terça-feira, 6 de setembro de 2011

' Zerano '

1. A disposição de escrever requer do postulante ao cargo certo esforço e concentração, pausa e respiração, requer soltar o ar devagar na contemplação, em seguida mirar um ponto no infinito e esperar bater a inspiração. É bom também andar, andar despreocupado, observar, observar... Não tem mistério, quando sentir chegar aquele movimento das divas, alegre-se muito. Caneta e papel na mão e  o resto é consigo, amigo, caçador das rimas perdidas.

2. Mesmo ao léu, mesmo sem chapéu 'zerano' à esquerda, ousando desafinar o esquema e sair ileso das dez cachoeiras. É um exercício altamente prazeroso o de criar versos, mimá-los um bom tempo para depois fazê-los conhecer a luz do dia, as telas leds do universo online e na humildade engrandecê-los com conceitos claros.

3. Os árabes inventaram os números, povo comerciante, viram lá atrás a necessidade de contabilizar o montante exato de suas transações comerciais e como foram bons, muito bons na aritmética  a extensão de seu conhecimento espalhou-se pelo mundo beneficiando as permutas e simplificando as ações dos negócios.Aqui chegamos onde queria chegar, pois o número zero - dependendo da posição utilizada à esquerda, um tom sem valor, à direita demonstra cifras precisas. As rimas mínimas também necessitam dele em sua pesquisas, para retornar ao assunto do começo, estabelecer razões para não se estender às proporções quilométricas.

4. Pulo para outro patamar, aquele que me oferece um gosto pensado. Se alguém ler e aprovar, vai um agradecimento antecipado. Se o clique de pesquisa não preencher o requisito, pelo menos vão saber que existe alguém que acredita na vida e espera de Deus que a conciliação da raça humana aconteça um dia com a completa restauração do mundo bom das certezas, que virá para cumprir os planos do Criador, segundo os arcanos, uma era factível, de luz, cor e vida como nunca foi vista dantes.

5. Antes de surgir esta narração queimei as pestanas para apresentar o que de melhor pudesse ao caro leitor, conferi os tópicos, a ideia central, aparei o que estava sobrando, acrescentei o valor elemento humano e ficou deste jeito.Vou encerrar por hoje, antes de virar um calhamaço, antes do cansaço bater, antes que estes versos adormeçam no compasso de espera, antes que amanheça o mormaço de estréia.

6. Quando eles chegarem ao seu destino para desenrolar o pergaminho e costurar num ponto só, após os ajustes necessários estarão impecáveis para o grande baile de inauguração do mundo bom. Na hipótese de ele não chegar, outros começarão de novo, tudo diferente, do zero tudo novamente. O que precisamos levar em conta é que existe um destino eterno para todos os homens, e isso é o que no final conta!

Helder Tadeu Chaia Alvim



Postar um comentário