terça-feira, 28 de abril de 2009

A evolução do tempo

1.O tempo vai, o tempo vem, gosto de acompanhar sua evolução,uns se perdem no vácuo de suas alienações,outros se jogam com sofreguidão no amálgama da solidão sem face.

2. Muitos conquistam, com mérito e louvor posições franqueadas, palmilhando escalas arriscadas,aceleram a vida e somem na esquina da desilusão, sem dizer nada.

3. E o tempo vem, o tempo vai nocauteando na praia anseios não revelados, sonhos quase alcançados.A uns é facultado, sem saber, vida longa, estabelecendo valores, a outros vê-se interrompida, sem dar razão à dor, deixam apenas o rastro de um perfume sem maior valor.

4. Vem o tempo, traz a alegria solta, os projetos delineados,o canudo na parede, o time campeão, o abraço de um amigo,o primeiro emprego, o casamento em grande estilo,o primeiro choro do filho amado, a missa aos domingos,a tão sonhada casa própria, é fato realizado,o automóvel na garagem, o título do clube preferido.

5. E o tempo vai, chega a aposentadoria almejada,o primeiro netinho, seu batizado, o santo crisma, primeira comunhão.E no grande espelho da vida, ele passou depressa,talvez tenha valido à pena... tardes ensolaradas,a família reunida, a presença da mulher afeiçoada,as festas de confraternização, as viagens, os passeios,as férias abençoadas. Quantas realizações,muitas decepções na jornada...

6.E o tempo foi, aos poucos levou para sempre, o amigo, o parente, a mãe e o pai queridos,na missa de finados a recordação apertada,o filme em preto e branco roda sem parar a certeza da vida que passa...

7. O tempo vai, o tempo vem e na sua medida exata ninguém escapa de sua determinante evolução,colhe na hora acertada cabeças coroadas, tiaras, a modesta dona de casa,jovens, crianças, adultos, idade avançada, a todos iguala.

8. O tempo da serenidade me faz pensar na sua fugacidade, se me proponho a escrever sobre ele, agradeço ao autor da vida, as horas que vejo escoar, na oportunidade que ainda tenho para observar seu movimento,não duelo com ele, apenas procuro acompanhar seu andar.

9. No meu caso ele tem sido bom para mim, vivi o bastante, confabulei com ele meus anseios de menino interiorano registrei tristezas, compartilhei alegrias, decepções estranhas.

10. Ele, na sua bondade peculiar, mas soberana devolveu-me a inspiração,e a vontade sincera de compartilhar com o irmão, versos do coração.

11. Quando me concede a honra de sua visita, parece dizer: - Poeta mínimo, apregoe valores,encha o papel de cores, que um dia outros compreenderão,realize-se na escrita, pesquize os sentimentos alheios,espalhe versos de alegria, fuja das encrencas,creia em Deus, seja devoto de Maria, tenha o Anjo da Guarda como guia,pois estou atento ao desenrolar da vida humana ... E cem anos para mim é um dia! e continua, deixando pasmo a este que se minimaliza:- Pincele os fatos, seja exato e võe comigo nas asas da imaginação,oh! poeta mortal, aproveite o máximo, esquente a tinta, saboreie as rimas, antes que um dia mudo nas cinzas se extingua,reparta com os outros este pouco de poesia que conseguiu ajuntar,e que anima e alumia o seu caminhar...Pois quando o anoitecer da vida bater à sua porta,poderá com toda a calma e serenidade dizer:- Irmaõ tempo mê estenda a sua mão a hora de meu tempo chegou, então vamos...

Helder Chaia Alvim
SP 28/04/2009
Postar um comentário