terça-feira, 12 de abril de 2016

o adeus sem saudades

      Adeus sem saudades
a. Ah! politica da desação, da precificação das contas publicas, até quando vai dar os ares poluídos de sua presença no planalto central? Por que não renuncia coletivamente, larga seu osso sem ideologia, fica inelegível, devolva o que indevidamente levou, vai para longe da terra nostra, deixa o bem comum doravante guiar os destinos de + 207 milhões de brasileiros, permita, se ainda tem dignidade, que a veracidade de ações funcionais organize a bagunça que deixou,
b. Ah! malfadada politica de favores ilícitos, ilegíveis foram seus atos, discutíveis suas falas, imperdoáveis sua maneira perdulária de gerir a pátria amada, que idolatramos na brasilidade de sua feições , no arrojo continental de suas distancias, nas riquezas de solo pátrio, patrimônio de todos os brasileiros, na mágica admiração de seu povo pela sua bandeira e constituição!
c. Ah! politica equivocada, você não entendeu nadica de nada o que nossas ruas disseram alhures, você não compreendeu o descortino de um povo, a união cívica de nossos gestos, o coração verde e amarelo de um povo pacato, trabalhador, mas de carácter que não se corrompe.
d. Ah! adeus politica sem noção de cidadania e transparência fiscal, vai embora com seu cinismo e que não vamos sentir saudades!
e. Você politica espúria não passou de ano nas ruas soberanas, dá licença que as rosas do concreto querem desabrochar seu patriotismo, e desculpe me pois o café no coador da brasilidade não lhe pertence, e nunca pertenceu!
f. O Brasil brasileiro pertence a melhor de todas as mães, Nossa Senhora Aparecida, nossa padroeira,  a Rosa Mística de eleição e bondade! Assim seja!
g. Adeus politica perversa e amoral, se Nossa Senhora Aparecida é por nóis todos, quem será contra?

      poetas do povo pela brasilidade

      São Paulo 12/04/2016
Postar um comentário