segunda-feira, 31 de março de 2014

lições de Siloé.

                                                      Lições de Siloé

1. A torre de Siloé fora protagonista de muitos feitos bíblicos, remonta  à  Adonias  no período áureo do rei Salomão,local que oferecia a saída das águas da fonte de Giom ao lado sul de Jerusalém.arqueologicamente estudada em seus fragmentos vei o à luz  sua  história  fantástica  até  culminar com seu desmoronamento na época de Cristo.

2. Siloé assistiu a invasão dos Assírios no tempo do rei Ezequias, viu Joab e seus homens se utilizar de sua passagem até Jebus ou Jerusalém. Lamentou o massacre dos revoltosos galileus pela bota tirana da Roma dos Césares e foi palco de milagre de Jesus restabelecendo em meio a uma cerimônia sui generis e tocante a visão ao cego de nascença.

3. O mais impressionante é que servira de moldura à façanha  do Homem Deus conforme narra o evangelho de São João quando o apóstolo viu Jesus caminhar por aquelas  bandas e  curar   um  cego de  nascença  e presenciou muda todo  o  desenrolar  do  raciocínio   de   Jesus   contra    as  artimanhas dos fariseus, altas autoridades da  sinagoga  que se utilizavam  nas  interpelações  ao Nazareno, palavras  eivadas de sofismas.

4. A maneira pela qual os fatos se sucederam tornaram-se de uma riqueza de detalhes e  profundidade  de pensamento que realmente  estarrece  nossa  mente  moderna ofuscada   com   tanta s idéias,  com  tantas informações impregnadas de ceticismo nada a ver, entrelaçadas de tecnologia  que ao tomar conhecimento desta  passagem   da    vida   de  Jesus   vemos  a   lucidez e  a  universalidade do   mestre insuperável,  do coração misericordioso de Cristo, de sua objetividade e transcendência de raciocínio.

5. E a luz do  mundo  clareou  numa  intensidade  nunca  antes  vista por Siloé quando Jesus cuspiu no chão, misturou-o com a lama e espalhou-a sobre os olhos do cego de nascença restituindo-lhe não só a visão mas principalmente sua  dignidade  humana perdida, e  os  dias do seu apartheid se encerrava  naquele  momento
justamente na fonte de Siloé e abria-se lhe um panorama de luz e cores indizíveis.

6. Mas  para  o  homem  que fora curado outros embates  estavam reservados, pois no seu pé  estavam  os sagazes  fariseus inquirindo acerca daquele fato estupendo e incomum e num dia de sábado. Na verdade há muito que estes judeus observavam Jesus, mais propriamente do rio Jordão passando por Caná da Galileia, pela  multiplicação dos pães, pela cura dos leprosos, na demonstração de fé do centurião, na conversão de Zaqueu e do Levi. E o auge do ódio se dará um pouco mais tarde deste episódio quando da ressurreição de Lazaro.

7. Eles, há muito perderam a noção exata do sagrado Torá e tinham a ideia fixa de destruir o' profeta' e sua memória, por isso pegaram o curado de jeito e o expulsaram de sua comunidade.Uma espécie de cegueira de espírito tomara  conta destes fariseus  provectos que ocupavam cargos de chefia nas sinagogas.

8. Ao contrário o cego ficou firme em sua nova visão da realidade e  confrontou-se com os fariseus ,  seu ambiente, sua cultura sendo finalmente expulso da sociedade. Nada  escapava aos olhos do Raboni e no diálogo com o cego vai pouco a pouco abrindo seu coração às verdades eternas.

9. Jesus opera um novo milagre imperceptível à maioria das gentes daquele tempo emblemático, sim, leva o cego  a  enxerga r a  luz da  fé, enquanto  que  os fariseus  negando  as  evidências  se fecham em seu ego e começam a esboçar  o sentimento de matar o Justo.

10. Um paralelo se abre hoje em dia, e Cristo sabia tudo que  passaria através  dos  séculos  e  viu esta  era pragmática e deixou o grande conselho de calor humano, acolhimento e solidariedade trazendo de volta para a vida um  excluído  social, e  não somente  lhe  restituiu  a  visão  natural , mas  também incutiu em sua alma desejos de mais e mais enxergar amplidões de valor elevado e com sabor de sobrenatural.

11. Não se deve ater ao fato histórico em si, cheio de beleza e lições mas prolongá-lo até alcançar esta era nióbico - quântica que ruma para a exaustão, que esvazia a cada dia o sentido da existência, que tonifica os momentos com o licor fatal de um hedonismo de arrepiar se possível fora Cícero e suas catilinárias.

12. Sem  guardar  as  devidas  proporções,  nos  pomos na  situação  do bom cego de Siloé e adoramos um Deus humanado no seio de  uma  Virgem  e  solicitamos  a  Ele  luzes, muitas  luzes para entendermos nosso tempo, para não perdermos a fé, para afagarmos o irmão e projetarmos nossas visões para o futuro, mesmo que tenhamos  que  enfrentar  a  argúcia  dos inimigos do mundo bom, e projetarmos intenções empíricas do porvir... sabendo que as ações de Jesus Cristo abarcam o passado, são  eficazes  no  presente e perdurarão para o futuro até o desfolhar da ultima rosa anunciando a grande consumação dos tempos.

Helder Tadeu Chaia Alvim


Postar um comentário