sábado, 10 de dezembro de 2011

dividir ou somar?

1. Um giro rápido pela região do Euro é fundamental para entendermos a situação enroscada que adentramos na era on line da alta definição, das  crises financeiras em alta, tudo atingindo o cume da desagregação e o fator calor humano cada vez mais em baixa, abaixo dos níveis aceitáveis. Não sou especialista neste assunto e nem em outros, mas vejo que por pouco o mundo não incendeia de novo.

2. Se fossemos querer explicar, haveria teses em calhamaço considerável, teste do ibope, gente graúda do pensamento analisando o desempenho dos países europeus unidos, seu esfôrço de equilíbrio, sua não beligerância entre si, sua ajuda aos mais desaprecatados da sorte financeira. Mas infelizmente tudo beira ao caos, em lá caindo arrastará muitos para o centro de sua gravitação sistêmica.O que não é bom!

3. A Europa como um todo a partir dos Beatles foi abandonando seu passado de tradições, valores que a fizeram grande e respeitada no resto do mundo. Reinventou sua história, unificou-se a prejuízo das características sadias de cada país da zona do Euro e hoje colhe os frutos amargos e adianta o resgate de seu fundo permanente.

4. Ainda poderá se safar disso tudo se tiver a coragem e disposição de entoar seu mea culpa, voltar as suas origens de fé, resgatar sua religiosidade, restaurar as bases de seu mundo bom. Quem sabe nas proximidades deste natal do ano da graça de 2011, bata em sua alma aquela saudade de filha pródiga sempre querida e reinicie vida nova, aquela do evangelho de Cristo, aquela do olhar da Virgem Santa. O resto meus amigos é tapar o sol com a peneira e mais cedo ou mais tarde virá a pirambeira.

5. Por aqui a situação aparentemente é inversa, sobram riquezas naturais em nosso solo, a flora é de invejável diversidade, a nossa biodiversidade é uma das mais avantajadas do planeta e a promessa de um mundo sustentável para toda a humanidade, detemos tantos por cento da água potável do planeta.

6. Se não fossem os desvios e incertezas de carácter de muitos homens públicos, a par de tudo isto aqui seria um paraiso. Agora estão inventando a divisão do Pará em Novo, Tapajós e Carajás que se o projeto vingar os três estados nascerão endividados. Gente sensata para que dividir se a palavra de ordem correta é se unir e nessa união com a federação o Pará cresça, desenvolva e reverta suas riquezas minerais, pecuárias e de serviços para os seus mais de 7.628,531 habitantes,oka!

7. Pude conversar esta semana com um paraense de passagem em São Paulo. O Edwaldo estava regressando às pressas para votar pela não divisão de sua fôrças. A Virgem de Nazaré quis se manifestar naquela região por volta de 1793 e a seu modo singelo foi encontrada pelo caçador Plácido na estrada de Utinga e de lá para cá tem feito milagres a favor de seu povo paraense - tornando-se a maior demonstração de fé do mundo e do brasil.

8. Em tudo e por tudo o anseio do valoroso povo paraense de não divisão, tudo indica, vai prevalecer e os desígnios ainda não cumpridos pelo Pará soberano, no que diz respeito sua grandeza territorial e de alma de seu povo deverá ainda ser cumprida ponto por ponto no conjunto dos estados federativos. O futuro está nas mãos doces e milagrosas da Poderosa Senhora do Círio de Nazaré.

9. Um sim acarretará a fragmentação e não é compatível com a vocação histórica do povo paraense, o futuro do Brasil depende mais do que tudo deste não, pois o Pará é nosso irmão mais forte  por herança e direito e não é certo transformá-lo diminuindo sua estatura, descaracterizando sua bela face de promissão em três novas regiões.

Boa sorte Estado do Pará Unificado!
Helder Tadeu Chaia Alvim
Postar um comentário