terça-feira, 10 de abril de 2012

ausência x luminosidade

1. Em meio á tantas notícias desconexas que não fazem o menor sentido para a existência humana, que enchem de tristeza o coração daqueles que não perderam a consciência do certo e do errado e analisam os fatos à luz da verdade que nem as traças e os ladrões conseguem abocanhar para si, a Igreja Católica debruça-se mais uma vez sobre as dores salvíficas de Cristo na sexta - feira santa deste ano da graça de dois mil e doze e no sábado de Aleluia proclamará seu primeiro grito de Páscoa:

'Exulte de alegria dos anjos a multidão, exultemos também nós por tão grande salvação!'

2. Nos Templos do mundo inteiro as velas foram acendidas no escuro e o cortejo se formou em torno do círio que simboliza Cristo e na voz de seus sacerdotes entoou: 'Lumen Cristhi', um júbilo de louvor Àquele que é a razão de ser de sua Igreja.

'Do grande Rei a vitória cantemos o resplendor, das trevas surgiu a glória, da morte o libertador.'

3. A ausência do sentir elevado na sociedade de consumo tornou-se patente, ela fala alto, chora baixo, extenua-se nas nulas ruas de idéias nuas. Cabisbaixa amanhece, passsa o dia sem prece, anoitece ébria de prazeres vãos, compra o que não pode, o que não tem necessidade na compunsão vertiginosa do marketing elaborado por especialistas do varejo.

4. O contraste entre uma e outra se põe ao adentrarmos mais a fundo nos ritos religiosos da semana entre todas, santa:

'No esplendor desta noite, que viu os hebreus libertos, nós os cristãos, bem despertos brademos, morreu a morte!'

5. E a caminhada dos seres continua inexorável, sem pensamento definido, no sentimento vazio de uma páscoa achocolotada onde a comunicação verbal e acalorada deu lugar aos tablets, brackberrys criptografados, smartphones e uma gama de aplicativos, links e adicionamentos globais. E o exulte a partir do cenáculo continua pelos séculos afora, tocando ao nosso com mais fôrça ainda:

'No esplendor desta noite que viu o Cordeiro vencer, por Cristo salvo, cantemos: ao seu sangue justiceiro! No esplendor desta noite que viu ressurgir Jesus do sepulcro exltemos: pela vitória da cruz!'

6. E a realidade  degredada do transcendental pelo seu querer, pela sua vontade fraca, continua sem acreditar em Deus, na Virgem Santa, nos Santos e Anjos de celestes revoadas, apega-se à matéria, cria um ambiente hostil à religião, aventa leis contrárias à lei divina e natural, polui o planeta, a camada de ozônio, acaba com a salutar bio diversidade e coloca a si mesmo  em cheque, na posição adversa ao bem comum, na disposição confessa das legiões antigas, decaìdas de seu brilho original.

'Noite mil vezes feliz, Deus por nós seu filho deu, o Filho salva os escravos, que tanto amor mereceu? Noite mil vezes feliz, ó feliz culpa de Adão que mereceu tanto amor, que recebeu tal perdão!'.

7. Dista esta noite das outras, quando elas céticas se afastam da luz, quando envelhecem sem ter acreditado, entorpecem sem ter provado os sabores das verdades pelas quais o Cristo redimiu o gênero humano. Extenuadas balançam nas redes frouxas de conceitos vazios; outras querem o Cristo sem sua Igreja, a Igreja sem a presença da Virgem Maria, a cruz sem espinhos, o Cristo rosado sem suas dores salvíficas. Querem a ceia sem o anúncio da paixão...

'Noite mil vezes feliz, aniquilou-se a maldade, as algemas se quebraram, despontou a liberdade! Noite mil vezes feliz, o opressor foi desprezado, os pobres enriquecidos, o céu à terra unindo.'

8. E as outras, fechadas em em seu endurecimento pessoal, sem ter se dado a chance de conhecer a fimbria do manto do Nazareno, manso e humilde de coração, sem ter repousado aos seus pés em oração, sem ter adorado o crucificado, de privar com ele o pão consagrado, de orar com ele no Getsemâni, sem ter suportado uma alfinetada de desgôsto por ele, sem ter lançado um ósculo de amor em suas chagas de dor, sem acompanhar um pouco do seu caminho em companhia da Mãe Dolorosa, de Verônica e Cirineu de África devota.

'Oh! vos omnes qui transiitis per viam, atendite et videte sicut dolor eius.' Canta a liturgia. E nós podemos dizer :oh!! vcs todos que passam hoje por este blog, parem comigo um instante no silêncio e aquilatem se existiu dor e sofrimento maior que o do Cristo Jesus, Ele morreu em lugar de seus amigos: o gênero humano! Obrigado meu Deus!

9. Os meninos dos hebreus, narram os evangelhos se expressaram com cânticos que até hoje ressoam aos ouvidos dos que curtem o redentor adorado: Hosana ao Filho de David, bendito o que vem em nome do senhor, hosana nas alturas. Foi um salve expontâneo e coletivo que as circinstâncias posteriores tentaram pulverizar em vão. A predição veio e cumprida em seus mínimos pormenores até raiar a Ressurreição, a vitória estrondosa do bem contra o mal.

 ' Noite mil vezes feliz em círio da virgem cera, formado pela mãe abelha, nova esperança se acende, no seio da tua Igreja. Noite mil vezes feliz, noite clara como o dia, na luz de Cristo Glorioso, exultemos de alegria...'

10. Os que maquinaram contra Jesus Cristo estão mortos e bem mortos, os que não se pocicionaram a favor do justo também, os que acreditaram nele estão vivos sorvendo a seiva eterna do gosto pensado do Altíssimo Senhor. E sua Igreja Santa Católica, Apostólica e Romana continua enfrentando embates internos e externos e cada vez mais se aproxima do grande final, guiada que é pela Estrêla Guia Maria e pelo fogo abrasador do Pentecostes.

11. Ah! se aquela noite perdida, vazia de sentido tivesse provado o néctar misterioso de uma só noite pascal, na certeza acordaria para o principal, pois a luminosidade da primeira de todas foi tanta que fez ressurgir o humilhado, trouxe a paz, a harmonia e a promessa do paraiso ao Dimas redimido.

12. Aquela noite vazia, sucumbida de angustias existencial, aquela noite abismal, onde toda a caterva parece visitar a terra, aquela noite que evoluiu ao extremo de sua capacidade cognitiva, teria suprido a ausência do bem na claridade das chagas gloriosas de Cristo e teria conhecido o que poderia fazê-la feliz.

13. O som tonal de Jesus ecoou no primeiro domingo alvissareiro da história, ecoou no coração de uma Virgem Mãe que acreditara deste o início, desde o começo fora cumulada de todas as graças, e Maria sorriu pois Deus estava com ela e os anjos à sua volta, numerosos cantaram um cântico novo, soprando melodias de cor e vida, pois o coração de seu Filho Amado estava acenando vida para todos os homens de boa vontade... O mundo estava salvo!

14. A hora mais trágica, mais grandiosa da história havia passado, a natureza demonstrara dor, as trevas cobriram a terra, a ausência imperava, mas após o 'Elli, Elli, Lama Sabactani', deu-se o grande 'Consumattum Est', que trouxe uma luminosidade nova revelando o resgate pleno e incondicional do gênero humano. Doravante todos eram iguais, judeus, amuratzens, romanos, gregos, persas e  gentios sem acepção de ninguém. Estava inaugurada a era do coração.

Helder Tadeu Chaia Alvim







Postar um comentário