quarta-feira, 10 de agosto de 2016

A realidade vivencial em a nova Canudos sitiada

              a realidade vivencial em a nova Canudos sitiada 
                                           manifesto mesa de todos
1.    Há muito tem-se  propalado a respeito da situação brasileira, uma enxurrada de noticias  por conta da mídia atenta, os jornais, as revistas  estampam diariamente o assunto, a televisão se empenha em uma ampla cobertura, as redes sociais focam a dramática e perniciosa crise politica, as opiniões se dividem , os ânimos se conflitam , olhos marejados, atenção redobrada, e todo mundo aponta os maus feitos de parlamentares que não fazem outra coisa que legislar em causa partidária, quando não em interesses pessoais, e uma espécie de classe privilegiada se instaurou na artéria combalida da republica federativa, gente sem escrúpulos e faltosa de patriotismo querendo se dar bem, e engendrando corrupção, deixando-se corromper e para tanto armaram  esquemas e mais esquemas envolvendo importantes empresas da construção civil. Onde puderam levar vantagens escusas levaram e trouxeram um montão de dinheiro.
2.    Por inteiro o pais foi divido em novas sesmarias, e cada um queria se apropriar a seu modo do erário de todos, e as tonalidades aumentaram, os ânimos lá em Brasília se acirraram com a possibilidade do impedimento. ‘ É golpe, não é golpe...’ E daí, e depois no dia seguinte pairam medidas sérias? E  se o ministério publico não agisse a partir de um lava jato não sei a que cargas de mais  corrupção  a instituição publica por excelência estaria enchafurdada. 3.
3.    E o povo, ora o povo ele que se aguente como possa, cabeças rolariam para acalmar as ruas soberanas, a tese esboçada, depois seria a vez da vindita partidária no irresponsável e perverso jogo do poder, as férteis terras brasileiras, a sua riqueza in vitro, as suas extensões territoriais, o povo lhano e que espere em seu sonho latente de bem comum, pois na pouca farinha o pirão dos políticos primeiro.
4.     Mas, este mesmo povo batalhador acordou da apatia e em riste quis de volta a democracia, o acato incondicional         às leis constitucionais, à liberdade de se expressar e muito e muito mais... Isto assustou a empoada classe politica, e a tirou de seu conforto e a celeuma do bem tomou conta  do  pais inteiro, nunca se falou, gritou, se indignou tanto em tão pouco tempo, e de longe se avistou a encruzilhada, sonhou-se novamente com o sorriso do gigante, e dali por diante a realidade vivencial iria se transformar em ações e desejos de mudanças substanciais e reformas urgentes no judiciário, legislativo, executivo, fiscal e tributário, ou seja reinventar a nação novamente.
5.    Ah! o Brasil, o querido e amado Brasil carece sim de liberdade para ser ele mesmo em toda a extensão de seu desígnio pátrio, e para superar este momento único de sua triste história, ‘ quando os porões da republica se abrem e revelam à sociedade quantos segredos guardam, quanto caixas dois e três, quanta corrupção e consequente lavagem de dinheiro por fora e quiçá de fora,’  afirma a mídia consciente , atesta-o criterioso ministério público,  a situação se parece mais  às caçadas de  pokemons  em voga, a politica perdendo a noção de espaço, alijando a brasilidade, e seu  fenômeno restaurador às estantes virtuais sem consequências reais e práticas.
6.    Mas e a matéria humana para, caldo da legitima  democracia ? Pois se eles e elas ( dirigentes eleitos pelo sufrágio universal) na maioria padecem do mesmo mal que os  atuais investigados? Fora que tem este tal de foro privilegiado, as manobras dos veteranos e novos congressistas? Ou seja todo um Brasil a renascer de novo desta imensa crise sistêmica, crise de carácter ou literalmente falta de vergonha na cara.

7.    E o povo brasileiro ( ao todo 207 milhões de habitantes ) do qual emana o poder, ora ele se viu mais uma vez outro conselheiro de Canudos sitiada,  Ele  acorreu à sua tribuna livre, as ruas soberanas, às redes sociais, e os ânimos se afloraram  e ao alcance  dos dedos digitadores do mundo bom delinearam e construíram sua percepção intuitiva e construtiva acerca  da realidade vivencial que se abateu sobre  pátria. E de análise em análise, de conversa em conversa, e de opiniões contrárias a sociedade se posicionou, se xingou, se ofendeu, chorou, se estranhou numa espécie de guerra psicológica de  ‘irmão contra irmão.
8.    Em discordâncias e concordâncias, a opinião publica se posicionou, trouxe o bem comum para sua convivência, gastou as solas dos sapatos em passeatas prós  e contras, mas a par desta situação de sobressaltos somente uma união cívica em torno das leis constitucionais  a molde da revolução constitucionalista de 32, ampliada e modernizada poderá de fato mudar os rumos tortos, e fazer vingar o bem comum, aprovar as reformas urgentes, enfim devolver a nação  Brasil aos seus donos de direito, o povo brasileiro.
9.    Se estas palavras são bonitas, não sei, mas falhas seriam elas se não carregassem um amor incondicional a cada palmo de terra deste imenso pais, se não pulsassem de esperança, se não reforçassem os anseios da maioria da sociedade, se não se abnegassem, se não ajudassem reverter o quadro adverso, se não arregaçassem as mangas em conjunto com todos os irmãos e irmãs espalhados pelo Brasil afora, que não querem políticos corruptos e de carreira não legitimada pela brasilidade, que querem sim ver reavivados os contornos da bem querença social, que querem a sinfonia perfeita na sua diversidade de raça e cultura e sobretudo querem ver respeitados os valores da família, da honra, da decência, do civismo e do bem comum.
10. Em terras de Uauá, Cambaio e Jeremoabo a força bélica  federal um dia destruiu sonhos de uma população lá no alvorecer da neo  republica contrariando os anseios legítimos de um povo simples e humilde que via em Antônio Conselheiro seu líder social e religioso, e o horizonte daquela bandas se viu tingido de vermelho quando mais de 6.000 sertanejos foram impiedosamente decapitados. A republica atendia aos interesses dos coronéis da região, a necessidade de cobrar impostos, e uma mal entendida reação  de Canudos . Uma página triste, uma divida atroz. Hoje na era afônica parece que a Republica não aprendeu a lição amarga e insiste em ações de desação politico social, de desagregação dos valores constitucionais, e parece não querer as reformas fiscais justas, as tributárias, equânimes, as judiciarias prementes que dariam um retorno favorável à  consciência nacional.
11.   São Paulo  respira a realidade vivencial de toda uma nação, que geme sob as botas ferrenhas de uma politica corrupta e mal direcionada, que faz reviver de uma forma psicológica um estado mandão e autoritário, mas em meio a este caos a gente ainda percebe uma pontinha de esperança nos olhos da multidão que locupletam suas esquinas intuitivas numa tarde de inverno de Agosto começado, mês frio e gélido mas que divide o tempo ao meio, que agrega à  verticalização sua cultura diversa, que apressa os transeuntes, e me pergunto quando enfim a verdadeira democracia vai voltar a conviver nos lares de cada brasileiro, de cada repartição, de cada Igreja, colégio, quartel, hospitais, vilas e vilas, cidades, roça e povoados.
12. Meu sertão iluminado continua lá à espera de respostas, ele contempla a lua cheia refletindo no seu terreirão de pedra, os sonhos que seu povo perdeu na cidade grande... embora suas cigarras continuem em seu canto mavioso, seus vagalumes solidários emigraram faz tempo para longe e hoje Crisálida tem saudades de um passado de fartura, prosa e muitas festas no arraial de Alterosa. Mas ele sorri um riso solto de satisfação pois  pressente que está á espera de feitos heroicos quando os seus retirantes da fé retornarem à sua origem. Um dia eles partiram felizes, e foram até o fim da jornada com seus companheiros, e está chegando a hora  sim que retornarão com as mãos cheias de brasilidade.
13. Brazil problem?  Is not!  Na realidade vivenciada o povo enxerga a incoerência, que ficou a cargo dos políticos, irremediavelmente deles e de seus vieses de personalidade torta. Potencialmente o Brasil tem jeito, sequencialmente está a caminho de sua reconstrução na paz, harmonia, sociais, na sua liberdade constitucional, e os panoramas de Pajeú modernos estão à espera de povoamento e de grandes feitos a favor de seu bem comum. Hoje Ele, Malaquias de seus lamentos ao anoitecer, amanhã pregoeiro do mundo bom e sustentável de alma e corpo.
14. O Brasil, mesa de todos parece dizer, e expressa de fato o quanto carrega de apreensões em sua alma, o quanto sua veia artéria está carregada de sobressaltos, o quanto espera de seu povo a reação legitima calçado em sua leis e constituição, e ele grita um grito ainda abafado mas salutar de recomeço, e diz que os políticos inescrupulosos é que se cuidem pois o juízo inexorável  da história os aguarda, e não ficará votos sobre votos, e não adianta mais balança-lo, pois o gigante acordou  insone e sôfrego de bem comum, mesmo trêfego carrega sua vida  reservas de generosidade e heroísmo, capazes de em um determinado momento arcano alavancar para seus mais de 207 milhões de filhos e filhas, o mundo bom.
15. Mal aventurados os inconsequentes vendilhões do templo sagrado da republica federativa, que teceram para o povo a cama de prego pós moderna, e a indignação geral já se esboçou nas ruas soberanas, e a boa ordenação nacional do bem comum está a caminho, é irreversível, constrangedora aos incautos, salutar aos patriotas.
16. E continua sua fala de intuição, ao homenagear aqueles e aquelas atuantes da democracia, que com alegria, criatividade e bom senso tiraram o gigante da letargia e emocionado os abraça com um grande enlace cívico e constitucional, e aproveita a ocasião para saudar o sertão, cidades e campos iluminados pelo cruzeiro do sul, às planícies, vales e montanhas, rios, florestas e mares e às vastidões quase infinitas de seu território derrama sua verve de esperança em dias melhores para sua prole E o primeiro acorde de nação sustentável, autodeterminada, livre , vigilante e democrática se desprende de seu peito verde e amarelo, e acaricia seus lábios  azuis  e brancos, na paz e abastança de um novo tempo, vaticina esta singela canção colhida na mesa de todo o povo brasileiro e a ele devolve em foram de um salve de gratidão.
Chaia Alvim Helder
São Paulo 10/08/2016
Festa de São Lourenço


Postar um comentário