quarta-feira, 26 de dezembro de 2012

sursum corda

1. Ah! o Natal por si deve trazer fé, alegria, aconchego, paz e mudanças de rumos. 'Deus se fez homem e veio habitar entre nós', para na suavidade de seu hálito puro nos elevar à condição de herdeiros do céu.

2.Toda a atmosfera do primeiro natal da história foi tomada de júbilo, miríades de anjos desceram a terra para comemorar, pastores humildes acorreram à gruta de Bethlehem, reis misteriosos apareceram com seu séquito numeroso e todos viram um menino envolto em panos, cercado pelo carinho de sua mãe, a mãe bela de todas, a virgem Maria e pela guarda de seu pai adotivo, o justo José.

3. É foi desta maneira, da maneira mais humana e singela que podíamos imaginar. Jesus não quis nascer em algum palácio ou rica propriedade. Nasceu na gruta do seu ancestral David na calma daquela noite abençoada em que anjos cantaram a mais bela de todas as canções: 'Glória a Deus nas alturas e paz na terra aos homens de boa vontade."

4.Ele, o príncipe dos séculos, o Deus humanado, se alimentou do leite de uma virgem e nos convida a um movimento de alma contrário ao tempo atual, da correria insana às compras, aos presentes e comelanças tão em voga neste período.

5. Nada disso vai completar o anseio que ele depositou no coração do homem, uma inquietude que o conduz a se tornar melhor, a respeitar a si mesmo e ao próximo, a natureza e tudo e todos ao seu redor.

6. A história humana gravita em torno deste mistério e não será diferente, quem possui a chave da vida, dos acontecimentos nasceu humilde, viveu obediente, fugiu para o Egito, pregou, fez milagres, foi pregado numa cruz, e... e ressuscitou!

7.Este arremedo atual de seu nascimento com luzes de neon, papai noel comercial,não tem nada a ver com a essência do verdadeiro Natal. Quando raiou o dia prometido e anunciado pelos profetas ele veio, uma estrela de sumido brilho foi vista no longínquo Oriente e afugentou as trevas. O Natal enlaçou o mundo na justiça e solidariedade, fez iguais escravos e livres, homem e mulher e devolveu à condição humana a dignidade própria de sua raça.

8. Então infere-se que o mundo bom não é outra coisa senão um volta da humanidade à manjedoura. Tem a manha de entender, amigo que lê bondosamente estes traços rápidos de um poeta cantador. O parecer do natal é pelo principal, pois os acréscimos financeiros  a gente já corre atrás o ano inteiro. Sursum Corda! Corações ao altO, canta a liturgia da missa todos os dias...

Helder Tadeu Chaia Alvim

Postar um comentário