quarta-feira, 21 de setembro de 2016

o evangelios segundo Matthaios

            O evangelios segundo Matthaios
1.     Matthaios naquele dia de inicio da primavera talvez não imaginasse que sua vida iria dar um giro de 361 graus e em uma direção espetacular pois o Mestre Jeshuá surgiria  em sua vida com força bendita de um furacão do bem e o jovem hebreu entraria para a história universal como seguidor do nazareno, apóstolo, mártir e autor do primeiro evangelho. Filho de Alfeu,  ele era da receita federal daquele tempo de jugo sob as vigilantes sandálias romanas, e cioso de seu cargo coletava dinheiro e entregava-o ao Tetrarca da Galileia de nome Herodes Antipas.
2.     A sede de sua coletoria estava na importante cidade de Cafarnaum e inteligente estudado que era falava fluentemente o aramaico, dominava o latim e ainda conhecia a cultura helênica e seus vieses da arte e sua influencia no império dos césares de Roma. Certamente lera os 12 volumes da obra Eneida e cultuava o valor do poeta  Eneias, suas peripécias após a queda de Troia...
3.     Era visto pelos seus conterrâneos judeus com uma espécie de pária a soldo de estrangeiros, mas ia levando sua prestigiosa vida sem se importar muito com a falação de seu povo, até que em um belo dia arcano ‘o vem e segue-me’ de Cristo Senhor soprou uma melodia suave e forte e ele prontamente tomou posição e iria escrever com os outros apóstolos páginas e mais páginas da iluminura cristã até morrer martirizado nos confins da Etiópia no ano 72 da primeira grande era.
4.     Vale destacar que a tradição o associa aos anjos, e para tanto Matthaios deixava se  inspirar por esses espíritos de luz em sua escrita, a primeira obra prima da Igreja denominada evangelios que até hoje enche de unção a cada página que se lê   com atenção e gosto pensado. Um livro que juntamente com outros três de autoria de Marcos, João e Lucas iria guiar e iluminar todas as eras, principalmente da Idade Média, obras responsáveis para alicerçar o reino do outro mundo na terra dos homens, aquele reino que nem as traças e os ladrões abocanhariam para si. O tempo do Pater, as profecias contidas no admirável evangelios abre uma porta do porvir...
5.     Um simples chamado, um sim imediato, uma renuncia total, uma entrega enlevada ao Cordeiro bastou para mudar a vida deste homem e guindá-lo como estrela de primeira grandeza e se consagraria um dos pilares da cidade de Deus. Um dia em Cafarnaum alguém, não menos que um Deus humanado, apareceu na soleira de sua porta e abriu um novo horizonte de fé, confiança e misericórdia que até hoje impressiona quem se detém um momento para analisar a história verídica de um cobrador de impostos que se tornou um dos doze apóstolos de Cristo e sonhou com ele um sonho grande de liberdade e paz de espirito e construiu algo tão fabuloso que perdurará até o cair da ultima folha verde na consumação dos séculos.
6.     E seu sonho realizado o fez um gigante de santidade, um defensor dos pobres e oprimidos do império altivo, o fez desafiar doravante tetrarcas, fariseus e etíopes e implementar na prática o que deixou impresso no papel e sua poesia totalmente sublime deliciou toda a face da terra com o hálito fresco e perene do Evangelios de Cristo.
7.     E o canto suave e forte continuou e continuou e chegou hoje aos nossos ouvidos atentos de boas novas:   "Tendes ouvido o que foi dito: Amarás o teu próximo e poderás odiar teu inimigo. Eu, porém, vos digo: amai vossos inimigos, fazei bem aos que vos odeiam, orai pelos que vos [maltratam e] perseguem. Deste modo sereis os filhos de vosso Pai do céu, pois ele faz nascer o sol tanto sobre os maus como sobre os bons, e faz chover sobre os justos e sobre os injustos. Se amais somente os que vos amam, que recompensa tereis? Não fazem assim os próprios publicanos? Se saudais apenas vossos irmãos, que fazeis de extraordinário? Não fazem isto também os pagãos? Portanto, sede perfeitos, assim como vosso Pai celeste é perfeito”.
1.     Um poema mais bonito e expressivo que o outro, uma inspiração arcana: «Vós sois o sal da terra. Ora, se o sal perde seu sabor, com que se salgará? Não servirá para mais nada, senão para ser jogado fora e pisado pelas pessoas. Vós sois a luz do mundo. Uma cidade construída sobre a montanha não fica escondida. Não se acende uma lâmpada para colocá-la debaixo de uma caixa, mas sim no candelabro, onde ela brilha para todos os que estão em casa. Assim também brilhe a vossa luz diante das pessoas, para que vejam as vossas boas obras e louvem o vosso Pai que está nos céus».

Chaia Alvim Helder
São Paulo, 21 de setembro de 2016 / Festa de São Mateus






Postar um comentário