terça-feira, 23 de setembro de 2014

na era da rosa mística de eleição

na era da rosa mística de eleição

1. Um dia às margens do mar de Tiberíades o mestre dos mestres disse palavras de uma suavidade intensa, palavras estas que ofuscariam qualquer literato moderno, palavras de uma sonoridade sem igual, palavras que atravessaram as eras históricas sem perder um décimo de sua veracidade, calor e sabor perenes.

2. Então cara, amigo que percorre meu pensamento interativo,  o que pensar desta nossa era nióbio quântica complicada, desumana, afônica, absurdamente centralizada no eu, que desconsidera o nós salvador empírico? 

3. Simplesmente  que  ela na realidade não seguiu as pegadas do Homem - Deus e propositalmente se embrenhou na negação do evangelho enquanto tal, pois se adveio do Criador porque era bom e deveria ser exercitado à nível universal.

4. O resultado salta aos olhos da humanidade cansada de tantos desvarios pessoais e coletivos. Mas ficou em aberto a redenção salvífica e Deus não faz nada incompleto e a seu tempo virá aquela luz benfazeja que trará em seu brilho diáfano a verdadeira justiça, atuante e sem meias palavras, a bondade cativante, a misericórdia exuberante, que farão desta pedaço de cosmo um pedaço do paraíso perdido.

5. O grande fator da evolução in natura artis que implantará a perfeita ordem mundial teocêntrica e humanista ao mesmo tempo encontra-se in fieri naquelas palavras ditas e vividas pelo Nazareno há pouco mais de dois mil anos na Palestina às margens do Mar de Tiberíades: '... Amai-vos uns aos outros como eu vos tenho amado...'
'... Eu sou o caminho, a verdade e a vida, e quem me segue não anda em trevas.' '... Vim para que tenham vida, e vida em abundância...'

6. Não tem segredo, se as nações em seu conjunto tivessem seguido este caminho livre, estaríamos hoje numa espécie de sétimo céu, e não tateando na tecnologia, no direito humano, na política, sociologia, ascética e mistica mal compreendidas.

7. Impossível de acontecer? Redarguirá alguém ao folhear estas páginas desprovidas de recursos rítmicos, escritas ao amanhecer de uma terça feira fria de primavera no paralelo 56, mas acalentadas por uma certa inspiração arcana, dádiva do alto que agradeço de coração e reparto com o irmão e a irmã, pois juntos sonhamos o mundo bom das certezas empíricas para todos sem distinção.

8.  Possível sim e será passível de ver, a medida que adentrarmos na era sem razão dos selfies da comunicação, a fé torná-se-á de uma valia sem igual. Será uma espécie de caminhar sobre as águas profundas do lago de Genesaré pós moderno ao encontro do Mestre...

9. Esta atitude de alma vai potencializar em atos coletivos o louvor geral e implantar a doce era da Rosa Mística de Eleição! Um tempo de paz universal, um jeito de ser empírico, um sorriso aberto e sem medo!                                                                                                                                   abraços de união
Helder Tadeu Chaia Alvim                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                



Postar um comentário