quinta-feira, 6 de outubro de 2011

Steve Jobs, o homem total

1. Interrompi as considerações sobre o Eclesiastes, para deixar meus pêsames sentidos à  família Apple pela perda de Steve Jobs. O motivo que considero altamente louvável de sua vida, foi lá atrás, jovem ainda vislumbrar um conceito ousado de comunicação pessoal e por mão à massa e abalar  o mundo da tecnologia, dizendo, fazendo e provando ser possível democratizá-la, dando oportunidades a preço justo e encaminhando à mão de milhões de usuários os avanços de última geração.

2. Foi imbatível até que a morte o colheu aos 56 anos. Viveu a totalidade de seus dias voltado para seus projetos, esteve à frente de sua empresa Apple por décadas, sempre buscando, sempre inovando. A cada lançamento ele vibrava, a cada novo desafio ele arregaçava as mangas e ia otimista em buscas de seus objetivos. Como todo bom americano, um homem de sonhos, de realizações, com um faro tecnológico apurado, ia, pesquisava, encontrava soluções práticas e gostava de compartilhar com o mundo os avanços inevitáveis da era nano tecnológica.

3. O fato de estar hoje escrevendo sobre este assunto foi obra de Steve Jobs, pois ele proporcionou um acesso sem limites e em igual condição para todos. Este é o ponto principal de sua trajetória indômita, compartilhamento de ferramentas à nível global sem restrições, respeitando as leis reguladoras de cada país. A admiração pela Apple é mundialmente notória entre seus inúmeros produtos, que visam a funcionalidade a cultura e a interação entre máquina e o  ser humano: iMac, iPhone, iPad, iPod,  iTune, iLife, Apple I, Apple Lisa, Macintosh, Mac Mini, Macbook Air,  e o navegador Safari. iPod( leitor de música com alta capacidade) PowerBook G4  e o Mac com o Boot Camp, entre uma grade impressionante de tantas novidades, que seria longo enumerar.

4. Não é à toa que colheu as homenagens póstumas dos quatro cantos do mundo, cada um a seu modo procurou oferecer-lhe um último adeus e tudo se tornou válido quando o coração ditou comportamentos e enlaces de paz proclamando a filosofia de vida de Steve Jobs. Na verdade todo ser humano traz um pouco de Steve Jobs dentro de si.

5. Daí a razão desta mensagem enlutada, mas porque não de esperança ao feitio daquele que trabalhou, acreditou em seu sonho até o último segundo de sua existência na terra. Se a inteligência de Steve Jobs, sempre palmilhou a trilha do bem, sua alma hoje desfruta dos anseios espirituais, que Deus reserva àqueles que passam a breve jornada aqui fazendo o bem. "Vita non tolitur, sed mutatur."


6.  Caro e saudoso Steve Jobs, agora posso falar-lhe e deixar de lado o bluetooth e afins, pois seu espírito não tem mais mister das alavancas que tanto buscou e estas rimas almejam alcançar a estratosfera  de incomensuráveis medidas etéreas.


7. Posto isto, vê- lá, amigo que vai passar a eternidade entre os clarins de outra definição, aqui na terra das conexões você desenvolveu seus dotes ao extremo de sua fôrça empreendedora, tocou as raias do quase impossível em matéria de comunicação, visualizou muitas realidades, saiu na frente e possibilitou ao planeta avanços inimagináveis no que tange aos nióbios quânticos da nano tecnologia. 


8. Batalhou perseguindo sem tréguas um ponto no horizonte que alcançado partia intrépido nas buscas de outras visões, que realizadas, punha-se novamente na estrada e arrancava um oh! de entusiasmo da platéia planetária a cada nova invenção realizada e anunciada na sede   da Apple em Cupertino, California -USA.


9. Agora recebeu o prêmio da vitória, pois ao partir, sem dúvida deixou o mundo melhor graças às suas intervenções. Este blogger e seu autor mínimo fazem votos que a luz de Steve nunca se apague no firmamento da Apple e que a nova era da ciência da computação, o cinema de animação e a musica digital impulsionada por ele seja um marco para o futuro que está às portas com exigências, transformações e desafios mastodontes, numa equação bem difícil de solucionar, mas não impossível: crescer sem ferir o planeta terra.

Helder Tadeu Chaia Alvim
Postar um comentário