segunda-feira, 9 de abril de 2012

a essência do sim

a essência do sim!

1. Cristo sim! a Igreja sim! Maria sim! dogmas, religião, milagres: temas de inesgotável inspiração, escritores houveram que se debruçaram atentamente sobre o assunto, ousaram teses, declararam preces, guiados pela unção do Espírito Santo Paráclito, garimparam os diamantes da fé, descobriram as veredas inesgotáveis da manifestação do mestre dos mestres.

2.Legaram aos pósteros seus escritos em forma da ascese cristã. O abneget semetipson, contagiante e expressivo do Coração de Jesus, pulou das páginas para a realidade de suas vidas e impulsionou multidões no querer do Cristo Crucificado e Ressurecto!  Encontraram a fonte da eterna juventude espiritual, já aqui na terra possuíram a alteridade do Redentor.

3. E Maria, a mais pura e santa criatura saída das mãos de Deus, objeto dos encômios de seu filho, ao declarar seu sim à obra salvífica de Cristo seu filho, gerado em sua entranhas de virgem e mãe, por obra e graça do Espírito Santo, mereceu o título e a honrosa função de co-redentora ou seja ela se achegou, pelos seus méritos, virtudes e correspondência ao chamado de Deus, está tão próxima da grande luz - que de fato e de direito - tornou-se  a ecônoma fidelíssima dos méritos universais do gólgota.

4. Tal mãe, tal filho, tal filho, tal mãe e incorre no erro crasso, pela própria natureza dos fatos, quem intente em separar a mãe do filho... de jeito nenhum  a ortodoxia  de suas opiniões vingarão nos corações retos e consoantes com a verdade verdadeira de Deus, dos livros santos e da tradição apostólica, corroborada pelos doutores e padres da Igreja Católica.

5. Seria mais fácil separar o verbo da palavra, o fogo do calor, do mar as águas, do firmamento os astros, do sangue as veias. Portanto a sintonia perfeita do universo depende de mãe e filho unidos. Ele a quiz Virgem, antes, durante e depois do parto, e oniponte fê-la como idealizou, como o raio do sol atravessa a vidraça nas tardes da primavera florida sem quebrá-la, Jesus recebeu o primeiro sorriso na terra de uma virgem, que o esperava para juntos cumprirem a vontade do Padre Eterno com a anuência perfeita do Espírito Santo. Deus precisava de uma reparação perfeita para aplacar sua cólera do pecado da origem humana.

6. Os santos, esses heróis da espiritualide, esses amigos de Deus, esses amantes da natureza, esses bons samaritanos do semelhante, esses corações de ouro, veneraram desde o primórdios da grande era a grandeza da Estrêla - guia, Maria. Claraval, Boa Ventura, Montfort e Ligório, entre tantos, que o digam, teceram louvores À quinta essência da obra perfeita saída das mãos do criador na bondade e concepção do arquétipo da criatura ideal isenta da mancha do pecado que trouxe a morte aos homens. Ela guardou em seio seio a semente preciosa de vida eterna e  entregou o fruto santo à humanidade inteira na natividade feliz!

7. Assim foi, assim é e assim o será até o cair da última fôlha no do último outono do ser humano, até o finalizar da última essência verde do planeta terra, quando as trombetas potentes dos anjos arcanos anunciarem a consumação final.

8. Maria, mãe, virgem, intercessora de misericordia, a escada de Jacó nos assegura uma vida calma, nos enleva nos momentos de fraqueza extrema, nos puxa para o zênite do pensamento incriado de Deus. Terrivel contra as hostes decaidas, clemente com seus filhos, em constante vigilia para abrir a Janua Coellis a quem lhe suplicar.

9. Foi Jesus de Nazaré quem traçou seu perfil nas bodas de Caná da Galiléia, foi ele na qualidade de filho atencioso que transmudou a seu pedido a água em vinho,  antecipando sua vida pública. E por sinal o melhor vinho que se tem notícia na face da terra! Nas circunstânscias maravilhosas do nascimento de Jesus, na visita dos pastores, na chegada dos reis magos, na fuga para o Egito, acompanhado de José, o justo.

10. Maria aquiesceu à vontade do altíssimo com alegria e disposição interior, na vida apostólica de seu querido Jesus, manteve-se em recolhimento, apesar de pouco citada nos evangelhos esteve presente sempre, seu coração vibrou com o divino infante, seu coração sofreu na perda no templo, seu coração sangrou nos dias da imensa dor do calvário.

13. Seu coração alegrou-se com a ressurreição gloriosa e não fora por menos que a escolhida de Deus fora empossada mãe de todos os homens na pessoa de João Evangelista aos pés da cruz. Que recebeu com todos os discípulos e apóstolos no cenáculo a visita do Espírito Santo Paráclito e a recomendação de Jesus que pregassem o evangelho a toda criatura, e a fé como condição de salvação eterna.

14. O mundo de hoje tão símile ao da 'Pax Romana' de então , tão tumultuado de paroxismos e maldades,tão antenado em futilidades continua com as promessas divinas pairando sobre sua cabeça tergiversa, eis aí tua mãe, detentora no céu dos lugares vazios dos anjos decaídos, eis aí a medianeira universal e sempiterna das graças oriundas do gólgota salvífico. Oh! vos omnes qui transitiis per viam atendite e videte!!! todos, sem exceção que transitam pela estrada da vida, atentem que Ela é a solução para todos os males da alma e do corpo...

15. A seiva da vida eterna passa necessariamente pela veia de Maria, o vaso espiritual e insigne de devoção, a seiva da vida eterna passa direto, sem rodeios e maledicências dos desavisados, pela veia de Maria, que gerou o Cristo Redentor, a veia que gerou o bem vai nos gerar para o reino do outro mundo!

16. A veia sagrada e humana de uma virgem gerou o prometido das nações, o viu crescer, viver as manhãs de sua juventude em Nazaré ao lado de José, seu castíssimo. A virgem admirável, aquela que foi virgem, antes, durante e depois do parto, aquela que aguardou pacientemente com fé a hora de Deus, vibrou com sua pregações em Cafarnaum, entristeceu-se com as injustiças a que foi submetido, alegrou-se com sua ressurreição e ascensão ao céu dos limites superados.

17. A veia sagrada da Mãe de Cristo, tornou-se inquebrantável, quebrou os véus dos mistérios quando foi assunta à eterna claridade do céu,coroada rainha plenipotenciária de bondade e misericórdia, tornou-se uma corrente de ouro maciço, adornada de esmeraldas e diamantes para doravante resgatar toda a humanidade para as certezas definitivas depois deste vale de sombras e da morte.

18. Não adianta sofismar acerca da virgindade de Maria, Deus pode e quis! e ninguém em sã consciência ousa blasfemar, na verdade 'passará o céu, passará a terra'... passará esta era nióbica neutrina, mas essência da Virgem permanecerá, visse!

Helder Tadeu Chaia Alvim

Postar um comentário