segunda-feira, 16 de novembro de 2009

2ª Feira de Trampo

1.Toda gente quer chegar, tem pressa se imprensa, não impressiona, só pensa em ultrapassar. Eu prefiro alongar as distâncias, encurtar as instancias, descansar nas estâncias, distanciar-me do trânsito caótico, aproximar-me do pranto poético desviar-me do lamento patético

2. Quem idealizou tal progresso? Sei lá! charada presente nesta estrada, ausente, inconsciente: Vilarejo -Realejo -Lugarejo

3. A felicidade de situação deu lugar à agitação frenética, elétrica sem compensação da metrópole moderna sem compunsão, onde não se houve mais a voz do coração onde predomina tão somente a preocupação

4. Éramos calmos, cautos, solenes, naturais, tornamo-nos calados, cansados, dementes, artificiais Até quando? Por enquanto não sei para dizer, se não adicionarmos calor humano, neurose coletiva tá  prá acontecer, vai saber!

Helder Tadeu Chaia Alvim
Postar um comentário