sexta-feira, 14 de junho de 2013

muda brasil x brasil mudo...

in rebus ordinata 1. Algo novo no ar de São Paulo? Muitos dirão que sim com mais uma manifestação contra o aumento de tarifa, a moçada ocupou as ruas do Centro, Avenida Paulista, Augusta e entorno no fim da tarde de ontem. Eles não tinham nascido quando muitos reclamaram, protestaram, gritaram, e destes reclamos, protestos, gritos, nasceu a Abertura e tudo o mais! 2. E a situação parecia entrar nos eixos da verdadeira democracia, parecia mas não o foi exatamente, a fama, o poder, a usura apoderaram-se da política e chegamos onde chegamos nas mensalidades, verbas desviadas, conchavos, falta de competência, visão pífia na condução dos destinos pátrios. 3. O retrato do Brasil se definiu com o enfrentamento entre os poderes e o STF proferindo a tão desejada condenação.E o país na prática continuou o mesmo, de um lado os sonhos de crescimento com sustentabilidade, etc. por outro as malandragens na política doméstica, a falta de seriedade e acomodações próprias e viciadas que se instalaram em escalões da hierarquia política, o que não é segredo para só ninguém. 4. Considerando esta sucinta explanação, o movimento que explodiu é uma resposta a isso tudo. Oito mil jovens tomaram as ruas e exigiram mudanças a começar pelo retrocesso no preço da passagem para 3,00 reais na cidade de São Paulo. Ah! a era da Internet serviu para a comunicação e trouxe a galera às ruas e prometem no Quinto Grande Ato no dia 17/06 voltar com mais trinta mil, salvaguardada em tese pelo artigo 5 da Constituição Federal & XVI, o que não tem acontecido in rebus ordinata. 5. A opinião pública começa a entender, a imprensa internacional e doméstica presentes e daí poderá sair algo novo. Não sei se o Estado vai saber lidar com esta modalidade de expressão ou vai cair para cima. Ontem foram mobilizados 500 homens do batalhão de choque e presenciei muito gás pimenta no ar... e o vinagre da revolta do ser... 6. O movimento encontra-se desarticulado em várias frentes,há focos de vandalismo, mas isto não quer dizer que perderá sua essência, acho eu e se conseguir a adesão da opinião pública 100% tudo vai começar a mudar e os políticos terão que prestar contas antigas e novas de sua gestão, cortar mordomias e aplicar deveras a verba pública em prol do bem comum centavo por centavo. 7. Como paira no ar interesses conflitantes haverá mais enfrentamentos, mais ações expandidas pois o que está em jogo é o ativismo degenerativo do ter x o ativismo regenerativo do ser. E muito terá que se mudar a partir do próprio homem em suas relações com a terra e o espírito. A não ser assim de um movimento pula-se para outro sucessivamente, e o poder vai mudando de mãos e inundando uns de alegria polpuda e outros de carestia, inflação, e cortes profundos. 8. Então não é só pelos 20 centavos, debaixo do angu bar zileiro tem filé: bilhões serão gastos na copa, outros tantos enfiados na corrupção, o Brasil mudo começa a gritar para mudar... e a onda não vai parar... foi o que vi estampado ontem na manifestação. 9. Enquanto isso nos bastidores a orquestra das rãs ensaiam o ato seguinte e os pássaros sonham pesadelos suaves...e o querido Brasilzão democrático in fieri vai continuar protestando à nível nacional contra o aumento das passagens de ônibus, linkado que está de olho na política, e advirão mais cobranças, nuances outras, desdobramentos vários, desvarios nas enseadas planaltinas, grito nas ruas, penúria de um povo atualmente sem voz e vez. Será que será desta vez a volta da sensatez? 10. A população já não suporta mais os descalabros dos homens públicos, guindados ao poder pelas urnas soberanas, que no mais das vezes legislam em causas próprias, ou de somenos importância, e esquecem de representar os anseios justos dos eleitores. - A ordem pública encontra-se ameaçada com estas manifestações ? Rastilhadas pelo Brasil a fora?- Não, pois os cidadãos tem o direito de protestar e exigir mudanças efetivas quando constatam a dicotomia entre poder e povo. 11. A politica é uma arte que visa o bem comum, desde a Grécia Clássica, e o filósofo Sócrates que o diga, também o senador Cícero da Roma Altiva, o próprio Cristo interpelado por Herodes afirmara " que nenhum poder teria se não lhe fosse outorgado do alto...' Um poder que alicia e enche de empáfia quem o detém se não tiver presente a grandeza e a responsabilidade do ônus a si vocacionado. Sou de opinião que o exercício dos mandatos deveriam ser inteiramente gratuitos, à moda de Pedro II, quando mal oferecer uma comenda, etc... 12. E o Galileu continua sonhando...Eles estão lá em Brasilia, Capitais, Prefeituras, sufragados pelo voto popular e tudo o que destoe deste âmbito deve ser cobrado sim. O que acontece na realidade é que se encastelam em seus gabinetes e não dialogam o suficiente com a comunidade, blindam o mais das vezes seus mandatos com o regalo dos brindes à custa do erário público e a danação torna-se geral para o prejuízo do povo e felicidade particular dos envolvidos. Existem exceções honrosas que seriam longas explicita-las... Quem sabe se algum político acessar este blogger possa se ver retratado nelas. 13. - Mas e aí, você amigo poeta da antiga era, você do tempo da maria fumaça, dos carros de bois, da palavra empenhada, dos cruzeiros e rogações, da cigarra de canto nostálgico nas tardes ensolaradas dos vaga lumes solidários alumiando seu sertão planteado em prosa, versos e rimas cantado, o que acha destes protestos? 14. - Vejo que ainda tem muito chão pela frente para auferir deles a essência ou minguação, na aparência procede dado a ligeireza torta da politica bar zileira das sesmarias em tempo $ real... Num todo os brasileiros não suportam mais a carga pesada de impostos, os descaminhos de muitos parlamentares, a tosquiagem medonha do dinheiro público... 15 Coerente com o pensamento destes 365 dias de poemas empíricos, plugado no movimento das ruas paulistanas, confiante no Senhor do Tempo, espero que estas e outras reivindicações justas possam encontrar eco favorável nas decisões dos mandatários a curto prazo e que surjam novas lideranças comprometidas com o bem comum e cessem de vez por todas a corrupção, as segundas leituras do fenômeno Brasil e entendam que com eles e sem eles o Brasil caminhará para a realização plena de seu destino no concerto das nações. 16. Embora meu credo particular a respeito de tudo isso possa parecer estranho a ouvidos pragmatistas, corre-se o perigo num futuro próximo trocar 6 por meia dúzia como foi feito na Abertura, e quando tudo pareceu mudar, eles mudaram para ficar tudo igual... 17. Se não houver uma reflexão séria e calma por parte de 200 milhões de brasileiros querendo equilibrar corpo e a alma, o infinito particular de cada um continuará à merce de dirigentes inescrupulosos e o poder mais uma vez mudará de mãos. Já assistimos o filme a vivo e a cores rodar e rodar na ciranda louca de intenções anti brasilidade. E quando aparecer o cunhão roxo, será a hora da restauração geral para o bem do povo e felicidade do novo tempo... E o brasil mudo, mudado, rejuvenescido em seus sonhos, aquecido em seus anseios, livre, soberano, esquecido de seus próceres soltará um grito uníssono e dirá finalmente estou no caminho do norte... Que sorte, esforço, fé e calor sinto em meu povo forte! 18. E de pé não regateará elogios, nem rodará filmes de roteiros inexatos, mas tão somente aplaudirá aqueles e aquelas que hoje acreditaram valer a pena se empenhar no ativismo regenerativo do ser. E finalmente aprenderá a acordar cedo para seu destino, e neste ato desinteressado e profícuo beber a água límpida de suas ações. Helder Tadeu Chaia Alvim Poeta Minimalista São Paulo 14 de Junho de 2013
Postar um comentário