segunda-feira, 26 de agosto de 2013

a vida em fuga x era afônica...

' Nossos filhos sonharão sonhos... nossos jovens terão visões...

a. Ao encerrar extensas linhas anteriores, olho para o interior de cada leitor(a) e sinto a obrigação alegre e despojada de agradecer, agradecer em muito aos que me impulsionaram e proporcionaram a grata inspiração de percorrer trechos do caminho que se revelará verdade no momento exato do Senhor do Tempo. Alguém poderá objetar em sua interação atenta nesta via de mão única 365 dias de poemas empíricos a que me propus percorrer, e você na paciência de ler, que o que se seguiu encontra-se carregado de deísmo simplista em fuga, pois transfere responsabilidades ao Ser Supremo, onisciente e todo poderoso que detém os cordéis do universo.

b. Abstraindo da objeção formalizada percebo nela um quê de sofismo indefinido no ar. Deus, ser necessário tem tudo a ver conosco, está presente em espírito, move constantemente sua criação visível e invisível, impulsiona os átomos, equilibra os tons, realça as cores, sustenta as formas em sua perfeição lógica,rege os astros em sua evolução simétrica, preserva o raciocínio, os seres animados e inanimados em suas razões próprias.

c. Este simples at o de escrever para espairecer conta com sua presença. E visto que tudo era bom, conforme o texto genesiano, o domínio de um Artífice abrange todas as nunças escatalógicas e se apresenta com a significação primeira e última de tudo que se move e tem sopro de vida desde o início informe e vazio, passando pelos séculos até o derradeiro dia do acorde final.

d. Este Ser necessário que poucos conhecem, mas cuja glória a natureza canta dia, noite, manhãs sem cessar seu louvor traz uma característica divina e inconfundível, não impõe vontades aos seres contingentes, e de quebra dotou-os de livre arbítrio, calor, capazes de vôos intensos e de quedas vertiginosas, de índole boa porém propensa ao erro se não se esforçam constantemente na adequação entre fé e razão.

e. A terra em que habitam traz limites, lutas, conquistas a medida que se sintonizam com a ordem natural estabelecida in fieri e equalizadora do caos, si... se apartam desta convenção atraem os males, as guerras, as intolerâncias crassas a que fora palco este mundo e que neste exato momento se estende no Oriente Médio. Se ele destoa da bondade primeira influenciado pelo anjo decaído será por livre espontânea e estudada vontade.

f. A partir do prolegômeno acima vemos Deus interferir na história humana. Noé, Abraão, Isaac, David, Jacob, os Macabeus são exemplos palpáveis e convincentes no testamento antigo e na era Domini, a redenção salvífica do Gólgota revelou-se um marco inconteste da grande aliança, antecedida pela estrela de Belém, pastores, reis em torno da manjedoura, cânticos de anjos, os olhares únicos de José e Maria que mudaram o curso da história e deram inicio a era da boa vontade.

g. Esta noticia da intervenção divina de um Deus humanado por nós homens e pelos nossos pecados é o que de mais alentador paira sobre a humanidade e aponta a grande saída para crises existenciais, a aceitação da morte tendo em vista o céu de delícias empíricas.

h. E foi sobre uma pedra que o Cristo Senhor edificara sua Igreja, porto seguro nas tempestades e surpresas da caminhada, e foi construída firme, com promessas de assistência contra as portas inferi, uma Igreja una, santa, católica, apostólica de verdadeiras e sadias projeções divinas, perene, a persistir na fé até o final de tudo, do gotejar da última respiração do verdejar da última folha no vale que intitulamos de lágrimas, até a ressurreição para a vida eterna ou para o inferno de tormentos conforme as escolhas de cada ser humano, resgatado pelo precioso sangue do Cordeiro.

i. Sem querer assustar a galera não afeita a estes raciocínios, os livros sagrados são categóricos ao afirmar que virá
o grande acerto de contas chamado de juízo final e antes disso cada um passará pela sabatina do particular infinito
inevitavelmente, dado a sua condição efêmera. Ao atravessar o limiar do espírito o elevador subirá ou descerá dado as escolhas anteriores do livre e solto arbítrio.

j. Ter presente esta máxima corrobora em muito para equalizar a balança dos sentimentos e começar uma semana diferente com o pé no chão e a alma nas estrelas, eu não seria amigo deveras se não propusesse flores, mas com alguns espinhos que adornassem sua existência. Daí a necessidade de encetar ações profícuas, amar o semelhante sem limites, preservar a natureza, e amenizar a rude caminhada com o calor de nossas conversas e respeito mútuo.

l. Aquecer a alma, e na calma acreditar no mundo bom das certezas empíricas tornou o escopo carinhoso deste blogger mínimo, e quando a última notícia bater à sua porta pretende saúda-la efusivamente sabendo que a vida não lhe será tirada mas mudada para melhor. Acredita piamente ser a existência uma dádiva, um sopro, o prazer gratificante de sentir e ver a luz do dia e se mover nela em função de uma eternidade feliz. E a maior e melhor menção e ter irmãos do seu jeito e saber que em lá chegando temos outros e outros numa confabulação infinda...

M. Ah! amigo(a) solidário(a) façamos o bem, divulguemos a paz, o que é bom para mim será bom para você e para todos sem discursos outros, pois 'o tempo de Deus não é o tempo do homem, os seus caminhos não são os nossos... pelos frutos o conhecerei.' A dimensão espiritual reservada ainda para esta terra virá numa projeção inimaginável e surpreenderá muitos, como disse é questão de tempo... tempo... tempo...

N. Quando esta era afônica chegar ao fim a verdadeira rosa vai desabrochar com perfume de jasmim, quando um não vai valer por um sim. Então veremos nuvens esparsas ao acaso dispersas repleta de cores, semeada de favores, e os lugares tenente lotados de politica vazia vão dar lugar à verdadeira consciência coletiva do povo e o mundo novo surgirá na curva de uma estrada totalmente sombreada pelo Bem Comum Maior.

O. A meu ver, a não ser nesta impostação espiritual, o sentido da vida terrena se esvazia de significados transcendentes, as crises particulares aparecem, geram insatisfações sociais, transformam-se em opressões ao semelhante
e deflagram guerras pelo poder como assistimos na irmã Síria, onde vemos o presente momento carregado da maldade deliberada, gente sendo massacrada com suspeita de armas químicas sendo utilizadas contra o sangue do seu sangue!

P. Aliás em todo o planeta a realidade cósmica não se apresenta nem um pouco construtiva, a par dos avanços impressionantes no campo das ciências quânticas a humanidade beira trêfega a beira do abismo infernal e continua manuseando os elementos para a destruição em massa, e mais do que isso que destruir, se possível fora sua alma, criada a imagem e semelhança de Deus. Por isso uma intervenção divina não seria de se estranhar na atual conjectura.

Q. A crise no país Sírio é mais uma confeccionada pelas hostes contrárias, esta mesma situação foca a atenção das potências mundiais, e estas mesmas não sabem lidar com o problema estando há muito enfraquecidas espiritualmente, e sem rumo que se encontram, com roupa suja em seu tanque não conseguirão alvejar beneficamente outros povos se em seu bojo não carrega reservas de generosidade, fé, e heroísmo, capazes de alavancar o mundo bom das certezas empíricas.

R. Ninguém oferece o que não tem... o ocidente precisa primeiro adquirir a noção exata do bem comum maior para depois processar suas ações em conjunto salvaguardando a auto determinação dos povos, isto seria um capítulo à parte, pois o assunto que gostaria de comentar vai muito além deste episódio triste e amanhã se acordarmos estaremos nos braços da hecatombe do mal. Mas qualquer que seja as determinações das potencias envolvidas sobre todas elas paira o olhar e o braço soberano de Deus criador do céu e da terra e ele não vai permitir agora a total exterminação de sua obra, não!

S. Ah! a maldita guerra, sempre as guerras a perseguir o gênero humano! As guerras púnicas, napoleônicas, I e II, entre outras teve a primeiríssima no céu quando o Arcanjo Miguel derrotou Lúcifer e seus seguidores naquela batalha histórica
do 'Quis ut Deus? ' e no presente momento que sabe se não fomentam a III ? Vai saber até onde a paciência de Deus vai tolerar tanta intromissão nesta terra saqueada e abominada pelos anjos decaídos e seus séquito terreno, pois que não semeia nos campos de Deus, trabalha contra Ele.

T. Seriam palavras duras em meio ao borborinho afônico de uma sociedade estruturada em valores ionizados e nada mais? Uma sociedade sôfrega de prazer, comodismo, uma sociedade 'fotoshopeada' ao extremo de sua loucura consumista, que chama a si a jactância de ensinar o padre nosso ao vigário, e nem mesmo sabe donde e para onde quer ir! Uma avalanche de avanços tecnológicos que deixaria Einstein boquiaberto, tantos átomos enriquecidos de urânio e sei mais lá o que! E acordamos com os pesadelos e carregamos nossos fantasmas existenciais ao extremo de estupor geral.

U. Ufa! E a Terra na sua trajetória veloz do tempo a si permitido caminha nos seus bytes soberanos e se prepara para a transformação do quase nada para o quase tudo, pois uma outra fisionomia se esboça plena redesenhada na mente do Criador que vai valorizar a alma humana, criada à sua imagem e semelhança. Os bastidores Dele, não são os nossos, e nascerá das cinzas frias um outro mundo, equânime total, solidário, pacífico e do bem. O grande aviso do cosmo já foi emitido e desta era afônica, distorcida surgirá outra a 'Pateriana', como o relâmpago precede o raio, o trovão à chuva copiosa. Duvida? É um direito livre! Critica, uma questão enunciada. Aquecer a alma, uma provisão ajuizada!

V. Ah! o homem, sempre o homem, este ser desconhecido de si mesmo que carrega suas dúvidas e sua alma imortal. Este ser que tem a pretensão de ser um deus particular de seu parnaso e dominar seu irmão a ferro e fogo, um ser que esquece que somente Deus quis ser homem e resgatar os pecados do mundo pela cruz salvífica. Mas para Ele é questão de honra as coisas serem do jeito certo...

X. E chegamos na parte da questão enunciada ao longo deste a, b, cedário, e eu na minha ignorância não admiraria se os nossos filhos já estivessem sonhando sonhos maiores... e os nossos jovens tendo visões...

Z. Foge o tempo irreparável de uma era afônica para lá na frente em um futuro próximo que a Deus pertence, dar lugar a outra poe excelência, sublime, a Era Mística da Rosa Maria Quando finalmente as nações caminharão na luz perene do Cordeiro de Deus, aquele, só aquele Deus humanado que tira a maldade do mundo!

Helder Tadeu Chaia Alvim




Postar um comentário