quarta-feira, 12 de dezembro de 2012

audemus dicere...

1. Dezenove não é vinte... Faltou este ano algo de imprescindível e um tom  homogêneo no que tange à decoração natalina na avenida mais paulista de todas.A meu ver isto se daria se tivesse a cargo de projetistas sensíveis ao espírito do natal que adequassem o ter ao ser. A quantidade enorme de luzes neonizadas e justapostas aleatoriamente carregaram em muito o ambiente e ofuscaram a beleza intrínseca da maior data da cristandade.

2. A ornamentação no seu conjunto não agradou aos olhos e fugiu do conceito tomista 'quod visum placet', e o motivo  intimista reflexivo não apareceu. Afinal não se pode esquecer que o aniversário é de Jesus Cristo, o Deus humanado, que veio a esta terra encarnando no seio de uma virgem , cumulada de graças na sua concepção, preservada da mancha original, sempre virgem por obra do Espírito Santo.

3. O mais belo gesto da história foi movido por amor, um gesto que assumiu a natureza frágil para a elevar e realizar a redenção salvífica da humanidade. O primeiro natal foi cercado de mistério, luz e cores de uma intensidade maravilhosa que seria difícil descrever em letras e ornamentos, foi rodeado de sinfonia angelicais, do ósculo da mais pura de todas as mães, dos cuidados de um descendente direto da casa de David, o justo José, pela presença de humildes pastores, dos animais de candura, e de sábios e contemplativos reis magos.

4. Desta irradiação saíram os primeiros lampejos de uma era nova, da melhor notícia que se pode imaginar.Respingou na terra ressequida e cheia de maldades melodias celestiais que inundaram a atmosfera inteira de gozo e alegria espirituais, simbolizadas pela estrela de belém, alumiando os vales e montanhas da Judeia.

5. Voltando ao assunto, na avenida paulista entre tons, luzes, do concreto ao abstrato faltou muito.A Fiesp surpreendeu com sua decoração de arte lediana,  mesmo dissociada do tema em  questão o que agradou em muito caindo no gosto do publico. A originalidade e criatividade do tema compensa você se dispor a ver e ir lá admirar os efeitos especiais.

6. O mais foram projeções de neon contribuindo para dar um ar de parque de diversão sem lastro no verdadeiro sentido do calendário cristão. Tem-se a impressão que tudo leva a um distanciamento categórico e planejado para esvaziar no coração do paulistano o pouco que resta de tradição natalina. Sem falar que o comércio encampa, midianiza um acontecimento celebrado ininterruptamente ao longo de dois milênios e que hoje infelizmente não encontra mais ressonância  na era robótica dos nióbios quânticos.

7.Olhem as idéias do romano imperador Julio Cézar, desejoso de saber quantos estavam sob seu jugo ou para auferir mais impostos para sua decadente nação decretou este recenseamento.Na Síria ficou a cargo do governador Publio Sulpício Quirino,tetrarca da  Ludaea, cioso de seu cargo organizou este tal censo.


8. Nazaré, distante e desconhecida do poder central de Roma altiva, também estava sob o mando da pax aquilla e Jesus, José e Maria  seguiram  para Belém, jurisdição a que estavam inscritos.Não passariam mais de quatro séculos o voo da altiva seria interrompido e abatido pelos caçadores vorazes chamados bárbaros.E o nazareno iria se perpetuar nas promessas ao grande pescador...

9. O império dos deuses declinou por volta do ano 476 d.C a nau de Pedro bafejada pelo sopro do Espírito Santo continuou sua trajetória rumo a pátria celeste sob a proteção de Santa Maria,'omnium plena celesti gratiae', genitora e formadora em seu puríssimo seio de um Deus.

10. Cristo Jesus apareceu como um pontífice para propiciar a todos os bens futuros, 'entrou no tabernáculo mais excelente e perfeito, não construído por mãos humanas, adquirindo-nos uma redenção eterna'( Hebreus 9,12). Um tabernáculo revestido de tanta beleza e pureza que o próprio Deus outorgou. Ela,  Stella Maris no natal deu a luz ao verbo divino sem perder a sua integridade perfeita.Mais bela que lua, mais brilhante que o sol, a mãe solícita cumulada de tantas graças tornou-se a mãe de Deus...

11.Outros vieram, uns mais outros menos deixaram se envolver pelas influências da janua coellis e a sagrada manjedoura tornou-se um referencial de entusiasmo sem igual. O grande império tornou com Teodósio I o cristianismo a religião oficial, às 10 perseguições sucederam conversões e mais conversões.

12. Vieram ilustrar o rebanho, Clóvis, Carlos Magno e uma plêiade  de homens e mulheres ao longo das gerações que a partir da luz de um berço pobre, aparentemente sem futuro, nasceu dali a esperança do mundo e um sólido arrimo das almas.

13. Outros e outros fecharam as portas à evidência da fé e foram se perdendo em teorias vãs e práticas deletérias. Tocamos assim na fímbria da era robótica, sofisticada, mobilidadeada ao extremo  e em ascensão quase definitiva no convívio atual. Tudo é rede, tudo é sistema, nada é alma, nada é calma, parece real mas é sim, virtual.

14. E analisando o movimento a gente percebe que a lição da manjedoura ainda está por fazer, o ano letivo de Deus não encerrou sua adoção e a sabatina está por vir e a correção na sequência se fará para depois virem as almejadas e merecidas férias.

15. E a humanidade depois desses dias de turbulência descansará à sombra da cruz, realizará coisas impressionantes que deixarão estas brincadeiras dos neutrinos e átomos enriquecidos no chinelo porque estes impulsos virão da alma,que é imortal e está destinada à morada do meio dia onde o Sol de Justiça nunca se põe. 

Helder Tadeu Chaia Alvim
Texto em cnstrução















Postar um comentário