quinta-feira, 11 de setembro de 2014

o equilíbrio tonal, a plataforma quântica e a fonte de água viva!

o sopro robótico x o resto tonal

1. '... Olhai, olhai os lírios do campo!' Não com uma visão comum, mas com a alma, e enxergará nele, o olhar de um Deus, o cuidado do criador em manter a natureza na sua noção exata de bem maior. Ah! o próprio Cristo Senhor, em sua linguagem coloquial lembrou de Salomão. Por isso se tornou uma das páginas mais poéticas do evangelho e cada vez que você goteja estas linhas percebe nelas uma sabor perene e indizível.

2. '... Considerai os lírios do campo, não trabalham, nem fiam. Entretanto eu vos digo que o próprio Salomão no auge de sua glória não se vestiu como um deles...' ( Mateus, 6, 28-29). Eis a singeleza, a fragilidade e beleza incomuns! E o Homem Deus, em sua infinita didática vai desfiando conclusões, dando uns toques salvadores a toda a humanidade, em todas as eras, presentes, passadas e futuras. E há de ser assim até o desfolhar da ultima tamareira do deserto.

3. '... Não fiam... ' criaturas contemplativas, adornam a dura e cética existência do ser humano. Lírios sensíveis que despertam outros e outras  para a realidade de uma vida fugaz, que não seria nada se não existisse a alma e seu destino último no seio de Abraão.

4. E Salomão buscou a sabedoria no seu reino mortal e os acréscimos vieram em abundância tal que depois dele não existiu e nem existirá tal homem com sua grandeza, entendimento,trato com o semelhante, organização, justiça e visão de futuro. 

5. O Sentido de fugacidade do homem, criatura finita resplandece na frase do Mestre e Salomão intuiu a ciência da vaidade das vaidades e focou sua vida no eterno. Dizia que buscar a própria sabedoria pode se tornar loucura, seria 'como correr atrás do vento...'

6. Ah! Hoje em dia fala-se muito em ações altruístas, frequenta-se cursos de pós graduações, na politica os detentores do poder crescem em sua empáfia, e se querem eternos no mando, nem que para isso atuem no oposto do rei Salomão, mesmo que olvidem o bem comum. Uma espécie de prazer sádico envolve as coisas públicas.

7. E vão esquecendo as palavras de vida eterna pronunciadas por um Deus às margens do mar de Tiberíades a 12 homens iletrados, mas que revolucionaram o mundo: '... Olhai os lírios do campo! E estas palavras na mente e ação de Simão Bhar Jonas e tantos outros refletiram algo a mais que o ouro e a prata, refletiram o reino do outro mundo, que nem as traças e os ladrões abocanham para si.

8. Palavras que refletiram o mundo bom das certezas empíricas que há de vir... após os momentos tremendos das tempestades cósmicas que se avizinham, surgirá a era dos lírios do campo, Que varrerá do planeta terra literalmente os egos traduzidos em vaidade...

9. Extensa é a vida sobre a terra e curta sua trajetória; lírios somos, de manhã formosos, cheios de viço e sonhos, à noite não estaremos mais aqui, e nos daremos por satisfeitos, se laureados formos pelo espelho de justiça nas fontes de água vivas.

10. Na conjuntura neutrina atual, a matéria corpo cresceu absurda e 'quanticamente' e dominou o espaço da comunicação, enriqueceu os átomos de maldade, inventou armas de destruição em massa, e o seu livre e solto arbítrio arquitetou uma realidade nas antípodas de Jesus de Nazaré, o Deus humanado por nós homens e por nossos pecados. Já negou tudo o que devia negar, subverteu a ordem natural e pensa em vencer a morte, ah ah ah!

11. Um amontoado de vaidades ambulantes e egos exacerbados finitos que a um simples vento do acaso desmoronam seus castelos de areia, e passado algum tempo ninguém mais se alembra de sua sombra.

12. No simples toque na tal tela LED, o mundo vasto torna-se pequeno, 'ismiuça-se' rins e corações artificiais da robótica, embrenha-se inquestionavelmente na magnitude quântica, e na velocidade neutrina quase ao infinito atomizada elegeu-se o ter para ser. Tenho logo sou notado. Institucionalizou-se a vaidade como matéria de consumo, e o selfie como janela de aparição fotoshopeada, ah ah ah!

13. Daqui há pouco, muita gente não vai mais aparecer no boteco para uma prosa amena, pois a realidade virtual os endeusou e os embelezou de tal maneira que terão medo do tête à tête, imperfeito de cada um...

14. Os avanços tecnológicos na última década linkou, reiniciou, invariavelmente a vida no planeta terra, apartando-a de sua maravilhosa realidade natural. Ao deletar a alma o fator risco existencial se apresentou caracterizado pelas deformidades sociais do ser humano, que mata, rouba, traí, tudo pelo seu egoísmo de ter para ser reconhecido. Ou seja chegamos no inicio triste de um fim escatológico do ser humano quando um conhecimento exacerbado sobrepujou  a alma e apagou o calor humano na terra.

15. Assim de salto em salto adquiriu saber, fez acontecer e esqueceu-se de seu fim, na vaidade pisou os lírios do campo e tornou-se um amontoado 'inteligente' e cibernético de palha.

Helder Tadeu Chaia Alvim
Postar um comentário