sexta-feira, 10 de junho de 2011

Zapetrape...

1. Não é moleza a triste sina de ser brasileiro nos dias que correm, não valorizamos nossos professôres, estamos à mercê da violência, nossas leis são brandas demais, estamos equivocados em vários campos, vivemos amontoados nas magalópoles em nome da modernidade mal entendidada, não temos transporte público de qualidade, o ir e vir ao trabalho consome 35% do nosso tempo útil, poluimos nossos rios, devastamos nossas florestas. A lista de desgraças não teria fim e sua paciência, amigo leitor, exclamaria em tom de lamentação, se me permite a citação: " -O bagulho é louco!!!  E o usual "tô nem aí não teria lugar aqui."

2. E como correm lentos na justiça... no caso Battisti, que se arrastou entre o mandato do presidente Lula e o STF, contrariando o tratado de extradição firmado entre Brasil e Itália. O problema do Battisti é de competência  de seu país de origem e não do nosso. Cabe em primeira e última instância à soberania da dolce Italia decidir o destino e julgar os atos de seu cidadão Battisti.

3. Naturalmente o proceso vai parar em Haia e o Brasil perderá credibilidade, sua autoridade diplomática, que fez da nossa diplomacia o árbitro de antigas questões limítrofes com Pedro II, Rio Branco e no campo jurídico, altamente representada pelo  Dr. Rui Barbosa na corte suprema de Haia. No presente episódio o Brasil, lamentavelmente contraria a jurisprudência dos tribunais internacionais e se isola em um deteminismo mal interpretado, no mínimo uma patada de gato contra os leões do direito internacional legítimo.

4.Assim as coisas se passam no chão brasileiro, um dos assassinos do jovem Felipe Paiva,estudante da Usp morto friamente  no dia 18/05 p.p estará em liberdade condicional e poderá responder o processo em liberdade como co-autor do bárbaro e inaceitável ato criminoso.

5. Afinal, o noso horizonte está toldado de preocupações, por estes e outros fatos, divulgados ou não... Soltam Battisti, dão liberdade a meliantes e enjaulam 439 bombeiros no RJ!!! Sem falar de dezenas de outros brasileiros mortos em um conflonto de interêses dúbios no estado do Pará. É mole marreco!!! exclamaria meu velho pai do alto de sua ignorância culta se tivesse vivo para ouvir fatos fora de propósitos como esses. Arriscaria seu latim castrorum e apelaria para o senador romano, Cícero: "Quo usque tandem abutere Catillina  patientia nostra." ? ? ? 
Tapas e mais tapas na carra do brasileiro!!!

Helder Tadeu Chaia Alvim
Postar um comentário