quarta-feira, 21 de agosto de 2013

o segredo dos gigantes frathers e as cerejas empíricas.

o segredo dos gigantes frathers e as cerejas empíricas.

1. Na pausa causada destes dias tristes em que uma cortina de incertezas paira bem por cima de nossas cabeças, uma alegria diáfana paira no ar rarefeito das decepções amealhadas ao longo da estressante caminhada da humanidade, é que vimos despontar no Brasil uma geração antenada, plugada no bem comum, consciente, que na sua coletividade espontânea e lucidez clarividente, um tanto arrojada e inusitada saiu às ruas e disse a que veio. Ela trouxe a juventude a seu favor e começou, à partir das redes sociais, a se mover em sentido contrário a atual conjuntura política.

2. Um movimento contrastante com o caos institucional em andamento, camuflado de social , que nem de perto, nem de longe, nem de cima , nem do lado, muito menos de lado reflete a brasilidade em todos os entornos a que ela tem direito. Pois bem ela soprou ventos novos nas ruas e deu uma pequena mostra democrática do que é capaz, e que o Brasil será doravante de todos para o bem do povo nas ruas, praças, repartições, sertões, cidades, litoral, campos, metrópoles e assim por adiante, que almeja sinceramente sem peias, nem conchavos, decisões acertadas dos mandatários da nação Brasil.

3. Muitas palavras foram ditas num só gesto de união, pude ver sentir na pele o alvissareiro anuncio in fieri de uma nova era esboçada nestes rostos em riste querendo que oi bem comum maior prevaleça sobre estes interesses escusos que hora está em curso nos gabinetes do faz de conta, das faturas ampliadas, dos direitos fundamentais do cidadão negados na cara dura, da escassez da saúde, educação, transporte, segurança, da avalanche da violência em todos os campos da sociedade brasileira.

4. Trata-se de um fenômeno histórico único e suis generis, embasado numa geração jovem e autodidata que sabe ouvir, uma geração acalorada, apartidária, sem 'compromissos' políticos, bafejada por asas arcanas, fato que nunca acontecera em solo pátrio, que dera um susto aos desavisados políticos plantonários, à mídia atenta, ao mundo já sobressaltado pela intolerância cursiva e discursiva, um mundo caotizado e infeliz, que apesar dos avanços quânticos e neutrinos retrocedeu anos luz de sua vocação de felicidade de situação.

5. Uma atitude coletiva apareceu e encantou os brasileiros acostumados as mesmices de um sistema político arcaico, retrogrado, que guarda em seu seu bojo governar através de favorecimentos como é sabido extensamente... Apareceu nos céus de anil uns tantos milhares de pessoas da alta definição nióbica, que definirá os rumos do gigante nas próximas décadas tendo em vista somente o bem comum que construirá um mundo novo de solidariedade, cooperação, calor humano e das contas públicas em dia para o bem do povo e felicidade real e geral do filhos da pátria amada.

6. É com essa turma, caro leitor(a) deste blogger mínimo 365 dias de poemas, que convido todos vocês a compartilhar ações concretas, idealizações empíricas para juntos mudar os rumos de um universo em versos, e na fôrça deste consciente coletivo que pouco fala, mas age encontraremos a inspiração salvadora. Com ela sim a gente se anima, confabula, compreende, aprecia, olha no olho do irmão e exclama: sim podemos mudar a situação, reverter o quadro de tristeza secular e implantar o tempo da paz, da harmonia e da auto determinação, fazer cumprir todos os pontos de nossa régia constituição.

7. Não poderão doravante calar a voz das ruas, silenciar os anseios legítimos, volto a frisar aqui do bem comum maior que mora no coração da parte sadia da sociedade. Aquela parte na sua maioria esmagadora que está propensa ao certo, aquilo que for bom para uns será para todos sem esta discursada vazia que nos envergonha a cada dia, manhã, noite e tardes ensolaradas de um país de dimensões continentais e de lideranças pífias e corruptas. Sem querer generalizar precisamos de dirigentes em sintonia com a mensagem das ruas, deflagradas a alto e bom som em junho passado e que seu eco permanece pairando soberano e aguardando soluções cabais para ante ontem, visse!

8. Uma multidão de cara limpa entoando um hino de coração ao Brasil tomou as ruas das cidades e chamou a atenção do mundo, uma geração jovem que aprendeu sem lente, se sentiu ciente e conseguiu captar a dor do gigante, que soube colher seu sorriso cifrado de amizade e prometer-lhe devolver seu sonho ancho, perdido na mar dos desenganos da política avessa ao seus anseios de pátria livre, auto sustentada e de transparência total.

9. Bebe-se em sua fonte a novidade nova de esperança a calçar dias melhores, a energia de sua presença ultrapassa em muito o mar sem fim... deixa no seu chinelo os ídolos fabricados nos laboratórios neonizados da mídia comercial, ao lobby pragmáticos do poder, a sua mão guia sem dizer palavras, sem impor razões perversas, ao ponto delineado da poesia primeira. Ah! esses 'corações de estudante'fizeram desabrochar o verde e amarelo da brasilidade e serão capazes de salvar do naufrágio iminente a nação. Eles guardam as reservas de generosidade, louçania e heroísmo capazes de mudar a face, o peito e o corpo inteiro da idolatrada pátria de nossos maiores.

10. O exercício da verdadeira cidadania encontra em suas mãos o aconchegante abraço de união, pude constatar in loco e na pele a amplidão deste grito nacional contra a corrupção a que as nossas ruas, até então nulas de expressão, foram palco e ensaio da nova construção da mundo bom das cerejas empíricas.

11. Ah! Ah! Ah! parece utopia, figura de linguagem ou coisa do gênero literário, mas não o é. Apesar de acreditar na poiésis no cenário empírico do cosmo, na sua consciência teórica,em sua exequibilidade prática,em sua beleza intrínseca em sua verdade nata, em sua realidade physis, ela apartada das ruas será tão somente um sino que zune no anonimato de suas feições, um mero parnaso de vaidades das letras empoadas E NÃO A FONTE DE RESTAURAÇÃO A QUE TANTO O BRASIL CARECE.

12. Deste hiato estabelecido acima deduz-se que o fazer poético hoje deve estar lado a lado inconforme com a situação em que nos encontramos e se tornar o tônico inspirador e propulsor de novas canções, e nada mais. O mérito da mudança pertence as ruas e a esta juventude arrojada e de sacada genial, o resto se encaminhará para o reconhecimento posterior ou para o ralo da história. Foi assim com Roma altiva, Cartago, Atenas, Esparta, Macedônia na antiguidade clássica. Foi pela clarividência de Santo Agostinho que a Idade Média se constituiu, foi com saudades dos valores gregos que a Renascença surgiu, foi pela tenacidade de Nóbrega e Anchieta que o Brasil se constituiu desde os primórdios de sua fundação.

13. A questão doméstica ´nos é muito complexa, e somente a retidão de alma aliada à prática poderá alavancar o Brasil e colocá-lo definitivamente nos trilhos da democracia e apartar de vez a herança cartorial a que se encontra submergido. por isso quando surgiu o grito das ruas, muitos de nós se perguntaram: será desta vez? Em tudo e por tudo a história começou a ser escrita por mãos afagadas pelo bem comum maior, o prego da brasilidade começou a encontrar o cerne de sua s convicções adormecidas, a estopa do discernimento começou a interligar os brasileiros de norte a sul, leste - oeste e e nada escapa mais da percepção lúcida da moçada.

14. Imaginem vocês, amigos(as) solidários(as) 207 milhões de olhos atentos cuidando do gigante, do seu acordar para querer um Brasil com B maiúsculo e que em todas as camadas da sociedade a diversidade cultural e de pensamento convivam na harmonia pacata e sustentável de seu  desenvolvimento material e espiritual, e que a partir das ruas soberanas o trigo dos bons sentimentos e ações comecem a germinar e a se separar do germe da intriga política, e a nação deixará de
flanar em mares duvidosos da pilheria e perceber que tem ondas colossais a espreitar o momento da nova construção nacional para que seus filhos queridos possam todos surfar em suas acrobacias diversas em sintonia com seus campeões da
ética e equidade.

15. Em prosa e verso pontuo este movimento total dos gigantes anônimos, irmãos dos meus irmãos, sangue do meu sangue que antes de tudo amam a paz e as canções, a lei e a ordem constitucional. E pouco a pouco serão percebidos, passarão a ocupar os cargos de direção e renovarão a face, o corpo inteiro do Gigante Father chamado Brasil.

16. E se alguém me indagar acerca do segredo deles? Direi o que intuí nas ruas soberanas naqueles momentos eternos de doce felicidade, pois sou brasileiro com muito orgulho, com muito amor, direi que o segredo está no seu olhar, somente no seu olhar! Observe bem eu tenho observado e anotado neste blogger mínimo 365 dias de poemas e não me canso de admirar e eles de me surpreender! Bem amigo(a) leitor(a) que considero mentor(a) se olho no espelho da realidade brasileira creio que neste exato momento estou confabulando com um(a) deles(as).

17. Assim sendo chegará o dia em que as saborosas cerejas com sabor de mel serão servidas à mesa empírica da população na abastança que lhes compete, na prodigalidade de um pais federativo, intuitivo, bom e de promissões infinitas. E exclamarão: Brasilia terra nostra est, ars poiêsis facta est. Será amigos(as) solidarios(as) o florescer do mundo bom, com sua criação dinâmica, com suas múltiplas formas e cores no esplendor de sua luz diáfana, podem crer!

18. Um tempo e espaço ainda não demonstrado na prática da solidariedade universal, será a era da poiésis produtiva e empírica. "Um fazer como saber sobre o ser..." Uma era experimental, funcional e atípica, bem diferente da atual pragmática, perversa e fantasiosa. Uma era do 'intus legit' onde através da observação o conhecimento inteletual abstrairá de cada objeto individual a sua essência, um tempo em que a fé removerá montanhas em prol do Bem Comum Maior.

19. Dezenove não é vinte, ? Uma pergunta aflora naturalmente em nossos lábios sequiosos do mundo bom:? Será para o nosso bico? Dependerá exclusivamente do desejo total de cada um para ser e incendiar o consciente coletivo. Mas... o fato é que com nós e sem nós este lindo dia vai chegar aliás asas arcanas foram sentidas a roçar as ruas soberanas...

20. Uma rápida sinopse sobre as eras históricas comprovam, foram-se erros e acertos, vôos intermitentes, ilusões nas enseadas frias da humana raça, o ponteiro das gerações várias vezes zerou nervosamente, e os que estão vivos poderão demarcar um novo tempo é só desejar para querer!

Helder Tadeu Chaia Alvim














Postar um comentário