quarta-feira, 13 de julho de 2011

Providenciai!

À Grande Amiga e Profª Adilea Maria de Paula,

Nesta.

1. Consternado com a dolorosa notícia do falecimento da estimada D. Oraide, faço chegar ao seu conhecimento algumas considerações a respeito daquela que se tornou referência de amizade, carinho e uma porção de coisas boas que o tempo não sói apagar em nossos corações.

2. Partiu para a eternidade a alma da D. Oraide Alves da Silva no dia Quatro de Julho do Ano da Graça do Senhor de Dois Mil e Onze na Cidade de Miracema-RJ, confortada com os santos sacramentos, ministrados pelo seu confessor e diretor espiritual Pe. José Olavo Pires Trindade, ela concluiu sua travessia segura do vale de  lágrimas rumo à luz eterna.

3. D. Oraide formou-se em direito, foi professora exímia e dedicada, diretora de colégios, fundadora e esteve na vanguarda educacional do Noroeste Fluminense por várias e profícuas décadas, a par de seu preparo intelectual e atividades educacionais de primeira linha, quero destacar neste momento de condolências, mas solene, qual a vida de nossa pranteada amiga, poetisa, oradora e saudosa mestra, a fixação plena no ideal que alegrou seus dias e encheu de cores diáfanas suas manhãs, a prática da religião católica em toda a sua extensão e claridade.

4. Foi filha de Maria, uma das mais dedicadas que conheci, adoradora de Jesus Eucarístico, possuia uma filial devoção à Nossa Senhora e uma extremada dedicação ao Sacerdócio, uma sintonia perfeita com o Reinado Social  de Nosso Senhor Jesus Cristo, uma caridade impressionante ao semelhante, uma capacidade de ouvir e aconselhar acertadamente.

5.  Recordo com saudade e amor filial de D. Oraide, com ela não tinha tempo ruim, estava pronta sempre para onde a graça divina a chamasse. D. Adiléa Maria de Paula não vai deixar eu mentir. Tive a oportunidade de coadjuvar suas missões apostólicas e digo se hoje arrisco a escrever foi graças ao seu incentivo, à sua arguta percepção da realidade de fé e entranhado amor a Santa Igreja Católica, Apostólica, Romana.

6.  Nos tempos adversos, lá estava ela prestimosa, colocando seus haveres, sua casa, sua existência em prol do culto sagrado. Foram jornadas incansáveis, pude vivenciar, à frente do Colégio Estadual Deodato Linhares; Grupo Escolar Ferreira da Luz,ondei estudei; Colégio Cenecista Nsra das Graças; Colégio Miracemense; Escola Nsra Senhora do Bom Conselho, Associação Beneficente da Divina Providência e uma dedicação sem igual à Capela Nsra de Fátima.

7. É dificil, dado a correria da era moderna, dos bytes velozes, traçar um perfil exato de suas realizações beneméritas em solo miracemense. Este poeta mínimo, na ocasião seminarista, teve a ventura de acompanhar uma década desta ação singular. Quer rascunhando sua oratória feliz, auscultando sua sinceridade e a ortodoxia Marial de sua convicções de fé plena e arrojada, quer  na pureza de seu olhar locupleto de frutos opímos pela salvação dos irmãos que a Divina Providencia colocara em seu caminho.

8. A vida passou, prezada D. Adilea, e com ela levou nossos amigos em comum, Paulo Angelo,  D. Nilza, Mãe Geralda e agora D. Oraide. Passou sim - é a sina humana  da fugacidade - mas deixou o perfume de suas mãos que ofereceram rosas místicas, detalhadamente preciosas e ricas, que cuidavam sem espinhos para o próximo, aqueles pontiagudos guardavam para si em holocausto e pela restauração completa do mundo bom das certezas de Deus.

9. D. Adilea, me pus a anotar esta homenagem póstuma a querida D. Oraide e quisera que tivesse um sabor de autenticidade, daquela que pude sover ao privar com ela seus anseios sublimes, sua desenvoltura nata em se tratando do universo amplo de sua visão da obra salvífica de Jesus Crucificado.

10. Confesso que me foge o fôlego, mas por outro lado, pensando nos momentos de seus extâses espirituais no escritório da Barroso de Carvalho na década de 80, respiro fundo e encontro o acalanto no missal romano: "Requiem eternam dona eis, domine..." E vejo que não estou sózinho neste preito de gratidão, a Igreja Militante, a Igreja Triunfante e Padecente, os Miraceneses, hoje em côro uníssono repetem com os Anjos Arcanos dos clarins afinados: "... Et lux perpétua lucet a teis.!"

11.  A grande promessa do Sagrado Coração de Jesus para D. Oraide tornou-se realidade radiosa e tanto quanto a conheci, ela no céu não vai descansar na visão beatífica de Deus, não! Sua missão como embaixadora da Divina Providencia vai se  fazer presente hoje na Igreja que caminha em meio a tremendos sobressaltos. E ela como experiente timoneira vai indicar-nos o caminho mais acertado em meio à borrasca e conseguir de Deus nossa sustentação. Apagou hoje na terra querida de Santo Antônio dos Brotos uma luz radiosa, acendeu no firmamento etéreo uma estrêla de inefável brilho....

12. Não poderia deixar de prestar a ela minha humilde homenagem e blogar estas considerações. Ainda ressoa, depois de muito chão, um quê indefinido de saudade em minha alma e as lições de casa, que compartilho consigo, D. Adilea, pois a Sra. melhor que ninguém, ao conviver com ela por longos anos, teve a graça de partilhar uma amizade das mais belas e vislumbrar sua alma de eleição.

13. Reservo este memento especial, o momento se faz solene, bem do jeito de D.Oraide. Agradeço a ela ter sido assim: enlevada, simples, inteligente, sincera, pura e singela. Acreditei pelo seu olhar no mundo bom e que ao descansar esta tinta no papel os ventos do seu entusiamo contagiante a transporte para todos os corações  dos seus milhares de admiradores miracemenses e possam comigo perpetuar sua eterna canção, aquela dos clarins afinados, tão a seu gosto:  "Providenciai!"

14. Em meio às conquistas, anseios, apreensões da era on line da alta definição percebemos que tudo em Miracema traz a marca de D.Oraide, tudo respira a presença dela. Ao partir serena deixou aos seus admiradores um legado espiritual de sumido valor: a sua sabedoria, fé, constância, confiança, abnegação e enlevo. Hoje a realidade divina a envolveu com inefáveis ósculos de paz.

15. Em vida traçou sua vocação apostólica, debateu pela ascese, em prece esperou as soluções de seu ministério leigo, altamente produtivo, afirmou com entusiasmo os valores perenes da religião, com doçura, firmeza e circunspecção admiráveis não deu tréguas aos erros do laicismo anti-cristão. Hoje recebe a palma da vitória, se posta ao longo do cortejo das virgens prudentes em adoração ao Cordeiro de Deus.

16. E na  incomensurável dimensão eterna, em meio  alegria bem juntinho  de Nossa Senhora, sua madrinha, anjos e santos padroeiros, unida aos seus valorosos amigos  que se foram também, ela se levanta e conclama mais forte ainda : Adveniat, ubique terra, regnum tuum, Domina Nostra Imperatrix, quia advesperastis!

17. Porque se faz tarde e um panorama de incertezas ronda a humanidade, nuvens espessas toldam a visão da fé e os problemas se avolumam em ritmo de tsunamis, mane nobiscum D. Oraide! E mais uma vez ouvimos vozes, que nos são familiares, aquelas dos clarins afinados: Providenciai!

18. Podemos conjecturar que em seu extâse sem fim, as palavras do Pater Noster, agora, adquiriram para ela tonalidades beatíficas: "Fiat voluntas tua, sicut in coellis et in terra..." Quia advesperastis!

19. Profª Adilea Maria de Paula, deposito em suas mãos esta homenagem à Profª Oraide Alves da Silva, in memoriam. Teria muito o que falar, no acanhado espaço destas folhas resumi em linhas gerais o oceano de inspiração que me tocou de perto, me impulsionou por certo, em nome da gratidão encetei este voo, qual aprendiz de rimas soltas, mas sinceras e para encerrar faço minhas as palavras do poeta miracemense Gilberto Barroso de Carvalho, da era separatista:  "Miracema Águia Cativa que sofre o martírio dos que  vivem sentindo asas  nos ombros e grilhões nos pulsos."

20. Ao encetar sua última viagem rumo à patria celeste a alma boníssima de nossa intrépida samaritana se aprochegou do Ser Onipotente, Misericordioso, Aquele que É... não fora de mãos vazias e temerosa, ao contrário com a certeza de ter realizado inteiramente os planos de Deus a seu respeito; suas conversas e presença não pertencem mais a este mundo de provas e percalços.

21. Ao transpor os umbrais da felicidade sem fim, recebeu seu quinhão de luz, ao viver longevamente edificou suas virtudes em bases firmes, ao morrer tocou nas realidades indizíveis de Deus e tornou-se nossa intercessora de direito.

22. D. Oraide ao partir, pelos seus anos bem vividos, pela sua pronta anuência ao chamado do Divino Capitão, não só viveu uma vida  devota, mas seguiu o Mestre mais de perto, desenvolveu os talentos que lhe foram confiados pelo Grande Artífice  do Universo de uma maneira brilhante, e na sua generosidade que lhe era peculiar colheu a consideração, o respeito e a estima de todos os seus conterrâneos Miracemenses.

 Cordiais saudações,

 Um forte abraço,
 Salve Maria!

 Salve Oraide!

Helder Tadeu Chaia Alvim
São Paulo, 06/07/2011
Postar um comentário