segunda-feira, 2 de abril de 2012

a tela led e o tempo inseridos na realidade

a tela led e o tempo inseridos na realidade...
1. Enquanto do lado de cá das fábulas brasileiras, na mente talentosa de Agnaldo Silva a trama da novela das oito, na Globo  se encerra com Clodoaldo Valério levando ao delírio seus fãs, Pereirinha e Teresa Cristina no mar, encobertos, o brasil real amanhece na farra da corrupção,  ébrio de consumo e falta de religião exigente, começa a andar sem rumo sério ou quando não desliza na demagogia de destinos indefinidos. Mira na telinha uma realidade que não é a sua e cabisbaixo se inebria das luzes de falsa democracia.

2. Chico e Millôr se foram, partiram para outros planos com a sensação do dever bem cumprido, cada um a seu modo alegrou, criticou o brasil que deveria ser uma coisa e é outra bem diferente do que os políticos dizem. Ficamos orfãos de um e de outro e que a luz infinita da bondade eterna alumie sua almas corretas e brasileiras de raiz.

3. Eugênia Melo e Castro se apresenta no Clube da Esquina para agradecer o incentivo que marcou seu início da carreira musical, e o tempo que não para nunca continua sua sanha ora predita, ora mau dita - mas procura conservar sua figura mítica e parece desconhecer as tramas e os dramas daquele que chamamos de ser racional homem.

4. O tempo anda no compasso de seu autor e para ele um dia pode ser mil, ou vice e versa. Às vezes ele conversa com o vento, visita os arcanos do mistério, sorri para a inocência, pragueja a maldade, mas o mais das vezes conserva um alheamento que espanta todos os elementos.

5. Mas ele observa taciturno o desenrolar do movimento, 'a Chevron' e seus sérios deslizes ambientais, os 'hacktivistas' das redes sociais, a controversa copa de 2014, o Brasil que se adiciona mais e mais à gigante Facebook, o competente Diário do Comércio e suas magnificas 'letras ecológicas'.

6. E o tempo, experiente e contemplativo espera a hora, serve às ordens de um ser que poucos conhecem, mas que ele, o tempo canta, ele, a seu critério determina o desenrolar e prevê o desembocar das estações, contempla o sol a pino, se enternece com a lua, seu dragão e seu santo forte.

7. Alisa as frontes das palmeiras, faz baloiçar as jangadas dos pescadores em busca da azáfama do mar. Ele sabe ver e aquilatar bem a era dos aplicativos, das tele conferências, a evolução do varejo nas lojas 3.0,de quando em vez sorri, um riso solto ouvido pelos raios e tempestades, como quisesse fazer pilhérias do homem e seus brinquedos tecnológicos.

8. Ele, o tempo serve ao senhor da vida, da morte, dos destinos dos séculos, ele privou com Abrãao o sacrifício de Isaac, ele viu os apuros da humanidade na era diluviana, o destempero dos babilônios, os grandes profetas,a saga de Moisés, o sacrificio de Melquisedec, o Cristo Jesus, Deus soberano, ele conviveu com os primeiros cristãos nas catacumbas romanas, no coliseu, á luz do dia com Constantino, o grande, e o tempo, tempo nos confins do mundo habitado percebeu as nuanças de todo movimento.

9. Ele soprou o vento nas gaivotas, equilibrou o eco sistema, povoou as matas de animais inocentes, estampou no céu estrelas, e no mar segredos de arrepiar, construiu com seu faça-se o universo visível e invisível. Entristeceu-se com a falta de liberdade daqueles que vivem sob as botas de regimes totalitários e aplaudiu  a postura magistral e lúcida de Zhou Youguang de Beijing e sua luta pela liberdade individual.

10. O tempo, respeitando o livre e solto arbítrio acompanha o desenrolar dos acontecimentos na Síria e nos Montes Nuba, no Sudão com a esperança da urgente interferência das nações solidárias...

11. E na atual realidade mirada por espelhos convexos, o tempo parece que se apaga nas teorias fabricadas, nas utopias desastrosas que ceifaram vidas humanas a perder de vistas.Nem se faz necessário pois de sobejo já vimos rodar o filme em várias versões, e ainda hoje a película da intolerância continua rodando sem parar.

12. O tempo parece suportar o pior dos homens, talvez seja para oferecer-lhes a qualquer momento outro tempo de paz,outro tempo melhor do que este, aquele que ele guarda dentro de si na sua bondade ilimitada.

13. Escrevi o que escrevi e continuo sem entender a jornada humana, tudo passa, tudo muda, hoje temos tecnológias à mão, botões de controle por voz, telas ledianas de altíssima definição e a alma continua tateando no escuro sem rumo e objetivo de afeição verdadeira.

14. Será, oh! tempo soberano e eterno, senhor de tudo, será que amanhã teremos ou não pão? água?, sustentabilidade política e moral? Ou, ou átomos enriquecidos até ao extremo da ambição? Ou quiçá  embravecidos até a total destruição da raça humana?

15. Ao tempo, tempo pertence a decifração exata dos enigmas, ao rocejar de suas asas leves, ele encaminha direções desconhecidas, traz surprêsas, decepções, alegrias, choros e lamentações. Apeia muita gente enfatuada de suas montarias, santifica o homem, gratifica o benfeitor e traz de volta a louçania das manhãs ensolaradas.

Helder Tadeu Chaia Alvim



Helder Tadeu Chaia Alvim









Postar um comentário