quinta-feira, 19 de maio de 2016

c o n c l u s i v a : e agora M i n C ?

       Conclusivas: e agora MinC?
a.       Pautas pautadas, sonhos sonhados, ideias ditas, idealizados ideais, palavras escritas e as rimas se recolhem em seu habitat natural, pois nem os artistas estão se entendendo e aparece cada opinião na mídia escrita e falada, que até Deus duvida de tanta demanda, de tanto desproposito acerca da questão MinC.
b.      Acho que o melhor no momento seria ouvir mais, falar menos, deixar o interino presidente desempenhar seu papel, pois existe muita bagunça a arrumar, muitos pontos primordiais de relevância vital para o Brasil, e esta digladiação se torna inoportuna perante os graves problemas financeiros, fiscais, morais e existenciais da nação Brasil.
c.       Mal Temer foi empossado os olhos vorazes e ciumentos da agora oposição, ontem  situação flamejam ódio e votos de insucesso ao seu interino governo. A questão é onde está o propalado patriotismo? Onde está a afirmação peremptória que os interesses de mais de 207 milhões de brasileiros estão acima das querelas partidárias?
d.      Foram para o ralo, se até a classe artística, responsável pela preservação das formas de expressão da cultura nacional está dividida, e muitos e muitas xingando todo mundo. Que coisa feia, o povo que lhes admira não quer ver isso, e sim uma posição equilibrada e um exemplo de cidadania para alavancar a minguada economia, para travar o dique da corrupção.
e.      A não ser assim a classe artística mesmo não conseguirá captar recursos para suas futuras produções, aliás a que muito tem enobrecido pela qualidade, interpretação e abrangência da identidade brasil na diversidade.
f.        Tudo ao que parece  o TCU encontrou falha grave na gestão do MinC, o não ter controle sobre mais de  8 mil projetos culturais, financiados por meio da concessão de renuncias fiscais previsto na Lei Rouanet, e quase nenhuma prestação de contas disponibilizadas, sabe-se apenas que no total os projetos receberam incentivos na cifra de 3,8 bilhões.
g.       Bom , e vamos que vamos tangendo a bigorna do bem querer, aguardando o desenrolar prático da politica domestica, na esperança que raie o sol da liberdade, e o Brasil possa sorrir um riso solto do direito em ação!
h.      Na crua realidade há muito tempo que o povo brasileiro tem dançado uma valsa em ritmo de baião, tem feito sacrifícios enormes, e visto suas economias minguarem por conta da má gestão publica, agravada com escândalos e mais escândalos investigados pelo ministério publico, muito deles confirmados e julgados.
i.        O povo não guarda ressentimentos, ele tem de sobra anseios guardados e a certeza  certa de que um dia o vento benfazejo da brasilidade vai soprar à boreste e terão uma pátria digna, justa e solidária que seus filhos muito terão de se honrar. Cabeça fria, coração quente e dessa gente que o brasil precisa contar nessa hora em a farinha tá pouca e o pirão minguado, em que literalmente acabou o milho, acabou a pipoca.


Chaia Alvim Helder
Postar um comentário