de Nosso Senhor Jesus Cristo depois de sua morte.O autor não visava provar a existência de Jesus de Nazaré, mas destacar os impressionantes acertos anatômicos constatados no estudo científico do Santo Sudário.

O professor Miñarro disse à BBC Brasil que, embora tenha privilegiado a “exatidão matemática”, “essa imagem só pode ser compreendida com olhos de quem tem fé”.

“A princípio, ela pode chocar pelo realismo, mas ela reproduz com fidelidade a cena do Calvário”, completou. Miñarro levou mais de dois anos para concluir sua obra.

O escultor não trabalhou só. Ele presidiu o trabalho de um grupo de cientistas que levaram adiante uma investigação multidisciplinar do Sudário de Turim.

Professor faz Crucificado seguindo os dados do Santo Sudário

O crucificado é o único “sindônico” no mundo, pois reflete até nos mais mínimos detalhes os múltiplos traumatismos do corpo estampado no Santo Sudário.

A imagem representa um corpo de 1,80 metros de altura, de acordo com os estudos no Sudário feitos pelas Universidades de Bolonha e Pavia. Os braços e a Cruz formam um ângulo de 65 graus.

A Coroa de Espinhos tinha forma de casco, cobrindo toda a cabeça, e foi feita com jujuba “ziziphus jujuba”, uma espécie de espinheiro cujas agulhas não se dobram.

A pele apresenta exatamente o aspecto de uma pessoa morta há uma hora. O ventre aparece inchado por causa da crucifixão.

O braço direito aparece desconjuntado pelo fato do crucificado se apoiar nele à procura de ar durante a asfixia sofrida na Cruz.

O polegar das mãos está virado para dentro, reação do nervo quando um objeto atravessa a munheca.

A escultura reflete também a presença de dois tipos de sangue: o vertido antes da morte e o derramado post mortem. Também aparece o plasma da ferida do costado, de que fala o Evangelho.

A elaboração destes pormenores foi supervisionada por hematologistas. A pele dos joelhos está aberta pelas quedas e pelas torturas.

Há grãos de terra incrustados na carne que foram trazidos de Jerusalém.

As feridas são típicas das produzidas pelos látegos romanos, que incluíam bolas de metal com pontas recurvadas para rasgar a carne.

Não há zonas vitais do corpo atingidas pelos látegos porque os verdugos poupavam essas partes para que o réu não morresse na tortura.

A maçã do rosto do lado direito está inchada e avermelhada pela ruptura do osso malar. Professor faz Crucificado seguindo os dados do Santo Sudário A língua e os dedos do pé apresentam um tom azulado, característicos da parada cardíaca.

Por fim, embaixo da frase em hebraico “Jesus Nazareno, rei dos judeus”, a tradução em grego e em latim está escrita da direita para a esquerda, erro habitual naquela época e naquela região.

A escultura esteve exposta na igreja de São Pedro de Alcântara, Córdoba, Espanha, e saiu em procissão pelas ruas da cidade durante a Semana Santa.

Com os mesmos critérios e técnicas, Miñarro está criando outras imagens que representam a Nosso Senhor em diferentes momentos de sua dolorosa Paixão.

Isaías 53

Professor faz Crucificado seguindo os dados do Santo Sudário“Ele subirá como o arbusto diante dele, e como raiz que sai de uma terra sequiosa; ele não tem beleza, nem formosura; vimo-lo, e não tinha aparência do que era, e por isso não tivemos caso dele.

“Ele era desprezado, o último dos homens, um homem de dores; experimentado nos sofrimentos; o seu rosto estava encoberto; era desprezado, e por isso nenhum caso fizeram dele.

“Verdadeiramente ele foi o que tomou sobre si as nossas fraquezas, e ele mesmo carregou com as nossas dores; nós o reputamos como um leproso, como um homem ferido por Deus e humilhado.

“Mas foi ferido por causa das nossas iniquidades, foi despedaçado por causa dos nossos crimes; o castigo que nos devia trazer a paz, caiu sobre ele, e nós fomos sarados com as suas pisaduras.” (Isaías 53, 2-5).

Fonte: Ciência Confirma a Igreja


na era das interceptações...


na era das interceptações

1.Faltam soluções, sobram lacunas no campo político, o fato não é novidade para ninguém, o cidadão entende muito bem e sente na pele o prejuízo, enxerga claramente que as contas públicas não batem, e as faturas aumentando, e as falcatruas aparecendo nas manchetes de jornais, quase que diariamente, e gente se aventurando na caça ao voto do eleitor, e este blogger não aventa nenhuma hipótese, ah! ah!. É a republica bar zileira em 'desação', em franca desaceleração, diria um amigo de copo, poema e prosa: turminha sem noção essa aí, só entende quando a canetada roda solta a seu favor...


2. Em junho do ano de 2013 veio a surpresa boa quando jovens aos milhares tomaram as ruas e originalmente e unicamente escreveram uma página da história que ninguém em sã consciência poderá negar ou minimizar. O sangue bom do brasileiro aflorou na pele verde e amarela e muitos se perguntaram: será desta vez?


3. Quando a reserva de generosidade e heroísmo renasce no peito de um povo a gente já sabe o que acontece! A osmose coletiva pode incendiar uma nação para o bem, como foi o caso das manifestações a que as ruas do brasil foram palco. O mundo inteiro assistiu meio que boquiaberto este inusitado movimento de um povo pacato e cordato por natureza que em determinado momento grita alto e sua voz é ouvida, e bem ouvida pelos ouvidos quase inaudíveis da classe política. E que som fora este se não um basta a corrupção...
4. Este som acordou muita gente, alegrou corações patriotas, exorcizou o pessimismo e uniu o Brasil que pertence a maioria e não a meia duzia de gente sem noção de brasilidade e probidade administrativa. E a fazenda velha se viu reanimada com sua cores diáfanas de outrora e recordou de suas nupcias com o gigante e as promessas de mundo novo, de crescimento sustentável, de alegrias domingueiras, de fé aos borbotões renovaram-se à partir de um grito... somados que foram a outros e outros totalizaram-se milhões.

5. Vamos que vamos e agora as ruas aguardam solene o sim daqueles que concordam com um brasil do bem comum maior, com esta juventude bela e promissora que antes de olhar seu umbigo, olhou o coração da pátria amada e pareceu dizer: tem que ser viável para todos e não somente para a nobre e digna classe política. Este anuncio de uma nova era foi lançado e o futuro já se sentiu afiançado na certeza certa de um nono brasil, que eleja doravante gente totalmente afim com seu destino e grandeza pátria, com sua soberania tanto territorial quanto moral e econômica, gente que represente os interesses auto determinados de seus mais de 207 milhões de habitantes.

6. Foi o brasil ideal que vimos nas ruas em contraposição aos escândalos das mensalidades julgadas e condenadas pelo STF, um brasil carente de segurança, educação e saúde x em campo contra um arremedo de país de canetadas nervosas, de desvios de recursos, de discursos vazios onde a prática revela um assistencialismo sem eira e nem beira. 


7. Os jovens saíram as ruas e deram o exemplo e as ruas estão aguardando a posição dos demais... De um lado 200 milhões querendo as coisas certas, de outro uma espécie de sugadores que fizeram 'carreira' na corrupção e 'amantes' das coisas publicas em proveito particular. Parece um absurdo a balança forte de 207 milhões perder para uma parcela ínfima e ousada de torcedores dos 'cômputos reais'.

8. Recentemente o Brasil brasileiro encontrou um aliado forte na visita do Papa Francisco, e sua preleção conclamando o redil católico a ir às ruas contra a corrupção. Lindo de ver o sucessor de Pedro encarnando a solidariedade, a justiça, o destemor, a coragem e a paz do Grande Pescador Simão Bhar Jonas e dirigir aos jovens dos hodiernos areópagos palavras de fé e determinação politica social tendo em vista a conquista do reino do outro mundo, que passa necessariamente pelo reino terreno. A pergunta vai e ainda não encontra resposta definitiva, que é até quando estes dois brasis vão coexistir e se tolerar?

9. Nas ruas pudemos conviver com o verdadeiro, cheio de sonhos, querendo uma realidade diferente que contemple todos sem distinção, todos acolhidos e regalados à mesa do gigante, sadios, instruídos, seguros e com perspectivas boas para si, seus filhos, netos e as gerações futuras. Não um estado de publicanos de 'acordos salvadores da própria pele' autuada em dolo. Mas um brasil onde o bolo será repartido para seu povo. Esquecer esta dado soberano é jogar outro dado no ralo da história. Já não tem sentido a 'sors iacta est', pois em solo brasileiro ela foi interceptada pelas lúcidas ruas do bem comum maior.

10. Vale lembrar a máxima evangélica: 'Assim acontece com quem ajunta tesouros para si mesmo, mas não é rico diante de Deus.' E estoutra do salmista inspirado: 'Vós, Deus fazeis voltar ao pó todo mortal quando dizeis: voltai ao pó, filhos de Adão, pois mil anos para vós são como ontem qual vigília de uma noite que passou.'

11. E vamo que vamo tangendo na bigorna fria das decepções em curso, das 'desações' pavorosas da politica doméstica, da desfaçatez daqueles que deveriam guiar, prosperar em leis justas esta Terra de Santa Cruz e não o fazem, ao contrário amealham para si, os seus comandados e partidos as verbas, a fortuna da Republica federativa, e roubam do povo seus sonhos de pátria auto sustentável.

12. A mídia daqui e lá de fora, estampa diariamente as noticias verídicas a respeito da corrupção na Petrobrás e subornos de arrepiar Sir Ruy Barbosa e tantos outros patriotas que nos precederam. O fazer democrático anda sendo desvirtuado, e pululam o uso errado do erário nacional.E lamentavelmente não fazem jus da confiança neles depositada legitimante nas urnas soberanas.

13.  E no momento presente em que a máquina administrativa recolhe impostos na cifra colossal de mais de 3 trilhões de reais, quando o bolsa família, aliás uma conquista justa do menos favorecidos, ela desembolsa qualquer quantia em torno de  20 bilhões, quando 'os amigos do rei', não concursados se somam a + ou - 120 mil pessoas, sem falar dos gastos com o executivo, legislativo, judiciário,etc, etc. Mesmo assim a conta não bate, pois pelos ralos sôfregos de contas fantasmas escoam as reservas de um povo soberano.

14. Considerando que lá na América democrática de fato pouco mais de 4 mil cargos servem à federação, aqui acumulam muito pessoal na indicação do QI, e tudo torna-se motivo para esbanjar e esbanjar. Assim estamos na curva de uma história que poderá tornar-se patrimônio da nação brasileira se uma grande assepsia salvadora surgir a partir da voz autorizada do povo nas ruas, dos magistrados, políticos, intelectuais em conjunto com este mesmo povo simples, cordato e sonhador de que compõe a pátria amada, idolatrada chamada Brasil.


Helder Tadeu Chaia Alvim

sexta-feira, 2 de agosto de 2013

aleivosia x alma perene...

a alma canta enquanto a matéria clama...

1. Eles esquecem, nos esquecemos muitas das vezes que somos mortais, nada ficará para a semente,a vida em si oferece as escolhas, envolvida que está entre o livre e solto arbítrio e o conhecimento onisciente e onipresente do Criador. Aí está sem dogmatizar uma palavra que aprendi hoje nas ruas soberanas da cidade de São Paulo enquanto descia a rua consolação e me recordava não sei porque das manifestações quando a juventude acorreu dinamicamente às ruas do Brasil para protestar contra a corrupção do governo e outras tantas aleivosias bem conhecidas da população.

2. ' Vi ' o poderoso, andei mais um trecho do caminho olhei para trás ele tinha se evaporado. A vida passa de repente como os ventos lá para as bandas do meu sertão iluminado, o tempo é uma sequencia do presente que vira passado e de um futuro que vira presente sucessivamente. O homem faz aqui uma tenda e queria vê-la, possuí-la para sempre se possível fora, mas o seu decesso é imprevisto e parte sem a hálito quente da alma.

3. Foi 'feliz ' por um instante, e sequer lembrou da sua última viagem, aquela derradeira sem alforje, sem o forte poder, sem os amigos da grana, sem as influências do mando e glamour. Tudo é um quase nada diante da eternidade que só em pensar dói a espinha da médula óssea.

4. Nesta casca de nozes que vivemos, sacudidos somos pelas incertezas da vida, pela natureza embravecida, pela maldade organizada pelo anjo decaído, inimigo de nossa felicidade perene da alma na visão beatífica do céu. Tudo se torna ínfimo e desproporcional se não se tem em vista o fim último a todos peculiar.

5. Vida de prova e mérito, sem querer transferir responsabilidades, sem querer os docs salvadores, todo o dia ganha-se ou perde o céu e vice versa e a batalha renhida é contra as potestades e dominações, e estes e estas que servem aos fins deletérios mais cedo ou mais tarde vão evaporar, pois a queda de braço é entre Deus e os emissários do mal.

6. Ou a terra é um celeiro do bem, mesmo material, do progresso da solidariedade, do calor humano, da probidade do bom senso, da busca ao bem comum maior, ou... ou... vai tornar-se o reino da corrupção, dos desmandos, das falcatruas e coisas mais...

Helder Tadeu Chaia Alvim