quarta-feira, 27 de outubro de 2010

Linhas Liricas

1.E a prosa não para nunca, traz em seu bojo a insaciavel sede do saber. Vejo desabrochar os anseios dos poetas anônimos em um louco redemoinho e poucos aquilatam sua importância para a atualidade.

2. Nas  escondidas rimas estão as riquezas do proseio e recônditos pesares. E o poeta a cada dia que passa lança-se com sofreguidão, acaricia o poema, grita mudo, mas sua voz cala fundo no coração do mundo.

3.Ela, a letra esquecida, permanece escondida e quando aparece arranha de versos a garganta aberta e tira dela um oh! incomensurável e declara: a via é esta, sempre foi, sempre haverá quem se dedique a função de alcançar estrelas sem tirar o pé do chão.

4.Muito além das certezas que apalpam, existe um universo imaterial que os poetas cantam com sua voz alada e de onde emana a paz e a harmonia. E seus poemas, o que são senão respingos brilhantes, a quem diga delírios colhidos para oferecer aos irmãos.

5. Poeta, pegue a senha, assuma sua posição, veleje na brisa da inspiração. É fugidia e requer atenção redobrada pois na esquina desencontrada da vida poderá encontrar o filão perdido.

6. Faça, amigo bom uso dele sem queimar os dedos na fornalha desta profusão, afaste-se da ilusão, tenha a alma plena, para atingir esta morada, não se atenha a detalhes outros, versos se escrevem ante de mais nada na essência, com o coração quieto na contemplação, não na barulheira de outras acomodações.

7. Ajunte o elo partido, solde as partes com perfeição, decifre os enigmas, busque as rimas, lá mais na frente pode chegar o mundo bom, alinhavar versos já é o começo, nas suas preces achará o que estabelece, o dia amanhecerá no calor que merece.

8. E ele pleno de sabedoria falará ao poeta breves palavras, de como escreveu a boa rima, encerrou o trecho em cima do que intuiu,protegeu as linhas líricas e conseguiu terminar no tempo previsto, restou-lhe a paz de um dia fugaz que viveu e nada mais!

Helder Tadeu Chaia Alvim
Postar um comentário