sexta-feira, 8 de fevereiro de 2013

nunquam satis

nunquam satis!

1. Ah! o tempo, sempre o tempo a perturbar a cabeça humana, a inquietar-lhe a existência pelo inesperado. É assim e não mudará seu curso inexorável, vai se transformando qual nuvens no céu de janeiro lá para bandas do meu sertão iluminado e parece avisar constantemente que aqui não se tem morada definitiva e num sopro ao acaso evapora-se da apegada vida qual bolhas de sabão sopradas pelas crianças numa tarde gostosa de verão. Não sabe-se ao certo quando a hora da partida vai soar. Uns partem cedo sem desarrumar a cama, outros carregam seu leito de dores pela vida afora, e também tem aqueles que na meia idade se vão....

2. É o grande códice de Deus, um mistério da inquietude humana que tão magistralmente Agostinho de Hipona traz em seus 13 livros admiráveis das suas Confissões num louvor sem igual ao Criador de todas as coisas visíveis e invisíveis e demonstra que muitas das vezes o apego e as paixões toldam a existência humana e não deixa ela enxergar as belezas equilibradas do universo.

3. Agostinho soube romper estas barreiras, soube deixar o tempo alegrar suas manhãs e colher suas noites de inquietude. As suas confissões per si são arrojadas, eternas, atuais e ainda não foram totalmente desvendadas em sua clareza mistica e transcendental. Tempo virá em que os homens se debruçarão sobre elas com enlevo mítico e suas mentes serão iluminadas pelo clarão profético de suas asserções.

4. - Mas, poeta das rimas fracas, que tempo será esse, me conta logo pois a ansiedade assoma à minha soleira? - Amigo preclaro que considero irmão, será um tempo em que os bites, a mobilidade, a alta definição estarão à serviço do Criador incondicionalmente, e a balança dos sentimentos estará  equalizada perfeitamente, a matéria efêmera construindo sem cessar o mundo bom das certas certezas empíricas.

5. Um tempo que nunca se viu antes, o tempo do Pater, da Mater, do Kyrie Eleison, do Gloria in excelsis Deo e na terra surgirá a tão suspirada paz sem anomalias, sem concessões  ao mal, o tempo do Sursum Corda, o Grande Tempo da sintonia divina aquecendo os corações abrasados pelo fogo do Espirito Santo Paráclito. Estas foram as impressões que fracamente colhi nos escritos do gênio de Hipona, santo, poeta, mistico e profeta: Santo Agostinho, o homem forte na fé, o gigante da primeira era cristã.

6. O que ele dizzzzzzzzzzzzzzz: 'Apaixonar-se por Deus é o maior dos romances; procurá-lo a maior aventura, encontrá-lo a maior de todas as realizações'.

Helder Tadeu Chaia Alvim
Postar um comentário