segunda-feira, 30 de novembro de 2009

Momento Prazerozo X Notícias Preocupantes

1.É prazeroso estar aqui, enquanto se tem fôlego pensar e confabular com você meu amigo que tem a bondade de me escutar sempre e te digo mais a intenção deste conversê é para refrescar a cabeça estonteada por tantas notícias. Pensei em considerarmos juntos o aumentativo, alás tão a gosto do jeitinho nosso, brasileiro de ser. Se é ligado em esporte o brasileirão tá quente e apertado para os timões em pauta. Quem não gosta de saber e planejar o próximo feriadão de fim de ano? Quem não respeita o canzarrão do vizinho que sempre fica a espreita quando a gente passa desavisado e tranquilo? Que susto hein? Já passou por isso? Eu também, eh! eh! eh! Que sufoco ter que tomar o buzão numa sexta feira chuvosa de trânsito congestionado! É melhor pular esta parte pois se não o suor vai engrossar. E que mais? Hã, e que delícia aquele dogão do Maurão depois da balada na Vila Madá - e de aumento nossa lente de grau não padece do mal da solidão. Aumentar é desejar que tudo que aconteça ao irmão seja bom. Tem até loja Bonzão - bar do Netão - lava rápido do Luizão- blog de Eldão. Quantas e quantas palavras não caberiam para ilustrar a questão.

2. O sujeito é fanfarrão, ricão, pobretão, super e super citações de montão... É nem tudo são flores e alegrias no canteiro de nossa oração. O brasilzão vai mal das pernas. O mal que o acometeu é a corrupção, ja´tão dizendo nas ruas e praças aquelas piadas: certo parlamentar, vamos lamentar: mensalão antigo, o novo agora é diurnão das meias e bolsos dos ternos executivos políticos na passarela da fama ao avesso.

3. Que Deus, meu amigo e a Virgem de Aparecida, mãe solícita nos ampare e alumie pois assim não dá pé meu povo brasileiro afeito a acreditar que algum dia tudo vai melhorar. Otimismo à parte estamos à beira de um desastre. As instituições, os mandatários legítimos precisam adiantar as soluções cabíveis e dar mais esperança e leme firme aos destinos de nosso país nação! Falar de ética em vésperas de eleições é moleza, agora o exercicio consciencioso dela é dureza. A política passa como os ventos lá prás bandas do meu sertão, no entanto fica o Brasil altaneiro, Terra de Santa cruz da bondade e das perspectivas melhores para o futuro. Cicero da tumba onde jaz estremeceria se fôsse cidadão brasileiro e certamente se levantaria com suas catilinárias - para invectivar em riste os desmandos daqueles que fazem uso das diurnárias. Será que ninguém se atreverá a chamar para si as dores da nação canarinha?

Helder Tadeu Chaia Alvim
Postar um comentário