sexta-feira, 10 de fevereiro de 2012

Ratio et Fides e a munificência divina...


1. Razão e fé, querem-na inimigas fidagais, como se uma e outra não viessem de um mesmo ser superior, que bolou o raciocínio, os teoremas, as equações, as sábias leis das ciências. Ele não deu tudo ao homem, e o pouco - muito que forneceu à conta-gotas- já foi o suficiente para que maquinasse revoluções, escrevesse teorias,viajasse pelo espaço sideral, descesse ao fundo do oceano,sobrevoasse meio mundo, ultrapassasse seus limites, manipulasse os elementos, inventasse a bomba atômica, deflagrasse duas grandes guerras e todos os absurdos que daí se advieram. E não para, sempre inventando mais, sempre ousando em todos os campos do saber e quase ao infinito quântico dos nióbios e da nano tecnologia.

2. Dotou-o de fé, uma fé humana que acredita no semelhante, que cuida de seus males do corpo, através da medicina e quanta gente boa se dedica a este mister de curar as dores alheias. Dotou-o de fé transcendental, aquela que explica o mundo imaterial que existe e que Deus vai revelando aos poucos a quem se achega dele.

3. A razão está para a fé como o corpo está para alma, a medida que convivem, trocam figurinhas se completam sem choque ou contradição. Deus, o poeta por excelência tem suas cismações, gosta de observar o movimento dos séculos, o entorno da existência humana que ele criou à sua imagem e semelhança.

4. Ele gosta de deixar fluir seus poemas na criação, na queda das cachoeiras, nos pores de sol, nas tempestades de aguaceiro descomunal, nas manhãs de brilho outonal, no sorriso da pureza infantil. Ele quando se fez homem, quiz ser criança, quiz brincar, sonhar, teve os cuidados e desvelos da melhor de todas as mães, ele chorou, sorriu, conversou, cresceu e assim por diante.

5.Tocamos um ponto crucial hoje em dia, na era da internet, que saúdo com satisfação, a era democratica e compartilhada on line, a época definida como virtual. No entanto a tendência é raciocinar menos, se utilizar menos da razão, pois a praticidade e novidade ocuparam seu lugar de direito. E os homens adotaram outros conceitos baseados pura e exclusivamente no consumo de bens, nos adicionamentos sem muita direção.

6. O homem, ser contigente esqueceu o Ser necessário e se tornou inquieto, cheio de manias e dedos, com rompantes de grandeza que diverge de sua condição de fugacidade,e na sua inquietude existencial  perscruta o universo à sua volta, "os períodos orbitais" e anuncia suas descobertas fantásticas  como é o caso do recente planeta G J 667 cc.

7. E quem se candidata a se ocupar das  viagens ao interior da alma? Quem nos revelará as belezas escondidas nela, posso afirmar que o poeta arrisca um tantinho, uns mais, outros menos abordam o tema da existência. Tem muita coisa a conhecer, muita vivência esperando o pionerismo da santidade, como acena João Evangelista que se fôsse escrever tudo sobre Jesus, o universo seria pequeno para conter toda esta literatura divina impressionante.

8. A razão sem a alma seca o espírito, a alma sem a razão desfalece no caminho, esta dependência assemelha-se às partículas de hidrogênio e oxigênio que formam a bebida mais saborosa da face da  terra: a àgua. Uma sem a outra não é nada, a outra sem a uma permanece em estado gasoso.

9. Deus não é teoria, ele é ato puro, o motor imóvel que deu o impulso a todas as coisas visíveis e invisíveis, ele não pode ser descartado ao bel prazer do cético, que hoje vive amnhã e´ uma sombra e cinza fria. Deus não é passível de relativização, de teorias biomagnéticas e sabe-se lá o que!

10. Ele é o Início Alfa, Meio Iota, e o Fim Ômega, o Grande Ser Incriado que criou o universo material e espiritual, sem Ele nada disso existiria e a propria natureza é um prova inconteste que ele existe mesmo. Sua bondade, misericordia e justiça regem o mundo saido de suas mãos. Ele se fez homem, assumiu a natureza humana em tudo menos no erro e pecado, habitou no solar dos homens para elevá-los ao seu reino de glõria.

11. Não adianta fugir, as coisas são assim mesmo. O princípio do mal que existe na terra, é fato paupável em sua consecução originou-se do anjo decaído, aquele que nomeamos de Lúcifer, que foi embora do céu pois pretendia ocupar o lugar de Deus e Miguel, o arcanjo de Luz deu um jeito, convocou seu exército, e destronou aquele que tinha por missão levar a luz. Não deu outra coisa o anjo mau fugiu para as trevas e de lá com seus poderes quer abalar no coração dos homesn a fé no seu criador. E se conseguir vai levá-los consigo par o inferno sem volta e de tormentos eternos, os quais se acrescentam na geena um fogo terrível.

12. Deus veio ao mundo por meio de Maria Santíssima para iluminar nossa razão com a tocha da fé, cumpriu sua missão ponto por ponto, realizou milagres, prodígios, atestando sua divindade, obsequiando Pedro com o dom da fé, fê-lo seu sucessor e primeiro papa, converteu Saulo no caminho de Damasco e assim sucessivamente ao correr da história vai aplicando seus méritos infinitos e sustentando com seu corpo, sangue, alma e divindade, escondida nas espécires eucarísticas, aqueles que se aproximam do seu coração sagrado por meio e intercessão da Virgem Maria.

13. Não nos aflijamos, irmãos se a barca de Pedro dá sinais que vai naufragar, não acontecerá, sempre terá gente santa, gente generosa, pastores zelosos e a presença de uma Mãe poderosa, rainha, uma estrela do mar, clemente, doce para nos auxiliar na travessia final.

14. Tornemo-nos cada vez mais viajantes da vida interior, já se faz tarde no horizonte da humanidade, muito tarde e vagalhões estão se formando, ventos insuportáveis, raios e trovões, o planeta dá sinais inequívocos de exaustão e não é aconselhhavel ficar pintando seu casco, pois a ferocidade de fôrças embravecidas não tardam a chegar. E quem estará presente, como sempre esteve nas horas históricas mais apertadas e de risco total. Sim e Ela mesmo, mais brilhante que o sol, mais formosa que a lua, mais bondosa do que nunca... mais terrível para os maus 'como um exercíto em ordem de batalha'. É questão de tempo, e o tempo nosso, como diz o outro, não é o tempo de Deus.

15. Se ele deu luz e cor  ao lírio do campo, que tem duração efêmera, se ele em sua munificência alimenta as raposas em sua toca, as corujas brasileiras em seu toco de campana, que dírá, de  nós, resgatados pelo sangue de um Deus, e abençoados pelo olhar puro, sem mácula, de uma Santa, de uma Mãe, de uma Virgem mil por cento maternal e admirável em sua virtudes.

16. Volto a frisar consigo, o quanto a proposta de Deus é sabia, ele conhece o coração do homem, suas fragilidades e propensão para quedas, então psicologicamente interpôs Nossa Senhora, a verdadeira econôma de sua riquezas e quando ela perceber o tempo de Deus, na sua sensibilidade de mulher, ela vai sussurar aos anjos arcanos a palavra mágica: 'Fazei tudo o que ele vos disser'. Não terá mais na terra lugar para a apelação , conchavos e composições que tanto fizeram mal a povos e nações. Mas será o tempo que Deus reservou para si, será feita a vontade dele aqui na terra, como desde todo o sempre é feito no céu.

17. Muitas vezes " a casa de meus sonhos é feita de ilusão", e como é, mesmo o homem mais inteligente que tenha existido, mais poderos que Alexandre Magno, chega o momento que envelhece e enfrenta o dilema da Fé, será que no anoitecer de minha vida serei julfado pelo amor? Ou pela justiça?

18. Mesmo que ele tenha detido todos os conhecimentos científicos de todas as gerações acumulados, todas as riquezas materiais em sua conta, mesmo que tenha viajado pelo espaço sideral ultrapassando a barreira do som através de anos - luz, incólume procurando em vão vida fora da terra.

19. Um dia, chega a hora de sua última viagem, e ele no esquife pomposo, com honras militares, condecorações pátrias, vai levar sua mão para fora da urna mortuária, e nem um tostão minguado será necessário para a travessia, pois o picote do bilhete de entrada no céu está bem seguro, e exige não glórias, mas merecimentos. E se ele exclamar, Senhor, meu Deus, 'em vida acreditei, agora vejo', então poderemos ter certeza: bendito será!

Helder Tadeu Chaia Alvim
Postar um comentário