sexta-feira, 3 de junho de 2011

A pérola esquecida

                                             A pérola esquecida
1.Vou falar em versos agora a respeito de um assunto, de um termo verdadeiro, trata-se de um valor muito esquecido chamado: a m i z a d e, onde refletimos o amor que temos a outrem e queremos para ele todas as coisas boas do mundo. Falar dela é fácil, o exercício constante é que torna-se difícil, pois só um coração abnegado que se doa em atenção ao irmão sabe  da responsabilidade de manter por anos a fio uma amizade a toda a prova.

2. Quando os ventos da incompreensão soprarem fortes em sua soleira  lembre-se que vale a pena ter um amigo e solicitar dele o ombro acolhedor. Quando a perda de um ente querido pesar em sua vida achegue mais perto de seu irmão e seu calor o esquentará neste momento de frio e dor


3. Quando as conquistas da vida sorrirem para você em forma de hino exultante, compartilhe com ele a todo instante e verá aflorar em seu semblante uma alegria radiante.

4. Quando seu amigo estiver adoentado, acabrunhado pelos embates desta vida "marvada" ligue para ele, faça-lhe uma visita, demore em seus sonhos e aquilate o tamanho da grandeza deste ato.

5. Enfim, você se torna responsável, se atraiu alguém para seu círculo de gravitação e será uma satisfação e tanto permanecer com ele em todas as estações, as glamourosas, as tristes, as tranquilas das prosas despreocupadas.

6. Vou citar um texto do poeta Gustavo Corção, que entendo ser uma das páginas mais belas sobre a amizade que já li. A citação eu a transcrevi do livro da historiadora carioca, Marta Braga ( Lições de Gustavo Corção) - Editora Quadrante pag. 67. 

"Amigo! De onde virá esse cheiro de vinho quente e capitoso? O cheiro não dessedenta...Amigo!Não queres começar agora mesmo essa caminhada de aventura, em busca da fonte viva da Caridade de Deus? Iremos juntos conversando; pararemos onde houver frutos e sombras, bateremos de porta em porta como mendigos;perguntaremos aos homens dos caminhos até descobrirmos onde fica a vinha do Senhor, até encontrarmos a pedra do lagar que o sangue do Justo avermelhou! ...Os amigos que se encontram gostam de apertar as mãos.A amizade exige essa crucificação, o calor, a fôrça, o contato... Vemos Pedro, o inimitável Pedro, o mais simpático de todos os Papas, e menos solene, frequentemente o mais "gaffeur",vemos Pedro tirar a camisa e atirar-se ao mar, nadando para chegar depressa perto do grande Amigo que julgara perdido."

7. É para meditar mesmo e ficar um tempão absorvido reavaliando o que temos feito deste dom precioso, hoje tão banalizado que se chama:  a m i z a d e.

9. Então são tantas razões destas palavras, cravadas no coração do mundo que me inundo de satisfação à moda de Cristo Jesus que amou Pedro, João, Lázaro com muita afeição, amo meus amigos e reparto com eles sempre que posso veros e canções. Ofereço-lhes estes versos da emoção e outros mais!

Helder Tadeu Chaia Alvim
Festa  de Nsra de Lourdes
SP 11/02/2014

Postar um comentário