quarta-feira, 18 de maio de 2011

A mídia eletrônica e o fenômeno anímico

1.Outro dia, alguém ao ler as postagens neste blog mínimo, objetou a visão de mundo que imprimo nestas páginas, uma mistura confusa de lirismo e tecnologia, afirmou. E venho a esclarecer estas viagens assertivas, não entendidas.

2. A finalidade da mesma seria registrar a fase mutante em que vivemos, tudo vira muito rápido, e para acompanhar as mudanças e termos estranhos à nomenclatura, os que se dispuserem a tratar do assunto precisam suar a camisa e esquentar a cuca nas pesquisas para entender o movimento e não se prender em futilidades nulas.

3. Procuro atualizar os amantes da poesia nos termos técnicos e avançados da importante era on line. Considero vital este aprimoramento, pois vejo nele uma oportunidade para os poetas opinarem melhor sobre a realidade que estáo inseridos e mais tarde editarem em pdf seus livros e serem compreendidos.

4. Não tenciono mudar de jeito, porque acredito que o fazer arte hoje em dia precisa estar plugado, inserido neste moderno fenômeno anímico até o pescoço. Por isso sem menosprezar a moda antiga dos poetas, vejo a urgente premissa de ressaltar tudo o que aparece na mídia eletrônica sobre a temática poetica na era quântica dos nióbios.

5. Com cautela e gosto pensado convido-o, preclaro amigo, a adentrar cada vez mais na tela led dos layouts automáticos que os célebros da Skype vão disponibilizar em breve na produção em massa nos aeroportos, portos, hotéis, shopings centers, hospitais e cruzeiros marítimos.

6. Você vai economizar com esta tecnologia de ponta, absurdos com as chamadas internacionais , que serão realizadas por meio do voip. Já está funcionando no aeroporto de Tullin, na Estônia.

7. Longe, bem longe da traquitana e da propedêutica vamos continuar nossas viagens no próximo capítulo de nº 238 das rimas mínimas de um quase poeta?

abraços,
Helder Tadeu Chaia Alvim
Postar um comentário