quarta-feira, 16 de novembro de 2011

A mata ciliar


a mata ciliar

1. Outro dia alguém me parou na rua e perguntou, poeta tenho acompanhado seu blog mínimo e observo, numa boa, que você , nos seus  escritos recentes, se parece mais com um colecionador de dores alheias, onde está sua estética admiradora do começo? Sua hermenêutica encontra-se esmaecida? Assuma de vez que é um cronista da poesia dos fatos com leve ascendência do espírito à dinamica, sua letras e palavras são o que? Formas artísticas meu caro?

2. Dado a contigência humana, agradeço de coração ao leitor a correção, confesso que vou pensar e depois responder. Vou escrevendo conforme as dádivas da inspiração batem à soleira acanhada da habitação , uma dinâmica dos versos almejando o resultado do mundo bom, não me atenho a estilos, ao escrever gostaria que o leitor entendesse o que digo. Uma forma de dasapertar o peito em meio as tantas aleivosia atuais. Vou misturando tudo, pesquisando e imprimindo um tom ameno, palatável ao dicernimento, citando a fonte da pesquisa suada, ou anotando na liberdade poética aquelas conjecturadas.

3. No entanto é sempre bom a interrogação ou crítica, o que seria dos versos se ninguém lesse e  objetasse, seria um casulo insuportável de parnasos e mais parnasos empoados, o que foge da idealização do autor divino da criação, que acendeu tantas belezas e um ritmo próprio diferente a cada manhã que amanhece, a cada noite que anoitece. A missão destas rimas é tentar tornar mais palatável os fatos atuais e servir como canal aberto e receptivo de alertas e mais alertas e dizer a convicção que para além deste inverso belo e complexo existem as certezas empíricas e que o bicho homem está interferindo no planeta de uma maneira incorreta, para não dizer desastrosa para hoje e para as futuras gerações.

4. Me atenho ao assunto das matas ciliares. Uma pouco porque saudosista delas, de seu orvalho puro, de sua vegetação cerrada, de seus mistérios e vida própria, mais porque elas contribuem para o equilibrio do ecosistema e protegem os cursos de água, filtram as impurezas e preservam seus rios e regatos de uma forma natural e equitativa, proporcionam o alimento ao peixe e o perfeito equilíbrio da fauna e flora de sua competência.

5. Os estudos avançados utizando equipamentos de alta definição demostram a utilidade e importância vital para a vida humana na terra das nossas matas ciliares. Preservar o que resta delas e primordial  e um ato de amor à humanidade, uma vez que elas sem dó e piedade continuam sendo banidas em nome da verticalização imobiliária, da agricultura e pecuaria, ou deixadas ao abandono e poluição sem nenhuma preservação adequada.

6. E nossos dirigentes brasileiros em vez de fixarem em lei rígida seu código de honra florestal, tergiversam para um lado e outro conforme as pressões de base política e as APPs ficam á margem da história ideal e fadadas a desaparecem do mapa brasileiro.

7. É sabido de todos, mesmo os que não vivem ou viveram no interior do sertão que as matas virgens foram objeto de cobiça de muitos, considerada o ouro verde tem sido sistematicamente derribadas, ora visando o lucro da madeira, ora a favor do pasto e plantio. Desde criança presenciei uma avalanche feroz contra as indefesas árvores consideradas madeira de lei, muitas vezes, lá de casa ouvia o gemido atroz do jequitibá, da aroeira, do jarcarandá, do cedro dizendo: me salve seu moço, que perecemos nas mãos deste machado , não vai durar muito e seremos substituidas pelo concreto protendido, menino.

8. E elas ainda hoje, as que sobreviveram, parecem repetir em coro nas tardes sombreadas de janeiro: > O brasil, outrora brasileiro deita sob nossas sombras que restaram e chegará o dia que acordará indefeso, descoberto com o sol a pino em seus rostos, outrora verdadeiros, ele, com seus fatores agregados está destoando da verdade ideal. Traiu o seu passado, não vive o seu presente e não quer para si um futuro sustentável.

9. E as vozes continuam, num crescente de assombro e indignação:Também pudera estão deixando de consumir alimentos saudáveis e naturais e a ganância de muitos chega a um grau de loucura que modificam o gene pelo lucro absurdo. . . Vai desaparecer da mesa do brasileiro o bom arroz, quiça o feijão tropeiro e isso não vai esperar muitos janeiros...

10. Em face do que ouvi vejo que escasseia o bom senso na cabeça da nação pátria, e as dores alheias se tranformaram em próprias e vou descansar na sombra de alguma árvore ciliar amiga e dizer que sou solidário em sua cantiga. Amigo, quer vir comigo?


11. Obrigado por ter aceitado o convite, pois a união em torno do objetivo comum alavanca o resultado e retrocede os prejuízos e vamos pesquisar a quatro mãos, 6, 18, 56, 1.000,00, quiça milhões acerca do assunto ciliar e da modificação em curso dos genes visando o aumento da produção, o lucro exorbitante em prejuízo do equilíbrio natural concomitante.


12. Tem estudos exaustivos sobre estas duas questões acima o que prova que tem gente lúcida estudando o problema a fundo e agindo no sentido contrário à avalanche desprotecionista  em curso, levada a cabo por uma parcela dos políticos brasileiros, conluiados com os interesses escusos de outra parte que só visa o cifrão maldito de ganhos brutos.


13. No site do www.AmbienteBrasil /ÁrvoresBrasil. com.br lemos alguns tópicos interessantes: "... O processo de ocupação do Brasil caracterizou-se pela falta de planejamento e consequente destruição dos recursos naturais, particularmente das florestas. Ao longo da história do País, a cobertura natural nativa, representada pelos diferentes biomas, foi sendo fragmentada, cedendo espaço para as culturas agrícolas, as pastagens  e a cidade."


14. Viu como eles entendem do assunto e de uma forma didática explicam o arrazoado tão bem: "... Neste panorama, as matas ciliares não escaparam da destruição; pelo contrário foram alvo de todo tipo de degradação. Basta considerar que muitas cidades foram formadas às margens de rios, eliminando-se todo tipo de vegetação ciliar; e muitas acabam pagando preço alto por isto, através de inundações constantes."


15. E o caldo quente vai engrossando no fogão de suas convicções acertadas: "... Apesar da reconhecida importância ecológica, ainda mais evidente nesta virada de século e de milênio, em que a água vem sendo considerada o recurso natural mais importante para a humanidade, as florestas ciliares continuam sendo eliminadas cedendo lugar para a especulação imobiliária, para a agricultura e a pecuária e, na maioria dos casos, sendo transformadas apenas em áreas degradadas, sem qualquer tipo de produção."


16. Finalizando eles embasam na lei sua tese excelente da qual extraí alguns trechos que me pareceram vitais à presente postagem, vejam: " o novo código florestal( lei 4.777/65 inclui as matas ciliares na categoria de áreas de preservação permanente. Assim toda vegetação natural( arbórea ou não) presente ao longo das margens dos rios  e ao redor das nascentes e de reservatórios deve ser preservada. 


17. Para resumir se a devastação de nossas matas ciliares continuar seu curso, a nação brasileira estará literalmente com os cachorros sem mato, sem gato, sabiás, sem respirar, a demanda pelo lucro sufocará seus anseios de sustentabilidade e malogrará sua cadeira no concerto das nações.


18. Vou aproveitar o final de semana para analisar as mudanças acerca do gene e continuar consigo anotando solene o que vier na mente. Até lá então e um ótimo intervalo na suas ocupações, vou procurar uma frondosa copa e descansar o esqueleto desta prosa, alinhavar o rascunho e depois ser sabatinado na prova em questão.Vou precisar de sua opinião,amigo!

Helder Tadeu Chaia Alvim



Postar um comentário