sexta-feira, 1 de abril de 2016

Liberdade, Liberdade porque tardas tanto ? ?

              Liberdade, Liberdade porque tardas tanto?

1.      Já era assim muito antigamente desde os tempos remotos da Udn x Psd, e cresci ouvindo os causos da politica doméstica, dos mandos, das ambições desmedidas, da fome de poder que eivavam na alternância do governo brasileiro. E lá para as bandas de Palma, lugar de meus parentes ,  as coisas na politica aconteciam igualinho acontecem hoje em dia, apenas mudaram as siglas, as pessoas, mas artimanha é a mesma.
2.      Ah! me contaram, e ouvi diversas vezes  à beira do fogão à lenha as ‘façanhas ‘ daqueles coronéis ( de patente comprada), que por ocasião dos pleitos eleitorais se apresentavam nas comarcas com um saco cheio de títulos ( o famoso voto de cabresto) e sempre se elegiam para mais um quadriênio, ah ah ah ! ! !
3.      O meu avô paterno, de feliz memória comentou que um certo dia perguntou a um desses candidatos: - Coronel Firmo de Araújo o senhor . votou em quem? Ao que ele retrucou: - Seu Primo Moreira, o voto é secreto!
4.      A politica de hoje continua a mesminha coisa, sua conversa faz curva, acomoda posições, compra alianças a peso de ouro. É ou não é verdade? Já a fala do povo pacato das ruas é direta, exala brasilidade, bom senso e convicção. A primeira sem o mínimo escrúpulo, atropela a ética, rifa cargos, e mostra de um ‘competência’ sagaz em agir pelos interesses próprios e partidários.
5.      Chegamos aonde chegamos, estamos aonde estamos por esta sucessão quase ininterrupta de ações mal direcionadas onde o bem comum fora obnubilado e vingasse a maldita  da voga politicagem.
6.      Isto é bem mais antigo que Tutancamon, creio ter origem na inveja de Caim que queria abocanhar o dom e dote do Justo Abel. Cristo, Deus humanado, o manso cordeiro, o intransigente defensor do templo sagrado de Salomão, peitou todo o império dos cezares, protestou veementemente contra  os dirigentes da sinagoga, se aliou ao povo humilde, arrebanhou 12 iletrados pescadores e com eles e nós sonhou um sonho sagrado de liberdade, paz, bem comum sem limites.
7.      E Thomas Jefferson traz  sua fala inquestionável de democracia: ‘ O preço da liberdade é a eterna vigilância.’ Se almejamos o Bem Comum Maior inerente à brasilidade do sangue que corre em nossas veias temos que palmilhar as pegadas do Nazareno, acorrer ás ruas soberanas e bradar uma ‘gritaria’ constante mediada pelas leis constitucionais, pelo civismo e bom senso continuando a invectivar as injustiças desta atual politica perversa, precificada, e dasacionada.
8.      S quisermos que o sol da liberdade fulgure no ar, mar e terra desta nação continente havemos de lutar com denodo com as armas pacificas das ruas soberanas: u m  n ã o   c a t e g o r i c o  aos desmandos desses corruptos de plantão  e afiliados afins.
9.      Se não fora assim nesta demonstração de união cívica e patriota, o Brasil auto determinado, o Brasil   impávido será apenas uma retórica vazia, faltosa de conteúdo salutar para seus + de 207 milhões de filhos, é um celeiro enorme de vantagens indevidas para uma meia dúzia de aventureiros bons de conversa fiada.
10.  Acorda Pátria idolatrada de seu sono letárgico, levanta mãe gentil, por favor e nos alumia com seu cruzeiro do sul, esperamos seus acalanto, seu sorriso de otimismo, salvai-nos porque se faz tarde em nosso horizonte cor de anil, e nuvens espessas querem nos tragar qual tsunami de proporções horríveis, visse!
11.  Ah mãe, suscitai dirigentes a altura de sua grandeza moral e continental, livrai nos da fome, peste e achincalho mundial, pois queremos um estado de direito promissor, sustentável de corpo e alma, queremos 207 milhões de irmãos nossos unidos, fortes e cônscios de seu bem comum.
12.  Queremos a condução de nossos destinos pátrios em mãos comprometidas deveras como o nosso bem social, com nossa segurança, transporte, saúde e educação, queremos um pais    com propósitos firmes, ações profícuas em toda a extensão de seu território nacional, queremos ver os vendilhões do templo sagrado de nossa republica federativa bem longe  de suas fronteiras, bem perto de sua punição merecida.
13.  A não ser assim vamos ‘ voltar a dormir sem ter acreditado em nossa própria grandeza’ de cidadãos e cidadãs, queremos outrossim dirigentes que legislem julguem e executem para o bem comum do povo brasileiro e não mil vezes não visando nossos bens, pois ‘ o preço da liberdade é a eterna vigilância.
14.  Na verdade, o tempo da azáfama tardia mudou, já não se houve o zunido do carro de bois cortando as estradas do meu sertão iluminado, já não se escuta o apito da maria fumaça singrando planícies, serras e povoados das geraes, o canto mavioso do sabiá laranjeira emudeceu, as pacas e irerês desapareceram!
15.  No entanto o ser humano carrega os mesmo vícios, as mesmas ambições de antanho, e mais que isso nesta era nióbio quântica da comunicação parecem ter amplificado suas mentiras, e solidificado seu ego parnasial.

MPPB - Manifesto dos poetas do povo pela brasilidade

São Paulo 31 março de 2016      
Postar um comentário