segunda-feira, 3 de fevereiro de 2014

os frontões do rei Salomão

os frontões do rei Salomão
1. Entre cimalhas e  empenas a vida e obras do rei Salomão ainda são uma incógnita a ser decifrada, aliás tão a seu gosto pensado e ajuizado nos tempos áureos de seu reinado de sabedoria e esplendor. 'Morre o poeta fica a fama', e a sua foi insuperável e de cair o queixo de qualquer mandatário, 'cioso' de seu nome, imagem e poder ante a plebe multa.

2. Pretendo prosseguir agora citando mais máximas que deixou no Livro da Sabedoria. Ele, melhor que ninguém soube destilar palavras, centrar pensamentos e dedicar seu tempo em busca de um tesouro escondido: a sabedoria, e o fez com obstinação de herói, com acuidade de estudioso, com a sensibilidade de um poeta, com a verve de um orador, com a autoridade de um rei: '... Diante de vós o mundo inteiro é como um nada, que faz pender a balança ou como uma gota de orvalho que desce de madrugada sobre a terra.' ( sab. cap. 11 & 22)

3. Se você quer ter uma visão certa  de nossa época, faça a comparação com ele, ouça-o calmamente no silêncio de sua leitura despreocupada e verá rugir dentro de sua alma, algo diferente. Aconteceu comigo, me enamorei da tal sabedoria e ela ciumenta me desposou completamente e quando saí ao seu encontro de manhã, ela lá estava à minha porta com as mãos locupletas de benesses.

4. '...resplandecente é a Sabedoria. e sua beleza é inalterável: os que a amam descobrem-na facilmente, os que a procuram, encontram-na.Ela antecipa aos que a desejam.Quem para possuí-la, levanta-se de madrugada, não terá trabalho, porque a encontrará sentada à sua porta.'


5.'... fazê-la objeto de seus pensamentos é a prudência perfeita, e quem por ela vigia, em breve não terá mais cuidado. Ela mesmo vai a procura dos que são dignos dela, ela lhes aparece nos caminhos cheia de benevolência e vai ao encontro deles em todos os seus pensamentos, porque verdadeiramente desde o começo seu desejo é instruir e desejar instruir-se é amá-la, mas amá-la é obedecer às suas leis e obedecer às suas leis é a garantia da imortalidade.'


6. O rei Salomão canta versos na humildade e confessa na verdade ser fugaz o som das letras, se elas não se reportam à sabedoria eterna y incriada. Traçando um paralelo de seu momento histórico com a nossa era neutrino quântica vemos a distancia luz que nos separa dele e ao mesmo tempo nos liga a uma outra vindoura que corresponderá aos desígnios do Criador. Acho mesmo que suas palavras trazem um quê de incógnita e esperança renovadora da face da terra.


7. Especificamente Salomão a partir de  agora vai relatar o grande Êxodo do povo eleito e suas derivações práticas e anímicas; ao deixarem o Egito escreveram a gesta de Deus em cada passo, em cada queda, em cada conquista, em cada palmo de terra palmilhado até à visão  de promissão plena  de Aarão.


8.'Foi ela que livrou das nações que o tiranizavam, o povo santo e a raça irrepreensível; entrou na alma do servo de Deus( Moisés) e se opôs, com sinais e prodígios, a reis temíveis, deu aos santos o galardão de seus trabalhos, conduziu-os por um caminho miraculoso;durante o dia serviu-lhes de proteção, e deu-lhes a luz dos astros, durante a noite,fê-los atravessar o mar vermelho e deu-lhes passagem através da massa de águas, ao passo que engoliu seus inimigos.'


9.'... e depois os tirou das profundezas do abismo, também os justos, depois de despojados os ímpios celebraram, Senhor, vosso santo nome e louvaram, unidos num só coração, vossa mão protetora, porque a sabedoria abriu a boca dos mudos e tornou eloquente a língua das crianças.'


10.'... Quanto os que a honram, a sabedoria os liberta de sofrimentos; foi ela que guiou por caminhos retos o justo que fugia à ira de seu irmão; mostrou-lhe o reino de Deus, e deu-lhe o conhecimento das coisas santas; ajudou-os nos seus trabalhos e fez frutificar seus esforços, cuidou dele contra ávidos opressores e o fez conquistar riquezas.'


11.'... Ela o protegeu contra seus inimigos e o defendeu dos que lhe armavam ciladas;e, no duro combate, deu-lhe a vitoria, afim de que ele soubesse o quanto a piedade é mais forte que tudo. Ela não abandonou o justo vendido, mas preservou-o do pecado. Desceu com ele à prisão e não o abandonou nas suas cadeias, até que lhe trouxe o cetro do reino e o poder sobre os que o tinham oprimido; revelou-lhe a mentira de seus acusadores, e conferiu-lhe uma glória eterna.' 


12.'... pela mão de um santo profeta aplanou suas dificuldades; eles atravessaram um deserto inabitado e levantaram suas tendas em lugares ermos; resistiram aos que os atacavam, e repeliram seus inimigos, tiveram sede e clamaram a vós; do rochedo abrupto a água lhes foi dada, e da pedra seca estancaram sua sede.'


13.'...Porque os elementos que tinham servido para punir seus inimigos, foram-lhes dados, na sua necessidade como beneficio...como poderia subsistir qualquer coisa, se não o tivésseis querido e ser conservado a existência, se por vós não tivesse sido chamado? Mas poupais todos os seres, porque todos são vossos,ó Senhor que amais a vida.'

14.'...Mas porque sois justo, governais com toda a justiça, e julgais indigno de vosso poder condenar quem não merece ser punido, porque vossa força é o fundamento de vossa justiça, e o fato de serdes Senhor de todos vos torna indulgente para com todos. Mostrais vossa força aos que não creem em vosso poder e confundis os que a não conhecem e ousam afrontá-la.'


15'...Senhor de vossa força, julgais com bondade, e nos governais com grande indulgência, porque sempre vos é possível empregar vosso poder, quando quiserdes.'


16. O que mais impressiona em Salomão é a universalidade de seus conceitos, como consegue abranger a psicologia de Deus e navegar entre a intrincada alma humana, como gostaria que tivesse outros tantos em nosso tempo, para explanar o que de melhor temos, a vontade e bondade de Deus e para fustigar o que de pior possuímos, um ego direcional a nossa pessoa como se fossemos o centro gravitacional do planeta.


17.'...Vaidade das vaidades, tudo é vaidade... a não ser o serviço do próximo, a compreensão exata do mundo segundo Deus, e não do mundo segundo o homem. A razão de citar o livro da Sabedoria se insere neste bem querer e me daria por satisfeito se alguém lesse estas citações, imbuísse da sabedoria de Salomão e saísse por aí renovando seu círculo de ação.


18. E a poesia flui do meu Rei, que se possível fora gostaria de viajar nas dimensões ainda desconhecidas  do tempo e assistir a fala do Salomão na era histórico bíblica e indagar dele como seria a era ideal para o povo do século XXI, e porque esse mesmo povo, detentor de tantos avanços tateia nas sombras da morte, se acaba em crises existenciais, destrói seu habitat natural e passa a vida flanando em games e bytes da comunicação em vez de construir um mundo solidário, justo, fraterno e bom para todos.


19.Ouçamos mais um pouco este gênio do saber que elegeu a sabedoria como companheira de jornada e reporta ao Criador suas aptidões, luzes interiores, abstrações monumentais, sem descuidar um centésimo de seu povo, de todos indistintamente que de todos os lugares e aos milhares se aprochegavam de seu trono de sapiência para ouvi-lo: '... foi com o alimento dos anjos que alimentastes vosso povo, e foi do céu que sem fadiga vós lhe enviastes um pão já preparado contendo em si todas as delicias, e adaptando-se a todos os gostos.'


20.'... O que havia de mais admirável ainda é que, na água que tudo extingue, o fogo tomava mais violência porque o universo toma a defesa dos justos e os ímpios que recusaram conhecer-vos foram fustigados pela força de vosso braço.'


21.'... Esta substância que dáveis se parecia com a doçura que mostráveis a vossos filhos, ela se adaptava ao desejo de quem a comia, e transformava naquilo  que cada qual desejava.'


22.'... Embora fosse como neve e gelo, ela suportava o fogo sem se fundir, para mostrar que era para os inimigos que o fogo destruía as colheitas, quando ardia, apesar da saraiva, e brilhava debaixo de chuvas, enquanto que quando se tratava de alimentar os justos, até perdia sua natural  violência.'


23.'... A criatura que vos é submissa, a vós, seu Criador, aumenta sua força para castigar os maus, e a modera para o bem dos que puseram em vós sua fé, do mesmo modo, transformada em tudo o que se queria, servia a vossa generosidade que a todos alimenta, segundo a vontade dos que dela tinham necessidade.'


24.'... para que os filhos que vós amais, Senhor, aprendessem que não são os frutos da terra que alimentam o homem, mas é vossa palavra que conserva em vida aqueles que creem em vós. O que não era destruído pelo fogo, fundia-se ao simples calor de um raio de sol, para que se soubesse que é preciso antecipar-se ao sol para vos agradecer, e que é preciso adorar-vos antes de raiar o dia , porque a esperança do ingrato é como a geleira do inverno, que se derramará como água inútil.'


25. Salomão sabia o que dizia e o disse integralmente descreveu o cativeiro do Egito desde José, o Justo, feito moeda de troca pelos seus próprios irmãos durante a dinastia de Ramsés por volta do ano 1.300 A.C e a mão de Deus, conduzindo os acontecimentos e tirando dele os proveitos a que se propôs. Discorre sobre a liderança de Moisés e o saltério de dez cordas, a travessia a pé enxuto do mar vermelho, até a chegada à terra prometida de Canaã pelas bendições de Aarão.


26. Salomão filho do pastor David, o rapaz do pífaro, depois rei de Israel que conquistou Jerusalém aos Jebuseus abriu caminho a este seu filho, destinado pelo altíssimo a construir o Templo de Salomão, orgulho dos Judeus e gloria esplendorosa de seu tempo. Corria o ano 950 A.c quando nosso poeta se dispôs a escrever o livro da Sabedoria e outras 3.000 máximas - de expressão e aplicação prática em todas as eras históricas pois todas elas advieram do trono da Luz Perene, que criou todas as coisas e atrai a si tudo, e vasculha os rins e corações de suas frágeis e fugazes criaturas.


27. E Salomão em todo o seu esplendor reinou durante mais de  40 anos em Israel e como nada dura eternamente o seu templo fora destruído após 400 anos de sua edificação. Foram os Caldeus que o colocaram a baixo e levaram os Judeus para o cativeiro da Babilônia sob o jugo de Nabucodonosor. Depois vieram os Persas de Ciro, e os judeus regressaram à sua casa e reconstruíram o templo em 515 A.C. Depois adveio o refluxo de Alexandre o grande e tudo o mais...


28. E como tudo é 'vaidade das vaidades', as eras se sucederam ininterruptamente, os cenários se mudaram, as nuvens foram e vieram, os homens pereceram, outros sucederam, vieram reinos, conquistas, guerras e paz...e vamos encerrar hoje esta visita a Salomão rei sábio ficando o presente em aberto perante outra ocasião.


29. Os historiadores comentam que '.. vinham todos para ouvir sua sabedoria!" Assim, o meu amigo rei Salomão encerra seu livro: '... os elementos mudavam suas propriedades entre si, como na harpa os sons mudam de ritmo, conservando a mesma tonalidade.É o que se pode verificar perfeitamente quando se consideram esses acontecimentos.Os seres terrestres tornaram-se aquáticos, os que nadam passavam à terra, o fogo era mais violento debaixo da chuva.


30.... e a água esquecia a propriedade que tem de extingui-lo. Além disso as chamas não ofendiam as carnes dos frágeis animais que as atravessavam e não liquefaziam este alimento celeste semelhante ao gelo e inteiramente capaz de se derreter. É que em tudo, Senhor, engrandecestes e glorificastes vosso povo e não o deixastes de assisti-lo em todo o tempo e em todo lugar.' 


31. Colhi as citações mais ou menos esparsas de seu livro que sob o bafejo sagrado do Espírito Santo legou à posteridade. Apresentei-lhes o rei, o amigo, o sábio e bondoso Salomão, patriarca bíblico do qual nutro uma grande admiração. Com ele cascatas e cascatas de sonhos sonhados se realizaram em uma amplidão ainda não vislumbrada pelos estudiosos no assunto e pelas almas sôfregas de escolhas certas.


abraços de união,

Helder Tadeu Chaia Alvim
               





Postar um comentário