terça-feira, 7 de junho de 2011

Ponteiro das razões

ponteiro das razões...

1. Descomplicar a vida, ajuda. Sair da rotina é salutar. Deletar emails indejesados é um bom começo.Fortalecer o relacionamento pessoal lembrando do aniversário de um amigo esquecido, uau! Estender a mão solidária ao necessitado da sorte, ao aflito sem rumo, ao deserdado do convívio, ao marginalizado, ao complicado, torna-se uma ação altamente meritória.

2. Aconselhar quando solicitado, uma forma de amar expetacular, fugir dos devaneios tolos é o supra sumo do decoro, manter a discrição capacita o livre exercicio de um tranquilo ir e vir, " não sabendo a mão direita o que faz a esquerda, toca a perfeição.

3. Dedicar-se uma fração do dia a arrumar a papelada no trabalho, aquela gaveta bagunçada, por ordem no guarda-roupas, na estante, na casa ajuda em  muito o espírito concatenar idéias, arejar a cabeça,rever conceitos com gosto pensado e além disso é um alento ajeitado.

4.Dirão que estou malhando em ferro frio, coisas sabidas e por demais entendidas, extendidas no papel , requerências desnecessárias, insolências variadas, que jazem na esquina de uma rima desconhecida.

5. Só pelo fato de aparecer estas suas criticas construtivas, vou tentar ir mais a fundo na questão pois assim lhe satisfaço e completo por extenso este diapasão. O conflito traz sabor desde outros carnavais, sem explorar este lado da filmagem moderna vou  prosseguir levando em conta sua admoestação sincera.

6.Caminhar, observar as pessoas com carinho, cumprimentar o vizinho traz ânimo no caminho fugaz da existência, o tempo que se desperdiça não volta mais, é perdido e amontoa brasas sob a tez serena do homem cosmopolizado; não se adiantar no juízo, entender o motivo de outrem, sopra na mente  a paz perene.

7.Razões simples para ser feliz, nem pensar nas famosas crises existênciais, pois o essencial é cultivar o  otimismo, o lirismo das canções, se não tiver condições de fundar uma ong para salvar o planeta, no entanto está ao seu alcance realizar a missão, a alma está a altura de suas mãos, a caneta, o papel em branco aguardando determinações em cânhamos invisíveis.

8. Anote seu pensamento, deixe fluir a letra em forma de rima. Elas estão acima de sua cabeça, loucas para privar consigo cantigas leves e soltas. Há exatos 3 anos comecei a postar e garanto que a satisfação auferida foi estupenda, além do que imaginei, bem diferente das lambidas do consumismo exigente.

9. Pratique o silêncio, a oração, aquele olhar para Deus que compreende até o que não dizemos, mas sentimos.Simples razões para ser um pouco feliz na jornada terrena, pois a felicidade plena pertence à alma quando transpor os umbrais finitos e se deparar com as infinitas belezas de outras dimensões e sua bondade,e justiça sem limites.

10. A grande sacada final, o grande negócio que não se deve perder é a salvação da alma. A pegada certa para isso é apoiar-se em Deus, o universo com seus trilhões de anos - luz, miríades de astros, evoluções estupendas é finito. O grande não do homem contemporâneo tornou-se pequeno face a magnitude e onipotência do Criador e da obra saida de suas mãos. Se Ele deixasse de pensar um instante nela e em nós, tudo deixaria de existir. "Em Deus estamos, em Deus nos movemos.", dispara o apóstolo dos gentios. A grande burrada do homem foi justamente esquecer de ser amigo do seu criador e mantenedor omnisciente.

11. A sociedade perdeu esta substância primeira, deixou-se levar pelas aparências do ser e não pela sua essência e no seu livre arbítrio buscou sensações, visões de mundo contrárias ao querer divino, a bondade de suas intenções. Em última instância fabricou um mundo artificial, um Cristo sem espinhos, a ressurreição sem a cruz, o amor sem compromisso, negativou os dogmas e arranjou para sua cabeça problemas de sobra.

12. - "Pauper semper habetis vobiscum" , mas miseráveis, não! Do que adianta tantos avanços nanotecnicos, tanta falação linearis, se neste momento exato alguém estará morrendo de fome em um mundo pragmático e orgulhoso de suas conquistas metodológicas e espaciais.

13. Seriam relatos de histórias reais sem fim e as lamentações deste poeta se igualariam às mulheres de Jerusalém pranteando o Justo, injustiçado pela sociedade da época do gólgota salvifíco. Me ajude, gente sensata! Quando o gigante despertará de seu sono esplendido? E as coisas voltarão para o seu devido lugar com oportunidades justas para todos?

14. - Mão pesada, hein poeta mínimo! Que estilo senta a pua conceitualizado! - Você está afirmando, caro leitor e respeito seu parecer. Na tranquilidade de nossa amizade on line, somos chegados, e gosto de suas interações, com essas pitadas de provocações. Seus cricks ao meu trabalho atualizam minha intenção de continuidade  e racionalizam as tempestades abstratas desta cidade e do mundo real na verdade.

15. Não pretendo ao postar opiniões fazer proseitismo da poesia pura, nem nomear pessoas ou instituições, ongs, ambientalistas, sociólogos, políticos, Igrejas. Cada um tem sua consciência e no frigir dos ovos, o juízo pertencerá ao Senhor dos Tempos, que comanda os ventos e as tempestades, chegando a particulariedade até do fio de noso cabelo. Tem trabalho e ações aí muito meritórias e que a história um dia revelará quando se dispuser a separar o joio do trigo.

16. - Agora sim que a mistureba caotificou a mente dos presentes a esta secção. O bagulho é sinistro, pior que entendo sua partitura amigo das linhas obscuras...( acho que exclamará alguém...) - Não quero ter razão sempre, nem tão pouco defender teses palacianas auscultadas de uma maneira clara aos homens simples das esquinas paulistanas.

17.Também não estou propondo digradiações desnecessárias e infundadas, pois a era de Aquiles, de suas homéricas lutas há muito   deixou de entusiasmar os paladinos dos direitos humanos.

Helder Tadeu Chaia Alvim
Postar um comentário