quinta-feira, 10 de setembro de 2015

um aluvião chamado Isaias Profeta

um aluvião de profecias
1.       Vou tentar descrever a historia de um aluvião, ou melhor de um profeta que iluminou os céus de Jerusalém e Judá por volta do ano 740 Ac, um homem instruído, que sem pensar em si mesmo teve o desprendimento surpreendente, a coragem indomável e a proporção grandiosa de seus feitos, predições coloca ‘Isaias, filho de Amoz’  com o mais importante profeta depois de Moisés, Ø  ‘... e ninguém questiona a afirmação de que Isaias é um príncipe entre os profetas. Sua eloquência é muito evidente. Ele dispõe de um vocabulário mais rico que qualquer outro profeta, ainda mais abrangente do que o livro dos salmos’. ( H. C Leupold).

2.       E a medida que os estudiosos desvendam seus segredos o admiram ainda mais, pois ele soube, inspirado por Deus, dirigir palavras de esperança, promessas de libertação, sem nenhum foco sobre si mesmo: ‘... Pelo que agora ouve isto, ó tu que estás aflita e embriagada, mas não de vinho. Assim diz o teu Senhor, o Senhor teu Deus, que pleiteará a causa do seu povo. Eis que eu tomo da tua mão o cálice do atordoamento, o cálice da minha ira, jamais dele beberás’

3.       A abrangência de suas visões atravessou seu tempo, ele soube melhor  que ninguém se posicionar sobre a universalidade da redenção ao revelar o Cristo que nasceria de uma Virgem e traria a salvação para o mundo. E Isaias canta forte seu canto ao anunciar o Messias, esperado das nçãos o anjo do grande conselho: ‘... Portanto o Senhor mesmo lhe dará um sinal: eis que uma Virgem conceberá e dará a luz um filho e lhe chamará Emanuel. Ele comerá manteiga e mel quando souber desprezar o mal e escolher o bem...’ 

4.  Isaías, o profeta de todos os tempos anunciou Cristo ao mundo e sua redenção salvífica no gólgota das dores, uma descrição perfeita e triste do calvário: ’... tão desfigurado nem parecia um homem, diante do Senhor ele cresceu como raiz em terra seca. Não tinha beleza, era desprezado, cheio de sofrimentos, ele tomara sobre si nossas enfermidades, ele foi ferido por nossos pecados, foi maltratado e não abriu a boca.’

5.       Época conturbada a sua, Judá e Israel ambos os reinos do norte e do sul, outrora prósperos jaziam na mais pérfida paganidade; e o povo sofria retaliações, os órfãos abandonados, as viúvas sem proteção alguma, os sacerdotes e profetas perderam sua identidade, tanto que Judá tornou-se tributária da Assíria e caiu em sério declínio espiritual, moral e material. Curiosamente foi contemporâneo  da fundação de Roma e dos primeiros jogos olímpicos dos gregos. E o profeta de genial inteligência percebeu de cara que a Assiria conquistaria a Samaria, o que se deu em aproximadamente 721 Ac.

6.    Então o profeta dos profetas Isaías, filho de Amós e pai de um menino de nome: Um Resto Volverá, distanciou-se do poder e denunciou a politica do Rei Acaz e a aliança Sirio Efraimita. época de disputas de poder entre o Egito e a Assíria. E o profeta, imbuído de seu dever clarividente  era a única voz lucida que se ouvia então.Após receber uma visão da gloria de Deus,  começou a proclamar o juízo de Deus sobre seu povo, e esse mesmo povo de coração insensível  endureceu os ouvidos e fechou os olhos para a pregação do profeta. Tanto que Isaias perguntou ao Senhor: ‘... até quando? E a resposta veio incontinenti: ‘... Até que sejam desoladas as cidades e fiquem sem moradores, e a terra seja de todo desolada.’

7.       Para em seguida continuar: ‘... Pois eu crio novos céus e nova terra, e não haverá lembrança das coisas passadas, jamais haverá memória delas, mas folgareis e exultareis perpetuamente no que eu crio; porque eis que crio para Jerusalém alegria e para o seu povo regozijo. E exultarei por causa de Jerusalém e me alegrarei no meu povo, e nunca mais se ouvirá nela nem voz de choro nem de clamor.’

8. Em outra parte o profeta Isaias disse ao rei Ezequias: '... eis que será levado para a babilônia tudo quanto houver em tua casa bem como o que os teus pais entesouraram até o dia de hoje; não ficará coisa alguma, diz o senhor. E até mesmo alguns de teus filhos que procederam de ti, e que tu gerares, levarão; e eles serão eunucos no passa do rei da babilônia.' E este terrível cativeiro teve a duração de 70 anos até quando surgiu outro profeta: Daniel. Os Judeus provariam o fel amargo da deportação sob a mão férrea de Nabucodonosor por volta do ano 598a.C.

9. Ah! Isaías na ocasião obteve de Deus a cura do rei e mais quinze anos de vida para o mesmo. O relógio de sol teve a sua sombra recuada em dez graus, e fora muros de Jerusalém a rebordosa se preparava... E Isaías atento aos sinais profetizou algo que iria acontecer com os babilônios ..' Eis que suscitarei contra eles os medos, que não farão caso da prata, nem tão pouco no ouro terão prazer. Babilônia, o ornamento dos reinos, a gloria e a soberba dos caldeus, tornar-se-á como Sodoma e Gomorra, nunca mais será habitada, nem nela morará alguém de geração em geração, nem o árabe armará ali sua tenda; nem tão pouco os pastores ali fixarão seu rebanho...' E a profecia se cumpriu à risca , em 538 a. C. o exercito persa sitiou Babilônia, desviou o curso rio Eufrates, era agora a vez de Dario.

10. A historia universal registra estas idas  e vindas dos poderosos que na sua vaidade tentarão dominar  o mundo,. Depois virá outro conquistador: Alexandre Magno, rei da Macedônia da dinastia Argéada, após derrotar Dario III   na batalha de Isso na primavera de 333 a.C  vai estender seu reino da Grecia para o Egito antigo e seu domínio até ao  noroeste da India.

11   E o profeta vê um tempo que parece o nosso, também conturbado, também estéril, quando pipocam conflitos, maldições, ódios, intolerâncias por toda a parte e sua voz se torna imprescindível na soleira do homem pós moderno, eivado de existencialismo, cético até a raiz de sua alma, que perdeu a fé, a calma e entorna depressão por onde toca.

12‘... Criai animo, não tenhais medo. Vede é vosso Deus, é a vingança que vem, é a recompensa de Deus, e ele que vem para vos salvar, então se abrirão os olhos dos cegos, e se descerrarão os ouvidos dos surdos, o coxo saltará com um cervo, e se desatará a língua dos mudos, assim como brotarão águas do deserto e jorrarão torrentes no ermo. A terra árida se transformará em lago, e a região sedenta em fontes d’água.’

13   Assim com as abelhas definem seus voos para polinizar as plantas, o profeta Isaias determinou a ciência Deus para a humanidade e cada vez que a gente coteja seus escritos ver ressurgir neles a esperança e os rumos certos para o mundo à partir de sua ótica profética universal.


Helder Tadeu Chaia Alvim
Postar um comentário