domingo, 12 de fevereiro de 2017

2 pesos e estranhas medidas da politica brasileira

              2 pesos e estranhas medidas da politica brasileira

1.       O intuito destas linhas que ora se delineiam aos seus olhos, não é polemizar a respeito dos episódios no estado do Espirito Santo quando os militares  cruzaram  os braços para reivindicar justos salários e melhores condições de trabalho, apoiados que foram por suas esposas, filhos e toda a sua famílias. A sociedade capixaba entendeu apesar de se sentir sem proteção, e tal greve se arrasta por sete longos dias deixando a todos em polvorosa. A chaga fora aberta, e invariavelmente tais pretensões salariais não tiveram reciprocidade junto ao governo de Paulo Hartun. Sem consenso entre as partes a situação se prolonga desgastando a ordem institucional e mostrando quão frágeis estão as esferas do poder.
2.       Redigi algumas ponderações que compartilho consigo em forma de interação augurando uma solução cabal e perene no que tange à segurança naquele importante e simpático estado da federação. Gosto de lá, admiro o jeito simples do povo capixaba, sua intuição religiosa, sua forma de viver, sua hospitalidade, sua alegria franca e de bem com a vida.
3.       Nem tudo são flores, mar, sol e montanhas no meu querido Espirito Santo, pois veio à tona a dificuldade financeira que assola a classe militar com seus baixos proventos. O salario mais baixo do pais auferem por lá a policia militar e civil, e quando estes heroicos profissionais batem à porta do patrão estado recebem um não categórico como resposta, mesmo quando as esposas reagem dentro da lei e da ordem não recebem a oportunidade de um dialogo franco com as autoridades legitimamente constituídas.
4.       Não é de hoje que pincelo neste blogger mínimo a possibilidade de uma comoção social sem precedentes na republica federativa do brasil, e laivos dela se apresenta hoje solerte na amurada do governo capixaba. Ele parece não atentar para a gravidade da situação, pois falta um dois para se estender para outras partes do pais continente, quiçá uma reação análoga espreita o seu vizinho estado Fluminense, e queira Deus que esta imensa osmose coletiva não se alastre, e encontre uma solução pacifica e cabal na união de esforços e compreensão por parte do planalto central.
5.       Estiveram lá ministro da defesa, procurador geral e não levaram em sua pasta os acordos necessários para por fim a esta situação aflitiva. Na verdade, embora a situação de aperto financeiro seja uma realidade nacional, poderiam muito bem acordar, ouvir e deliberar em prol de uma classe essencial a sociedade, sem a qual o caos se estabelece e a bandidagem prolifera e cerceia  a liberdade do cidadão de bem, que cumpre seus deveres e paga muito bem seus impostos.
6.       A classe politica brasileira, em sua maioria tornou-se uma ‘ casta privilegiada’ ciosa de seu mando, e parece querer legislar em causa própria, díspar seus anseios de poder tornaram-se gritantes. Como sói acontece no brasil seus salários estão bem acima do suportável, na sua aparente austeridade fiscal esquecem que os servidores tem família, responsabilidades e funções no front da segurança.
7.       Um estado plenipotenciário de seus impostos, e que muitas das vezes não devolvem as verbas amealhadas em forma de benfeitorias a população, e o estado do Espirito Santo não foge à regra perversa, e deixa por exemplo seus militares a ver navios, enquanto exigem deles uma super força de dedicação, um juramento robótico e sem lastro em suas vidas de cidadão brasileiros de farda e ônus quase insuportável.
8.       É hora gente sensata, que ocupam cargos de direção, políticos sufragados pelo voto popular, detentores da missão de governar para todos, inclusive para seus policiais, reserva de segurança, e protetores da sociedade.
9.       Não é justo uns com tantos privilégios, regalados com salários altos, e outros na escassez quase completa de seus salários baixos, amargando uma situação apertada, parece que retrocedeu-se a Roma antiga dos césares, e falta pouco para o ‘panem e circenses’ da turba multa  tornarem a nua e crua realidade nacional brasileira.
10.   E se você se dispuser comigo a puxar o fio da meada vai ver que que a classe politica trata os seus assuntos de verba com dois pesos e estranhas medidas, aos militares, professores e servidores  por exemplo as migalhas e aos fundos partidários exorbitantes quantias! Se estiver equivocado que me corrija, se estiver certo me ajude, solidarize-se  com a classe militar do Estado do Espirito Santo. Hoje são eles os grandes preteridos do estado patrão, amanha seremos todos nós cidadãos e cidadãs brasileiros em numero de 207 milhões de habitantes.

Chaia Alvim Helder
Poeta minimalista

São Paulo, 12/02/2017
Postar um comentário