segunda-feira, 4 de janeiro de 2010

Consequências climáticas e danos ambientais

1.Tenho acompanhado com tristeza e coração apertado as notícias sobre Angra, que foi abalada por fortes chuvas e deslizamentos de terra na passagem de ano. Antes era tudo alegria e perspectiva de uma comemoração augurada para receber 2010. No entanto tudo virou uma cena de horror motivada palas forças descontroladas da natureza conforme li nos depoimentos da Fôlha On Line.

2. Consequências climáticas, danos ambientais somados desembocaram no resultado apocalíptico que os jornais amplamente divulgaram. A hora é de reflexão e ação, conforme as autoridades estão fazendo. Ninguém queria isso, mas aconteceu e todas as providências acho que serão tomadas para evitar futuras tragédias.


3. E no parecer abalizado de Claudio Palmeiro do Amaral - um dos maiores especialistas do país: "Mortes poderiam ser evitadas"( Folha de S. Paulo 03/01/2010 cotidiano C7). Ele esteve no local, mapeou a região e categoricamente deixou sua tese que deve ser levada e analisada com carinho e atenção.

4. Solidário com todos os familiares das vítimas envolvidas naquela região parasidíaca, ofereço o ombro amigo destas linhas e faço minhas suas dores enlutadas e quando passar as tristezas atuais é chegado o momento não só lá mas em todas as regiões de risco de rever conceitos de construção, orientar a população, preservar o meio ambiente e que todos tenham segurança e bem estar, pois a vida é um dom divino e não poder ser ceifada aleatoriamente como aconteceu.

5. Que 2010 seja reconstruido no coração destes familiares e o aviso embravecido da mãe terra seja levado em conta, amigos. Que acontecimentos desta monta não se repitam, tenhamos ciso a par de preservar a natureza, a vida humana não pereça.

Com mil pesares,

Helder Tadeu Chaia Alvim
Postar um comentário